Guardiões da Galáxia vol.2

Entre na dança e veja o que achamos do filme!

MANTIS

Conheça a versão dos quadrinhos dessa misteriosa personagem que chega aos cinemas

Classicos de Logan

Mutação em Debate revisita as histórias do baixinho canadense

THOR: RAGNAROK

Deus do Trovão e Golias Verde voltam a se encarar em Novembro

Inumanos vs X-Men

Mutação em Debate discute o fim da minissérie

LEGIÃO

FOX surpreende em sua primeira série Mutante. Veja o que achamos de Legião.

Homem-Aranha de volta a Marvel

O podcast junta 616s com Aracnofãs para discutir o novo filme

DEFENSORES

Saiba as novidades da série do ano pelo Netflix

Conheça os Inumanos

Os seres mais misteriosos do universo ganham um seriado de luxo

AGENTES DA SHIELD

O que achamos da quarta temporada da série?

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Capas de Thor #1 no Atacado


Capas de Thor

Em Novos Vingadores 53 tivemos a estréia da nova revista do deus do trovão, Thor. O evento não passou desapercebido no ano passado, quando em comemoração a esse importante lançamento roteirizado por J. M. Straczynski, a Marvel lançou nada menos que SEIS capas diferentes para o número um. Entre variantes e capas de reimpressões, você encontra todas elas aqui.

A primeira capa é aquela que ilustrou a nossa versão nacional, desenhada pelo artista oficial da revista, Olivier Coipel. No ato de seu lançamento, ganhou uma variante com o belíssimo desenho no seu rascunho. Confira clicando nas imagens.

Capas de Thor Capas de Thor

A capa alternativa do recém falecido Michael Turner vocês já viram no artigo aqui da 616. E ela foi contemplada também com uma versão com os rascunhos do artista recentemente falecido, em sua terceira impressão.

Capas de Thor Capas de Thor

Por fim, temos duas capas produzidas por Arthur Suydam, que, diferente das duas primeiras, além de sua versão principal, não tem uma opção no rascunho, mas aderindo a uma moda nas capas da Marvel nos últimos tempos: uma versão ZUMBI!!

Capas de Thor Capas de Thor

Achei interessante trazer essas capas já que, infelizmente, o mercado editorial brasileiro não parece permitir que possamos ter esse tipo de variedade na publicação de revistas, o que é bem compreensível dada a diferença entre o montante de vendas daqui e dos EUA. Por isso, pelo menos na tela dos seus PCs é possível curtir essa sortida primeira edição da nova revista do Thor.


« Jøåø »

Quatro posters de Punisher War Zone


Justiceiro: Zona de Guerra

Passada a euforia dos filmes do Hulk e do Homem de Ferro, resta à Marvel deixar o campo livre para que um outro personagem da editora consiga almejar uma boa bilheteria nos cinemas. Justiceiro: Zona de Guerra é um longa produzido pela Lionsgate, que tem já um bom histórico de parceira com a Marvel no campo das animações. O filme chega aos cinemas em dezembro, e quatro novos pôsteres foram recentemente divulgados.

Justiceiro: Zona de Guerra Justiceiro: Zona de Guerra
Justiceiro: Zona de Guerra Justiceiro: Zona de Guerra


Esses pôsteres foram pela primeira vez a público numa festa feita para o astro do filme, Ray Stevenson, realizada pela produtora do filme Gale Anne Hurd. A festa conteceu no Vertical Wine Bistro, no dia on June 24, 2008 em Pasadena, Califórnia.


Coveiro

Revelações e Novidades de uma Invasão

* Atenção! Informações inéditas no Brasil e EUA!

Secret Invasion

Em Chicago, ocorreu neste fim de semana mais uma Wizard Con, que contou com muitos nomes conhecidos da Marvel soltando inesperadas informações referentes a artistas contratados pela empresa e o anúncio de novas minisséries e especiais. E como o tema da vez da Marvel é a Invasão Secreta, algumas novidades sobre o evento não poderiam ficar de fora.

Para quem acompanha as edições americanas, já dá para ter noção como essa saga está fervendo lá fora. A premissa "Em quem você confia?" foi levada ao ápice, não só nas páginas da minissérie, mas também nas duas principais revistas dos Vingadores que revezam histórias paralelas que tentam recontar e explicar todo o cenário atual da Invasão dos Skrulls na Terra.

Estamos apenas na terceira edição da minissérie, mas as revelações até então foram de chacoalhar os alicerces do universo Marvel. E isso é provavelmente apenas a ponta do iceberg. Brian Michael Bendis, o grande articulador desse projeto e astro dessa convenção de Chicago, pode sentir de perto a repercussão de seu trabalho e soltou mais novidades que já poderemos esperar ansiosamente por vir.


Secret Invasion

A primeira delas refere-se a volta de um clássico personagem que provavelmente já percebia a ameaça dessa invasão muito antes. Ironicamente, mesmo tendo um olho só, Nick Fury é o cara que enxerga sempre a frente. Neste caso, anteviu o perigo e aproveitou-se do tempo em que esteve recluso para montar uma força-tarefa especial para lidar contra a ameaça Skrull.

Assim, como foi mostrado nas páginas de Mighty Avengers 12 e 13 e também no final da terceira edição da minissérie, Fury elencou um time de superpoderosos que se mantiveram no anonimato até os dias de hoje, portanto, tornando-se alvos seguros e de total confiança para tornarem-se seus novos "Howling Commandos".

Secret Invasion

São personagens muito novos, com alguma relação direta ou indireta com antigos personagens da editora. Incluem-se a agente da Shield Dayse Jonhson, que apareceu em Guerra Secreta, o filho mitológico de Ares, Phobos, e até mesmo o neto do Motoqueiro Fantasma original. Essa equipe até então sem nome já foi batizada nos bastidores com o termo "Secret Warriors" e já é fato consumado que eles terão uma forte participação ao longo do restante dessa saga

Esses "Secret Warriors" também voltarão a aparecer nas páginas de Mighty Avengers 18, mas já é certo que terão uma vida muito mais longa pela frente. Nessa convenção de Chicago, foi anunciado, que após a Invasão Secreta, a equipe ganhará sua própria revista que ficará sob os roteiros de Jonathan Hickman, conhecido por seus trabalhos pela Image.

Outra novidade diretamente ligada a invasão é o lançamento de mais uma outra série, desta vez escrita pelo próprio Brian Michael Bendis e desenhada por Alex Maleev. Trata-se do título mensal da Mulher-Aranha, que já era anunciado há muito tempo, mas manteve-se no limbo até então. A razão desse longo atraso, segundo Bendis, torna-se evidente depois das já anunciadas revelações nas revistas dos Vingadores.

Secret Invasion

Um outro anúncio ainda meio confuso de se entender é sobre uma imagem divulgada na convenção de Chicago sobre o que parece ser uma futura revista de volume único dos Illuminati. Contudo, não são os Illuminati que conhecemos, mas sim uma versão "maligna" deles. Explicações sobre essa história foram prometidas para mais adiante.

Por fim, o último anúncio que diz respeito aos Vingadores após os eventos da Invasão Secreta são os nomes do desenhista Billy Tan e do arte-finalista Matt Banning que assumirão o título "New Avengers". Tan, por sinal, já vinha cuidando de algumas edições da revista ligadas a Invasão Secreta, mas assumirá regularmente o título a partir da edição 43. Confira um pouco da arte dos dois a seguir:

Billy Tan

Billy Tan

Coveiro

domingo, 29 de junho de 2008

Mais What If...? a Caminho

Atenção: Contém informações de publicações inéditas no Brasil!

WWC What if.. ?

Foi anunciado na Wizard World Chicago que a Marvel prepara mais uma leva de revistas one-shot da sua série What if...?, na qual grandes eventos sofrem releituras a partir da mudança de pontos cruciais de seu desenvolvimento.

O site Newsarama conversou com os editores responsáveis por esses lançamentos, Mark Paniccia, Justin Gabrie e Nate Cosby, para maiores informações. O What If de World War Hulk, por Greg Pak e Chris Giarruso, responde à pergunta se o verdão tivesse saído vitorioso da contenda. Já o de Fallen Son lança perspectiva sobre a possibilidade de Tony Stark ter sido o herói a morrer após Civil War, segundo a perspectiva de Marc Sumerak e Trevor Goring.

WWC What if.. ?
Capa de What if...? Fallen Son


Gabrie anuncia a história na qual a Feiticeira Escarlate teria dito “no more powers”, atingindo não só os mutantes, mas todos os super heróis Marvel ao fim de House of M. Em uma história que puxa lá atrás na cronologia, veremos a história que deixa o Dr. Destino com os poderes de Beyonder ao fim de Secret Wars, por Karl Bollers.

What If...? Back in Black, responde o que aconteceria se ao invés de tia May, Mary Jane tivesse sido atingida por uma bala e morrido, fazendo com que o Homem-Aranha lançasse sua vingança sobre o Rei do Crime. Ou seja, até nesse caso as idéias de jerico sobram para o Aranha. Steven Grant trará essa bomba anunciada.

Além disso, ao longo de todas as edições veremos respondida a pergunta “O que aconteceria se os Fugitivos tivessem se tornado os Jovens Vingadores?” em cinco mini-histórias. Essas ficarão a cargo de C.B. Cebulsky e Patrick Spaziante.

Bem humorados, os três editores sacaneiam a onipresença de Wolverine e até Jeph Loeb na entrevista (como se isso fosse difícil), e se mostram bem animados com o projeto.


« Jøåø »

X-men: Mudanças e novas Minisséries

* Atenção! Informações inéditas no Brasil e EUA!!

Manifest Destiny

Na vida dos X-men, o termo latim "Mutatis Mutandis" sempre foi norma e mais uma mudança para o grupo está prevista para acontecer nesse verão. E esta etapa que será marcada pela mudança da equipe criativa de Surpreendentes X-men e a edição número 500 comemorativa de Fabulosos X-men tem um nome - Manifesty Destiny.


Como já era imaginado, a nova saga ganhou esse nome com a intenção de relacionar o expansionismo americano para o oeste com a mudança de endereço dos X-men para São Francisco. A motivação que levou o grupo para essa mudança foi recentemente mostrada no título Fabulosos X-men, escrito por Brubaker e que a partir de agora será co-escritp por Matt Fraction (Punho de Ferro).

Manifest Destiny

Destino Manifesto vai repercutir principalmente nas revistas Uncanny X-men e Astonishing X-men, ganhando também sua própria minissérie cheia de pequenas histórias curtas escritas para personagens menores repetindo a formula da recente X-men: Divides We Stand 1 e 2. Contudo, outras duas minisséries ligadas diretamente ao evento foram recentemente anunciadas na Wizard World Chicago.

A primeira delas é focada no muntante canadense mais presente em todo o Universo da Editora. Batizada como "Wolverine: Manifesty Destiny", essa nova minissérie terá como foco as consequências dessa mudança para Wolverine, principalmente no que diz respeito a sua velha relação com o bairro japonês Chinatown. E já que o título principal de Wolverine está sendo ocupado com a história alternatina "Old Man Logan" do Millar e Daniel Way vem dando um novo direcionamento a X-men: Origens, uma minissérie mostrou-se mais que necessária para responder essas questões levantadas.

Para tomar as rédeas dessa série limitadas, Jason Aaron foi convidado. Além de seu trabalho em Motoqueiro Fantasma, ele foi o responsável pelo curto - porém excelente - arco "Get Mystique" após a saga Messiah Complex. Aaron comentou em entrevistas na Wizard World Chicago que não devemos esperar Daken, X-23 ou qualquer outro personagem conhecido do universo do muntante nesta mini. Serão novas aventura, ameaças e vilões para Logan. O desenhista convidado para esta mini foi Stephen Segovia, que recentemente está cuidando de Wolverine Origens até Deodato assumir.

Manifest Destiny

A segunda minissérie anunciada foi Storm: Worlds Apart, que se focará em Ororo, que a partir de Manifesty Destiny, terá presença constante na equipe mutante escrita por Warren Ellis. A minissérie se focará na nova vida que Ororo assumiu, dividindo suas funções como X-woman ainda ativa e sendo a rainha de Wakanda.

Chris Yost se prontificou para escrever essa série que terá ao todo quatro partes, que chegarão as lojas americanas a partir de Outubro deste ano. O artista ainda não foi escolhido, mas o editor dessa série - Daniel Ketchum - disse que já tem um capista fazendo um excelente trabalho que será divulgado muito em breve.

Além de Ororo, haverá a presença marcante do líder dos X-men, Ciclope; do único aluno mutante da escola que é de Wakanda, Nehzo; um vilão ainda não anunciado; além do já esperada presença do rei Tchalla. Yost definiu essa história como o marco para a mutante decidir sua verdadeira posição no futuro. Com quem ela estará no final? Com seus súditos de Wakanda? Ou com os irmãos mutantes?


Coveiro.

Símbolo americano desenhado por brasileiro

* Atenção! Informações inéditas no Brasil e EUA!!

Luke Ross

Neste fim de semana, foi a vez da cidade de Chicago receber os fãs de quadrinhos com a realização de mais um Wizard World. O evento foi o momento propício para a Marvel revelar algumas novidades que escondia nas suas mangas. Entre elas, está a divulgação de alguns contratos exclusivos recentemente fechados pela empresa, destacando-se o desenhista brasileiro Luciano Queiroz, o Luke Ross, que vai para a revista do Capitão América.

A presença de Ross na revista não significará a saida do excelentíssimo Steve Empting do título do falecido herói americano. Empting junto com Brubaker foram os grandes responsáveis por transformar a revista do Capitão em um dos produtos mais aclamados da Marvel e a vinda de Ross será na verdade uma adição. Ele será co-artista a partir da edição 43 e estará alternando arcos com Empting.

Ross pareceu entusiasmados em diferentes entrevistas ao sites americanos. Certamente, uma das coisas que mais motivou-o a fechar o contrato foi a chance de trabalhar nesse título com um roteirista tão elogiado nos dias atuais e estar desenhando um personagem iconográfico que remetia a saudosas lembranças de sua infância.

Luke Ross

Apesar da exclusividade, foi permitido a Luciano Queiroz continuar seu trabalho pessoal junto com Ron Marz na terceira minissérie de Samurai: Heaven and Earth, pela Editora Dark Horse. Ross vai estar acessorado por Fabio Laguna, que fará a arte-final e já revelou seu interesse em um dia desenhar o Demolidor pela editora.

Fora Ross, outro contrato de exclusividade fechado pela Marvel e também divulgado na Wizard Word Chicago foi com a dupla cósmica Dan Abnett e Andy Lanning (conhecidos pela Marvel como DnA). Eles que já encabeçavam dois títulos totalmente ligados com a Aniquilação - Nova e Guardiões da Galáxia - devem garantir uma expansão ainda maior do cosmo Marvel. Abnett inclusive revelou ter total interesse em trabalhar com personagens clássicos da Editora.

Coveiro

sábado, 28 de junho de 2008

Morre Michael Turner


Michael Turner

Michael Turner, desenhista que atraía ao mesmo tempo admiração e rejeição no mundo dos quadrinhos, faleceu nessa sexta-feira, no Santa Monica Hospital, na Califórnia. Com apenas 37 anos, foi derrotado em uma luta contra um câncer ósseo que já lhe causara severos danos nos quadris, e é mais um personagem dos bastidores do mundo dos quadrinhos a falecer precocemente, como foi recentemente Stephane Peru.

Turner se tornou famoso por seu trabalho em Witchblade, da Top Cow, mas esse artista da Aspen Comics esteve envolvido em projetos diversos, como Black Panther, Justice League of America, além de Soulfire e sua criação original, Fathom, pela própria Aspen.

Michael Turner

Michael Turner

Ultimamente, devido à sua doença, vinha trabalhando fundamentalmente com capas, trabalho que pode ser visto nas edições brasileiras mais recentes de Liga da Justiça, ou mesmo em Thor, como ficou ilustrado no artigo que recentemente publicamos na 616.

Michael Turner

Apesar de seus graves problemas com o câncer, Michael era conhecido como uma pessoa bem humorada e de bem com a vida, envolvendo sua luta pessoal com o coletivo, participando de várias ações para o combate a essa terrível doença. Um endereço na Aspen Comics está disponível àqueles que querem prestas suas homenagens e condolências:

Aspen MLT, Inc.
C/O Michael Turner
5855 Green Valley Circle, Suite 111
Culver City, CA, 90230

Michael Turner

E nós aqui prestamos e lamentamos mais uma morte premature e chocante no mundo das HQs, desejando força à sua família e colegas. Que vá em paz, Michael Turner.


« Jøåø »

Poderosos Vingadores: O dia em que a Terra parou

Existem milhares de livros, filmes, histórias, contos, etc. sobre como seria o fim do mundo como conhecemos. O homem parece aficionado em pensar nisso, mas e se esse dia realmente chegasse? Bom, assumindo que os Poderosos Vingadores existissem seria assim: eis aqui mais um conto de fim dos tempos.

Photobucket


Como vimos na edição 17 de Avante, Vingadores!, Ultron dominou as tecnologias e meios de comunicação da Terra depois de se “materializar” no lugar de Tony Stark, que, aparentemente, está morto, já que os Vingadores receberam uma mensagem acionada pela parada de seus sinais vitais em uma armadura. Agora, esta edição começa com o adeus de Ultron ao mundo. Ele (ou ela) diz que o homem sempre fantasiou com este dia e ele chegou. Sua forma de vida irá germinar e crescer em uma Terra onde nenhum organismo biológico poderá sobreviver, e não é uma ameaça, é só um aviso, não há nada que se possa fazer. Mas ele gosta da humanidade e está se despedindo dela, afinal, graças ao homem que ele existe, tanto que termina com a frase impactante “Eu amo vocês. Adeus.”.

Enquanto assistem a declaração do fim dos tempos na face de Jan, os heróis “interrogam” a armadura mensageira de Stark, que se revela chamar Starktech 9 e é uma inteligência artificial criada por Tony para, em sua ausência, ajudar a SHIELD e os Vingadores com a crise. Seu sistema opera independente das infra-estruturas mundiais o que lhe deixa imune ao acesso de Ultron. Ares não aceita muito bem, mas é interrompido de destruir a armadura com a chegada de Hank Pym, que alega que ajudou Tony naquele traje.

Photobucket

Pym é interrogado de todas maneiras o que está acontecendo e se ele é capaz de conter, mas todas suas respostas não ajudam muito, afinal ele fez sua criação para ser mais inteligente que ele (o que talvez não seja tão esperto...). Alguma resposta finalmente é dada quando Starktech 9 diz que Ultron acessou um experimento de Stark de controlar o clima global via satélite para, se bem sucedido, acabar com a fome em escala global (O que leva a todos que ouvem ou lêem isso a pensar um palavrão por diversos motivos, suponho. Não diferente de Miss Marvel que é a “mente suja” da vez no lugar de Viúva Negra na última edição). Nada que não possa ser resolvido pela destruição de bilhões em investimentos em satélites por Sentinela e Magnum sob ordens da líder Carol.

O clima tenso é sempre muito bem intercalado pelo humor de Bendis, principalmente quando Vespa caçoa da falta de humildade de Pym dizendo “Quando o mundo está prestes a acabar por causa de uma coisa que você criou e saiu de controle, ficar se gabando de sua inteligência não é legal.”.

Photobucket

Ultrona parte para seu plano B quando sua iniciativa inicial foi destruída e ele envolve um PEM (pulso eletromagnético) que deixa o mundo às escuras. Enquanto os “voadores e fortes” da equipe dão conta das naves inativadas pelo PEM, mais respostas são dadas pela armadura de Tony que explica que Ultron tomou conta da biologia de Tony junto com a armadura dado que ele tinha agora uma conexão com a armadura graças ao extremis. E ainda observa que todos os desastres climáticos que a inteligência artificial vinha causando já haviam ocorrido antes, o que leva Pym e Jan a uma conclusão: se ele não está agindo com originalidade, seu plano B devia ser de outra pessoa... Mas quem?

Photobucket

Um pequeno pulso de energia é identificado pela armadura e os heróis seguem para o local, onde encontram inúmeras armaduras do Tony controladas por Ultron para distraí-los.

Photobucket

Sim, porque o plano verdadeiro envolvia a morte de Lindy Reynolds, a mulher de Bob. Depois do Deus da Guerra (ou diet Thor, segundo o pensamento de Pym) destroçar as armaduras, 3 cenas finais deixam o gostinho de quero mais. Robert abraça sua amada com Ultron se aproximando. Ares diz: “Eu sei como detê-la”. E, em uma base de mísseis da Lituânia, parece que alguém está invadindo o sistema procurando por códigos de lançamento...

Photobucket

ps. Como achei a capa original meio "spoilerenta", troquei por uma imagem que gostei mais no início, quem quiser ver a capa original, clique aqui. E o título é em homenagem a uma música de Raul Seixas.

Cammy

Elektra: Assassina

* Artigo escrito por nosso colaborador Pedro Ventaja.

Elektra

Grega! Ninja! Assassina! Esses são só alguns adjetivos podemos definir sobre essa misteriosa personagem que já foi tão importante na vida de alguns dos mais clássicos personagens da Marvel como Demolidor e Wolverine e mais uma vez retorna a se destacar no cenário da Casa das Idéias. E para conhecer mais sobre a personagem, nada melhor do que ler a mais recomendada série da personagem - Elektra: Assassina.

Impressionante. Talvez esta seja palavra que melhor defina o que é um dos melhores trabalhos de Frank Miller, que aqui vem amparado por Bill Sienkewicz, também em um dos melhores trabalhos de sua carreira. A dupla tem uma sintonia maravilhosa, poucas vezes se encontra uma relação tão grande entre texto e arte nos quadrinhos, ambos se complementam perfeitamente ao contar a história.

Elektra

A premissa é bastante simples, Elektra tem que assassinar o candidato à presidência Ken Wind, pois ele está sendo controlado pelo Tentáculo que tem o objetivo de usá-lo para iniciar uma guerra nuclear. O diálogo intrincado, dinâmico, e a arte de Sienkewicz que conta uma história viva a cada quadro dão à história simples um desenvolvimento absurdo, com diversas pequenas tramas e reviravoltas durante o percurso.

Os personagens coadjuvantes criados pelo autor nesta história são cheios de carisma (Castidade McBryde e Garrett deveriam ter se tornado parte mais ativa da continuidade, são personagens extremamente interessantes), e nenhum autor consegue reproduzir a Elektra de Miller, uma personagem única, que também tem sua origem contada nessa série.

Elektra

Apesar de Miller ter escrito esta série em sua melhor fase e o argumento ser ótimo, o grande destaque fica para Sienkewicz. Sua arte é dotada de uma narrativa visual que deveria servir de base para qualquer desenhista de quadrinhos, utilizando diversos estilos, enquadramentos, expressões, cada traço contribuindo para a história de forma única. A forma como retrata as lembranças da infância de Elektra, o político Ken Wind ou o machão Garrett fazem com que o leitor compreenda perfeitamente a essência dos personagens. Ele não só completa o texto, mas em vários momentos se sobressai.

Elektra

Simplesmente, esta é uma verdadeira obra-prima, e para os amantes de quadrinhos que ainda não a conhecem a republicação da editora Panini é uma compra obrigatória.


Pedro Ventaja

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Novos Vingadores: Assassinato Revelador


New Avengers #31

Depois que Maya Lopez sucumbiu aos encantamentos do Tentáculo e "esfaqueou" impiedosamente o Doutor Estranho na edição passada, o arco Revolução, primeiro da renovada formação dos Novos Vingadores, chega ao fim em Novos Vingadores 53, deixando muito mais perguntas do que respostas, dando início ao que parece um grande mistério.

Assim que o mago supremo recebe o golpe, entra em contato com Wong (que fazia a curiosa observação que Jessica Jones nunca amamenta sua filha) através de um poderoso artefato no Sancto Sanctorum, deixando os dois extremamente alarmados. E há motivo para isso, já que rapidamente os Novos Vingadores percebem que a quantidade de ninjas que combatem na mansão do Samurai de Prata é imensa e praticamente impossível de ser derrotada.

Novos Vingadores

Enquanto Luke Cage parece perder completamente a paciência com Elektra, o Homem-Aranha percebe que o Ronin, nova identidade de Clint Barton, será um grande rival em piadas no meio de situações de batalha. A líder do Tentáculo também se impacienta com o vingador de pele impenetrável, incendiando-o. O que na verdade só o irrita mais. No calor da batalha, a Mulher-Aranha diz que precisam fugir, mas Wolverine insiste que aquilo deve acabar ali e naquele momento.

Novos Vingadores

Ficamos sabendo, quando o Dr. Estranho se comunica com Wong, que os danos físicos foram mínimos se comparados aos danos místicos que o golpe de Maya lhe infligiu. Para se recuperar, pede auxílio a seu fiel ajudante, que recita o feitiço que o livraria daquela situação, o que acaba surtindo efeito.

Novos Vingadores

Em sua forma astral, Estranho se aproxima de Maya, cujo ímpeto assassino era refreado pelo Punho de Ferro, que também tentava desesperadamente lembrá-la que são seus amigos, e foram lá para salvá-la. A intervenção do mago supremo é, então, decisiva, tirando a ninja surda do controle do Tentáculo. Stephen ainda diz a Danny que fale aos ninjas que não há como vencerem, provavelmente se preparando para algum poderoso encantamento.

Novos Vingadores

Porém, antes que essa dúvida seja sanada, alguém lança uma “frase-chave” que guia as ações da ainda perturbada Maya – “Eles só param quando a Elektra mandar”. É o que ela precisa para partir ferozmente, passando literalmente por cima dos ninjas, na direção de sua líder. E quase repetindo o que fizera com Estranho pouco antes, atravessa Elektra com sua espada, que cai no chão morrendo.

Novos Vingadores

Mas essa morte revela algo inesperado, que, enquanto os ninjas, sem liderança, fogem assustados e desorientados pelo que vêem, todos os heróis vão aos poucos tomando conhecimento. Aquela mulher que todos acreditavam ser Elektra Natchios, reverte à forma de um SKRULL, a raça transforma alienígena rival dos Krees! Ao mesmo tempo em que isso acontece, deixando a todos sem palavras, uma imagem suspeita e assustadora transcorre no Sancto Sanctorum, quando a bebê de Jessica e Luke arregala seus olhos de forma incomum ao ouvir que todos se salvaram.

Novos Vingadores

Tudo indica que, com o arco acabado, a história está longe de terminar. O que Brian Michael Bendis planeja ainda é um mistério, mas o roteirista não dá ponto sem nó, e suas histórias raramente não se encaixam em um panorama mais amplo. Talvez esteja aí o início das respostas que Luke Cage busca, interligando diversos eventos recentes que vinham lhe incomodando. Respostas nas próximas edições.


Novos Vingadores


« Jøåø »

Capitão é o último homenageado da série Mythos

* Atenção! Revista ainda não publicada no Brasil!!

Capitão América

A série Mythos, ainda desconhecida pelo público brasileiro, surgiu com a premissa de resgatar a origem clássica de vários ícones da Marvel com um arte peculiar e roteiros de digníssima qualidade. Nesta coletânea, já apareceram o Homem-Aranha, Hulk, Motoqueiros Fantasma e os X-men. Restou o último homenageado para ingressar nessa série - O Capitão América.

Capitão América

Os roteiros desta vez são de Paul Jenkins e a arte é inteiramente de Paolo Rivera. E para aqueles que estão em dúvidas da qualidade do material, a Marvel disponibilizou um pequeno trailer com uma boa amostra do que podemos esperar por vir:



Coveiro