THOR: RAGNAROK

Deus do Trovão e Golias Verde voltam a se encarar em Novembro

MARVEL LEGACY

Marvel une futuro em passado nesta sua nova fase

Nova Serie Mutante na FOX

Saiba as novidades de THE GIFTED

PLANETA HULK

A HISTÓRIA DO HULK QUE MARCOU OS ANOS 2000

Classicos do Wolverine

Relembre mais das melhores histórias do Logan

FUGITIVOS

Série de produção Marvel e Hulu começa a sair este ano

THOR: RAGNAROK

O Terceiro filme do Deus do Trovão e surpresa do ano é tema do nosso Podcast!

JUSTICEIRO

Saiba as novidades da série que sai em Novembro

FINALMENTE REUNIDOS

Escute o nosso podcast sobre os Defensores!

PANTERA NEGRA

Conheça Wakanda em 2018

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Novos pôsteres do Quarteto Fantástico focados nos protagonistas

Para quem estava achando muito pouco a divulgação do novo Quarteto Fantástico da FOX, hoje liberaram um novo banner e quatro pôsteres focados nos personagens. Segue aí as imagens:






O filme estreia dia 7 de Agosto nos cinemas, fechando por aqui a rodada de filmes relacionados aos personagens Marvel neste ano.

Coveiro

Future Fight é o novo jogo RPG para celulares da Marvel

E mais uma empresa especializada em jogos para smartphones, a Netmarble Games, se junta a Marvel na empreitada de mais um dos jogos viciantes estrelados por nossos queridos personagens da Casa das Ideias. Com mais de 36 personagens da Marvel disponíveis para os jogadores e com roteiros de Peter David, FUTURE FIGHT é o novo jogo RPG online de celulares que promete virar febre ainda esse ano. Confira algumas imagens de divulgação e o primeiro trailer:









Future Fight terá disponível vários modos de jogo. PVE Mission Mode, PVP three-on-three Timeline Battle (que os jogadores batalha com versões suas de outras realidades),Villain Siege mode (que faz uso do conhecimento do jogador no universo Marvel para deter os vilões) e Dimension Rift Missions , que testará o máximo da habilidade dos jogadores nas missões. Há também possibilidade de criar combos de acordo com o grupo de personagens que você monta. E de cara, a empresa vai criar um evento especial pra quem ingressar nessa liberar a armadura do Homem de Ferro de graça.

Coveiro

Gustavo Duarte e Marcelo Maiolo reúnem Rocket Racum e os Vingadores de Estimação

* Atenção! Informações inéditas no Brasil e EUA!

Ano passado, o brasileiro Gustavo Duarte foi escalado especialmente para um edição comemorativa dos futuros 100 anos dos Guardiões da Galáxia. O especial inclusive saiu aqui no Brasil antecipadamente na mesma época da CCXP e foi um sucesso entre os fãs do quadrinhista. E parece que o pessoal da Marvel aprovou trabalho, já que ele volta mais uma vez fazendo parceria com o também brasileiro Marcelo Maiolo para uma aventura entre Rocket Racum e os Pet Avengers. Confere o preview:







A notícia foi dada com exclusividade pelo site ComicBook, que liberou o preview acima da edição Guardians Team Up 5. Os roteiristas são Andy Lanning e Andy Schmitd. A capa é de Humberto Ramos.

Como fã do Rocket, como fã que tem tudo dos Pet Avengers e fã do trabalho do Gustavo Duarte, vocês tem ideia do quanto eu estou querendo essa edição?

Coveiro

Confira os Vencedores do Troféu Cine 616 2014


Em março, no final de semana do Oscar, demos início a votação já costumeira dos melhores do cinema na Marvel (no caso, referente ao ano passado). O resultado era pra sair no começo de Abril, mas com a correria das notícias relacionadas aos filmes e seriados de TV, acabamos jogando para depois. Então, antes tarde do que nunca, vamos começar revelando quem saiu vencendo nos cinemas.

Podemos dizer que a Marvel se deu muito bem no ano passado. Foram excelentes filmes em todos os estúdios com direitos de seus personagens - Disney, Fox e Sony. Todavia, mesmo com a surpresa dos Guardiões da Galáxia e o acerto de Singer em seu novo X-Men, parece que quem dominou mesmo foi um certo Super-Soldado. Confira os nomes que venceram em cada franquia: 

Melhor Atriz Coadjuvante:
    Cobie Smulders(Capitão America 2: O Soldado Invernal)

Melhor Ator Coadjuvante:
    Antony Mackie (Capitão America 2: O Soldado Invernal)
 

Melhor ator ou atriz em papel antagonista:
    Sebastian Stan (Capitão America 2: O Soldado Invernal)
 
Melhor Atriz:
    Scarlett Jonhanson (Capitão America 2: O Soldado Invernal)



Melhor Ator:
    Chris Pratt (Guardiões da Galáxia)


Melhor Direção:
    Joe e Tony Russo (Capitão America 2: O Soldado Invernal)


Melhor Filme:

    Capitão America 2: O Soldado Invernal

BONUS: Melhor Cena Pós-Credito:
    Surgimento dos Gemeos Maximoff (Capitão America 2: O Soldado Invernal)
 

Não é nada incomum, numa análise final de tudo que saiu no ano passado, que Capitão America: O Soldado Invernal levasse a maioria das categorias. Para muitos, ele é considerado agora o maior filme da Marvel Studios até então e não é a toa que garantiu aos irmãos Russo não só a cadeira de diretores na continuação como também o posto em Vingadores: Guerra Infinita. Alguma dúvida de que Capitão America: Guerra Civil será um sucesso?

E amanhã teremos a divulgação dos Melhores e Piores dos quadrinhos! Aguardem!!!

Coveiro

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Inominata 616 #81: Vingadores - Era de Ultron


Ele veio para trazer a paz para nossa época, mas isso pode significar a nossa extinção. Chega a Era de Ultron nos cinemas depois de três anos da estreia dos Vingadores e tudo leva a crer que a sequência vai superar todos os recordes de bilheteria e até a arrecadação total do primeiro filme. E como acontece sempre, vamos voltar com tudo em nosso Inominata 616 para discutir as curiosidades e nuances de Vingadores: Era de Ultron.

Estamos com um time completo no Inominata616,  Coveiro, Rafael Felga, Eduardo Spicacci, Paulo Artur, Cammy e Jeferson são a formação para falar desta sequência, discutindo a dinâmica que se formou com os antigos membros e opinando sobre a adaptação dos novos personagens. Além disso, teremos muitas teorias sobre Ultron e as joias do Infinito.

Que personagem do Dragon Ball Z o Paulo acha que equivale ao Gavião Arqueiro no filme? Que outras teorias temos sobre o Visão levantar o Mjolnir? E porque a deep web foi a grande responsável por pirar o Ultron?

Duração: 114min


Link Alternativo:




Links acessórios do programa:


Resenha 616 sobre a Era de Ultron
Tira Teima616 sobre a humanidade de Ultron
Primeiros números da bilheteria internacional da Era de Ultron
Recordes da Estreia do filme no mundo inteiro
Capa da revista com o visual do Visão

A hora dos candidatos a super-herói


Com tantas produções para o cinema e a TV envolvendo o universo da Marvel, muitos protagonistas de futuras produções ainda não foram anunciados, o que acaba gerando muitas especulações. O que temos agora são os mais cotados aos papeis de Homem-Aranha e Punho de Ferro. Confira...

Mike Colter sobre Luke Cage, Jessica Jones e Punho de Ferro



Durante a promoção do lançamento do DVD e Blu Ray de Halo: Nightfall e já pensando no futuro Halo 5: Guardians, o ator Mike Colter conseguiu conversar um pouco com o site C|Net sobre sua futura participação nos seriados do Netflix como Luke Cage. Do relacionamento com Jessica Jones a sua curiosidade de quem será o Punho de Ferro, esse foi o momento que Colter mais revelou coisas sobre seu papel.

Colter afirmou que Cage e Jessica Jones (vivida por Krysten Ritter) terão uma história, antes de seu seriado ir ao ar. "Eu não quero revelar muito sobre o quanto ele está envolvido emo" AKA Jessica Jones ", mas Jessica e Luke Cage tem uma história e uma relação. Eu não sei o quanto será revelado na série atual, mas sim, eu tenho uma participação integral. "

Respondendo sobre o que separa os heróis Marvel do Netflix dos seus heróis do cinema em Os Vingadores, Colter foi categórico. "Haverá ação, mas esses personagens estão tentando viver uma vida normal, ao contrário de alguns dos outros personagens do universo Marvel cinematográfico. Os personagens do filme da Marvel são em primeiro lugar super-heróis que estão em outro nível. Eles já salvaram o mundo. Mas estes do Netflix estão realmente tentando se concentrar em seu bairro e na cidade de New York. É uma história menor que estamos tentando contar."

Sobre Luke Cage especificamente, Colter disse que ele mantém na dele. "Eu não diria que ele é o tipo forte e silencioso - ele fala quando ele tem algo a dizer, só que ele não é de revelar muito pelo que tenho lido, ele parece ser um personagem cheio de nuances com uma série de camadas e um monte de segredos. "

Assim como os fãs, Colter também está ansioso para saber quem Marvel vai contratar para o Punho de Ferro, o último membro da equipe de Defensores. "Eu espero que a pessoa que eles irão chamar para fazer o  Punho de Ferro não seja um grande fã. Eu gosto da ideia de que os atores que são chamados pra estes papéis icônicos não estejam tão perto do material fonte e que eles não sejam  tão fanboys ligados ao conceito, porque a ideia de que temos deles e a execução real disto podem ser muito distantes".

Quando fez o comentario acima, Colter explicou ainda que lia também quadrinhos. "Eu cresci lendo e eu joguei alguns jogos, mas eu não ficava muitas horas lendo elas. Eu sou um homem moderado. Eu acho que um pouco de tudo está OK, mas quando você faz muito de alguma coisa, torna-se algo perigoso. "

Pois é, Colter, eu também não vejo a hora de saber quem é o Punho de Ferro!

Coveiro

X-Men Legado: Longedosolhos

Na resenha anterior, vimos o final da saga de David Haller, o Legião. Agora, veremos o final do título "X-Men: Legado",  publicado lá fora em "X-Men: Legacy #300" e aqui no Brasil em X-Men Extra #14 pela Panini. Trata-se de uma história fechada, desenhada por alguns dos principais responsáveis pelo título nos últimos anos: Simon Spurrier, Mike Carey e Christos Gage, acompanhados respectivamente por Tan Eng Huat, Steve Kurth e Rafa Sandoval.

À meia-noite, uma intrusa solitária tenta invadir a Escola Jean Grey para Estudos Avançados e se vê aprisionada pelo sistema de segurança psíquica da mansão, de tecnologia Shiar. Quanto mais ela se debate, pior fica. Em seguida, ela se vê diante de um homem trajando um antigo traje de "X-Man". Pra ser mais preciso, um que a equipe utilizava na fase de Grant Morrison no título.


Ele se apresenta como "Longedosolhos" e pede que a jovem se acalme. A moça duvida que ele seja um X-Man, mas o homem esclarece que já faz parte da equipe há seis anos e que seu poder mutante é de ser completamente esquecido quando as pessoas param de olhar para ele. O único que sabia de sua existência era Charles Xavier, que havia programado uma espécie de "despertador psíquico" em sua mente para que este pudesse se lembrar dele de tempos em tempos.

O intrigante personagem resolve tirar o capacete que a jovem utilizava para que ele possa ver o seu rosto e evitar que ela se sufoque. Ele fica surpreso ao perceber o rosto deformado que ela tem. A razão disso, explica a moça, é que um ex-namorado atirou no seu rosto uns produtos químicos que o deformaram  e a deixaram cega de um olho. O culpado foi preso, mas só ficou seis meses na cadeia porque o time de futebol em que jogava passou um "abaixo assinado" pela liberdade dele. Enquanto isso, a jovem teve que passar por sete operações no rosto. Desde então, ela se revoltou contra todos aqueles que a veem deste jeito e tentou invadir a mansão para pleitear uma vaga nos X-Men. A jovem quer sumir da vista de todos, enquanto Longedosolhos quer apenas ser lembrado por alguém. 


Para que a moça se acalme, ele narra alguns episódios em que participou diretamente, mas ficou completamente esquecido depois. O primeiro, se passa durante a chamada "Era X", em que David Haller havia criado uma espécie de "realidade alternativa artificial". Ele conta que passou várias noites inteiras ao lado de soldados feridos que eram apenas "construções mentais" que desapareciam com a aurora e se renovavam em outra "identidade" para participar dos combates do dia. Longedosolhos conta que tentou alertar Magneto a respeito, mas este logo se esqueceu do aviso. Na verdade, o interesse maior dele era morrer durante alguma luta para que Legado (a identidade de Vampira na Era X) pudesse tocá-lo e absorver suas memórias. Assim, ele não seria esquecido.


Longedosolhos conta que várias situações inesperadas que salvaram os X-Men foram causadas por ele, mas ninguém se lembra disso. Ele narra quando se encontrou com  Arma Ômega e Mímico , associados aos X-Men de Westchester, para tentar se livrar de seu poder. A dupla estava mais interessada em salvar as pessoas do que enfrentar os inimigos da equipe. Longedosolhos pede a ambos para absorverem seu poder, mesmo que ele morra no processo. Logo em seguida, eles são abordados pelo X-Men de Ciclope, que querem recrutar a dupla para a sua "revolução mutante". Eles se recusam e uma batalha se inicia. Longedosolhos pede que seus aliados distraiam os X-Men e assim é feito: uma luz cegante faz com que o trio saia das vistas de seus adversários. Imediatamente, Ciclope e os demais se esquecem do que vieram fazer e vão embora.

Ômega diz que atende ao pedido de Longedosolhos, mas ele e Mímico pedem que ele pense um pouco mais a respeito, pois o poder dele é muito útil para ajudar às pessoas. Longedosolhos se afasta um pouco, aparentemente refletindo sobre o que lhe foi dito, e sai do campo visual dos outros dois. Como não poderia ser diferente, ele é esquecido mas resolve seguir o conselho da dupla e fazer "algo que importe".


Nisso, Longedosollhos consegue libertar a jovem da armadilha psíquica ao ocupar o lugar dela. Ele diz que isso não é nenhum problema, pois logo o dispositivo se esquecerá dele e o libertará. Para finalizar, ele diz algo que a jovem precisava muito de ouvir: "O mais importante não é como o mundo te vê, mas como você o vê e o que faz para torná-lo melhor. O legado vale bem mais do que a pessoa que o deixou".

A jovem, agradecida, se afasta e diz que vai procurar ajuda para soltá-lo mas, tão logo ela lhe dá as costas, esquece-se dele. Ela telefona para sua mãe e diz que não quer se mudar para outro lugar, que parou para pensar melhor e que agora estava mais tranquila. Perto dali, com o capacete da moça no chão, Longedosolhos ouve tudo e sorri.


Trata-se de um ótimo encerramento para um título repleto de momentos marcantes. A ideia de reunir algumas de suas principais equipes criativas e colocá-las para revisitar alguns de seus próprios momentos na série foi algo digno de louvor. Spurrier e Huat apresentaram o "enredo principal", Carey e Kurth revisitaram sua "Era X" e Gage e Sandoval fecharam um "plot" da passagem deles por Legacy.

Huat, que vinha fazendo um trabalho sensacional nas edições anteriores, resolveu mudar para um estilo mais convencional no desenho e na diagramação que, na minha opinião, não ficou bom. Os desenhistas convidados fizeram seu trabalho com muito mais esmero do que ele.

Certamente ouviremos falar de Longedosolhos novamente. Seu nome original é ForgetMeNot, mas gostei de como a Panini o "batizou" no Brasil. Um grande acerto, na minha opinião.

C@rlos

terça-feira, 28 de abril de 2015

Tira Teima 616: Sobre Ultron, humanidade e criadores



Essa é apenas a primeira semana de estreia de Vingadores: Era de Ultron pelo mundo e já podemos considerar que a sequencia da maior franquia da Marvel Studios é um estouro. Mas é claro que com as coisas indo para a telona, muita gente tem questionado como foi levada a adaptação dos novos personagens e, principalmente, do vilão. Mesmo ciente de que as coisas não poderiam se dar da mesma forma, sempre há quem questione como as coisas se ajeitam pra midia dos cinemas. O problema é que pouca gente sabe ou reconhece que ela é muitas vezes mais perto dos quadrinhos do que pensávamos de imediato. Aqui, duas questões foram levantadas mais que todas: Sobre o novo criador do vilão e seu comportamento humano, muitas vezes infantil.

Então, vamos começar o nosso dever de casa aqui. Quem quiser nos acompanhar, há uma leva boa de recentes encadernados lançados que vai ajudar bastante. Incluem-se as duas últimas coleções históricas relacionadas aos Vingadores, um encadernado da Salvat com o célebre arco Ultron Ilimitado e uma história do Homem de Ferro que saiu a pouco pela Panini: Síndrome de Frankenstein.



Nos quadrinhos, Ultron é criação direta do Hank Pym. Não há como negar isso. Coincide com uma época conturbada da vida do bom Doutor, que começou logo depois a ter problemas de dissociação da realidade e esquizofrenia. Quando Ultron surgiu, ele já havia reconstruido seu quinto corpo, Ultron V, e somente mais tarde, por meio de flashback, conheceríamos a versão 1 que parecia mais uma caldeira gigante e enfezada do que um robô. Nunca chegamos a ver de fato a versão II a IV.

Nessa época, Ultron era definido como "o automato vivo". Seria o mais próximo pra definição que hoje temos de Inteligência Artificial, ou a sigla, I.A. Até então, não tínhamos conhecimento de que ele emulava os padrões mentais do próprio Hank, mas já havia muito do complexo de Édipo no personagem ao se referir ao seu criador e nas tentativas de destruir seus amigos, os Vingadores. Até então, não havia nenhum plano grandioso de exterminação em escala global.


Aqui, então, vem um paralelo direto com o filme. Mesmo não conhecendo as versões intermediárias entre a I e a V, percebe-se de cara que ele tenta se aproximar de um corpo humano e sempre se aperfeiçoar mais. No filme, é importante prestar atenção nos primeiros momentos de vida de Ultron. Ainda sem corpo, ele nasce sem forma física e sem saber onde está ou o que está vendo. Ele questiona onde está seu corpo e acha errado não ter um. Assustado e exaltado, ele ataca J.A.R.V.I.S. para ter acesso a Legião de Ferro e criar pela primeira vez uma forma. Os mais atentos perceberão que ele toma o corpo do Legionário-5.

É importante dizer aqui o porquê dessa necessidade de possuir um corpo humano. O que você deve atentar é que no primeiro momento que uma I.A. de verdade surgir e criar a consciência do "Eu" não vai ser muito diferente do que alguém despertar de um coma com memórias perdidas. Mas diferente de nós, ela vai poder ter acesso a um volume intenso de informações no ato e a primeira coisa que vai se dar conta é de ela é "viva", mas fisicamente não existe. E todo o nosso mundo ao redor é moldado para nossas necessidades físicas como seres humanos - Sentir, tocar, cheirar, enxergar... Fazendo um rápido paralelo, a nova I.A. seria como um fantasma, que apenas tem conhecimento dessas coisas, mas não pode usufruir delas. Seja por frustração ou curiosidade, a lógica natural é que ela tente a todo custo criar um corpo para também ter acesso a todas essas coisas.


Nos quadrinhos, a necessidade de Ultron se humanizar vai mais além. Ainda em sua quinta forma, Ultron-5 cria um "filho" ainda mais perfeito que chamaria de Visão. E lá pra versão 8, numa paródia clara a noiva de Frankenstein, ele recria a sua versão feminina, Jocasta. O complexo de Édipo de Ultron aqui fica ainda mais evidente quando na sua tentativa de criar Jocasta ele captura Janet Van Dyne, esposa de Hank Pym, e quer que sua mente sirva de padrão mental para o corpo da nova robô. Mais tarde, uma outra potencial noiva robô surgiria na forma de Alkhema, criada por Ultron-14 e com os padrões mentais da Harpia desta vez. Essa versão, no entanto, é mais voraz e psicótica, mas no fim não deixa de ter um traço humano também. Mais pra frente, um outro filho, ainda com o perfil mais humano surge nas páginas dos Fugitivos: Victor Mancha, que por muitas vezes até mesmo os leitores esquecem sua natureza robótica de tão humano que ele é. 

Mas a confusão mental de Ultron sobre sua existência e sua humanidade vai muito mais do que se reconhecer com um corpo físico ou mesmo criar outros de seus iguais. Depois de servir como marionete do Doutor Destino durante as Guerras Secretas, a versão 12 foi programada para atacar o Demolidor e num nítido momento de confusão e desconforto por ter todas personalidades das suas versões anteriores neste novo corpo, ele começa a tentar se mutilar pra eliminá-las. É muito curioso ver aqui sua busca para ter alguma integridade, um só "eu". Ao querer consertar esse problema, ele se refere a isso ao equivalente da palavra "felicidade". Não tem como fazer paralelo aqui a um comportamento muito similar a loucura humana querendo sanidade.



Mais tarde, durante a fase dos Vingadores da Costa Oeste, a versão 14 do Ultron simplesmente desenvolve um sentimentalismo exarcerbado, por vezes, adolescente, ao ponto de até mesmo tentar se atrelar a Hank Pym como sendo seu "pai" de fato. Essa mesma versão, acreditem no que digo, chegou até mesmo a apresentar estranha compulsão e  mesmo sintomas equivalentes ao de alcoolismo.  Mais tarde, a versão do Ultron-15 referiu-se ao seu antecessor como um anomalia, mas seus planos ainda pareciam ter como cerne principal o ódio ao criador, Pym, e seus entes mais próximos - Jocasta, Vespa, Visão e Feiticeira Escarlate. Essa versão, por sinal, aparece numa saga chamada Ultron Ilimitado que provavelmente inspirou bastante o filme, já que ele toma um país do leste europeu chamado Slorenia, recria seu corpo de puro adamantium e tem um exército de outros ultrons ao seu comando.


Ainda dá pra observar mais dessa busca de Ultron pela humanidade em histórias mais recentes. Em Poderosos Vingadores, num arco escrito por Bendis e desenhado por Frank Cho, Ultron invade a armadura/corpo do Homem de Ferro e o remodela na forma de uma mulher muito similar a Janet Van Dyne, numa clara implicação de que aquele é objeto de seu desejo. Mais para frente, no mesmo título, só que numa história feita por Dan Slott, ele assume um dos corpos da Jocasta e se autodenominada Ultron-Pym. Seus planos aí são matar o seu "pai" e substituí-lo, num claro Complexo de Édipo. Por fim, num Graphic Novel mais recente e inédita no Brasil, Rage of Ultron, vemos uma nova etapa nesta obsessão de Ultron para conquistar sua humanidade e se vingar de seu "pai".

Apesar de todo o seu doentio vínculo com Hank Pym, Ultron já teve outros que acabaram se envolvendo diretamente ou indiretamente em sua reconstrução. É aí que entra Tony Stark como o segundo personagem da Marvel a ter mais relações com o vilão do que qualquer outro. A versão 9 teve seu corpo construído por Tony, que foi hipnotizado pela versão anteriora pra fazer isso. Nos anos 2000s, o Ultron-18, que só tinha sobrado a cabeça, se mesclou a antiga armadura senciente do Homem de Ferro e acabou se tornando o líder de um culto religioso, Filhos de Yinsen, que pretendia dominar os humanos abusando da fé. E como já dito, Ultron até mesmo já se apossou de seu corpo/armadura pra criar uma versão feminina  "humana" de Ultron.


Até mesmo para quem acompanha os desenhos animados, fica evidente que há uma tentativa da Marvel em dar ao Homem de Ferro a paternidade de Ultron já faz alguns anos. O desenho Next Avengers foi o primeiro caso e explorou muito bem um futuro distópico dominado pelo robô e que serviu de base para a Era de Ultron nos quadrinhos. Em Vingadores: Mais Poderosos da Terra, o desenho divide a co-criação entre Stark e Pym, cada um contribuindo com seus conhecimentos para tal. E nem preciso falar do atual Avante, Vingadores! que já admite Tony como "pai" de Ultron assim como nos cinemas.

Depois de Tony Stark, alguns outros foram também responsáveis por versões, reprogramações e upgrades do vilão. Entram aqui o Doutor Destino nas Guerras Secretas e Atos e Vingança; O inumano Maximus que usou o corpo do robô Omega pra criar um Ultron gigante; Até mesmo um Destinobô já pôs as mãos em Ultron.

 photo O INVENCIacuteVEL HOMEM DE FERRO -  SINDROME DE FRANKSTEIN.jpg

Portanto, quando caímos no filme de 2015, temos aí essa leva de informações tão ricas sobre o personagem que seria até injusto não usar na adaptação. Em muitos aspectos, era mais fácil explicar a I.A. como uma cria do bem conhecido engenheiro Tony Stark do que bioquímico Hank Pym ainda por surgir. Os elementos já colocados em outros filmes do personagem de Robert Downey Jr automatizar as suas armaduras nos cinemas já tinha até mesmo um paralelo com a armadura senciente (mais tarde até dominada pelo próprio Ultron) nos quadrinhos. E por fim, o toque final estava em fazer um paralelo dos padrões mentais que o Ultron Cinematográfico copiaria, o que deu um excelente plot na linha de "tal pai, tal filho" em colocar a obsessão por controle nos dois: Stark e Ultron.

É obvio que há muito ainda o que se falar aqui, principalmente se quisermos analisar a questão das I.A.s sobre a perspectiva do novo Visão e a diferença de ambos graças a seus protocolos iniciais. Vingadores: Era de Ultron, mesmo sendo antes de mais nada um puro blockbuster de ação, levanta de uma forma bem curiosa essas questões, e ouso dizer até, de forma mais consciente de que outros filmes já feitos na linha. Portanto, não estranhe em dado momento você se sensibilizar pela causa do robozinho tão expressivo ou achar muito juvenil uma birra do mesmo ao ser comparado com Tony Stark. Já estava tudo lá, tudo isso já tínhamos de certo modo nos quadrinhos.

Coveiro

Demolidor no topo da Netflix


A Netflix não costuma liberar os números da audiência de suas produções, o que torna difícil saber quais são suas atrações mais populares. Com o intuito de conseguir essas respostas, a Luth Research, uma empresa independente de pesquisas, resolveu correr atrás dos números por conta própria e o resultado coloca a série do Demolidor no topo da lista das produções originais da Netflix mais assistidas pelos assinantes. Confira os números...

Simon Kinberg fala sobre os poderes do Sr. Fantástico no novo filme


Essa semana o site oficial do filme do novo Quarteto Fantástico foi lançado e com ele algumas fotos, posters e descrições dos protagonistas. E foi aí que surgiu uma nova confusão quando na Bio do Reed Richards a explicação para os poderes dele foi mais estranha do que um simples "esticar". Como divulgamos aqui, foi dito que ele manipulava o espaço ao redor dando a impressão de que se esticava. E a primeira coisa que a maioria dos membros de fóruns americanos exclamava era um "What?".

Em declarações ao HitFix, o roteirista Simon Kinberg respondeu as confusões causadas ontem pela descrição dos poderes do Reed Richards no site oficial do filme. "Eu acho que foi confuso. Eu mesmo fiquei um pouco confuso com isso. A intenção era tentar explicar o poder com algum tipo de explicação científica, mas como você disse, a maioria de seus poderes desafiam o que sabemos sobre a física. No resultado final, ele se estica no filme. Esse é o seu poder. Essa é a explicação mais simples. "


No que diz respeito a pouca divulgação feita pelo filme e como as coisas tem sido mantidas em segredo, Kinberg declarou que é realmente apenas para garantir que as coisas saiam perfeitas, visualmente, antes de serem liberadas. "A coisa é que realmente estamos fazendo a coisa orquestrada porque nós realmente não queremos mostrar nada até que esteja pronto, até que ele pareça ótimo" disse o roteirista e completou "é por isso que temos escondido tanto. Eu segurei bastante até o Coisa sair. Nós estamos segurando o Destino. Nós vamos segurar as coisas té o máximo que der".

Bom, é claro que devemos esperar o Reed se esticando. Seria ridículo se por acaso tivessemos um filme do Quarteto Fantástico sem o Sr. Fantástico sendo o que é. Mas essa tentativa de se distanciar cada vez mais da sua base, do mundo imaginário dos heróis, é que intriga a maioria que olha com os dois pés atrás isso tudo. E deixem o Miles Teller continuar sendo o porta-voz da coisa toda. Ele tem se saido melhor nisso.

Coveiro

Revelado quem escreverá os roteiros do novo Wolverine


E mais uma notícia que saiu no decorrer do final de semana e acabou passando batida pela estreia de Vingadores: Era de Ultron foi a revelação de que o novo filme do Wolverine ganhou um escritor. O site The Wrap divulgou que Michael Green será o roteirista que ajudará o diretor James Mangold em sua sequência.

Michael Green é um nome já bem conhecido no ramo dos super-heróis, responsável por muitos roteiros de episódios de Heroes e Smallville. É também um dos nomes vinculados ao Lanterna Verde e até tentou emplacar um roteiro pra o Flash no passado. Mas talvez seus projetos mais conhecidos sejam Blade Runner e Prometheus. Mangold está terminando seu novo filme, The Deep Blue Goodbye, e depois dele seu foco será a sequência do mutante canadense que será lançado em 2017.

Coveiro

Mais fotos dos sets de filmagem de X-Men: Apocalipse

Ontem, divulgamos a primeira imagem oficial de como será o visual do Noturno no novo filme mutante da FOX. Não muito tempo depois, atualizamos o post com algumas fotos de bastidores (que vocês podem ver de novo abaixo) e mais novas foram sendo divulgadas ao longo do dia. Além disso, trouxemos algumas fotos de divulgação de cenários e clima oitentista do filme que Bryan Singer tem ocasionalmente divulgado em sua conta pessoal do Twitter ou no Instangram. Confira só:











E na revista Empire, já saiu algumas imagens de concept art envolvendo o visual do Anjo (que já divulgamos aqui), Egito Antigo, Cerebro e um novo Pássaro Negro:



Outra curiosidade que saiu foi a caixa metalizada do Blu Ray que terá a cena cortada com cenas da Vampira. Foi uma decisão do Singer muito questionada quando o filme saiu e que agora o estúdio tenta se redimir trazendo essa versão especial do filme:


Tivemos algumas confirmações no elenco também. Lucas Till deve voltar a franquia no papel de Alex Summers e acredito que todos devem esperar aí um encontro dele com o seu irmão mais novo, Scott (nos cinemas, foi invertida a idade dos dois). Nicolas Hoult que está de volta a franquia já avisou que pelo contrato, este seria seu último filme. O mesmo deve acontecer com Jennifer Lawrence. E nenhum dos dois deu entender se pretende ou não renovar na franquia. Já Channing Tatum, que tem um filme solo do Gambit para estrear no mesmo ano, deu entender que rumores da sua presença seriam falsos. "Eu não gostaria que introduzissem o Gambit sem mostrar quem ele realmente é" disse o ator.

Jennifer Lawrence (Mística), James McAvoy (Professor X), Michael Fassbender (Magneto), Nicholas Hoult (Fera), Alexandra Shipp (Tempestade), Lana Condor (Jubileu), Olivia Munn (Psylocke), Ben Hardy (Arcanjo), Sophie Turner (Jean Grey), Tye Sheridan (Ciclope), Kodi Smit-McPhee (Noturno) e Oscar Isaac (Apocalypse) formam o elenco que vai aos cinemas em 27 de Maio de 2016.

Coveiro