Guardiões da Galáxia vol.2

Entre na dança e veja o que achamos do filme!

MANTIS

Conheça a versão dos quadrinhos dessa misteriosa personagem que chega aos cinemas

Classicos de Logan

Mutação em Debate revisita as histórias do baixinho canadense

THOR: RAGNAROK

Deus do Trovão e Golias Verde voltam a se encarar em Novembro

Inumanos vs X-Men

Mutação em Debate discute o fim da minissérie

LEGIÃO

FOX surpreende em sua primeira série Mutante. Veja o que achamos de Legião.

Homem-Aranha de volta a Marvel

O podcast junta 616s com Aracnofãs para discutir o novo filme

DEFENSORES

Saiba as novidades da série do ano pelo Netflix

Conheça os Inumanos

Os seres mais misteriosos do universo ganham um seriado de luxo

AGENTES DA SHIELD

O que achamos da quarta temporada da série?

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

X-Men 62 - Milligan/Larroca

Chega ao fim o primeiro arco de Peter Milligan pós-Dinastia M. A Mansão se tornou um campo de refugiados mutantes. Alguns Sentinelas comandados por humanos são colocados de guarda na mansão, muros de proteção são erguidos e o perímetro da propriedade é vigiado a fim de evitar que uma raça seja extinta. Mais uma saga chata termina.

Photobucket - Video and Image Hosting




Os pilotos dos Sentinelas são apresentados, e como todo bom clichê que o Milligan adora seguir, um dos caras não gosta de mutantes (só porque ele é negro não quer dizer que ele não pode ser rascista, tá Milligan?!). Um grupo de humanos tenta matar todo mundo na mansão, mas os Sentinelas, agindo conjuntamente com os X-Men, derrotam todos. Polaris e Destruttor abandonam a equipe pela enésima vez e o Homem de Gelo recupera seus poderes. É isso.

Milligan nunca demonstrou muita inteligência. O humor que ele tenta impor aos personagens é sofrível, as situações parecem irreais e mal exploradas, bem como heróis que antigamente eram muito bons, hoje, em suas mãos, são odiados pelos leitores.
Podemos começar com um dos heróis mais odiados: Homem de Gelo. Milligan criou uma legião de ódio ao personagem. Ele ficou chato, ficou com os poderes descontrolados, bem como suas atitudes. Depois, no dia M, aparece sem os poderes e agora volta a tê-los em plena forma, como na época em que Emma Frost o havia destravado mentalmente.

Photobucket - Video and Image Hosting


Por outro lado, temos Polaris, que aparentava estar normal, mas descobre-se que ela havia perdido seus poderes desde a última edição. Por causa disso, ela sai do grupo, Alex vai atrás como que dizendo que ainda a amava. E o Homem de Gelo? Que tava de rolo com ela? Ficou olhando com cara de merda sem fazer nada!

Sinceramente, o Sr. Milligan soube escrever quando não mexia com heróis do Mainstream, como era o caso dos X-Táticos! Xingar ele tem sido obrigação ultimamente. Mas o que dizer de Salvador Larroca, um desenhista limitado que descobriu que seus desenhos são perfeitos para arte final por computador?! Todos os homens tem as mesmas bocas, suas mulheres tem traços muito parecidos umas com as outras, isso sem falar que a falta de expressão corporal e facial são enormes. Larroca aparenta desenhar bem, mas na verdade, é a arte final que chama toda a atenção!

Photobucket - Video and Image Hosting


Infelizmente, tenho que dizer que esse foi mais um arco Milligan/Larroca que sou obrigado a odiar mesmo contra minha vontade, porque nenhum dos dois soube atrair a atenção deste que estava lendo.

J.R. Dib

terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

Pós-Guerra: Informações Confindenciais #003

*Atenção! Informações inéditas no Brasil e EUA!!

Ainda não completou nem uma semana desde o fim da guerra, e a Universo Marvel 616 já está mais que preparada para as vindouras mudanças. Paralelamente aos dois lados de vingadores que se dividiram encabeçados pelo Capitão América e Homem de Ferro, um outro grupo sofreu profundas marcas neste evento.

Quarteto?

Sim, trata-se do quarteto fantástico, que teve as fundações da mais famosa família da marvel abaladas no conflito.


Aqueles que acompanharam as sete partes da minissérie viram que a divergência de opiniões entre Sue e Reed colocaram o casamento dos dois em perigo. Contudo, durante o conflito final, ambos provaram que nem isso poderia destruir o sentimento forte entre eles.

Quarteto?

Com a guerra tomando seu fim e o registro se tornando lei, Sue decide se afastar com Reed para recuperar o casamento. Cabe a Jonnhy e Ben manter o nome do quarteto fantástico... juntamente com o mais novo e atuante casal da Casa das Idéias

Quarteto?

Em março, Fantastic Four 544 mostra Tempestade e Pantera Negra unindo-se ao Coisa e Tocha humana no Edifício Baxter. E já na edição seguinte, o novo e temporário quarteto fantástico que será escrito por Dwayne McDuffie e desenhado por Paul Pelletier se envolverá em mais um mistério cosmico que já começa com o estranho roubo do corpo do jovem herói Gravity.

Os velhos e novos fãs do Pantera e Tempestade podem, no entanto, ficar tranquilos porque a revista solo do herói de Wakanda continua firme e forte nas mãos de Reginald Hudlin e Francis Portela.

Quarteto?

Em março, Pantera Negra 26 traz os dois recém-casados já no Edificio Baxter juntando forças com Ben e Jonnhy para lidar com uma ameaça vinda da Zona Negativa.

A coisa não para mesmo depois da mini-série! Como diz o Coisa... "Ta na hora do Pau!!!"

Coveiro

Em Foco: Civil War

**Atenção: Contém informações de publicações inéditas no Brasil**

Photobucket - Video and Image Hosting

Dando continuidade à sessão "Em Foco", iniciada com um debate sobre a chegada da Dizimação às revistas brasileiras, trazemos nossa primeira discussão a respeito de um tema ainda inédito no país. Falo de Civil War, mega saga que envolveu todo o Universo Marvel, acabou de ser concluído nos EUA e que deve chegar em meados de 2007 ao Brasil. Uma vez que metade de nosso editorial só lê as publicações nacionais, eu e Coveiro compomos a "mesa" com mais dois convidados: nosso mais recente entrevistado, o Fã; e um participante freqüente da comunidade da Marvel 616 no Orkut, Rafael Brizola. Vamos, então, falar da guerra que virou a Marvel de cabeça para baixo.

« Jøåø » diz:
Bom, começo com um posicionamento particular de que Civil War me parece ser a terceira parte de uma espécie de "Trilogia". Iniciada com Avengers Disassemble, que derrubou a estrutura um pouco "caduca" dos maiores heróis da Terra; continuada com House of M, que reduziu drasticamente o número de mutantes e os tornou parte do Universo Marvel, e não um núcleo separado; finalizando com Civil War, que é o que vamos debater.

« Jøåø » diz:
A primeira "pergunta" que lhes faço é a seguinte:
A Conceituação da história é válida? É alguma coisa que se encaixa bem no contexto do Universo Marvel? Os dois eixos do "racha" que a Marvel sofreu (Homem de Ferro e Capitão América) correspondem ao papel que lhes foi dado?


CX diz:
Eu acho que não poderiam ser outros dois personagens a tomar essa frente. De alguma maneira, eles eram ainda patamares na mente da mídia de verdadeiros heróis americanos, apesar de premissas diferentes - Uso da tecnologia (físico) e "Espírito Americano" (psicológico).
Se fossem outros, como Xavier ou mesmo Blackbolt, recairia em um "americanos vs mutantes" ou vs aliens.
Então, de certa forma, eles compunham sim o melhor para representar cada papel.

Rafael (Brizola) diz:
Acredito que a história já foi concebida com esses dois personagens como protagonistas, cada um representando um lado político.
O liberal e o conservador, sendo que sempre batia a dúvida sobre qual deles (Capitão e latinha) representava o quê.


CX diz:
Pois é... como saber se o Capitão era mesmo liberal ou convervador?? E o Homem de Ferro? Um futurista sendo conservador?

Felipe - Fã diz:
Achei ótimo o "confronto" ideológico deles. Não cheguei em nenhum momento em Civil War a pensar qual lado estava certo ou errado, mesmo o Stark manipulando algumas coisas.

« Jøåø » diz:
Eu concordo com o Coveiro em um sentido. Homem de Ferro e Capitão América que compartilhavam um mesmo status na opinião pública por suas ações, mesmo podendo perfeitamente ter dois pontos de vista distintos sobre esse assunto. Acho que isso ficou bem claro naquele Casualities of War, com os dois.
E, apesar de ir contra o conceito original dos Vingadores (que sempre enfrentaram coisas fantásticas), tudo fez muito sentido por causa dos dois eixos principais estarem nesses dois personagens.
Mas, na verdade, ser futurista não é relacionado diretamente à ideologia política, então não seria contraditório.


Rafael (Brizola) diz:
Eu acho que isso tem mais a ver com a formação dos personagens mesmo, pois enquanto o Tony é um industrialista, o Steve reflete o estilo democrata de ser. Entre outras coisas, também representa o duelo "Liberdade X Capitalismo".

Photobucket - Video and Image Hosting

« Jøåø » diz:
Saindo da idéia para a prática: Civil War foi bem executada? O que foi bom e ruim nela? O número de edições principais (contando aí Civil War e Front Line) foi o suficiente ou essas edições foram muito corridas?

Felipe - Fã diz:
Para mim, menos ou mais edições não iam mudar em nada. Civil War foi bem executada. O que veremos agora são as mudanças causadas por ela, que é o mais importante.

CX diz:
Nesse caso, discordo do Fã. E não falo apenas nos atrasos. Se formos comparar alguém que não leia a maior parte das revistas "em anexo", haverá um vácuo para o entendimento do leitor. Como um todo, juntando todos os anexos, a Guerra foi excelente. Mas ela precisava sim de apoio. Veja o Caso de Front Line, que foi tão ou mais importante que a série principal.
Comparando com outras minis, ela provavelmente foi a mais dependente dos tie-ins em toda a história da Marvel.
Ou seja, vai custar uma fortuna quando lançar aqui pra quem quiser acompanhar tudo... rs


Felipe - Fã diz:
Mas coveiro a pergunta seria se isso deixou a série corrida, o que para mim não aconteceu.

CX diz:
Corrida não foi, tamanho foi o atraso. Mas dentro da série principal, achei que as coisas aconteciam muito rápido, sim. Daí a dependência dos tie-ins para você entender e digerir todo o ritmo.

Rafael (Brizola) diz:
Eu acho que até a 4ª edição estava espetacular. Parecia que nós acompanhávamos de camarote o desenrolar da história. Mas depois o ritmo caiu um pouco. Na minha opinião, se dali em diante tivessem trabalhado mais na trama e menos na preparação da batalha final, o final teria sido mais impactante, pois teria uma base mais sólida. Ainda assim, a conclusão foi coerente.

« Jøåø » diz:
De uma forma geral achei que as sete originais foram tranqüilas e conseguiam prender a cada edição. Os tie-ins foram necessários, mas não curti tanto assim Front Line. Apesar de necessária, em alguns momentos achei que enrolava mais do que apresentava algo interessante ou relevante. Especialmente com aquele arco "Sleeper Cell".

« Jøåø » diz:
Ainda dentro disso, a duração da saga, assim como a quantidade de minis, one shots e tie-ins foi a ideal?

CX diz:
Juntando tudo, pra mim foi. Como eu disse. Como um todo, foi um evento estupendo e sem defeito. Mas eu preferia mais páginas e mais informações ocorrendo na série principal.

Rafael (Brizola) diz:
Exatamente, Coveiro. Eu queria mais o lado político da coisa, o envolvimento do T'Challa, Namor e etc...

« Jøåø » diz:
Aquela mini com os X-Men foi extremamente desnecessária e ruim, na minha opinião. Em um especial de uma edição era possível reestruturar a condição dos 198, que foi seu objetivo afinal. E alguns tie-ins são inexplicáveis. Especialmente o Casualties of War do Motoqueiro Fantasma e do Cavaleiro da Lua.
Por outro lado, a edição com o Rei do Crime, War Crimes, foi sensacional. Mostrando que o mundo não parou para Civil War e que cada um tirou proveito daquela situação como pôde.


Rafael (Brizola) diz:
Eu também achei péssima a mini dos X-Men, mas concordei com a posição deles como um todo na guerra. Minha única crítica em relação aos tie-ins é que nos últimos meses a coisa saturou um pouco. Porém, ninguém me obrigou a ler todos hehehe...

« Jøåø » diz:
E também tivemos tie-ins ótimos como o de X-Factor e os de New Avengers. E, claro, o Homem-Aranha após revelar a identidade. Até as que não eram tie-ins oficiais tinham a guerra como pano de fundo.

Felipe - Fã diz:
Não acho obrigado a ver todas as histórias. Algumas coisas importantes são mostradas em Civil War mesmo, outras não. Mas lendo a história dá para perceber o que aconteceu.

CX diz:
Fã, uma coisa é uma história muito independente. Mas ali, muitos tie ins traziam informações novas que faziam você oscilar de lado a lado... principalmente os que vez ou outra mostravam uma ação por debaixo dos panos do lado pró-registro. Além de que, no final, cada revista mudou seu status quo de um jeito. Então, era necessário ler sim.

Felipe - Fã diz:
Mas coveiro, para mim isso não compromete a história. Você que quer ver a reação do universo marvel inteiro, mas acredito que isso não seja "obrigado".

« Jøåø » diz:
Concordo que é possível ler sem os tie-ins. Mas perde-se muito.

CX diz:
Possivel, é. Mas que compromete a história, compromete. Posso até ler só os números impares de Civil War, nesse caso... rs

« Jøåø » diz:
hahahhahaha

Felipe - Fã diz:
Mas Peter Revelando a identidade é em Civil War 2.

CX diz:
Sim, mas a grande repercussão está em suas revistas. Mas enfim, prossiga, Jão.

« Jøåø » diz:
Aproveitando a deixa do Rafael, foi interessante colocar a população mutante dizimada (inclusive seus heróis, os X-Men) de fora de todo o evento principal? Levando em consideração o que vimos na mini Civil War: X-Men, em X-Factor e em Wolverine.

Rafael (Brizola) diz:
Em termos de narrativa era a única opção. A função dos X-Men, seja para o bem ou para o mal, é se adaptar a nossa sociedade. E se posicionar contra o governo é o contrário disso. No mais, foi uma amostra de superioridade também, deixar os humanos se bateram e depois aproveitar o que sobrar.

Felipe - Fã diz:
Não li e não sinto nenhuma falta, Coveiro...rs

CX diz:
Vou resumir tudo a: Para quê destruir árvores com a Mini dos X-Men??? A do X-Factor já comprimia toda a idéia. O posicionamento foi até compreensível, como o Brizola disse. Mas bastaria se resumir a conversa com a Emma. Pra mim, a mini foi estúpida...

« Jøåø » diz:
Eu achei muito coerente, especialmente depois do baque de House of M. Em primeiro lugar, eles voltam a ser de fato "marginais" no universo Marvel. Não por quase terem um universo só para si (como vinha acontecendo), mas por voltarem a ser uma minoria de fato.
A mini foi mesmo um desastre. Só serviu para dar nova direção aos 198 (o que poderia ser feito em um especial one shot) e tirar (viva!) o Bishop da equipe. Wolverine só serviu para vermos que há alguns objetivos obscuros em Civil War e que o Logan pode ser considerado imortal. X-Factor deu a tônica dos mutantes e achei muito boa. A conversa do Tony com a Emma também. Algo como "Nunca nos ajudaram, por que nos envolveríamos agora?" E respondendo ao Coveiro: Para quê fazer a mini? Para vender revista.

Photobucket - Video and Image Hosting

CX diz:
Pra mim o lance de voltar a ser minoria serviu pra duas coisas: tirar o foco excessivo de cima deles (graças a Cable) e voltar à idéia original de marginalizados. A situação na Guerra tinha que ser aquela mesma. "Vamos nos recolher porque estamos quase extintos".

Felipe - Fã diz:
Graças a Wanda, Coveiro.

« Jøåø » diz:
hahahahaha

CX diz:
Humf...

Rafael (Brizola) diz:
nehehe

« Jøåø » diz:
O estopim de toda Civil War foi o incidente em Stamford e a incriminação dos Novos Guerreiros (recaíndo sobre o Speedball). O que acharam disso?

CX diz:
Bom, não sei se foi estopim ou se na verdade foi apenas a primeira desculpa. O bode expiatório. Pra mim, teve mais essa cara. Acho que há tempos NY estava cansada de ver a destruição indiscriminada e descontrolada. Nesse ponto, faz lógica o governo tomar uma posição mais dura... era responsabilidade dele preservar a cidade.
Só não sei se estou feliz com as mudanças que o Speed sofreu. Era um fã da idéia original.


Rafael (Brizola) diz:
Foi sacanagem com o fãs do grupo, se é que existem. Mas como eles estavam de fora do universo há tempos, pelo menos assim tiveram algum destaque. Sem contar que serviram mais de bodes expiatórios mesmo.

CX diz:
Acho que, separados, eles acabaram ganhando um destaque melhor. Veja o Nova em Aniquilação. Antes disso, Justiça e Flama nos Vingadores. E agora, bem, agora... o speed.

« Jøåø » diz:
Apesar de coerente, nós tivemos recentemente ameaças mais destruidoras e que foram responsáveis por mais mortes (se não me engano) do que Stamford. Falo de Planet-X.
Na minha opinião, o grande diferencial do incidente com os Novos Guerreiros foi a transmissão ao vivo. A TV tem um poder muito grande. Os governantes tiveram uma ferramenta muito forte na mídia.

E é interessante, voltando ao assunto anterior rapidamente, os X-Men dizendo que quando milhões de mutantes morreram em Genosha, ninguém fez nada do tipo.


CX diz:
Genosha também nunca foi grande aliada dos americanos. Por vezes invadiu o território americano pra catar os X-men. E depois foi liderada por Magneto.
É como se Cuba afundasse hoje... Bush ia rir... rs

« Jøåø » diz:
Não sei se dá para comparar com Cuba, já que sua ameaça é mais ideológica do que física. Mas destaco exatamente por essa "diferenciação". Quem é atingido é muito mais importante do que um suposto princípio da segurança e responsabilidade. Até porque, em tese, a SHIELD é apátrida.

CX diz:
Ate parece... rs

« Jøåø » diz:
Sim. Isso está mais no campo do discurso do que o da prática. Mas é legal fazer esse paralelo entre motivos "oficiais" e motivos "práticos".

Rafael (Brizola) diz:
[modo fanboy on] Só sei que com o Stark na SHIELD isso jamais aconteceria [modo fanboy off]

« Jøåø » diz:
hahahahaaha

Photobucket - Video and Image Hosting

« Jøåø » diz:
Bom, tentando buscar um enfoque mais pontual, gostaria que dissessem o que acharam do papel dos seguintes personagens (ou núcleos de personagens): Speedball; Pantera Negra-Tempestade; Quarteto Fantástico; Homem Aranha; Namor; Homem de Ferro e Capitão América. Se faltar alguém, podem falar também.

Felipe - Fã diz:
Todos os personagens tomaram rumos diferentes após Civil War. Como o coveiro mesmo falou, o Speedball está muito diferente da época dos Novos Guerreiros. O Homem-Aranha teve grandes mudanças na sua vida, como revelar a identidade e com tudo isso espero que ele se torne um personagem melhor.

Como já foi falado no começo, os papéis de HDF e Capitão América ficaram perfeitos pelas ideologias do personagens.


« Jøåø » diz:
Bom, eu gostei bastante da posição do Pantera, e como fizeram de fato da Tempestade uma personagem "independente" dos X-Men. Ela ganha mais personalidade e o casal teve um destaque legal, que acho que o T’challa sempre mereceu. O Speedball foi quase ressuscitado. Mesmo assumindo a identidade de Penance (o que "matou" o personagem), conseguiram escrever muito bem um personagem terciário. Tenho que admitir que o Aranha ainda me dá medo. Seu futuro, eu digo. Durante Civil War, achei até que o Aranha revelado foi bem trabalhado. Mas o futuro me deixa apreensivo.

Felipe - Fã diz:
Eu queria ver a visão de alguém sobre o justiceiro em Civil War.

« Jøåø » diz:
Quanto ao Justiceiro, Fã. Acho que re-inseriram mesmo o personagem no mundo Marvel regular e ainda acredito que ele terá um papel importante nesses próximos meses.

Photobucket - Video and Image Hosting

CX diz:
Acho que os principais, Homem de Ferro e Capitão América, nós já citamos. O Speed comentei. Falta então falar do Aranha e do Novo Casal Marvel. Aranha fez o papel mais fundamental em toda a história... uma vítima de ambos os lados. Mais uma vez, devemos a ele a parte de nos aproximar mais e mais de como seria nossa situação em tudo isso... Longe dos generais, ele imprime o que passa na cabeça de cada um dos soldados. Lembram-se dos questionamentos da Vespa e do Pym?
Já do casal – Tempestade e Pantera - sou suspeito pra falar. Eles fizeram a parte "diplomática". O que o exterior pensa disso? Como responder? Além de que a Tempestade voltou a ser alguém de respeito.


Rafael (Brizola) diz:
Speedball: começou bem, mas degringolou com o surgimento do Penance, idéia que funcionaria melhor num vilão de Wanted, mini satírica do Millar para a Wildstorm. Pantera Negra-Tempestade: achei que o desfecho dos tie-ins deles não bateu bem com o final de Civil War, o Hudlin tentou falar de racismo, mas às vezes forçou demais a barra. Quarteto: foi bem conduzido. Só pecaram com o Reed um pouco. Acho que o Straczynski não soube ver méritos na posição dele. Sorte que o McDuffie o salvou. E o Namor é um fanfarrão, mas foi muito foda na one shot dos Illuminati hehehe...

Felipe - Fã diz:
(Rafael , Wanted não foi publicado pela Image/Top Cow?)

Rafael (Brizola) diz:
(hum... é)

« Jøåø » diz:
Pois é! Acho que o Straczynski deveria dar lugar ao McDuffie em Quarteto. Em uma edição ele conseguiu mostrar o que tinha de fato acontecido com o grupo.

Rafael (Brizola) diz:
Não só deveria como, bem... deixe pra lá.

« Jøåø » diz:
Sem spoilers ou previews por aqui!! Hehehehehe

Rafael (Brizola) diz:
Bem, o Aranha foi um dos pontos neutros de Civil War. Ficou bacana esse posicionamento. No mais, ele passou por questões mais internas do que externas, e no final escolheu o lado que mais combinava com sua personalidade. E claro, para variar acabou se fodendo por isso hehehe...

CX diz:
rs

CX diz:
Acho que Neutro nessa foi o Estranho... O Aranha foi o indeciso.

« Jøåø » diz:
O Aranha sempre se fode.

Photobucket - Video and Image Hosting

« Jøåø » diz:
Continuando, sabemos que Civil War teve uma questionada conclusão. Quais suas impressões sobre ela? Foi "anticlimática" como muitos disseram?

Felipe - Fã diz:
Eu gostei do final. Quando o Capitão vê a cidade destruída, mostrando o porquê da lei do registro.

CX diz:
Não achei que foi anticlimática de modo algum. Na verdade, resumiu bem o melodrama do porquê de toda a Civil War. Foi um final que leva ao começo. Ele justifica toda a saga. E o melhor de tudo, redireciona a algo novo pra nós...

Felipe - Fã diz:
E PQP "Stark diretor da SHIELD"!!! 0o.

Rafael (Brizola) diz:
Eu achei um pouco decepcionante na hora, mas depois percebi que era o único desfecho possível, uma vez que o Capitão teria de ir contra sua integridade para vencer a guerra. No clímax, o Tony o provocou, e o Steve enfim percebeu que desde o princípio já tinha perdido. Naquele momento ele lembrou do Justiceiro e percebeu que para vencer precisaria ser como ele: Um pária, defendendo seus ideais contra tudo e contra todos.

« Jøåø » diz:
O Capitão, na minha opinião, não pensou estar errado em momento algum. O que aconteceu foi que ele viu que, para atingir seus objetivos, estava acontecendo exatamente o que não podia acontecer. A sua idéia só poderia ser posta em prática agindo de uma forma que ele não age. O que o aproximaria de alguma forma do Frank Castle, como o Brizola falou. Então, ele "desiste" (pelo menos momentaneamente).

O final foi "broxante", mas coerente. Se acabasse em morte, pancadaria generalizada, como se houvesse um lado "bom" e um lado "mal" bem definido, a saga seria jogada no lixo.


Rafael (Brizola) diz:
Sim, de certo forma ele foi extremamente consciente. Se rendeu para não se rebaixar.

« Jøåø » diz:
Porque essa é uma das coisas interessantes do final. O lado pró-registro ganhou? Sim. Mas isso quer dizer que estão "certos"? Não sei. Não é tão "Preto-e-branco" assim.

CX diz:
Bom, eu só quero saber qual será a motivação do Cage em manter os Novos Vingadores, porque as ordens do Capitão foram claras: "Acabou"!
E também estou curioso pra saber o que será da revista do Capitão!


Rafael (Brizola) diz:
No final, o Capitão simplesmente não foi tão fanático quanto seus adversários, porque o Tony estava disposto a vencer mesmo se levasse a cidade ao chão.

CX diz:
E não achei "broxante" o final nem um pouco.

Felipe - Fã diz:
Eu quero saber mesmo quem é o maldito Ronin....

« Jøåø » diz:
Também, acho, Rafael. O que pouca gente se deu conta foi que a "batalha final" foi planejada pelos pró-registro. Os "Vingadores" do Capitão só foram livrar prisioneiros da zona negativa.

Aproveitando a pergunta do Coveiro sobre o Cage, podemos partir para as considerações finais.

Olhando para a frente e tentando fazer um pouco de futurologia. Com a maioria dos heróis Marvel registrados, Tony Stark diretor da SHIELD, a "Iniciativa" de espalhar os heróis por todos os estados americanos e no Canadá, com um "desastroso" novo time de Thunderbolts, além da existência dos Novos Vingadores do Cage e do ainda sumiço de Nick Fury, teremos uma Marvel melhor ou pior nesse ano de 2007?


Felipe - Fã diz:
Cadê o Lopes para responder?

CX diz:
AHUhauHAUhau Manda pra sessão de cartas dele.

CX diz:
Que por sinal SUMIUUU das revistas!

« Jøåø » diz:
Ele responde no Orkut. Fica mais fácil. hahahaha

« Jøåø » diz:
Vamos lá! O que vocês esperam de agora em diante nesse novo status quo?

Felipe - Fã diz:
Eu espero que esse seja o ano em que o Homem-Aranha se torne novamente um personagem com grandes histórias.

CX diz:
Bom, eu sou um dos mais ansiosos. Estou cheio de perguntas. Haverá um novo Capitão América? Um novo homem de ferro? Que frente um Dr. Destino ou outro pode fazer os EUA com 51 supergrupos diferentes?
O bom de ler a Marvel nos próximos anos, meses, será por isso.
Tudo está muito novo e estou adorando tentar descobrir... Quesada descobriu o "pulo do gato". E sem crise!!!


Felipe - Fã diz:
Quem é o Ronin???? 0o

« Jøåø » diz:
Minhas maiores curiosidades são: como foram formados os "Novos Novos Vingadores"? O que será do Capitão América e dos planos do Caveira Vermelha, que vem agindo nos bastidores? O que será essa nova SHIELD? Será que alguém assumirá a armadura no lugar do Tony? A direção dada aos novos Thunderbolts é algo que me intriga também. Porque aquilo lá é uma bomba relógio. E, finalmente, como esse novo mundo, essa nova ordem mundial vai lidar com a volta do Hulk?

CX diz:
Também estou curioso pra ler as novas minis. Tropa Ômega parece ter excelente premissa.

Felipe - Fã diz:
Queria ver o grupo dos heróis "texanos".

Rafael (Brizola) diz:
Será muito melhor na minha opinião. Estou muito curioso pra ver o Stark na SHIELD e os problemas que ele enfrentará, como a reação externa e a própria podridão interna da SHIELD. Além disso, será muito interessante ver as repercussões e pontos negativos de um mundo registrado. Espero muito drama e tensão nesse novo Universo Marvel politizado!

« Jøåø » diz:
Rafael destacou uma coisa interessante. Provavelmente haverá muita discussão e prós e contras do registro sendo ressaltados nas revistas. E tenho quase certeza que alguns terão "privilégios" em relação a outros. O Quarteto deve ter bem mais autonomia do que os grupos formados pela iniciativa, por exemplo.

CX diz:
Cara, na boa, não estou querendo ser muito provocador... mas com a super-força armada que os EUA tem hoje. Coitado do Hulk. Ele vai precisar de muita gente.

« Jøåø » diz:
Considerando que ele "conquistou" um planeta... hehehehehehe

Felipe - Fã diz:
O Hulk está com um exército bem grande....

Rafael (Brizola) diz:
World War Hulk promete, veremos se o Pak estará num momento inspirado.

CX diz:
Bom, como eu disse, vai precisar. Aposto mais no molequinho, no Amadeus fazendo surpresas. Mas acho que o momento de WWH chegará...

Felipe - Fã diz:
"Coisas" que sugam energia, lutadores tão fortes quanto eles e o próprio Hulk..

Rafael (Brizola) diz:
E tem o Namor também.

Felipe - Fã diz:
E o Raio Negro?

Rafael (Brizola) diz:
Vai bem.

CX diz:
rs

« Jøåø » diz:
hahahha

CX diz:
Não sei se envolveriam...

« Jøåø » diz:
O que acho importante e até divertido, pois cria expectativas, é ver uma Marvel de uma forma que nunca imaginamos. Pelo menos eu não nunca tinha pensado que isso pudesse ser posto em prática.
Várias possibilidades, e vários núcleos que podem interagir. Mas em um novo contexto. Se bem explorado, pode dar histórias muito interessantes.


CX diz:
Quero só ressaltar o "maracatu" que foi quando lançaram espertamente essa imagem na net:

Photobucket - Video and Image Hosting

CX diz:
E o que essa aqui representa:

Photobucket - Video and Image Hosting

CX diz:
Um jogo do Quesada. Que levou aos fãs até a pensarem que o Steve iria vestir a armadura. Ou melhor, um clone dele.

Rafael (Brizola) diz:
Na verdade acabou sendo similar com o que eu havia sugerido no meu artigo, Coveiro.

CX diz:
Acho que essa imagem representa tudo. E podemos começar fechando o Em Foco com o que pensamos sobre ela.

Felipe - Fã diz:
Uma pergunta , o Escudo do capitão tinha ficado assim depois de Civil War?

CX diz:
Sim, Rafael... você matou toda a charada. O escudo representa ele destruído, derrotado.

Rafael (Brizola) diz:
Leiam o artigo pra saberem minha opinião hehehe...

CX diz:
João, você caiu da cadeira?

Felipe - Fã diz:
Fala logo João ele só tem 1 minuto na Lan House.
=(


CX diz:
AHUhauHAUH Tenho mais 8

« Jøåø » diz:
hahahahaha

Eu acho que é isso mesmo. É puramente simbólico. Ele perdeu e agora a responsabilidade dos dois (Steve e Tony) está só nas mãos do Tony.


Rafael (Brizola) diz:
Eu fiquei mais bolado com a história da suposta morte de um grande personagem mesmo. Cadê?

« Jøåø » diz:
Mas o Capitão "morreu". Só sobrou Steve Rogers.

Felipe - Fã diz:
O Clone do Thor era um grande personagem?

CX diz:
Bom, eu quero encerrar a discussão com essa imagem. Porque ela, desde o começo, mesmo com cores falsas, resumiu o fim da Guerra. Ali não está só um vencedor, mas um símbolo da nova realidade americana. Ele é o novo representante do povo, porque serve ao que o povo americano quer. Nessa saga, o Capitão América esqueceu que esse era um de seus deveres.

Rafael (Brizola) diz:
Bom, eu agradeço a oportunidade, foi um prazer! No mais, nos vemos na comunidade...

Felipe - Fã diz:
Eu também agradeço, mesmo entrando mudo e saindo calado.

« Jøåø » diz:
hahahaha Foi legal sim. É sempre bom esse tipo de papo.
Quero terminar apenas que como um todo, apesar de escorregadas como as mini dos X-Men, alguns poucos tie-ins desnecessários e da volta inexplicável do Capitão Marvel, gostei bastante de Civil War. Especialmente por ser capaz de reconfigurar o Universo Marvel de uma forma com que se abram diversas possibilidades para as histórias nos próximos anos. Integrando mais as histórias da editora, demonstrando que ela não é só "títulos-X".

Um abraço e até mais!!


CX diz:
Abraço a todos


Dessa forma terminamos nosso segundo "Em Foco", prometendo realizarmos sempre um debate sobre algum grande tema tanto em publicações brasileiras quanto nas gringas. E não demora para haver mais, já que Aniquilação e Planeta Hulk vêm aí. Um grande abraço e obrigado por lerem.


« Jøåø »

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

Pós-Guerra: Informações Confindenciais #002

*Atenção! Informações inéditas no Brasil e EUA!!


Photobucket - Video and Image Hosting

As novidades da nova Era Marvel continua no novo mundo Pós-Civil War! Além das muitas mini-séries anunciadas para os próximos meses que são consequencias diretas da Guerra, uma em particular tem chamado especial atenção - Avengers: The Initiative!!


A primeira edição já começa em Abril, trazendo como estrelas velhos conhecidos do lado pró-registro: Hank Pym como Jaqueta Amarela, Jim Rhodes vestindo mais uma vez a armadura do Maquina de Guerra, Jennifer Walters que é mais conhecida como a Mulher-Hulk, Vance Astrovik que atende pelo codinome de Justiça e um novo personagem chamado "Gauntlet".

A premissa dessa mini-série que será escrita por Dan Slott, desenhada por Stefano Caselli e com capas de Jim Cheung é justamente nos familiarizar com o novo status quo da américa e seu exército de super-heróis. Agora, cada Estado americano terá sua própria versão de Vingadores e isso promete muitas histórias.

Photobucket - Video and Image Hosting


Em sua segunda edição que será lançada em maio, Maquina de Guerra e o Gauntlet lideram um grupo de novos recrutas e uma divisão exclusiva de heróis voadores contra a Hydra. Nesta mesma edição, Pym vai estar num momento crucial de sua vida!

E já que falamos em Jennifer Walters, finalmente chegará o momento em que a prima do incrivel Hulk descobrirá o plano assombro que o Homem de Ferro e os demais Illuminati tiveram meses atrás...

Photobucket - Video and Image Hosting


As relações da Mulher-Hulk com o Homem de Ferro e a Iniciativa serão partidas, assim como ela prometerá partir cada osso de Tony. As consequências prometem ser devastadoras!!

Bom, muito mais novidades estão por vir! Continuem acompanhando os Arquivos Confidencias ao longo dessa semana.

Coveiro

domingo, 25 de fevereiro de 2007

X-Men e Quarteto Fantástico: Ultimate Crossover

X-Men e Quarteto Fantástico

Em um pequeno intervalo na publicação dos Supremos e dos X-Men, a revista Marvel Millennium traz o crossover entre Quarteto Fantástico e X-Men. Uma mini-série em duas edições publicada na integra no número 61 da revista.

Aviso de perigo?

O arco começa com um aviso. Uma misteriosa mulher em uma projeção holográfica avisa Charles Xavier que um perigo iminente se aproxima da Terra. Uma nave avariada com vários mutantes espaciais estava chegando e eles estavam programados para destroçar e queimar, mesmo se fosse o alvo errado. Sem pensar duas vezes, o mentor dos X-Men reúne a equipe e parte para o local onde cairia a nave, deixando Homem de Gelo e Kitty Pryde para trás, esperando a volta de Wolverine.

Infelizmente, a emergência verdadeira estava no quintal de casa. Uma misteriosa mulher mascarada estava à espreita, já esperando a saída da equipe, o que demonstra que a "emergência espacial" não passava de uma manobra de distração. A mulher invade o Instituto, derrotando facilmente o Homem de Gelo e Kitty Pryde, demonstrando conhecer seus poderes e pontos fracos. A chegada surpresa de Wolverine parece momentaneamente virar o jogo a favor dos mutantes, mas a inteligente mulher derruba também o baixinho canadense, fugindo em seguida e levando o que chama de "presentes".

X-Men derrotados

Ao despertar, os três mutantes analisam as evidências. Os sistemas da casa não captaram nada, como se alguém invisível os tivesse invadido, além de possuir dedos com lança-chamas e muita inteligência, pois conseguiu tirar praticamente toda a equipe da mansão. É revelado também o que foi roubado: componentes do Cérebro, o rastreador de mutantes de Xavier. Kitty detecta uma chamada feita pela invasora de dentro do Instituto, que apesar do número confidencial, ela consegue rastrear com o acesso da SHIELD, ainda não revogado depois dos eventos de Norte Magnético.

Em seguida, a invasora chega ao seu esconderijo e sua identidade é revelada. É Rhona Burchill, a "Pensadora Louca", inimiga de Reed Richards. Ela contacta seus empregadores e cobra o dobro pelo aparelho roubado, revelando ter contaminado Wolverine com um retrovírus que burla seu fator de cura e que deixou um rastro "muito bom" para os mutantes. Rastro captado por Kitty, que a leva ao Edifício Baxter, lar do Quarteto Fantástico. Sem contato com o resto da equipe, com as habilidades do Quarteto semelhantes às da invasora e temendo que o governo esteja com o Cérebro, os três decidem agir.



O confronto inicial

No Baxter tudo transcorre normalmente. Sue separa mais uma briga entre Ben Grimm e Johnny Storm e Reed passeia pelo prédio lendo um livro. O passeio é interrompido pelos três X-Men, que questionam Reed sobre o assalto em Westchester. Reed obviamente não sabe de nada e inicia-se um confronto dos X-Men contra a equipe de segurança do Baxter e o Quarteto, com os mutantes levando a pior inicialmente.

Wolverine vs Coisa

Paralelamente, descobrimos quem são os empregadores de Rhona. A versão Ultimate da IMA. Mas a criminosa fica com o dinheiro e não entrega o Cérebro, invertendo a máquina e usando em si própria para modificar sua consciência. Sua mente se expande, como se ela estivesse em contato com tudo, alcançando telepaticamente Reed Richards, terminando assim a 1ª parte da mini-série.


O ataque da Pensadora

A 2ª parte começa com os X-Men percebendo que foram enganados e que precisam voltar. Jean Grey nota que existe um bloqueio psíquico em Nova York impossível de se atravessar. A ação volta para o Edifício Baxter, onde Rhona demonstra suas novas habilidades para Reed, matando facilmente um soldado. Reed decide recuar da luta com os X-Men e estabelecer uma trégua. Richards injeta um anticorpo para ajudar a eliminar o retrovírus de Logan, que fica fora de combate, e Susan localiza o esconderijo de Rhona. Mesmo com a desaprovação do Dr.Storm, a equipe parte para atacá-la em sua base. Susan e Kitty invadem furtivamente , Johnny e Bobby tiram um racha e Ben e Reed entram pela frente, encarando o robô de Rhona, derrotado pelo Coisa.

Kitty e Susan chegam até à Pensadora, mas ela estava à espera e as domina, assim como já havia dominado Johhny e Bobby, fazendo-os lutar entre si. Reed e Ben chegam até ela também, mas o Coisa é dominado e começa a esmagar Reed. Quando tudo parecia perdido, a inteligência de Reed mais uma vez salva o dia. Com um vírus nos escudos psíquicos, ele intensifica o Cérebro, fazendo Rhona evoluir sua mente para além da compreensão, até a empatia perfeita, vendo o ponto de vista de todos, quase como um deus. Ela tenta fugir, dizendo que não deseja empatia e sim controle, e tem sua fuga atrapalhada por Wolverine, que chega nesse momento e corta o cabo secundário de combustível da nave, provocando sua destruição. Reed Richards devolve os componentes do Cérebro para Logan, que parte com seus companheiros. Apenas no final o resto dos X-Men retornam.

Escrita por Mike Carey e desenhada por Pasqual Ferry, essa mini-série simples serviu como uma respirada após a fase de Brian K. Vaughan nos X-Men, mas não acrescenta basicamente nada à cronologia dos mutantes. Por outro lado, provoca uma significativa transformação em uma inimiga do Quarteto. Se Rhona já era perigosa antes, pode ter ficado muito mais a partir de agora. Para o Ultiverso de uma maneira geral também há uma importante contribuição: o surgimento da versão desse universo de uma importante organização terrorista do Universo 616, a IMA. Vamos ver se outros roteiristas aproveitarão essa organização.

Eddie

Fugitivos - Volume 2: Ainda Fugindo

Pouco depois de terminadas as 18 edições que compõem o volume 1 de Runaways, a Marvel decide dar continuidade às histórias dos filhos sobreviventes do Orgulho devido ao bom retorno que estes tiveram entre os leitores. Mas que histórias poderiam ser escritas sobre esses cinco adolescentes fugitivos que acabaram de salvar o mundo dos planos de seus pais? Bom, em primeiro lugar, encontrar um novo membro.

Capa de Runaways volume 2 #2

Destaque Millennium

Não só da realidade 616 vive essa comunidade. Se você acompanha as histórias do universo alternativo Millennium (ou Ultiverso, se preferir), vale a pena conferir nossa sessão de destaques especial para essa e outras realidades alternativas:


Ultimatum
Ultimatum: Aqui é o fim!
X-Men Millennium: A última batalha
Quarteto Fantástico Millenium: Antes do Fim
Ultimatum: Terceira Parte
Homem-Aranha Millennium: O melhor amigo do Hulk
Quarteto Fantástico Millennium: Viagem insólita
Ultimatum: Segunda parte
X-Men Millennium: O dia após o dilúvio
Ultimatum: A destruição de Nova Iorque


Origens

Origens: Lutai e Vigiai
Origens Millennium: Quando Steve foi para a guerra e Charles conheceu Erik
Marvel Millennium: Origens


Confronto Supremo

Confronto Supremo: Conclusão (ou Soc! Pow! Paff! Crash! )
O homem por trás da cortina
Confronto Supremo: Contato de Risco


Homem-Aranha Millennium

Homem-Aranha Millennium: O melhor amigo do Hulk
Homem-Aranha Millennium: O caos após o dilúvio
Homem-Aranha Millennium: Um momento antes do fim
Homem-Aranha Millennium Anual: Mystérios
Homem-Aranha Millennium: Quando monstros colidem
O pior dia na vida do Homem-Aranha Millennium
Homem-Aranha Millennium: "Como mutante, no fundo sempre sozinho"
Homem-Aranha e seus Incríveis Amigos
Homem-Aranha Millennium: A Solitária Morte de Um Duende
Homem-Aranha Millennium: (Just Like) Starting Over...
Xeque-Mate Millenium
A nova identidade do Ronin... de outro universo!
Cavaleiros Marvel Millenium
A conclusão da Saga do Clone Millenium
99,342% Homem Aranha Millennium
A história da Mulher-Aranha Millenium
Muitos Homens-Aranhas Millenium
Saga do Clone: Versão Millenium
Um Deadpool sem graça nenhuma...!!


Supremos

Foi o Dr.Pym no Laboratório com o Robô
Foi o Dr.Pym no Laboratório com o Robô
10 passos para criar um clássico
Os Supremos - Edição Definitiva. Vol 1.
Supremos: Quebra de Ciclo!
Supremos: Fim de uma era
Batalha Suprema no Ultiverso
Supremos 2: Preview da última edição
A capa de Ultimates 13......FINALMENTE!!!
Supremos é 13!
Supremos: Season Finale


X-men Millennium

X-Men Millennium: A última batalha
X-Men e Quarteto Fantástico Millennium: Mate o cientista, salve o mundo
X-Men Millennium: Apocalipse Agora
X-Men Millennium: Passado e Futuro Sombrios
Os Novos X-men Millennium
O Fim dos X-Men Millennium
Cable: Polêmico em qualquer versão...
X-men Millenium: Encontro Noturno
X-Men e Quarteto Fantástico: Ultimate Crossover
Ultimate X-Men: Mudanças no time


Visão Millennium

Visão Millenium: a conclusão
Visão Millennium: Reviravoltas
Nova Visão no Universo Millennium


Marvel Millennium

Marvel Millennium - Wolverine vs Hulk: Sobrevivência e Intrigas
Marvel Millennium Anual: O mistério do Pantera Negra
Marvel Millennium Anual: Hulk Censurado
Marvel Millennium - Wolverine vs Hulk: Precisa dizer mais?
Quarteto Fantástico Millennium - A Hidra ou Os Sete?
Quarteto Fantástico Millennium: A Saga de Thanos
Surfistas Prateados Millennium


Millennium Anual: O ataque de X3
Millennium Anual: Jovens e Fantásticos
Millennium Anual: Vigilantes de Nova York
Millennium Anual: Um país em Pós-Guerra
A Origem do Ultiverso
Presidente Thor
Homem de Ferro Millenium
Supremos 13
Ultiverso (USA)
Mark Millar fala de sua volta ao Ultiverso
O que esperar do Ultimatum do Ultiverso...
Última Capa Variante de Supremos 3
SDCC´08: O Ultiverso... antes do fim!
Os segredos do Ultiverso vêm à tona!!!
O maior de todos os medos chega no Milleniumverso!
Inimigos Supremos - Rumo ao 3° Volume
Capa de Supremos - O 3° Volume
100 X Ultimate Spider-man 100!!


Supremoverso

Vilões quase invencíveis...
Os melhores do mundo?
Esquadrão Supremo: a Liga da Justiça da Marvel


Outras Realidades

Uma Noite Alucinante
Grandes Zumbis Marvel
É sexta-feira 13 na Marvel Max

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2007

Fim da Guerra: Informações Confindenciais #001

*Atenção! Informações inéditas no Brasil e EUA!!


Fim da Guerra


Nesta semana, o maior evento dos quadrinhos desta decada se encerrou. A Guerra Civil na Marvel chegou a um fim e reestruturou toda a história da Casa das Idéias sem nenhum mega evento galactico arrasador.E os primeiros sinais dessas mudanças já começam na próxima semana em Fevereiro!

No último volume de Civil War: Frontline, vamos finalmente ver o que as descobertas de Sally Floyd e Ben Urich podem causar agora que o final da Guerra já foi decidido. Já em Homem de Ferro 15, finalmente os boatos foram confirmados e podemos ver que a "falsa" capa de Tony Stark como diretor da Shield não era tão "falsa" assim.


Fim da Guerra


Uma Variante, desenhada por Adi Granov também estará disponível, lembrando bem a clássica capa de Nick Fury, Agente da Shield. A vida de Tony, no entanto, não vai ficar nada fácil. E não falo só de seus novos compromissos como Diretor. Ao que tudo indica, um velho inimigo voltará a dar as caras... e eu aposto que é o Mandarim.

Fim da Guerra


A grande e esperada revista depois do final da Guerra, no entanto, é Civil War: The Initiative, que finalmente traz a polêmica capa com as cores corretas dessa vez. Assim, vemos o verdadeiro significado: Homem de Ferro como vencedor e como novo símbolo de protetor da América.

Fim da Guerra


A grande pergunta ficará quanto a continuidade da revista do Capitão América. Em pleno número 25, temos um novo status quo para Steve Rogers e um mistério para o que será de seu futuro.

Fim da Guerra


Mudanças também ocorreram na vida de Carol Danvers, a Miss Marvel. Agora que está ocupando um alto cargo, Tony quer que a liderança dos Vingadores fique nas mãos de uma das suas mais ativas agentes durante a guerra. É uma nova mudança com novo artista em sua revista solo - Aaron Lopresti!

Fim da Guerra



E esse é só o começo!! Espero por mais informações confidenciais divulgadas muito em breve aqui na Marvel 616!!!


Coveiro

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

Guerra Silenciosa, Ato II

**Atenção, artigo com informações inéditas no Brasil!!!

Guerra Silenciosa - Ato 2


A Guerra Civil entre os heróis pode ter acabado nessa semana. Porém, uma outra permanece, colocando humanos e inumanos em lados opostos e numa situação muito delicada.

Novidades do filme do Quarteto Fantástico

Tá, eu sei que é pouca coisa. Mas saiu na internet a capa da edição de Abril da revista Empire, e nela figura nada mais nada menos que o Surfista Prateado. A imagem tá aí embaixo.

Photobucket - Video and Image Hosting

Agora, basta saber se esse filme vai ser uma bomba que nem o primeiro, ou se alguma coisa boa poderá ser tirada dele. Ahh, efeitos especiais do Surfista feitos pela WETA (de Sr. dos Anéis) parecem estar muito bons. Quero ver no filme, mas, até agora, tudo bem!

J.R.Dib

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2007

Civil War: Conclusão e nova ordem mundial na Marvel

**Atenção: Contém informações de publicações inéditas no Brasil**

A mega-saga Civil War acabou. O número sete foi lançado hoje nos EUA com uma conclusão impactante e, em alguns aspectos, de forma inesperada. Isso significa que agora temos tudo voltando ao "normal", com todos vivendo suas vidas como antes? Errado. O resultado da guerra repercute por todo o Universo Marvel, modificando-o de uma forma jamais vista na história da editora.

Civil War #7

Começando de onde termina edição número 6, a batalha se inicia e é até certo ponto equilibrada. Mas os agentes da SHIELD tentam colocar a prisão da zona negativa online novamente, o que seria um grande problema para os "vingadores" do Capitão América (o que gera uma situação inusitada, já que quando este grita "Avengers, assemble", Bishop pergunta em voz alta: "Ué, pensei que nós fôssemos os Vingadores."). Para evitar o religamento da prisão, o Pantera Negra tem uma idéia talvez não muito brilhante. Ele ordena que Manto transporte todos os participantes da batalha para o centro de Nova York.

Cenas da batalha na zona negativa

Mudando o campo de batalha, a luta continua. A primeira preocupação de Tony Stark,o homem de Ferro, é que todos sejam tirados do local, exigindo que não haja nenhuma morte entre eles. Feito isso, a destruição continua e, quando a equipe do Capitão América parece estar em desvantagem, aparece um aliado secreto: Namor e seu exército. Devo admitir que a cena me impressionou. A resposta dos pró-registro é imediata: os heróis "fabricados", liderados pelo Clone do Thor e Capitão Marvel, se juntam ao confronto. Até mesmo o Coisa reaparece, dizendo ser impossível se afastar por muito tempo.

Namor e seus soldados

Chega o momento da luta direta entre o Capitão América e o Homem de Ferro. Steve, em suas próprias palavras, "joga sujo" e usa o Visão para desativar a armadura de Stark que, no mano-a-mano, leva uma tremenda surra. Enquanto isso, enfurecido com o clone de Thor, Hércules literalmente o esmaga. Quando o Homem de Ferro está prestes a ser morto pelo Capitão, vários civis o seguram e mostram a destruição causada pela batalha.

Chocado, o Capitão América se dá conta de que ele não lutava mais por uma idéia ou opinião. Mas que "apenas lutava". Ele para e ordena que todos façam o mesmo. Vendo que causava exatamente tudo que Tony Stark e os pró-registro tentavam combater. Que colocava a vida de todos que pensava em proteger em perigo, o Capitão América tira a máscara (recolhida mais tarde pelo Justiceiro) e, como Steve Rogers, se entrega às autoridades. A guerra termina e os vencedores são os pró-registro.

O  fim do Capitão América e a prisão de Steve Rogers

Tudo começa a ser reconstruído. Todos os heróis são anistiados e o projeto de espalhar super-times por todos os EUA americanos é colocado em prática. Surgem os Poderosos Vingadores, liderados por Carol Danvers; a nova Tropa Ômega, sob as ordens do Agente Americano; e muitos outros. Enquanto isso, alguns seguidores do Capitão América ainda permanecem agindo na obscuridade e fora da lei, como já vimos aqui. Susan volta para casa e aparentemente Wakanda volta a ter boas relações com os EUA.

Tony Stark, com a ainda ausência de Nick Fury, aceita a posição de diretor da SHIELD para colocar em prática a 43ª das 100 idéias que ele e Reed Richards tiveram juntos. A 42ª era a prisão na zona negativa. Preocupado em "limpar" a SHIELD e proteger a identidade de seus colegas registrados e levar esse novo mundo em uma direção que considera a mais correta. Isso levanta ainda mais suspeitas de que o Homem de Ferro dos Poderosos Vingadores não deve ser ele.

Tony Stark e a nova ordem mundial da Marvel

A guerra acabou, mas as mudanças não se encerram. Na verdade, parece ser o princípio de uma nova ordem mundial no Universo Marvel (lembrando que o cosmo Marvel também sofreu uma “sacudida” ao fim de Annihilation). Uma nova configuração. Onde Steve Rogers é Steve Rogers e Tony Stark é Tony Stark. Sem codinomes, sem uniformes. Inspirando à sua maneira os heróis após o fim de Civil War. Ainda é só o começo.

« Jøåø »

terça-feira, 20 de fevereiro de 2007

Colossus: a linhagem macabra dos Rasputin

Artigo escrito por nosso colaborador, Fábio Campos.


Teve início em Wolverine 23 – de outubro de 2006 - a mini-série que promete mostrar as origens de uma das famílias mais dizimadas pela Marvel. Estou falando dos Rasputin. Linhagem Macabra, de David Hine, o mesmo de Distrito-X e Jorge Lucas, de Wolverine: Ilha X. A história tem como foco o recém ressuscitado X-men Colossus e a sua dificuldade em lidar com o tempo em que ficou preso e sofrendo testes por Ord, após sua "morte".

Colossus Bloodline #1

Mas esta mini tem como objetivo principal explorar a família Rasputin. Para quem não sabe, os pais de Colossus foram mortos por agentes russos em Os Fabulosos X-men 4, e a sua irmã perdeu a vida em virtude do vírus Legado em X-men 93 – ambas publicações da Editora Abril. Se não bastassem esses problemas para a família Rasputin, o irmão de Colossus (Mikhail Rasputin) ainda se tornou um mutante transtornado e perigoso.

Linhagem Macabra tem início com um pedido de socorro de Larissa Mishchenko, uma jornalista comprometida com seu trabalho e prima de Colossus. Partindo desta premissa, a história mostra que a família Rasputin vem sendo dizimada por um homem estranho com uma máscara branca, e desta forma só sobram três membros da família vivos: Larissa, Piotr e um tio louco afastado chamado Vlad. Mas o que mais impressiona é a ligação que existe entre a família e o lendário Rasputin, um curandeiro misterioso que assombrou a Rússia czarista.

Logo, Piotr e Larissa vão ao encontro do afastado Tio Vlad e enquanto vão relembrando fatos históricos da Rússia e a estranha história de Rasputin, também é mostrada a razão da Linhagem Macabra e também o padrão entre os membros da família de sempre apresentarem sinais de loucura.

Piotr e Illyana

Aqui cabe um histórico dos três membros mais importantes da família Rasputin. Mikhail sempre se mostrou descontrolado emocionalmente, Colossus por diversas vezes se mostrou alterado e violento em situações extremas - como no Massacre de Mutantes, no período da doença e morte de sua irmã, quando traiu os X-men tornando-se acólito de Magneto e também quando, por ciúmes, quase matou Pete Wisdom na época em que entrou para Excalibur. Ainda temos o caso de Illyana, que se tornou Rainha do Inferno e por diversas vezes teve indícios de estar possuída.

Ao chegar na casa de Vlad, Colossus e Larissa se deparam com o homem da máscara branca que se revela sendo Sinistro e que estava sendo auxiliado por Mikhail, o que aumenta para quatro o número de membros vivos da família. Sinistro revela sua ligação com os Rasputin e o estranho pacto que se formou na antiga Rússia entre ele e Rasputin, para ambos criarem uma linhagem espetacular de mutantes.

Sinistro e Mikhail revelados

Para isso Rasputin se aproveitou de suas várias esposas, em especial de uma cigana chamada Elena, que é bisavó de Colossus, Mikhail e Larissa. Assim, após a quase morte na mão de seus inimigos, Rasputin cedeu em seu último suspiro de vida um pouco de sua "aura" para suas esposas grávidas. Após essa chocante descoberta, Vlad ateia fogo em seu próprio corpo.

Com a morte de Vlad, os familiares restantes descobrem que Rasputin está próximo de ter um novo hospedeiro, pois a cada morte de um membro de sua linhagem ele se concentra mais nos restantes. Após a explicação de Sinistro, sobre como será a volta de Rasputin e a escolha de Mikhail como o hospedeiro perfeito, ele assassina friamente Larissa. Agora para Sinistro só restam Colossus e Mikhail. Então, ambos partem para uma dimensão perdida e tem início o embate dos irmãos que encerra a mini-série do X-Men Russo.

A presença de Rasputin se fortalece

Agora vem um detalhe que poucos perceberam. Durante a morte de Vlad, quando a essência de Rasputin é passada, pode-se ver um rapaz no quadro inferior esquerdo da página que mostra a transferência. Esse é um detalhe muito importante e que certamente frustraria os planos de Sinistro, pois se trata do esquecido filho de Colossus.

Para quem não conhece esta história, ela se passou durante uma visita dos X-men à Terra selvagem, na qual o russo tentou ajudar três nativas que estavam sendo atacadas por um dinossauro. Porém, uma delas não resistiu e morreu. Em homenagem a mulher morta, Colossus participou de um ritual para dar origem a uma nova vida. Anos depois, em uma nova viagem à Terra Selvagem, Colossus reencontra a mulher e o seu filho sem saber quem é o garoto. Entre os X-men, o único que sabe da existência deste menino é Longshot, que jurou a Nereel, mãe do menino, manter o segredo.


Fábio Campos

domingo, 18 de fevereiro de 2007

Fugitivos - Volume 1: a origem

Imagine a cena. Você, filho de pais abastados, novos ricos da década de 80. Você tem tudo que poderia pedir. A única chatice de sua vida é ter que encarar seus pais e a maldita reunião anual deles com seus amigos, combinando como doar um pouco de suas riquezas aos pobres, enquanto você tem que aturar a molecada deles! Imagine que tudo que você pensava sobre seus pais fosse na verdade, uma grande mentira. O que você faria?

Fugitivos


sábado, 17 de fevereiro de 2007

Vista sua fantasia: é carnaval na Marvel 616


É Carnaval!!

Pois é, pessoal. Estamos em pleno carnaval e, como devem ter notado, estamos em um ritmo mais "lento" desde quarta-feira, quando publicamos nossa segunda entrevista. Além da aproximação do feriadão (bom para darmos uma descansada, já que não somos de ferro), o encerramento dos lançamentos Marvel de janeiro também contribuiu para frearmos um pouco as postagens.

Só Folia!!

O Coveiro anda sumido. Dizem que foi avistado em São Paulo. Ou seja, está muito perto do carnaval do Rio de Janeiro. Então não se espantem se ele aparecer em algum jornal vestido de mulher em um bloco de carnaval.

Parará-ti-bum!

Falando sério agora, esperamos que todos tenham um ótimo carnaval, descansem ou brinquem muito. Na quarta-feira de cinzas voltamos com novidades de Civil War, que se encerra próximo dia 21, e muitas notícias das publicações gringas. Além disso, aguardamos os lançamentos nacionais de fevereiro, para trazermos todas as novidades do mês. Um grande abraço e uma boa folia a todos.


« Jøåø »

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007

616 Entrevista: Fã


Em nossa segunda entrevista para o site 616, estamos trazendo mais uma... bem... "jovem celebridade" do mundo das comunidades de quadrinhos. Surgiu do nada nas comunidades mais maduras de HQ - como a Universo Marvel 616 e a Universo em Crise da DC - e comentando como se fosse um velho leitor dos tempos da abril. Contudo, para espanto, revelou-se um dia como um adolescente potiguar ainda na faixa dos 15 anos. Senhor de comentários sarcásticos e boas tiradas, o Fã logo ganhou sua posição de destaque entre as mais caricatas figuras da Marvel 616. Bom, hoje o temos em nossa frente para ser sabatinado por três entrevistadores - Coveiro, João e JR.

Abrindo a cabeça do Fã

terça-feira, 13 de fevereiro de 2007

Movie News

Em nota anterior, o João falou um pouco sobre Motoqueiro Fantasma, Homem Aranha e Homem de Ferro. Tá na hora de falar um pouco mais sobre as novidades de Quarteto Fantástico 2, Homem Aranha 3 e, pasmem, Hulk 2.

Venom

Primeiro um boato que surgiu na internet ontem. Ao que parece, o ator que estaria sendo cogitado para interpretar Bruce Banner no próximo Hulk é Adrien Brody (de "O Pianista"). Sinceramente, a Mutação para o Hulk vai corrigir aquele nariz dele? Senão teremos um Hulk com uma lança no lugar de um nariz! Tá, eu sou narigudo também, sei disso. Mas nunca virei ator famoso por causa da minha alta modéstia!

Adrien Brody

Em relação ao Quarteto Fantástico 2, sabemos já que o Surfista Prateado (interpretado por Doug Jones, de Hellboy e Labirinto do Fauno) será o centro das atenções. Sabemos que haverá um casamento. Agora, o ator Ioan Gruffudd (que interpreta o Sr. Fantástico) entregou alguns detalhes do plot.

Sr. Fantástico

- Ao que parece após o casamento, Reed e Sue pensarão em abandonar a carreira de heróis e em ter filhos e viver em paz, como uma família normal.

- O Surfista Prateado será atacado pelo Dr. Destino que tentará roubar seus poderes e estes estarão ligados diretamente a sua prancha.

- Galactus não aparecerá fisicamente.

Ao que tudo consta, será um meio para o fim, no caso, a vinda de Galactus em um terceiro filme.
Para quem ainda não viu o trailer, aqui está:




Por fim, como já deu pra ver na capa, saíram novas imagens do Venom. Desta vez, na feira da Toy Bizz que começou essa semana em NY. A seguir mais uma imagem:

Venom

É isso aí, galera. Eu ouvi uns boatos que o Coveiro sumiu para na verdade conseguir comprar uma estatueta do Falcão de Aço nessa feira da Toy Bizz. Mas é aquilo, não dá para acreditar em tudo que se escuta.

J.R.Dib