Guardiões da Galáxia vol.2

Entre na dança e veja o que achamos do filme!

MANTIS

Conheça a versão dos quadrinhos dessa misteriosa personagem que chega aos cinemas

Classicos de Logan

Mutação em Debate revisita as histórias do baixinho canadense

THOR: RAGNAROK

Deus do Trovão e Golias Verde voltam a se encarar em Novembro

Inumanos vs X-Men

Mutação em Debate discute o fim da minissérie

LEGIÃO

FOX surpreende em sua primeira série Mutante. Veja o que achamos de Legião.

Cabeça de Teia nos cinemas

Homem-Aranha de volta a Marvel

DEFENSORES

Saiba as novidades da série do ano pelo Netflix

Conheça os Inumanos

Os seres mais misteriosos do universo ganham um seriado de luxo

PUNHO DE FERRO

O que achamos da nova série da Marvel no Netflix?

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

UNBOXING: Thor: O Mundo Sombrio

*Artigo escrito por nosso colaborador, Daniel Marvel.

Há cinco meses atrás fiz uma avaliação do Homem de Ferro Mark VII (que você pode conferir aqui) para o site. Agora, mais uma figura da Hot Toys ganha seu devido destaque pelo Marvel616: o deus do trovão, o poderoso vingador: Thor, com uma action figure baseada diretamente no filme Thor: The Dark World. Confira:

Como de costume da empresa até a caixa possui acabamento especial: prateada, contém runas nórdicas que dão um aspecto asgardiano para a embalagem. O verso dela contém os avisos para um maior cuidado com a figura. Ao retirar a tampa, vemos uma folha com os devidos créditos para os escultores e idealizadores da peça.





Agora falando da figura: excelente representação do personagem na escala 1/6, capaz de deixar o próprio deus do trovão honrado. O traje é feito de vários tipos de tecidos (inclusive imitando couro em algumas partes) e plástico emborrachado...tudo combinado com maestria para a construção da peça. A capa é muito bem feita e chama atenção pelo vermelho vivo.
A roupa não chega à restringir muito as articulações. Um fato interessante é a borracha fina utilizada nos braços, que oculta a articulação do cotovelo e tem uma pintura prateada.




Mas o destaque da peça é a escultura facial: parece que trataram a cabeça de Chris Hemsworth com Partículas Pym e colocaram na peça. É idêntica ao ator, desde a barba aos olhos azuis. "As minas piram..."



Já em relação aos acessórios, são poucos mas o suficiente:

-Quatro pares de mãos intercambiáveis: punhos, mãos para segurar o Mjölnir, mãos relaxadas e mãos abertas.
-Uma base com o nome do personagem e do filme.
-Mjölnir, o martelo de Thor. É o destaque dos acessórios: feito de metal maciço, é relativamente pesado. Porém, as articulações do braço e do punho da figura são dignas o suficiente para empunharem o acessório.






Há também um último acessório: um manto. Thor usa esse manto durante o tempo em que ele permanece em Asgard, como foi visto em seu segundo filme. Para colocá-lo é necessário tirar a capa vermelha.
Eu não o colocarei na minha estante usando o manto, pois oculta muitos detalhes do traje. Mas é questão de gosto do colecionador.




Todos os fatores combinados (realismo da headsculpt, o material do traje, os acessórios) tornam a figura excelente, digna do filho de Odin.








Até a próxima,

Daniel Marvel.



Wolverine Nunca Mais

A vida de Logan tem ido de mal a pior nessa nova fase do Marvel Now. Após confrontar um terrível virus consiente do Microverso, o seu fator de cura foi simplesmente anulado e o nosso herói canadense passou a conhecer algo inusitado na sua vida - Vulnerabilidade. Pra piorar, os seus dois maiores inimigos descobriram isso e resolveram se aproveitar para causar um grande pesadelo na vida de Wolverine. A trama de Paul Cornell e Alan Davis no título regular segue nas edições 11 e 12 com um desfecho inusitado do arco - Na mira dos assassinos.



De volta ao canadá, acompanhado de Kitty Pryde, Logan simplesmente caiu numa armadilha ao voltar pra sua mansão atrás da espada roubada por Mística. Quando as luzes se apagam, os primeiros ninjas do Tentáculo atacam e Wolverine e Kitty tem que se revesar entre lutar e proteger os pobres seguranças que estão com eles. Um deles acaba morto e Logan sai ferido ao final da primeira batalha. E tudo estava só começando.

As saidas do shooping estavam celadas de tal maneira que nem a intangibilidade de Kitty Pryde a faria cruzar. Já quando Logan decidiu usar a força bruta (e as garras), todo local que abriam um buraco parecia dar no mesmo lugar. Os vilões realmente estavam mexendo com a cabeça dele. Então, os outros assassinos contratados entraram em cena - Lorde Letal e o novo Samurai de Prata -  fazendo mais vítimas e pressionando Logan aos limites. Um dos golpes do Samurai feriu feio a parte esquerda do rosto de Wolverine, uma cicatriz que ele levaria de agora em diante. Mas o pior ainda estava por vir com a própria Mística e Dentes de Sabre entrando em cena.

Enquanto a caçada no shooping acontecia no Canadá, Maria Hill, Nick Jr e seus operativos da SHIELD tentavam desesperadamente lidar com a ameaça global do virus do Microverso. Era tudo muito arriscado. Deixar uma vilã como a hospedeira tomar conta do tal vírus era a única chance e tinha que ser tudo muito rápido pois os agentes do microverso já estavam controlando outros humanos para realizar uma ofensiva contra o aeroportaviões onde se desenrolava todo plano de resistência.

Frente a frente mais uma vez, Wolverine e Dentes de Sabre se preparavam para mais um de seus célebres combates. Todavia, Logan estava em completa desvantagem desta vez. Acima de tudo, estava com medo. Curiosamente, Dentes de Sabre, que de posse da espada parecia revisitar a mesma cena que algum tempo atrás o matou (lembra da história do Loeb?), preferiu atacar Wolverine além dos golpes. Ele o feriu com palavras. O discurso de Creed a cada golpe de espada realmente levantava uma perspectiva nunca antes notada sobre Wolverine. Será que ele se esconde sob a ótica do herói, esse personagem que criou? Porque será que nunca usou o seu verdadeiro nome depois que o descobriu? Porque Logan sempre se esconde ou foge do passado?



Humilhado, Wolverine é deixado para ferido. E nesse momento, uma coisa curiosa acontece. O vírus do microverso domina uma das seguranças do Shooping e faz a oferta - Eles estão para serem apagados pela Hospedeira, mas podem sobreviver caso possuam o Wolverine. Em troca, eles poderiam consertar de novo o fator de cura de Logan e deixa-lo preparado contra seus velhos inimigos. Depois, abandonariam seu corpo. 

A resposta de Logan é não!

A SHIELD consegue exito em seu plano e elimina de vez o vírus do Microverso do globo. A negativa de Logan parece ter sido algo decisivo, já que requeriu até mesmo a presença do Vigia para testemunhar. Capenga, Wolverine volta  pra mansão ao lado de Kitty Pryde, mas parece que algo mudou dentro dele. As palavras de Dentes de Sabre parecem ter mexido com ele. Em resposta a Ororo, ele diz - O Wolverine morreu.

Sei que não é unânime, mas eu sou daqueles que vem gostando da direção que Paul Cornell vem dando ao baixinho canadense. Tem mais maturidade no roteiro, e  prova disso é esse último confronto com Dentes de Sabre que levantou umas boas perspectivas quanto a real personalidade de Logan. De alguma maneira, ele sai diferente dessa. Outro ponto que merece destaque na história é a volta dessa parceria - mesmo que breve - entre ele e Kitty Pryde. É curioso ver que mesmo depois de tanto tempo, é ela quem mais consegue se dar bem com o baixinho. Obviamente, isso está para mudar com as últimas resoluções da Batalha do Átomo.

Na edição 11 desta revista mensal, temos ainda uma historinha independente - daquelas que é sempre divertida de se ler -onde Logan se vê na cata de um serial killer misterioso que vem fatiando suas vítimas em São Francisco. Para desvendar o caso, ele se junta com um amigo cozinheiro especialista em corte de carnes atrás do sujeito. Não é nem de perto um Wolverine X Dexter, mas dá pra imaginar que um crossover desse ia ser bem legal.

Coveiro

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Inominata 616 # 70 - As 50 primeiras edições do Demolidor segundo Stan Lee



Pensou que a gente ia passar batido sobre os 50 anos do Demolidor? Pensou errado, caro ouvinte! Deixamos apenas pro final do ano onde podíamos reservar a edição 70 deste podcast para falar sobre um dos heróis urbanos mais queridos pelos leitores de quadrinhos. E como se trata de um personagem pra lá de completo, ficaria difícil resumir toda sua passagem neste podcast. Então, resolvemos partir para números cabalísticos - E já que estamos falando de 50 anos porque não se focar exclusivamente nas 50 PRIMEIRAS EDIÇÕES que foram justamente as edições que foram roteirizadas pelo cara, STAN LEE..

É uma volta ao tempo na Nova York dos anos 60, onde o dia a dia de um escritório de advocacia não era nada tranquilo como bem puderam atestar o Coveiro, Paulo Artur, Rafael Felga e Marcos Dark , do blog Amago, que  se juntam mais uma vez para retratar toda a base da "era de prata" do Homem sem Medo. Com uma galeria de vilões pra lá de complexa, participe com a gente das intrépidas aventuras do jovem advogado cego que se destacou de forma tão distinta dos demais personagens da Marvel em uma época povoada por superpoderosos que enfrentavam vilões megalomaníacos e ameaças alienígenas.

Esse é o programa pra você que deseja aprender várias técnicas de como levar seu terno de trabalho de modo criativo sem amassar. É também o podcast onde você entenderá como é fácil pros advogados enganar os amigos apenas tendo boa lábia. É o inominata essencial para saber como deixar o Doutor Destino enlouquecido sem partir pra violência. Enfim, é onde descobrirá que um dos grandes vilões do Demolidor já foi um Toureiro e isso por si só é imperdível!



Duração: 116min


Player Alternativo:



Links dos Emails:
Cicatrizes de Batalha: A origem do Nick Fury Jr
Mutação em Debate discute a fase Whedon e a fase Morrison


Links do programa:
Abertura de Sawamu (PS: O editor nunca ouviu isso. Eu juro!)
Capas comemorativas dos 50 anos do Demolidor
Capa especial do Alex Ross do Demolidor nos 75 anos da Marvel
Festival Guia dos Quadrinhos faz exposição dos 50 anos do Homem sem Medo
Demolidor do Mark Waid é publicado no Brasil
Especial End of Days do Demolidor
Anuncio da serie do Demolidor e outras mais pelo NetFlix

Outros Podcasts Relacionados:


Inominata 616 #30 - O Quarteto Fantástico de Stan Lee
Inominata 616 #031 - Os 50 anos do Homem-Aranha
Inominata 616 #36 - Os 50 anos do Homem de Ferro
Inominata616 #044 - O Demônio no novo Milênio
Inominata 616 #50 - Os 50 anos mais poderosos dos Vingadores

Para baixar em mp3, clique aqui!



Coveiro

Operação Big Hero: Stan Lee e alguns Easter Eggs



O filme ainda vai ser lançado daqui a um mês aqui no Brasil, mas depois do megassucesso que fez lá fora fica difícil deixar de falar dele. Desta vez, a Disney Brasil divulgou um video legendado com uma entrevista de Stan Lee, que faz sua primeira aparição num longa animado. Confira o video e a seguir um pouco dos easter eggs que você já poderá ficar atento quando conferir o filme aqui no Natal.


Agora, fica esperto pra os seguintes easter eggs:


LAR DOCE LAR – Uma foto da lenda dos quadrinhos Stan Lee aparece na modesta casa de Fred.


EU VOU DETONAR – Em uma referência ao filme da Disney de 2012, um boneco do Detona Ralph pode ser visto em cima do monitor de Hiro no início do filme.  




RETRATOS DE FAMÍLIA – Fotos emolduradas dos oficiais de Controle dos Animais Esther e Bolt do filme da Disney de 2008 Bolt - Supercão aparecem na mesa do policial. O diretor Chris Williams de Operação Big Hero também dirigiu Bolt - Supercão (com Byron Howard).



UMA REFERÊNCIA AO CURTA – O grafite em San Fransokyo que é visto no meio do filme celebra Feast, o novo curta-metragem da Disney que será exibido antes de Operação Big Hero. Φst: A letra grega “Phi” (Φ) aparece com “st”, junto às marcas de pegadas e da assinatura na folha de salsa do curta.



TOMA ISSO – Uma estátua de Hans do filme da Disney de 2013 Frozen - Uma Aventura Congelante é quebrada quando Hiro demonstra o poderoso soco de Baymax.


E mais uma vez, o filme chega ao Brasil no dia 25 de Dezembro! Acho que vale a pena até fazer um podcast pro começo  do ano, heim? Quem topa participar?

Coveiro

O Clã Destino mais uma vez traz misterios a Marvel



Criados pela mente brilhante de Alan Davis em meados dos anos 80-90, a família Destino sempre passou marginalmente aqui no Brasil (mas assim foi também de certa forma nos EUA). Com publicações restritas a editoras menores como Metal Pesado, Pandora e Tudo em Quadrinhos, o Clã de seres obscuros fundados por Adam Destino voltou em 2012 numa série de três anuais para resolver um de seus primeiros mistérios até antes nunca revelado - A história do filho maligno, Vicent.

Até então, a história de Vicent era envolta em grande mistério até mesmo para os membros dos grupo. Os mais novos. Rory e Pandora, só ouviram falar do irmão parcamente (edição 2 da revista original) e tudo que se sabe é que o pai do clã, Adam, foi obrigado a matar o garoto ainda jovem. A descontinuidade do título fez com que Davis nunca tivesse a oportunidade de revelar tal assunto. Isso até a Marvel dar a oportunidade do mesmo pontuar o caso num crossover de anuais.

E tudo começa em Fantastic Four Anual #33, quando na ausencia de Reed e Sue, a irreverente dupla do Coisa e Tocha Humana se vêem numa emergência multidimensional. Por sorte, o Doutor Estranho foi chamado por um protocolo de emergência para auxiliá-los. Jogados numa lapso de espaço e tempo centralizado no jovem Vicent Destino. A história acaba colocando os protagonistas em vários momentos críticos do rapaz. Vicent é uma criança muito poderosa e atormentada, que lamenta não ter o poder de "curar" o mundo de sua violência. Ao presenciar o espancamento de um amigo, ele simplesmente perdeu o controle de tudo. Pra piorar, demônios de outra realidade tomam posse do garoto e com isso, seu pai, Adam, se viu na necessidade de sacrificar o garoto em prol do bem da nossa realidade.

Apesar da morte, a essência (ou algo assim) da alma de Vicent no passado acabou perdurando e sendo jogada para o nosso presente graças ao encontro inusitado com o Coisa, Tocha e Doutor Estranho. Agora, ele possuiu a versão robótica do Plastóide (vilão do Demolidor). Enquanto parte da família Destino, na pessoa da Cuco, acha que quem habita o robô é um parasita demoniaco (o mesmo que dominou Vicent), Dominic Destino, o Hex, acha que ali está a alma de verdade do irmão. Aqui, o Doutor Estranho se alia ao Demolidor em sua Anual (número #1, no original) e destroi o Plastóide, liberando o que quer que tenha possuido o robô.


Essa celeuma só conclui na anual do Wolverine. Depois de um flashback que mostra um encontro do passado de Logan com Adam Destino, o herói canadense acorda do seu sonho já direcionado a auxiliar a familia do velho amigo. Junto com Cuco, Dominic e o resto da Familia Destino, eles confrontam uma série de entidades que simulam deuses egipcios despertados pelo enlouquecido Vicent. A intenção do rapaz era ressuscitar e tomar posse do corpo indestrutível de Wolverine, mas seus planos acabam falhando graças ao mais novos Rory e Pandora, membros da família que ele nunca conheceu e acabou subestimando. Ao final de tudo, há uma dubiedade entre os membros do clã se Vicent era mesmo mau ou apenas enlouquecido pelas possessões.

Para muitos, essa história não deve ter passado de uma maluquice só a ser descartada no mix de Universo Marvel (e talvez, estivesse mesmo mal colocada). Mas para quem acompanhou um pouco das publicações das histórias dos personagens aqui, bateu um pouco de saudosismo. Apesar de pouco queridos pelo publico (talvez por não seguirem o padrão classico do perfil dos super-herois), a família Destino acabe mais relegada do que mereça. Ainda assim, acredito que valeria um dia o nosso site revisitar as histórias do grupo pra quem pouco conhece.

Coveiro

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

E teremos mais lançamentos com Ultron pro ano que vem...

* Atenção! Informações inéditas no Brasil e EUA!

Como a saga homônima não honra nem um pouco os grandes clássicos envolvendo o terrível robô arqui-inimigo dos Vingadores, cabe a Marvel recriar novas histórias dignas com Ultron. Já era esperado o lançamento da Graphic Novel, Rage of Ultron (ou Fúria de Ultron) perto do filme. Agora, uma nova minissérie está sendo produzida por Al Ewing (atual roteirista de Poderosos Vingadores) e ilustrada por Alan Davis. Que venha a Ultron Eternamente.



 Se você achou que o título lembra uma outra saga clássica dos Vingadores, acertou. A premissa é bem parecida, já que reunirá Vingadores de diferentes tempos pra combater a grande ameaça de um Ultron prestes a de novo dominar nosso planeta. Assim, o Doutor Destino convocará do presente o Visão, Viúva Negra e a Thor; o Thor de armadura da Fase Walter Simonson, James Rhodes quando tomou o lugar do Homem de Ferro e o Hulk Pré-Vingadores virão do passado. Já a Danielle Cage na roupa da Capitã America virá do futuro. Essa possibilidade de futuro, por sinal, foi algo já previsto por Jonanthan Hickman num tie in de Pecado Original em Avengers #31.

A história se dará em três especiais de 30 páginas, sendo denominados respectivamente de "Avengers: Ultron Forever," "New Avengers: Ultron Forever," and “Uncanny Avengers: Ultron Forever.” Se for tão bom quanto o que o Busiek e o Pacheco fizeram, vai valer muito a pena!

Coveiro

Veja os dois novos vídeos da Agente Carter


Vem aí a série de TV da Agente Carter e a Marvel liberou mais dois vídeos para dar uma ideia do que iremos ver no começo do próximo ano. Confira...

Se não a Marvel, o Justiceiro se vingará da FOX...


Mesmo que não oficial, há um certo burburinho de bastidores da Marvel que diz que tem muita gente arrancando os cabelos por conta da nova adaptação (se é que podemos chamar assim) do Quarteto Fantástico pela FOX. Enquanto se discute se há ou não um declarado boicote por conta da editora de quadrinhos, a equipe criativa atual da revista do Justiceiro resolveu tomar uma atitude e mandar o seu recado. Confira aí algumas cenas da mais nova edição de Frank Castle:






Vamos focar de novo no segundo quadro pra você se ligar:




Sim, eles são a cara de Milles Teller, Jamie Bell e Kate Mara, respectivamente o Reed, Ben e Susan do reboot do Quarteto pela FOX. E se nem o "4" na camisa do ator Jamie Bell for suficiente, que tal o dialogo citando o Trang (Trank? O diretor Josh Trank?) e até o Mike (Michael B. Jordan) achando que o filme é só sobre o Johnny (Storm). Pois é, segue então a máxima de que nas mãos do Justiceiro, ninguém está seguro. Ninguém!

Nathan Edmonson e Mitchell Gerads, vocês MITARAM!

Coveiro

Nota do Editor (ainda rindo muito): Tirei aqui o aviso de spoiler porque quase não se tem nenhum, e vale muito a pena se todos verem essa façanha! 


X-Men Legado: Nada é tão ruim que não possa piorar


David Haller continua tentando fazer jus ao legado de seu pai, Charles Xavier, que pregava a coexistência pacífica entre humanos e mutantes até ser assassinado pelo seu primeiro aluno, Scott Summers, o Ciclope. Movido pelo desejo de vingança, David e sua namorada, Ruth Aldine, vão de encontro a Scott e sua equipe de X-Men "renegados" até a cidade de Swanncall, onde uma menina teve seus poderes mutantes ativados e entrou em coma após fundir toda a fauna do local em um raio de cento e oitenta metros numa bizarra "árvore". 

Apesar de ser muito mais poderoso, David resolve acertar suas diferenças com Scott "no braço" e leva uma surra diante de toda a imprensa reunida no local. O rapaz é atirado em direção à "arvore" e seus próprios poderes começam a serem absorvidos também, o que leva à criação do "verme mental" responsável pela extinção da vida mutante da terra, como previsto pelo irmão psicopata de Ruth, Lucca, que inesperadamente surge no local disposto a tirar a vida da única pessoa capaz de impedir que isso aconteça, sua própria irmã. Aparentemente tudo está perdido, a não ser que o escritor Simon Spurrier e o desenhista Khoi Pham tenham alguma surpresa para nos mostrar na conclusão do arco "O Ódio Será Tua Coroa", publicada originalmente em X-Men Legacy #18 nos EUA e aqui no Brasil em X-Men Extra #10 pela Panini. 

A primeira das surpresas não tarda a acontecer: antes que Lucca termine seu discurso "mutante-fóbico", ele se vê aprisionado em um impenetrável campo de estase criado por... David. Diante da estupefação geral, o rapaz explica o que realmente aconteceu. 


Com a ajuda de uma de suas múltiplas personalidades. o Ilusionauta, ele criou um elaborado estratagema utilizando alguns dos corpos com morte cerebral abandonados pelo Caveira Vermelha, que o vilão reanimava utilizando o cérebro roubado de Charles Xavier. Isto serviu para atrair Lucca, que David acompanhava secretamente à distância desde o último confronto entre os dois e que era o principal responsável por uma série de assassinatos de mutantes divulgados pela imprensa. O que David não esperava é ter sido contaminado por uma espécie de "vírus psíquico" pela equipe de Ciclope que aos poucos tomou conta de sua mente e libertou todas as suas personalidades do cárcere psíquico em que se encontravam, principalmente a mais perigosa de todas, a que assumiu a forma de seu pai. Esta não perde tempo e se projeta para fora do corpo do rapaz, indo diretamente até a prisão de estase onde Lucca se encontra. Enquanto isso, o que parece restar da consciência de David mergulha na mais completa escuridão.


Acho que poucas vezes na vida li uma série com um roteiro tão bem amarrado. Os elementos de arcos anteriores sempre acrescentam alguma coisa importante e inesperada nos atuais e coisas aparentemente aleatórias como os diversos assassinatos de mutantes narrados pela imprensa servem para ilustrar ainda mais a psicopatia de Lucca Aldine e seu desejo de "aparecer". Como sempre, David fez o que queria sem que nada o impedisse mas desta vez seus planos deram muito errado e ele terá que lidar com as consequências. 

Gostei dos desenhos de Khoi Pham, acho que eles se encaixaram muito bem com a história. Gostei também de ver mais uma vez outra das excelentes capas de Michael Del Mundo na capa de X-Men Extra. Parece que a Panini está reduzindo o ritmo de publicação das edições de Legacy no Brasil, pois tivemos apenas uma edição publicada desta vez e apenas mais outra sairá na edição do mês que vem. Talvez seja para retardar o final da série o mais que puder, que será em X-Men Legacy  #24, infelizmente.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Edição de Guardiões das Galáxias Especial com Gustavo Duarte é lançada no Brasil

Esse é certamente aqueles lançamentos que era "batata" chegar aqui numa forma especial. Afinal, não é todo dia que temos a reunião de um dos mais fabulosos quadrinhistas independentes do nosso mercado nacional trabalhando com uma já clássica equipe de baderneiros especiais da Marvel. Já tínhamos anunciado aqui esse lançamento no meio do ano e a Panini já se adiantou para garantir que essa revista chegasse de um jeitinho muito especial pra este Natal. Espia a capa:



No ano de 2061, os Guardiões continuam sua árdua batalha contra aqueles que ameaçam o universo, e seu adversário na ocasião não poderia ser mais aterrador: o Galactus Prateado! Originalmente esta história foi publicada na edição especial 100th Anniversary Special: Guardians of The Galaxy 1, escrita por Andy Lanning e Ron Marz, e colorizada por Edgar Delgado. Mas o destaque que vamos dar aqui - é claro - será para Gustavo Duarte. Guardiões da Galáxia:Marvel 75 Anos tem formato 17 x 26 cm, 28 páginas, papel LWC, capa couché e custará um preço bacana, R$ 5,50. É pra novos, velhos, futuros fãs!

Coveiro

O que vem por aí nas mensais de Magneto e de Ciclope

Informações Inéditas no Brasil e nos EUA!!


Dois títulos-solo da franquia, Magneto e Ciclope, tiveram suas novidades reveladas pelos roteiristas no X-Position do CBR. Confira quais são!!


Começando com Cullen Bunn e as notícias de Magneto, Polaris está confirmada para aparecer no título, agora que All-New X-Factor foi cancelada. Genosha também será importante na série, principalmente porque o local está muito interligado ao passado de Magnus. A ruína de Genosha afetou Magneto imensamente, e isto será mostrado na edição #13.


Um dos elementos que serão mantidos é a presença de Briar Raleigh nas histórias. A coadjuvante também terá relevância na edição #13, que indicará novos rumos para ela.

No futuro, Magneto voltará a pensar grande. Até o momento ele tem lidado com ameaças à espécie mutante, mas sem nenhuma grandiloquência. A mudança começa a ocorrer em AXIS e se aprofunda entre as edições #14 e #16 da mensal. Bunn confirmou que já tem ao menos mais dez edições planejadas daqui para frente.


Para as próximas edições, devemos esperar mais violência: a contagem de corpos não parará.


Terminando com John Layman e o que vem por aí na mensal do Ciclope, foi revelado que a mensal de Ciclope não estará envolvida no cross Black Vortex. Entretanto, um encontro entre Scott e Jean está programado para a edição #12.

No título mensal, podemos esperar mais raças alienígenas, os Shi'ar causando problemas para Scott e um flerte entre o protagonista e a filha do Capitão. Os Piratas Siderais continuarão a ser importantes, mas sem ofuscar o foco em Ciclope e Corsário. Sobre o relacionamento de pai e filho, ao mesmo tempo em que Ciclope está tentando não se transformar em quem ele veio a ser, o Ciclope adulto, Corsário está tentando ser o pai que outrora não foi, participando mais ativamente da formação do filho.


Até o próximo X-Position!