domingo, 16 de setembro de 2018

Finn Jones fala sobre heróis de aluguel, mitologia e expectativa pra uma terceira temporada de Punho de Ferro


A Segunda temporada do Punho de Ferro já está a uma semana disponível no Netflix, e além de melhorar as lutas e tirar o tema do cenário mais coorporativo como pediram as fãs, tivemos uma expansão da mitologia de K'un Lun e a introdução de uma nova vilã como personagem. Em conversa com o ator Finn Jones, o site ComicBook.com perguntou como foi trabalhar neste novo ano da série e o como esta a expectativa para voltar ano que vem se o seriado foir renovado:

ComicBook.com: Qual foi o maior desafio que você viu no que precisava fazer nesta temporada para seguir adiante com o Danny Rand?

Finn Jones: Minha intenção, sempre, desde o início ao ser escalado como Punho de Ferro, era trazer 110% de energia, entusiasmo e paixão para o personagem e para a série. Eu sempre fiz isso… Este ano, tivemos mais preparação antes de começarmos a filmar, então eu realmente pude me dedicar à prática de artes marciais. Além disso, eles contrataram Raven Metzner, que é um produtor e escritor incrivelmente talentoso, mas que também tem uma quantidade infinita de paixão não apenas por histórias em quadrinhos, mas pelo Punho de Ferro e a mitologia do Punho de Ferro especificamente.

Além disso, eles contrataram Clayton Barber, que é um coordenador de ação incrivelmente habilidoso e apaixonado. Então, realmente, este ano, realmente senti que as estrelas estavam alinhadas, e todos vieram para a temporada com uma paixão realmente honesta e ética de trabalho para tentar fazer desta temporada a temporada mais interessante e da melhor maneira que pudéssemos. Eu acho que tenho muita sorte que as pessoas foram trazidas a bordo combinaram com o meu entusiasmo. Depois que todos se reuniram, foi um trabalho árduo, mas foi divertido. Estávamos todos discutindo, e todos nós éramos apaixonados pelo projeto, e todos nós queríamos fazer desse seriado a mais interessante e melhor série possível do Punho de Ferro.



ComicBook.com: Você conseguiu equilibrar as cenas de ação com Danny em em seu papel como Punho de Ferro com essa divertida e talvez fútil tentativa de viver uma vida modesta com Colleen. Me fale sobre interpretar esse lado de sua vida, ao lado de Jessica Henwick.



Finn Jones: Para mim, foi realmente importante - e começou com “Luke Cage”, e aqui também vimos - que Danny traz leveza e alegria ao papel. Ele se diverte às vezes. Às vezes, ele dificilmente será empurrado, mas a grande coisa sobre o personagem é que, mesmo em tempos de adversidade, ele é capaz de ver a luz. Ele é capaz de ver o melhor da situação. Para mim, essa é uma das qualidades mais redentoras do personagem. Estou muito grato que nesta temporada, Raven também viu isso sobre o personagem e nós trabalhamos para trazer isso um pouco mais para Danny.

Também é muito divertido trabalhar com a Jess, que é incrível como Colleen, e ver esse relacionamento em um nível muito mais autêntico. Eles se mudaram para morar juntos. O dojo é agora a casa. Tudo está profundamente enraizado no personagem e, como público, estamos vendo-os em um nível muito mais autêntico, o que eu acho que é realmente importante também. Obviamente, ao enraizar sua vida e morar com uma namorada e todo esse tipo de coisa, as coisas tendem a dar errado um pouquinho, e essa é a graça disso. Estamos fazendo do personagem alguém como nós. Todo mundo passou por isso. Todo mundo tem vinte e poucos anos, e tem um novo emprego, e tem uma namorada com quem acabaram de se mudar, mas também está passando muitas noites fora da cidade, e não está realmente cuidando da saúde ou do relacionamento. É onde o Danny se encontra no começo da temporada.





ComicBook.com: Dado que Raven estava animado para se inclinar mais para a história em quadrinhos, a mitologia dos quadrinhos, me diga no que você ficou animado em termos de construir isso e adicionar mais elementos de sua história de fundo de K'un-Lun.



Finn Jones: Eu amo todos os elementos místicos dos quadrinhos. Para ser honesto, quanto mais místico e mais lá fora pudermos fazer a série, no meu coração, é aí que eu me divirto mais, e acho isso o mais agradável. Isso é o mesmo para o Raven também. Nós dois realmente amamos a mitologia do Punho de Ferro, e o que você vê nesta temporada é que certamente há muito mais disso. Espero que, se tivermos mais temporadas por vir, continuemos nos aprofundando cada vez mais nessa mitologia.



ComicBook.com: As pessoas enlouqueceram quando viram um vislumbre da clássica máscara de quadrinhos no trailer. Como foi essa experiência, para fazer com que ela ganhasse vida?



Finn Jones: A idéia por trás dessa máscara que vemos no flashback de K'un-Lun é o de uma máscara cerimonial. Certo? Em K'un-Lun, quando você luta, quando você está na arena, você está lutando com seus irmãos, certo? Você ama seus irmãos. Você cresce com seus irmãos. É muito difícil para nós, guerreiros, lutar contra o seu oponente, porque há emoção ali. Existe um anexo. A mitologia da máscara cerimonial do Punho de Ferro é que, quando você a usa, você se torna anônimo. É por isso que essa máscara é trazida nessa cerimônia. Permite que os lutadores na arena se tornem anônimos para seus oponentes. Como vemos, essa máscara encontra o caminho para as ruas de Nova York e, quem sabe, pode ser usada mais adiante, ou pode ser adaptada para algo um pouco mais nova-iorquino. É maravilhoso ter essa máscara de quadrinhos icônica na série, porque é realmente algo do Punho de Ferro. É icônico, e é ótimo que finalmente estamos conseguindo ver isso na tela.

ComicBook.com: Como foi usar a máscara em um nível prático? Foi fácil lutar ou foi um verdadeiro desafio?

Finn Jones: Não, na verdade foi muito bom, para ser honesto. Nós tínhamos as máscaras no período de ensaio, então praticamos com as máscaras. A maneira que elas foram projetadas, eles foram projetadas para se encaixar bem e para ser boas com a luta. Não houve problemas com a máscara quando chegou a hora de lutar. Foi realmente muito bom.





ComicBook.com: Quando se trata do que você precisa aprender para a parte física do papel e todas as diferentes técnicas, o que isso significou para você, para Finn? Para absorver tudo isso e ter esse conhecimento, desenvolver isso e ficar forte dessa maneira?



Finn Jones: É realmente interessante ver o que a disciplina fez na minha vida [risos]. Isso é o que você realmente precisa quando você está fazendo um seriado como este e você está desempenhando um papel como este. Você precisa realmente ter disciplina. Você tem que ter disciplina para comer os alimentos certos. Você tem que ter disciplina para acordar e ir malhar no ginásio ou ir fazer artes marciais. Você tem que ter disciplina para ser otimista em relação a tudo, e seguir em frente e ser apaixonado e criar.

Realmente, a única coisa que realmente aprendi com tudo isso é como aplicar a disciplina em minha vida. O que eu descobri é que eu realmente amo ter disciplina! Eu costumava pensar que a disciplina era chata, sabe? Agora eu vejo isso como uma força real, e há uma altura real que você pode ter quando é disciplinado. Você sente que está no topo do mundo e pode conseguir qualquer coisa. Essa é provavelmente uma das melhores coisas que eu aprendi com esse treinamento que o seriado trouxe para minha vida.



ComicBook.com: Na temporada mais recente de “Luke Cage”, nós conseguimos ver, e nós vemos isso novamente aqui, que as conexões entre esses dois personagens e seus elencos de apoio estão ficando mais e mais ligadas. O que você ama sobre esse relacionamento especial que o Punho de Ferro e o Luke Cage têm? O que tem sido divertido em construir essa relação com Mike Colter durante todo esse tempo?



Finn Jones: Bem, eu e o Mike somos muito sortudos, porque desde o início tivemos uma amizade que veio muito fácil. Eu não sei o que é - nós apenas nos entendemos. Estamos muito à vontade um com o outro, e somos muito casuais e nos divertimos com isso. Foi uma ótima conexão imediatamente. Com os personagens, acho que eles funcionam tão bem quando eles estão juntos, ficam à vontade, sabe?

Eles não estão tentando impressionar ninguém. Eles têm o apoio um do outro, então eles sentem que podem lidar com a situação eles mesmos. Ele permite que ambos relaxem um pouco e divirtam-se na companhia um do outro, ao mesmo tempo que são super-heróis e enfrentam esses criminosos ou vilões formidáveis. Além disso, o que é bom é que eles vêm de lados muito diferentes, e eles têm origens muito diferentes, e eu acho que apesar disso, eles são capazes de trabalhar um com o outro, ter uma amizade e também aprender um com o outro. Eu acho que isso também contribui para uma combinação realmente dinâmica dos dois.





ComicBook.com: Você gostaria de ver uma ou duas temporadas dedicadas a esses dois personagens como co-protagonistas - uma temporada de “Heróis de Aluguel”?



Finn Jones: Eu adoraria. Eu amo tudo isso. Eu adoraria que "Punho de Ferro" continuasse. Eu adoraria que “Luke Cage” continuasse. Eu também adoraria fazer o "Heróis de Aluguel" também. Seria muito trabalho, mas acho que há os fãs - e os fãs querem isso. Eu também adoraria ver as "Filhas do Dragão" também. O que eu realmente gostaria de ver é uma série de televisão que combina os dois “Heróis de Aluguel” e “Filhas do Dragão”, porque acho que todos nós trabalhamos tão bem juntos, e tudo faz sentido. Os fãs adoram, e eu acho que há tantos lugares que nós podemos seguir. Há muita diversão nisso, mas também há muitas histórias sociais interessantes para serem contadas também. Eu acho que algo assim tem muitas pernas. Espero, um dia depois, ver isso se concretizar. Isso é tudo na Netflix. Vocês, se vocês quiserem, só precisam continuar pedindo a Netflix [Risos]!



ComicBook.com: Conte-me sobre o trabalho com Alice Eve, que conseguiu divertir-se muito com seu papel. Eu imagino que foi ótimo trabalhar com todas as diferentes facetas que ela estava atuando com você.


Sim, Alice é uma atriz maravilhosa. Ela também é inglesa, então é sempre bom ter outro colega britânico em cena. Alice é muito inteligente. Ela é muito engraçada, muito realista e se dedica. Ela é muito talentosa. Foi muito bom trabalhar com ela. Não apenas para se tornar um bom amiga dela, mas também para ver esses dois lados dela. Tanto como Mary e Walker, e também começar a lutar com ela.

Foi muito bom ter Alice, porque ela é uma ótima colega de equipe, e ela é um grande talento também, e ela é esquisita e estranha como a personagem. É exatamente o que precisávamos. Eu acho que é exatamente o que o show precisava. Nós precisávamos desse mistério, precisávamos desse perigo, e precisávamos daquele fascínio que Alice traz para o seriado e a personagem.


ComicBook.com: O relacionamento de Danny com Davos também é crucial para esta temporada. Para você, o que você estava mais ansioso para ver entre esses dois personagens desta vez?


Finn Jones: Sacha [Dhawan], a propósito, é um dos atores mais engajados, e ele é incrivelmente talentoso. Seu nível de comprometimento com esse papel nesta temporada tem que ser falado, porque ele realmente se colocou no lugar. Todos nós fizemos isso, mas Sacha especialmente, aplicou-se de uma forma muito disciplinada e entusiasta nesta temporada. Eu realmente amei trabalhar com ele, tanto fisicamente quanto emocionalmente.

Eu e Sacha costumamos falar muito sobre isso: como queremos que essa relação pareça? A primeira coisa que não queríamos é que sentíssemos como se fossemos arqui-inimigos, sabe? Nós não queríamos que ele se sentisse como "Ah! O bom mocinho contra bandido mal!", saca? Queríamos que houvesse uma verdadeira e profunda de emoção da história entre os personagens. Eu acho que o que nos permitiu fazer isso, é que os dois personagens, o que está no centro do relacionamento deles, é o amor. Eles realmente se amam. Eles realmente se importam um com o outro. Eles cresceram juntos. Eles são irmãos. Eles treinaram juntos. Quando eram jovens, solitários e assustados, cuidavam um do outro, protegiam-se mutuamente.

Então, você tem todo esse amor embutido um pelo outro, e então, por causa do curso dos acontecimentos, que são complicados, a razão pela qual eu ganhei o Punho é complicada, como vemos em K'un-Lun. Por causa disso, um ressentimento começa a crescer em Davos, e isso cresce, cresce e cresce, e ele perde o controle de seu ressentimento. Ele fica cego, ele se torna apaixonado por essa crença. É para Danny tentar lembrar Davos de quem ele é. Para tentar salvá-lo de si mesmo. Eu, Raven e Sacha falamos muito longamente sobre como podemos fazer essa relação parecer autêntica, com nuances e complexas? E não apenas ser herói versus vilão.

ComicBook.com: Finn, faça o seu discurso: para as pessoas que adoraram a primeira temporada, diga-lhes porque esta temporada vai torná-los super felizes. E para as pessoas que foram um pouco mais críticas, diga-lhes porque isso as tornará mais felizes.


Finn Jones: Tudo o que posso dizer é que todos nesta temporada da série têm o maior respeito e paixão pela história e os personagens que estamos criando e a história que estamos contando. Todos nós dedicamos muito tempo, energia e amor a esse programa, e só espero que as pessoas assistam a esse programa e apreciem o que tentamos fazer.

A Marvel e a Netflix ouviram as preocupações da primeira temporada, e fizemos tudo em nossos corações para melhorar e tornar esta uma temporada melhor. Da minha experiência com o seriado, definitivamente parece que melhorou e evoluiu. Estou muito orgulhoso disso. Tenho muito orgulho de todo o trabalho que todos dedicaram a isso. Só espero que continuemos a contar histórias realmente impressionantes do Punho de Ferro no futuro.


A segunda temporada de Punho de Ferro chegou na Netflix. Nela teremos Finn Jones, Jessica Henwick, Sacha Dhawan, Simone Missick, Jessica Stroup e Tom Pelphrey, Alice Eve, Christine Toy Johnson, Giullian Yao Gioiello, Jowin Marie Batoon, James Chen, Sidney Mae Diaz, dentre outros atores.

 Coveiro

comments powered by Disqus