domingo, 17 de junho de 2018

Roteiristas de Guerra Infinita falam sobre ideias descartadas, aquisição do Homem-Aranha,ideias para o Doutor Destino e muito mais



Os roteiristas de Vingadores: Guerra Infinita foram mais uma vez participar de um programa ao vivo e passaram por uma sabatina de perguntas não só sobre esse filme, como todos os outros de Capitão América. Falaram sobre possibilidades de um possível acordo com a Fox e até da possibilidade de um certo herói inglês vir aí. Veja os principais pontos resumidos do vídeo nos tópicos a seguir:



SOBRE ULTRAPASSAR A BARREIRA DOS DOIS BILHÕES:

Christopher Markus: É loucura!

Stephen McFeely: Eu vou te dizer que no domingo de manhã, quando estava lá pelas dez ou coisa assim e o Deadline disse que quebrou o recorde, eu fiquei meio emotivo. Não é que o dinheiro seja meu, mas é a validação de uma porrada do nosso trabalho. A ideia de que isso ressonou e se tornou um pouco histórico, ao menos no momento, é realmente demais.

SOBRE O QUANTO ELES INTERFERIRAM NOS OUTROS FILMES E VICE VERSA:

Stephen McFeely: Não, porque teriamos momentos em que a gente teria que estar já na segunda de manhã pressionar outros cineasas e seus outros filmes e dizer: 'Ei seria legal se você fizesse X, Y e Z pra minha conveniencia. Então foi melhor não fazer"

Christopher Markus: Houve momentos, porém, que estamos escrevendo isso enquanto ... eles não tinham filmado Ragnarok ainda, Pantera, Homem-Formiga, Doutor Estranho ... nenhum desses filmes existia. Então, estamos tentando planejar um filme e, em seguida, você descobre, o que verá em Ragnarok e solta um 'Ei, eles fizeram tudo o que faríamos com o Hulk'".

SOBRE O RELACIONAMENTO REPENTINO DE GAMORA E PETER QUILL:


Christopher Markus: Isso provavelmente não está na conta de Gunn, isso fomos nós queríamos que esse fosse o relacionamento deles. E era claramente para onde esse relacionamento estava seguindo. E são quatro anos entre os filmes, aparentemente.



SOBRE A LOCALIZAÇÃO DA JÓIA DA ALMA TER FUGIDO DE QUALQUER TEORIAS DOS FÃS:

Christopher Markus: "Não especificamente para atormentar vocês ou fazer vocês estarem errados, mas nós queríamos um lugar muito significativo para Thanos, e puro para o filme, de modo que não fosse 'nós estamos indo aqui para rever de novo... você sabe'

Stephen McFeely: "Nós já tínhamos esse problema, certo? Você conhecia muitos lugares onde as pedras estavam, então se você conhecesse cada um deles, haveria muito menos mistério, e havia um momento no nível de roteiro que era realmente importante para nós ter um mistério. O que a Gamora sabe que todos vocês não sabem? É divertido, há uma coisa toda em que cada letra soletra o nome de Thanos, como por que não pensamos nisso! Isso não afeta o que escrevemos. É algo que nos encanta quando lemos, mas você não pode fazer o serviço pros fãs dessa maneira, certo?"

Christopher Markus: "Às vezes você lê algo por aí e fala 'isso é realmente muito inteligente ... muito inteligente. Quero dizer também o ... Estou pensando na teoria que dizia que estava em Wakanda. Tipo, elas não podem estar todas na Terra. Eu sei que nós somos um planeta muito importante, mas nós não somos mais que os outros, você não pode ter todos elas aqui e então nós temos a oportunidade de ir para o espaço e ... onde foi mesmo, no filme original do He-Man? O filme onde ficaram sem dinheiro e o resto aconteceu em um estacionamento em Encino. Como nesse caso tínhamos o dinheiro. Podemos ir até lá. "

SOBRE A CHEGADA DE THOR, ROCKET E GROOT EM WAKANDA ESTAR DESDE O ROTEIRO INICIAL:

Stephen McFeely: Tudo é movido pra chegar aquela cena.


SOBRE COMO ELES CHEGARAM ATÉ A CONTRATAÇÃO COMO ROTEIRISTAS DO PRIMEIRO CAPITÃO AMÉRICA

Stephen McFeely: Nós fomos atrás, tenha certeza. Meio que fomos demitidos depois do terceiro Narnia. Nós fizemos três Narnias e aquele terceiro foi um problema, e os roteiristas estavam em greve e aí o estúdio falou que quando a greve acabasse a gente não voltasse. Nós ficamos de boa. Então tivemos outra coisa pra fazer senaõ procurar outro emprego e passamos um ano inteiro procurando por algo e dizendo qualquer coisa que não envolvesse uma garota de 13 anos num mundo mágico de mistério e tentamos algo diferente.


"E o Homem de Ferro saiu e deixou claro que eles iam fazer uma série de coisas, incluindo um filme de época do Capitão América. E nós fomos atrás e pensamos 'oh, nós deveríamos conseguir isso'. E nós tivemos que passar todo o ano de 2008 - digamos, do verão em diante - convencendo-os de que éramos os caras certos e demorou um pouco. Nos acabamos no Natal de 2008 e nunca mais deixamos a Marvel".


SOBRE A MARCANTE CENA DE STEVE PULANDO NA GRANADA NO PRIMEIRO CAPITÃO AMÉRICA

Stephen McFeely: Eu acho que estavamos olhando um momento em qeu testavamos e aí eu acho, foi Joe Johnston que pode ter dito 'eu vi isso em outro filme..."

Christopher Markus: Joe Johnston disse 'Tinha esse filme de guerra antigo que um cara pula numa granada e a granada não explode, mas não me lembro o nome dele'. Então roubamos e foi ótimo. Provavelmente tinhamos uns 15 minutos de montagem no primeiro rascunho e aí o Joe veio e perguntou 'Ele não poderia apenas pular na droga da granada?' e a gente pensou e disse 'Bem, sim'.



SOBRE AS PROVOCAÇÕES ENTRE SAM E BUCKY:

Stephen McFeely: Isso realmente veio da ideia de que 'Steve agora tem dois melhores amigos'. Você sabe, é como, literalmente, apenas um impulso juvenil de nossa parte, como 'Ele tem dois melhores amigos'?

Christopher Markus: E você pode colocar essa rivalidade ridícula no meio desses momentos muito sérios. Aquela cena do "Saia do meu assento" é possivelmente a minha parte favorita em todos os filmes, porque é tão insignificante. Também essas pequenas coisas lembram que são pessoas ali

Stephen McFeely:  “Os filmes da Marvel são sobre pessoas, eles não são sobre super-heróis. Eles têm essas responsabilidades de super-heróis, mas são pessoas que não têm espaço suficiente para ficar confortáveis, sabe? E eu acho que pode ser onde, às vezes, alguns filmes desmoronam, eles trabalham o super-herói antes de trabalhar a pessoa. E ter pequenos detalhes, como uma rivalidade entre seus melhores amigos ou qualquer outra coisa, lembra que eles são exatamente como você. ”

SOBRE UMA HISTÓRIA ALTERNATIVA A DA GUERRA CIVIL:

Christopher Markus: Nós tinhamos um modelo para um plot com o Zola.

Stephen McFeely: Sim, o plot do Bucky. Então, nós estavamos trabalhando nisso por um longo tempo antes da Guerra Civil. Então, tivemos uma bomba do Kevin. Ele apareceu e soltou 'Guerra Civil'.


Christopher Markus: Nossa sala ficou em silêncio.E Joe Russo soltou algo como 'Oh, ele simplesmente no deu um filme de 1 bilhão de dólares. Puxa vida'.


SOBRE O PLANO DA GUERRA CIVIL AO CONSEGUIREM O HOMEM-ARANHA

Christopher Markus: Kevin Feige veio até nossa sala onde nós já estavamos bem avançados nos rascunhos, pelo que lembro, e ele disse - 'Vocês terão que mudar uma coisa'. E ele fez um sinal do Homem-Aranha com as mãos e eu soltei 'Ah, que foda'. Foi a maior dor de cabeças de todas.

Stephen McFeely: Houve um momento e que tivemos uma série de planos de contigência nisso, certo, porque você poderia pegar o Downey, e teria o  Pantera Negra, e ficamos pensando se iríamos fazer aquilo agora. Era um bom momento, mas o que tínhamos pra ele? Tinha tudo isso. Então, tivemos uma série de opções prematuras onde nossas peças poderiam ir.

E SE NÃO TIVESSEM O HOMEM-ARANHA:

Stephen McFeely: Recrutariam outra pessoa. Provavelmente, o Homem-Formiga. Acho que essa era a ideia. Nós tinhamos um momento em que ele poderia recrutar qualquer um, certo?

Christopher Markus: Tony na verdade iria pr São Francisco, onde o Vingador iria recrutar o ex-ladrão e pai separado Scott Lang pro seu Time Homem de Ferro. Não seria tão legal.

Stephen McFeely: Eu lembro que tinha uma cena em que ele iria estar vendo sua filha jogando futebol. Não era tão boa.


SOBRE CRIAR UMA RELAÇÃO ENTRE HERÓI VETERANO E NOVATO ENTRE TONY E PETER NOS FILMES:

Stephen McFeely: “Nós que criamos isso. Quando Tom entra em uma sala com Robert Downey Jr, já temos ali um relacionamento, sabe? É um jovem ator com um ator experiente, que não quer te ferrar, entende. Há tantas - há cerca de três ou quatro falas naquela cena do quarto que são apenas Downey, tipo, 'Mova a perna, tenho que sentar aqui' e é apenas um ator falando com outro".

Christopher Markus: "Ele estava literalmente dizendo Tom Holland para mover a perna. Aquele não era Tony Stark. Ele solta essa "Essa é a parte em que você move a perna".

Stephen McFeely: "Então, Robert fez isso muito bem"



SOBRE PERSONAGENS QUE ACABARAM NÃO USANDO NOS FILMES

Christopher Markus: Tem esses persoangens que eu amo que eu tenho certeza que alguém deve acabar pondo a mão e fazendo coisas grandes com eles. Mas nunca tentamos colocar eles nos filmes.

Stephen McFeely: Mas nós tivemos a chance de por eles. Como nós fizemos com Zola em dois filmes, sabe.

Christopher Markus:Eu tentei colocar o M.O.D.O.C neles mas é bem difícil colocar esse personagem de apoio com uma cabeça gigante. E aí ainda teremos que seguir com a história. Nós temos que ir até ele com mais informações. Tipo redesenhar todo o filme ao redor do cara com a cabeça gigante. Eu tenho uma paixão por M.O.D.O.C e eu ainda acho que com propriedade ele seria algo demais. Olha só ao redor e daí aparece essa gigantesca cabeça vindo e se aproximando. Ia ser demais.



SOBRE COMO OS X-MEN PODERIAM INGRESSAR NO UCM:

Stephen McFeely: Eu adoraria descobrir. Quando perguntamos ao Kevin, ele não nos fala nada. Eu acho que eles não estão realmente autorizados a pensar sobre isso até o acordo fechar, porque a Disney está comprando ainda a Fox e tudo isso. Eu assumo que o Kevin esteja a noite na hora de dormir prensando no que ele pode fazer com eles.

Christopher Markus: E a mulher dele deve ficar falando 'Para com isso'.


SOBRE A IDEIA DE UM FILME DO DOUTOR DESTINO:

Christopher Markus: "Primeiro, eu faria o que eles nunca fazem, que é ficar atado ao gibi e fazer dele o rei do seu próprio país e ter um grande capacete de metal. Ele se parece com Darth Vader. Ele inspirou Star Wars, apenas faça isso de novo. Eles ficam nessa de 'Ele é um cientista americano que tem ciúmes do relacionamento deles'." Não! Ele é um maluco com uma máscara de metal! "Eu posso entender completamente o impulso. É como, você tem que fazer isso relacionável. Você tem que relacionar isso com esses personagens. Você quer que todos tenham um passado juntos. Eu entendo, mas não funciona porque ele tem que acabar em um lugar ridículo ao menos que você vá colocá-lo em uma jaqueta de couro e chamá-lo de "Vic" Você tem que colocar ele numa capa. Ou você vai se dar ao trabalho de chegar até o momento de ele ser um cara de capa ou apenas faça dele direto um cara de capa! "

SOBRE UM FILME DO CAVALEIRO DA LUA:

Christopher Markus: Alguém deveria fazer um bom filme do Cavaleiro da Lua, mas ebem complicado. É porque ele fica muito bom depois. Mas no começo, ele é bom, mas é bem morno, e daí depois, ele fica demais. Mas essa parte demais precisa ter essa parte mais fraca pra fazer sentido, e daí fica muito convoluta rapidamente. Mas ele é Judeu, o que já é bom.

SOBRE UM SUPER-HERÓI INGLÊS:

Christopher Markus: Vou te dizer isso. Toda vez que você faz um filme com Nate Moore, ele tenta colocar o Joey Chapman, e pergunta se ele poderia ser o Capitão Britâ... não o Union Jack. Ele tenta colocar o Union Jack. E ele vai conseguir um dia, ele vai conseguir"

Stephen McFeely: Mesmo que você não queria um Union Jack ou não.


COMO CONSERTAR OS FILMES DA DC?

Kevin Smith: "Vocês fizeram filmes maravilhosos sobre pessoas. Você não faz filmes sobre super-heróis, faz filmes sobre pessoas que têm esses poderes, e eles têm esses poderes. Dito isso, se alguém lhe oferecesse uma tonelada de dinheiro e o levasse ao lado escuro e disse: 'Corrija esses filmes', como você iria consertar o universo DC? "

Chistopher Markus: "Bem, eu olharia para o que a Marvel fez por necessidade, pois eles não tinham seus personagens grandes da lista. Eles não tinham o Homem-Aranha. Eles não tinham os X-Men. Eles desceram uma linha e encontraram um deles, sabe, ele é muito famoso, ele é o Homem de Ferro, mas ele não era lá essas coisas na época, e eles fizeram um filme muito bom com isso. Eu posso colocar Batman, Superman e todos os outros, a Mulher Maravilha está indo bem, de lado por um segundo. Vá através do vasto mundo alem e vá atrás 'daquele cara', ou 'daquela garota', e vá pensando em 'Vamos apenas fazer um filme realmente bom e não um universo e ver o que acontece.' Há muito espaguete sendo jogado na parede. "

Stephen McFeely: "Minha familiaridade com o universo DC não é tão boa assim, mas posso dizer, estrategicamente, 'faça um'. Para citar a Liga da Justiça, 'Salve uma pessoa'."

Kevin Smith: "Você iria consertá-los com o seu próprio conselho!"

SOBRE QUANDO RECOMEÇA O TRABALHO:

Christopher Markus: Amanhã, às 11 da manhã

Stephen McFeely: O Status de Vingadores 4 é que ainda vamos gravar algumas coisas mas não por muito tempo. Haverá um tempo para refilmagens e acertos e nós estamos apenas mexendo nisso agora. Os irmãos Russo estão lá já há algumas poucas semanas depois das coletivas de imprensa e tudo mais.  Mas todo o time está se jutando amanhã.


E como bem sabemos Vingadores 4, cujo título ainda não foi revelado, sairá nos cinemas em 3 de Maio de 2019. E por enquanto, essa é a única certeza que temos do filme até agora.

Coveiro

comments powered by Disqus