THOR: RAGNAROK

Deus do Trovão e Golias Verde voltam a se encarar em Novembro

MARVEL LEGACY

Marvel une futuro em passado nesta sua nova fase

Nova Serie Mutante na FOX

Saiba as novidades de THE GIFTED

PLANETA HULK

A HISTÓRIA DO HULK QUE MARCOU OS ANOS 2000

Classicos do Wolverine

Relembre mais das melhores histórias do Logan

FUGITIVOS

Série de produção Marvel e Hulu começa a sair este ano

THOR: RAGNAROK

O Terceiro filme do Deus do Trovão e surpresa do ano é tema do nosso Podcast!

JUSTICEIRO

Saiba as novidades da série que sai em Novembro

INUMANOS

Confira o que o pessoal do 616 tem a dizer da série de TV dos Inumanos

PANTERA NEGRA

Conheça Wakanda em 2018

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Matt Nix fala sobre Jace Turner e os vilões que devem dar trabalho pra os mutantes na volta de The Gifted

Num longo bate-papo com o site Comic Book, o produtor principal da série The Gifted, Matt Nix, conversou sobre o final da primeira temporada da série. Dentre  muitas coisas, fez questão de falar qual a importancia de Jace Turner ser um importante antagonista da série mesmo sendo mais humano e que outros vilões podem dar trabalho aí numa segunda temporada:


Sobre o personagem Jace Turner e a maneira como o ódio a mutantes é trabalhado na série:

"Se você voltar lá atrás no começo dos gibis dos X-Men, a ideia de discriminação racial, era muito mais uma metáfora" disse Nix e continuou "Uma das coisas que eu acho interessante sobre Jace Turner é que ele é um cara afro-americano que, nesse mundo em que também existe o KKK também, teve o apartheid, e que também envolveu mutantes, mas não foi algo necessariamente associado a mutantes. Foi primariamente uma questão racial. Então, uma das coisas que queríamos explorar com Jace Turner nessa temporada era ver como ele encarava essas duas questões. Quero dizer, na verdade, quão confortável ele estaria com a causa comum com um grupo que, para ele, era algo reminescente do KKK. Eu acho importante que ele não seja um desses caras que teve relação alguma com essas pessoas que correm por aí com cruzes nos mantos.

Ao mesmo tempo, ele é um cara que a esse ponto da história realmente sente a perda de sua filha e culpa nos mutantes, ele perdeu um ente por culpa dos mutantes, perdeu um amigo do trabalho, perdeu o emprego e perdeu uma parte de suas memórias. Todas essas coisas. E então, esse é o outro lado de suas história. E você entende que isso é meio que uma parte central do tema da série. Como, em que extensão admitiremos esse lance de inimigo do meu inimigo é meu amigo? E eu acho essa uma importante pergunta a se fazer, mas será algo que exploraremos na segunda temporada de modo muito rápido e depois seguiremos a história em frente.



E quanto aos Purificadores e o sobrenome Risman surgindo no episódio final:

Obviamente, há muitas conversas entre as redes de tv, estúdios, produtores e coisas do tipo, então fico receoso há apenas alguns dias da renovação sair prometendo coisas específicas, mas eu vou te dizer que não deixamos o nome de Madeline Risman na série por acidente. Uma das coisas que posso falar dos Purificadores é que eles são apenas caras comuns na maioria. É algo que pode existir em todo lugar. Não é feito o Serviço Sentinelas. Não é um lugar, quero dizer, pode até existir um quartel-general, mas você pode trabalhar num supermercado e ser um Purificador. É um caminho interessante pra se explorar na minha opinião e assim a série não será apenas uma simples batalha sem fim entre Serviços Sentinelas e Resistência.

Em parte, essa é a razão porque eu quis explodir o quartel general no final da temporada e tirar Jace dos Serviços Sentinelas. Foi pra mandar uma mensagem. Não estaremos fazendo a mesma coisa sempre e sempre. Não vai ser tipo 'E neste ano, o Serviço Sentinelas terá algo novo. E aí eles terão que ir pra um quartel general diferente porque esse pode ficar batido muito rápido. Eu amo esse tema dos Purificadores porque eles podem ser qualquer um e isso pode assustar pra caramba. Os Serviços Sentinelas, mesmo sendo o que são,  você sabe onde eles estão e que eles servem de acordo com a lei. Ele estão ligados em alguma extensão as leis, e precisam por as pessoas atrás das grades e agir sobre o protocolo de comitês do congresso, mas esse não é o caso dos Purificadores. Eles não precisam fazer isso. Eles são apenas pessoas que podem passar desapercebidas usando esses roupões com cruzes"

O último episódio desta primeira temporada de The Gifted foi ao ar essa semana. Nele, temos Stephen Moyer como Reed Strucker, Amy Acker como Caitlin Strucker, Sean Teale como Eclipse/Marcos Diaz, Jamie Chung como Blink/Clarice Fong, Coby Bell como Jace Turner, Emma Dumont como Polaris/Lorna Dane, Blair Redford como Pássaro Trovejante/John Proudstar, Natalie Alyn Lind como Lauren Strucker, Percy Hynes White como Andy Strucker e Skyler Samuels como as Irmãs Cuckoos. Pra quem quiser saber mais detalhes do capítulo final, veja nosso antigo anterior.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Produtor discute como The Gifted conseguiu definir lados mais complexos do que os filmes dos X-Men

O último episódio do seriado de The Gifted é marcado por uma série de impactos que certamente mudará a vida dos protagonistas por inteiro na segunda temporada. Todos de alguma maneira vão mudar ou refletir sobre sua atual posição. Contudo, nenhum personagem foi tão profundamente atingido por tais mudanças do que Polaris. Em conversa com o ComicBook, Matt Nix fala sobre como os novos lados dessas histórias serão estruturados daqui pra frente:



Sobre  a decisão de Polaris :

Eu falei muito com a Emma sobre o que Polaris estaria fazendo nesse episódio. Quero dizer, o que tudo isso significa para ela? E eu acho que o grande ponto aqui é que ela está fazendo isso em nome das pessoas que ela realmente se preocupa, em última instância. E isso inclui pessoas da Resistência Mutante. Isso certamente inclui Eclipse, Pássaro Trovejante e Blink e todas essas pessoas com quem ela trabalhou, mas você sabe, quando ela olha para a situação, o que ela entende, seja qual for suas dúvidas sobre as Frosts, é que concorda que há uma coisa aqui que precisa ser feita, e seu instinto diz que ela é a única que está realmente em posição de fazer isso. Pássaro Trovejante não pode fazer. Ele sente muito o peso do manto do X-Men. Eclipse não pode fazê-lo. Ele veio de circunstâncias em que ele já estava fazendo coisas que ele considerava erradas, e ele está fugindo delas durante todo o tempo em que eles estiveram juntos. Blink já flertou com esse lado das coisas e rejeitou quando ela passou algum tempo com a Irmandade.

E então, ela olha para esta situação e pensa: "Alguém tem que fazer algo, e eu sou o única com o poder e a vontade de fazê-lo". E você sabe que quando ela confronta essa realidade, o que ela finalmente aceita é a realidade de sua herança. Seria como "Talvez seja o que eu nasci para fazer, talvez seja isso que eu tenho que ser." E, então, certamente, é isso que a faz isso superar essa divisão dentro de si, mas eu acho importante lembrar que no final da Temporada todas as pessoas que acompanham as Frosts estão fazendo isso em nome de pessoas com que se preocupam. Essas linhas de batalha estão sendo desenhadas, mas  em ambos os lados das linhas de batalha todos preocupam um com o outro. Então, acho que é uma linha muito significativa que ela cruzou, mas ela não perdeu seu ponto de vista - ninguém perdeu de vista o fato de que eles se preocupam um com o outro, e em algum nível, eles compartilham os mesmos objetivos de garantir um futuro para os mutantes .

Sobre a cena final da Polaris chamar pessoas com a mesma visão para seu lado ser um paralelo do que aconteceu com Magneto no final de X-Men: First Class:

"Eu acho que você não pode ter momentos como esse em mente, embora eu pense que, até certo ponto quando penso nesses conflitos, eles são fundamentais para os X-Men. Quero dizer, eles são centrais para esse universo. A idéia de "Que ação você deve tomar face a opressão, discriminação e violência?" é uma constante em todo este universo. Eu acho que certamente queríamos fazer nossa própria versão disso. Então, quando penso nisso, quando Magneto faz isso, eles estão se juntando à sua Irmandade. Eles não chamam da Irmandade de Mutantes do Mal, mas todos sabemos o que é, certo? E "mal" é o nome. Em última análise, eles não são realmente dedicados a uma versão funcional da sociedade. Então, há um eco em relação a isso.

Mas acho que a diferença é - eu diria que há elementos disso em ambos os lados -  nossa versão disso é algo a mais, Polaris dá esse passo porque ama Eclipse e ela não quer colocar as pessoas que ela se preocupa com em perigo - e de certa forma ela ama Pássaro Trovejante, e ela realmente se importa com o Blink, e ela acabou de perder Sonhadora, que era uma boa amiga dela. Então, diante de tudo isso, ela está fazendo isso em nome do restante deles. Isso certamente é um elemento diferente se você olhar para o X-Men versus a Irmandade. Certamente, há uma relação entre Magneto e Charles, e isso é importante. Mas, não há um vínculo tão profundo, exceto ocasionalmente em algum tirinha de zoação, mas na maior parte, não existe um vínculo tão profundo entre os lados.



Sobre a situação entre a Resistência e o Clube do Inferno numa segunda temporada:

Ambos os lados estão em uma posição de construção. O Clube do Inferno é, no nosso universo, não é uma constante preocupação, é algo que eles estão tentando reconstruir. À sua maneira, tem mais dinheiro,  escritórios próprios e roupas melhores, mas o Clube do Inferno não está em melhor forma do que a Resistência Mutante. E assim, entrando na Segunda Temporada, ambos os lados precisarão redefinir sua relação com mutantes e com a sociedade e como funcionam. Quero dizer, os acontecimentos no final do seriado existem em um mundo onde derrubar um avião com um senador é um grande feito. Não é algo que acontece todos os dias. Tem repercussões nacionais. E o Pássaro Trovejante não está errado. Ele disse, basicamente: "Isso vai mudar tudo, e vai ser um saco", certo? Ele não usou essas palavras, exatamente ...

Mas então uma coisa na qual eu também penso muito na segunda temporada é, quando você pensa sobre os filmes, em geral, eles têm que definir, "Há dois lados. Há esse lado e tem esse lado. "Bem, nós, para essa primeira temporada de 13 episódios, já exploramos a ideia de que eles não estão exatamente em lados diferentes, o Clube do Inferno e da Resistência. Eles estão trabalhando com os mesmos objetivos e estão em uma posição em que eles precisam se juntar. Quero dizer, não há muito mais que eles poderiam fazer.

E então, considerando isso, eu gosto da idéia de que existem todos os tipos de maneiras de lidar com essa nova circunstância que todos se encontram, e nem todos concordam, e nem todos escolherão um dos lados que definimos no seriado. Explorando esses outros lados também. Eu acho que vai ser muito interessante. Haverá inimigos comuns, pessoas mais alinhadas com um lado do que outros. Haverá pessoas que são completamente egoístas em seus motivos. Todas essas coisas vão sair na segunda temporada, onde a situação dos mutantes ficou consideravelmente mais complicada.


Sobre Emma Dumont afirmar que gostaria de usar uma tiara como a Polaris nos quadrinhos em algum momento da série:

Eu ... apenas diria ... é algo que devemos esperar e ver.

Deixe-me colocar desta forma: uma das minhas coisas favoritas nesta série e uma das maiores vantagens dessa série, em geral, é encontrar maneiras de trazer aspectos dos quadrinhos e aspectos dos personagens que, se você " esteja familiarizado com os quadrinhos ou seja o que for" e encontre  novas maneiras de mostrá-las no seriado. Quando penso em elementos de fantasia para todos os personagens, há aspectos desses que eu adoraria trazer, mas precisamos encontrar nossa maneira de fazê-lo, porque isso não é um seriado de uniforme. Isso não faria qualquer sentido para as pessoas correrem em seus uniformes quando deveriam se esconder de todos.

Mas, ao mesmo tempo, se houvesse uma oportunidade de colocar os Xs nas roupas das pessoas em algum momento, isso seria super divertido. Estou servindo muito o meu leitor de quadrinhos neste show. Estou tentando ser fiel ao mais ao mesmo tempo entregando algo novo. Então, eu acho que isso seria legal? Sim, eu absolutamente acho que isso seria legal. E eu acho que se vamos fazer algo assim, vamos encontrar a nossa maneira de fazê-lo e não ser como "Ok, agora ela usa o uniforme". Como, vá às compras de roupas verdes Polaris, porque você terá muitas delas.


Coveiro

Produtor de The Gifted fala sobre os impactos do capítulo final e partes da franquia mutante que gostaria de usar no futuro

O último capítulo de The Gifted saiu ontem e foi um sucesso. Além de subir alguns pontos na audiência, deixou as expectativas lá em cima pra volta da série no próximo semestre. Aproveitando o momento, o site ComicBookResources conversou com o produtor principal da série, Matt Nix, sobre o impacto de algumas cenas do último episódio, o que esperar de alguns personagens daqui pra frente e até mesmo algumas possíveis franquias que ele quer mexer. Confira:


Sobre o que as mudanças de lado no final da temporada:

"A perspectiva de Andy é que o que ele está fazendo é o melhor pra família dele, a melhor coisa pro seu povo que o levou deli. É a mesma ideia para Polaris e até as Cuckoos. A escolha que Andy esta fazendo no final da temporada não é uma escolha alheia a sua família. É ele escolhem em prol da sua família e vendo por si só o contexto do que seus antepassados tem tentado por gerações. Certamente isso testará suas ligações, mas ainda há amor entre eles, que ainda é o que importa" disse Nix.

"Já a Lorna pode estar em conflito nessa decisão. "Eu acho que ela está muito em conflito, mas há um certo tipo de fatalismo de que ela uma hora ou outra iria ser forçada a confrontar seu parentesco. Em face disso, uma das coisas que eu conversei com Emma Dumont, que faz a Polaris, é sobre o fato de que ela achava que estava fazendo aquilo porque era uma necessidade e que nenhum outro faria. Polaris sabe que está cruzando uma linha em algum nível, mas ela não pode voltar atrás. Há dois grandes fatores nisso tudo. Ela está aceitando esses rumores de que essa tal pessoa de que tanto falam é seu pai. Todos esses dias resistindo a essa ideia e tentando se definir como outra coisa, pode parecer agora um esforço em vão Talvez ela ache que precisa se aceitar" falou o produtor.

"Por outro lado, olhando para a essência de bondade do Eclipse, que tem um passado obscuro mas entrou na Resistência Mutante querendo escapar disso. Ele fez muitas coisas ruins e quer ser uma pessoa melhor e realmente acredita na missão da Resistência Mutante. O que ela ama nele é ele tentando ser essa boa pessoa. Ela olha pra essas circunstâncias e se dá conta de que uma pessoa boa como ele não vai resolver o problema. Quem vai cruzar essa linha? Bem, não será o Pássaro Trovejante. Ele está muito atado a ideia de viver o legado dos X-Men e esse manto foi colocado em seus ombros. E não vai ser o Eclipse. Ele está muito determinado em fugir do que já foi. Ela então percebeu que ela tem o poder de fazer algo ali e que está disposta a isso. Ela disse "Tem que ser eu. Precisa ser eu". Então, ela está disposta a sacrificar-se pelas pessoas que ama. No final, ela está aceitando tudo isso em certo nível, é onde começa tudo pra ela".


Sobre o papel das Cuckoos:

"É tudo uma questão de ponto de vistas não batendo. Na jornada de Esme para resgatar suas irmãs, se você assistir de novo, verá que uma das coisas que prestamos muita atenção foi em demostrar que ela estava manipulando a Resistência Mutante para conseguir o que ela queria, mas em nenhum momento ela mentiu. Essencialmente, ela foi sincera em seus objetivos. Ela queria resgatar sua família. Da maneira que eu enxergo as irmãs Cuckoos/Frost é que em face ao perigo, com todos os mutantes em risco a certo ponto, elas não podem se dar ao luxo de serem muito abertas ou ter escrúpulos. Se for preciso um pouco de manipulação, um pouco de reinterpretação da verdade ou mesmo sacrificar uma delas próprias para servir a causa maior de proteger os mutantes, essas serão as circunstâncias e o tempo para usá-las. Elas não se desculpam por isso. Isso pode colocar elas em conflito com a Resistência mutante? Absolutamente, mas elas certamente não são o inimigo. Elas certamente teriam argumentos de sobra contra a Resistencia Mutante sobre o fato de que se eles fizessem o que elas dizem, seria melhor" colocou.


Sobre o lado da Resistência:

Todos eles, e os Struckers, estão olhando essa situação através da mesma perspectiva, que é: "Como eu protejo as pessoas que eu amo? Como eu protejo minha família literalmente ou a família que me adotou e as pessoas que me interessam? Certamente, para Passaro Trovejante, sua perspectiva é: "Nós fomos indicados pelos X-Men". Ele sente o peso da história. O que eu falei muito com Blair [Redford] é que, uma das coisas que pesa sobre os ombros dele é que a resistência dos nativos americanos era corajosa e era nobre, mas, em última instância, era uma batalha que era ruim para as tribos nativas na América do Norte. Ele ouvi isso e disse: "Eu não quero que minhas ações levem a uma segunda trilha de lágrimas para os mutantes". Ele sente o fardo dos X-Men sobre seus ombros e isso está obviamente relacionado ao seu irmão , que está fora de algum lugar - ele sente que essa é uma linha que ele nunca poderia atravessar. Ele sente alguma responsabilidade de tentar impedir que Polaris atravesse essa linha.

Eclipse seguiu mais ou menos isso Ele começou como um cara mau. Ele usou seus poderes de maneiras egoístas que prejudicaram pessoas. Ele sabe onde isso leva. Se você começar a decidir que os fins justificam os meios, ou que os fins malvados justificam bons meios, você vai acabar sendo um cara ruim muito rápido. Manter essa distinção não é algo que os seres humanos façam bem. Nem, homo superiores. Ele sabe que essa estrada é um desastre. E, para Polaris, a pessoa que ele mais ama no mundo, manter essa distinção será especialmente difícil para ela, porque ela é tão poderosa e flerta com aquele lado dela. Isso tem sido uma grande parte do relacionamento deles, mas ele quer protegê-la disso. No final da temporada, ele sente que ele tem que recuperá-la. Ele tem que salvá-la de si mesma.

Para Blink, ela também foi por essa direção. Ela vê o que Polaris está fazendo, alguém que está prestes a cometer os mesmos erros que ela fez. E, ela é alguém que sempre quis uma família. Ao longo da temporada, ela perdeu as pessoas que considerava mais próximas da família que já teve. Agora, ela está aqui com este novo grupo de pessoas e olha para a Resistência Mutante, e os inícios desse relacionamento com Pássaro Trovejante, como a única família que ela tem. Ela vai fazer qualquer coisa para manter isso. As Cuckoos são uma ameaça real para isso. Não é como se a reconstrução do Clube do Inferno tivesse como meta construiro uma família feliz. Eles estão construindo uma força para a guerra, e isso não é o que o Blink está procurando.


Sobre o uso de certas partes específicas da mitologia mutante:

"Uma das coisas que eu mais tenho amado fazer é essa maravilhosa parte dos Morlocks. Obviamente, nós já usamos alguns personagens, mas toda a mitologia ao redor dos Morlocks cabe nesse nosso mundo. E eu estou realmente interessado nisso. Para ser honesto, parte do que fazemos, mesmo com a junção das companhias (Disney e FOX), o que fazemos é bem afetado pelo que os filmes estão fazendo. Nós afinal temos que nos manter fora do caminho deles e são eles que dizem o que está fora ou não" disse Nix.

"Há outras coisas que eu etsou interessado também e procurando. Tipo, o X-Factor. Posso usar eles? Provavelmente, não. É um grande pedaço da mitologia dos X-Men, dado o que estão fazendo. Mas ao mesmo tempo estamos fazendo algo com o Clube do Inferno, não há um Clube do Inferno estabelecido do mesmo jeito que estava em X-Men: First Class. Eles estão aqui reconstruindo o Clube do Inferno. O clube do Inferno não está em condições melhores do que a Resistência Mutante, exceto pelo fato de eles terem dinheiro e escritórios legais" colocou.

"Quando penso em morlock, não é algo tão específico. Mesmo os filmes mexendo com eles recentemente, é uma parte tão flexível da mitologi dos X-Men. Já apareceram em tantas fases diferentes com diversas interações, que nós podemos explorar esse mundo sem pisar em certos terrenos" pontuou o produtor.

O último episódio desta primeira temporada de The Gifted foi ao ar essa semana. Nele, temos Stephen Moyer como Reed Strucker, Amy Acker como Caitlin Strucker, Sean Teale como Eclipse/Marcos Diaz, Jamie Chung como Blink/Clarice Fong, Coby Bell como Jace Turner, Emma Dumont como Polaris/Lorna Dane, Blair Redford como Pássaro Trovejante/John Proudstar, Natalie Alyn Lind como Lauren Strucker, Percy Hynes White como Andy Strucker e Skyler Samuels como as Irmãs Cuckoos. Pra quem quiser saber mais detalhes do capítulo final, veja nosso antigo anterior.

Coveiro

The Gifted fecha com subida de audiência, homenagem a Jack Kirby e lança teaser da segunda temporada

Essa semana a primeira temporada de The Gifted se encerrou e assim prometeu uma temporada ainda mais instigante com algumas reviravoltas inesperadas e uma potencial guerra de mais de um lado aí por vir. Teve direito a referência a Jack Kirby e um primeiro contato indireto com os X-Men, considerados aqui misteriosamente desaparecidos. Para quem tá curioso pra saber um pouco mais e não aguenta esperar o capítulo final duplo, segue um resumo dos principais pontos:



Para quem acompanhou os últimos episódios, sabe que Lorna Dane vem montando sua trajetória para seguir os caminhos do seu "sugerido pai" na série. Referências a seus problemas psicológicos foram citadas nos últimos episódios e tivemos as irmãs Cuckoos citando-a como a herdeira de um lugar por direito numa das cadeiras do Clube do Inferno. Com isso, Polaris fecha a primeira temporada na posição do "novo Magneto". Isso já era esperado. A surpresa maior fica em termos seu até então namorado, Eclipse, em contraposição sendo o favorito a Charles Xavier da Resistência Mutante.

O ponto de cisma entre os dois acontece no capítulo final, quando Eclipse implora para que Lorna não destrua o jato onde está Roderick Campbell, o criador do programa Farejadores e seu aliado anti-mutante, Senador Montez. As frases que marcam nesse momento é a de Marcos falando que "Nosso filho viverá neste mundo" em contradição a Polaris ressoando como seu antepassado e dizendo "É hora de fazer um novo mundo".



Sean Teale talvez não estivesse nos planos originais para tomar essa posição quando a série começou, mas certamente os produtores viram seu potencial não só como personagem mas também como ator (O Pássaro Trovejante de Blair Redford tem uma atuação sofrível demais para isso). Ele, junto com Amy Acker (Caitlin Stucker), é que parecem mais interessados em proteger e ensinar os mutantes ali do que torná-los soldados. Ao final, ele soa otimista dizendo que o fato de estarem vivos já é algo bom. É como uma das frases categoricas do Professor X dizendo que "o Mundo precisa de Sonhadores para ter uma alma".

É curioso que a série termine com os dois em oposição assim, quando outrora eram tão apaixonados. Certamente, renderá muita coisa pra história. Com o suposto fim da resistência mutante quando o quartel general deles é invadido pelos Farejadores, Lorna decide aceitar de vez seguir os passos de seu pai e se alia as Cuckoos, e por sua vez, entrando de vez no Clube do Inferno. Mais tarde, Lorna vai até os sobreviventes da Resistência estender a mão para o seu lado e com isso Fade, Sábia e Andy Strucker aceitam o convite e com isso temos um cisma dos novos irmãos Fenris.




Interessante é ver que a série fez questão de mostrar o primeiro contato mais próximo que da Lorna com os X-Men e como ela era uma das "escolhidas" pelo grupo que hoje em dia é tipo uma lenda urbana. Num flashback do começo do episódio duplo, somos apresentados a advogada de nome Evangeline Whedon, que na verdade esconde que é também uma mutante (nos quadrinhos conhecida como Vange, capaz de se transformar num dragão) que serve como uma representante discreta dos X-Men e que foi a que entrou em contato com a Lorna no passado para ela ser uma das cabeças da Resistência Mutante.

Obviamente, esse não é o fim da Resistência Mutante. Os irmãos Struckers tiveram que colocar abaixo o esconderijo em Atlanta para deter a invasão dos Farejadores, mas Pássaro Trovejante, Blink, Eclipse e os demais estão vivos e vão perdurar. Juntos, eles vão parar em outro lugar, mais precisamente numa estação abandonada em Nashville, Tennessee. No lugar, uma das placas tem escrito J. Kirby’s Feed Store. E é essa uma grande e evidente referência ao Rei Jack Kirby.



A série também joga no ar um nome que ficou para conhecermos na segunda temporada e que pode potencialmente estar ligado ao vindouro novo vilão que vem por aí. Quando Reed Strucker vai se informar mais sobre o trabalho do seu pai, sua mãe cita o nome da pesquisadora Madeline Risman. Ela, por si, não é ninguém nos quadrinhos, mas Matthew Risman é o nome de um líder dos Purificadores (que já apareceram na série). Provavelmente, a participação deles nessa segunda temporada deve aumentar.

E sim, uma guerra está para começar, só não sabemos de quantos lados estamos falando. O Teaser que já foi lançado na internet promete:



A série acabou crescendo seus números de audiência nesse capitulo final, o que é muito bom já que ela vinha perdendo semana a semana pontos. Teve 3,4 milhões de espectadores antenados e pontuação de 1.0 na demografico de 18-49, um aumento de 36 e 42% em relação ao penúltimo episódio lançado.

Agora, é esperar o retorno da série no segundo semestre. Devem retonar aí Stephen Moyer como Reed Strucker, Amy Acker como Caitlin Strucker, Sean Teale como Eclipse/Marcos Diaz, Jamie Chung como Blink/Clarice Fong, Coby Bell como Jace Turner, Emma Dumont como Polaris/Lorna Dane, Blair Redford como Pássaro Trovejante/John Proudstar, Natalie Alyn Lind como Lauren Strucker, Percy Hynes White como Andy Strucker e Skyler Samuels como as Irmãs Cuckoos.

Coveiro

Revelado qual será o Casamento Marvel do Ano?

* Atenção! Informações sobre revista inédita no Brasil!



Desde o final do ano passado, a Marvel vem promovendo um evento especial para Junho de 2018. Calma! Não se trata de nenhuma saga em especial ou coisa do tipo. Mas sim o que ela chama o Casamento do Século. Bom, exageros a parte, parece que a revelação de quem serão os felizardos chegou as bancas esta quarta feira. Confira:



A notícia pode não ser surpreendente pra quem acompanha a série X-Men Gold. Afinal, o casal favorito dos fãs, Kitty Pryde e Colossus, voltou a namorar por lá. Na edição dessa semana, na conclusão do arco "A Guerra na Zona Negativa", com todos finalmente voltando pra casa (e nosso universo), após as feridas serem curadas, Kitty Pryde faz a proposta pra Colossus.

Se ele vai aceitar? Esperamos que sim. Faz anos que os fãs querem ver isso se concretizar e a Marvel sempre colocou na geladeira, jogando os dois inclusives para outros relacionamentos pífios. Agora, parece que o escritor Marc Guggenheim, vai resolver esse "chove-mas-não-molha" de uma vez por todas.

Sendo assim, coloquem o terno ou vestido pra passar. Teremos festa no meio do ano!

Coveiro

Jon Bernthal e Ebon Moss-Bachrach fazem bate-papo com fãs em Comic Con do Arizona



Outros dois convidados que participaram este último final de semana da ACE Comic Con em Fênix, Arizona, foram Jon Bernthal (Frank Castle) e Ebon Moss-Bachrach (David Lieberman), do seriado do Justiceiro. O Painel deles foi nesse domingo e basicamente consistiu de uma série de perguntas e resposta com os fãs e o apresentador. Alguns pontos mais curioso resumimos a seguir:

Uma das perguntas mais curiosas feitas no painel foi que Defensor o ator Jon Bernthal gostaria de ver numa possível temporada do Justiceiro. "Vocês sabem, eu amo o Charlie Cox. Trabalhei com ele antes e trabalharia com ele de novo num piscar de olhos. Ele é a razão de eu estar fazendo isso aqui. Ele me trouxe pra isso e sua atuação nisso foi quem me fez querer fazer isso" disse o ator, mas há outro defensor que ele ficou curioso de encontrar também. "Dito isso, todos eles são ótimos. Mas sou um grande fã de Krysten também. Ela é matadora e eu amo o trabalho dela também".

Sobre a presença de Deborah Ann Woll na série, Bernthal e Moss Bachrach gostariam de ver mais da Karen na segunda temporada, dizendo que ela sofreu uma pequena mudança na série. "Eu sempre quis ver mais dela. Eu acho que o papel é fascinante, ela é uma grande atriz e é um grande personagem, uma mulher interessante" disse Moss Bachrach e Bernthal confirmou "Eu daria qualquer coisa pra ver ela de volta a série. Ela é demais. Ela é durona, feroz e super inteligente e e só faz as coisas ficarem melhor".

Bernthal também falou com que personagem dos cinemas ele gostaria de topar. "Eu amo o Tom Holland, entende o que eu digo? Ele é meu parceiro. Pra mim, não é sobre isso. Não tenho aspirações e desejo de fazer qualquer coisa alémdo que estou fazendo. Mas dito isso, há um ator e um personagem que eu tenho que prestar meu respeito no Universo Marvel e sem pensar duas vezes esse é o Tom. Ele é tanto uma boa pessoa quanto um grande ator, e ele faz todas as cenas de ação ele mesmo. Ele é um baita atleta. Ele tem uma família linda e eu tenho só elogios pra ele".

Vale lembrar que Bernthal e Holland atuaram juntos no drama Pilgrimage, que foi justamente na mesma época em que ambos fizeram testes pros seus respectivos papéis atuais na Marvel. Pelo que já falaram, Bernthal ajudou Holland nos seus ensaios lendo partes das fitas de testes do Homem-Aranha. Já Holland fez o mesmo numa cena de um jovem garoto numa fita que foi enviada pra audição do Justiceiro. Pelo visto, deu bastante certo pros dois.

Alguém da plateia lembrou e sentiu falta do cachorro que apareceu na segunda temporada do Demolidor, que o Justiceiro acaba "adotando" após lidar com seu dono. Muitos achavam que aquele poderia ser MAX, o cachorro do Justiceiro dos quadrinhos. "Eu fiquei muito triste com aquilo cara. Foi de lascar. Ele era um cachorro legal, também. Ele deveria aparecer no final daquele episódio, quando os policiais entrassem. Só que eles não conseguiam fazer o cachorro ficar parado esperando, eles simplemente não conseguiam fazer o cachorro obedecer. Daí, tiraram o cachorro. Eu achei que foi um erro, eu sinto falta daquele cachorro. É, foi mal" lamentou Bernthal.

Em dado momento da conversa, veio a história sobre como eram as cenas em que eles tinham que carregar um ao outro ferido nos ombros. "Eu fiz isso uma vez com o Jon" disse Moss-Bachrach rindo. "Ele teve que meio que pular em cima de mim. Ele supostamente estava varado de buracos de balas e eu sussurei baixinho 'você vai ter que pular em cima, cara".

E sim, a segunda temporada de Justiceiro já está garantida pela Netflix, mas só deve dar as caras em 2019.

Coveiro

Vingadores: Guerra Infinita ganha resenha nova e versão modificada do primeiro trailer


Ontem, Vingadores: Guerra Infinita ganhou uma nova sinopse oficial, que saiu um pouco depois de uma versão alternativa do primeiro trailer formatado especialmente para o público japonês. Nenhuma cena nova, apenas uma montagem diferente do mesmo. Confira:

"Numa jornada cinematográfica sem precedentes de dez anos de criação e abrangendo todo o Universo Cinematográfico Marvel, 'Os Vingadores: Guerra Infinita' traz para a tela o confronto final e mais mortal de todos os tempos. Os Vingadores e seus aliados super-Heróis devem estar dispostos a sacrificar tudo em uma tentativa de derrotar o poder de Thanos antes que seu desejo de devastação e ruína ponha fim ao universo".

O filme também ganhou uma versão alternativa (bem mal editada) do trailer em Japonês:


E eu já to aqui com abstinência de um novo trailer. Não dá pra liberar um clipezinho mais curto, não?

Anthony e Joe Russo dirigem o filme,  que é produzido por Kevin Feige. Louis D'Esposito, Victoria Alonso, Michael Grillo e Stan Lee são produtores executivos. Christopher Markus e Stephen McFeely escreveram o roteiro. E o filme chega aos cinemas de lá em 4 de Maio de 2018. No Brasil, será uma lançado uma semana antes, dia 26 de Abril.


Coveiro

Capitão América: Mentiras sob Mentiras

As ações irresponsáveis da SHIELD ao utilizar na surdina a proibida tecnologia do Cubo Cósmico colocou a vida de milhares em risco e ocasionaram em uma das maiores fugas em massa de vilões até hoje. Mas, se pudermos considerar um lado bom nessa história, foi a personificação humana do cubo cósmico restaurar a juventude de Steve Rogers. O Capitão América estava em plena forma mais uma vez e de volta ao que era antes. Ou assim achávamos.



Os eventos da duas primeiras edições que já resumimos aqui revelaram que de alguma forma o Cubo Cósmico liberou eventos do passado de Steve Rogers nunca antes vislumbrados. Remontando ao seu tempo de criança, vimos que sua mãe Sarah pode ter se envolvido com um braço diferente da HIDRA e as consequências disso pra hoje é que o nosso conhecido Capitão América pode não ter passado de uma farsa, de um agente da HIDRA que permaneceu dormente todo esse tempo e agora sua essência foi liberada por Kobik

Se é verdade ou mentira, as consequências disso já repercutiram nas primeiras histórias da vida de Steve, quando ele finalmente encontrou o Doutor Erik Selvig, responsável pela manipulação do Cubo Cósmico e acabou por empurrar para a morte o ex-companheiro Jack Flagg em nome da HIDRA. E com isso temos a edição #3 da nova revista, em que na realidade de hoje, o alterado Steve Rogers pinta um símbolo da HIDRA no peito e se curva para dar as notícias ao Caveira Vermelha, o HIDRA Supremo. Rogers então resume a história dos desfechos finais da missão em Bagália.



Após empurrar Jack Flagg para fora do avião, Steve se revela como um infiltrado para o Doutor Erik Selvig. O cientista, no entanto, mal tem tempo de suspirar aliviado, pois Rogers logo direciona o avião onde eles estavam para um prédio afim de acabar qualquer vestígio da missão. Supostamente, Selvig e o Barão Zemo deveriam ter morrido aí.

Já Jack Flagg foi encontrado quase sem vida por sua parceira Cathy Webster. Enquanto tentava salvar o amigo quase moribundo, acabou sendo abordada pelo Fogo Cruzado e outras vilãs com passe livre em Bagália. Mesmo ciente do indidente internacional que acarretaria, Sharon Carter decidiu descer a nave da SHIELD até o país criminoso pra resgatar os amigos. Acabou topando com o Treinador, nomedo uma espécie de Xerife do lugar e que já foi querendo punir os invasores do país. Rogers interferiu no exato momento em que ele feriu a Sharon e deu uma sova como nunca no mercenário copiador de movimentos.



A confusão já estava crescendo de mais em Bagália e mais vilões rodeavam o lugar. Para salvar os que estavam em terra, eis que Rick Jones, agora o Hacker conhecido como Sussurrante, saiu com a brilhante ideia de ameaçar todos os vilões em esvaziar os créditos de cassinos de todos em alguns instantes. Com isso, a bandidagem preferiu deixar de lado as intrigas com o Capitão América e sua trupe em prol de resgatar suas economias dos cassinos antes que sumissem.

Acabou que Jack Flagg sobreviveu a queda, pra desespero de Steve Rogers que não sabia que passo tomar bem a partir de agora. O Caveira Vermelha se irritou com a fraqueza e bondade ainda residual em Steve mesmo depois de despertado. Reclamou que ele estava fugindo do modus operandis da HIDRA ao preferir matar pessoas em último caso, poupando até o jovem que iria se sacrificar pela causa no trem.

E de fato, Steve realmente estava poupando pessoas, mais do que o Caveria imaginava. Erik Selvig não morreu no avião como imaginávamos. Ele agora é mantido em segredo por Rogers numa base particular. Aparentemente, o rejuvenescido Steve Rogers tinha seus próprios planos.

Nessa edição 3, também temos mais do passado de Steve Rogers e sua mãe. Um flashback com Sarah participando de um grupo comunitário revela que sua dedicação logo a fez se destacar na tal HIDRA da época. Contudo, Elisa Sinclair percebia que a moça continua apanhando do marido. Nas últimas páginas antes dessa edição acabar, descobrimo que - ao menos nessa realidade modificada - o pai eternamente embriagado de Steve Rogers foi assassinado pela HIDRA a mando de Elisa.



Mais um capítulo bacana desse novo quebra-cabeça que se monta numa realidade que custamos a encarar - um Capitão América fiel a HIDRA. Nick Spencer conduzindo muito bem a história com intrigas em cima de intrigas e uma descoberta a cada nova página. E Jesus Saiz se sobressaindo cada vez mais para um novato. E já na próxima edição temos o Tie In com a Guerra Civil II.

Coveiro

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Sequência do novo Homem-Aranha já tem data de lançamento e novos boatos surgem sobre o filme do Venom



A sequência de Homem-Aranha: De volta ao lar já tem data bem certa pra começar. O primeiro dia das gravações segundo o The Hashtag Show será 28 de Maio. Com isso, o filme terá mais de um ano pra ser produzido e sair no dia 5 de Julho de 2019. Outra novidade é que o filme contratou Matthew Lloyd, o cinegrafista principal da primeira temporada da série do Demolidor, pra o novo filme.

E parece que um novo boato gira por aí que Tom Holland pode estar sim no filme do Venom. A conversa saiu de um podcast do Collider essa semana e Jon Schnepp afirmou categoricamente que soube informações quentíssimas de que Tom Holland estará sim lá. "Vou disse isso aqui agora nesse programa, Homem-Aranha estará em Venom. Nós últimos meses, estivemos falando aqui sobre Venom, escutamos como a Sony quer manter as coisas em separado e tal. Que o Homem-Aranha está no Universo Cinematográfico da Marvel mas todo o restante dos personagem está num universo separado do Homem-Aranha". Mas será uma participação especial ou algo maior. "É como uma participação, é como sei lá o que. O que estou dizendo é que o Homem-Aranha, e eu estou falando do Homem-Aranha do Tom Holland, estará em Venom.

E enquanto isso, as gravações de Venom conntinuam a todo vapor. Nessa nova filmagem amadora, temos uma cena com Tom Hardy e Scott Haze atuando juntos:


As filmagens ainda estão acontecendo e o filme está previsto para 5 de Outubro de 2018. No cronograma, a pós-produção vai ser uma corrida daquelas pra fechar legal a tempo.

Coveiro

Revista da Dominó ganha seu artista regular e nova capa

* Atenção! Informações inéditas no Brasil e EUA!

A Marvel acabou de lançar mais uma capa da nova revista mensal dos mutantes, encabeçada pela Dominó. Junto com a imagem, temos o anúncio de um novo desenhista da mensal. E não, não é Greg Land como se achava antes pela capa anteriormente divulgada.



Trata-se de David Baldeon (de Espíritos de Vingança e Nova). David se junta Gail Simone na revista que começa a sair nas lojas em Abril. "Estou muito emocionado por fazer parte do time criativo da Domino! Eu sou fã do trabalho de Gail, e almejo trabalhar com ela há muito tempo. O fato de ser com uma personagem como a Domino é a cereja no topo do bolo! " disse Baldeon. "Ela é forte, ela é durona, ela é divertida e ela é emocionante, e espero que a arte traga tudo isso. Nós lhe demos um olhar novo e elegante que toca em todos os seus pontos fortes, sua história e quem ela é como personagem. Além disso, esta revista é um algo completamente diferente do meu estilo de trabalho anterior e, portanto, uma chance de entrar em novos estilos. Este vai ser um passeio emocionante! "

Já Gail Simone falou que "Desde que Marvel me pediu para escrever Domino, eu sabia que havia um elemento que me atraía muito, mas, por algum motivo, não conseguia achar a palavra exata. Era uma teimosia? Sarcasmo? Outros personagens também possuem essas características, mas com Domino, havia essa COISA que a representa, mas a palavra me escapou, e isso era vergonhoso. O maravilhoso editor Chris Robinson tinha alguém em mente para a revista e devemos abençoa-lo! Começamos imediatamente a fazer os esboços e desenhos com David Baldeon Gonzalez, e eu soube instantaneamente o conceito que eu estava tentando nomear, porque ele o puxou diretamente para seus olhos. É MALÍCIA. Domino tem uma sensação de malícia, de aposta de alto risco, mesmo nos momentos mais difíceis. Ela é letal e ela sabe que é isso.

"Isso realmente selou o negócio para mim", continuou Simone. "David era nosso cara e não podia estar mais feliz. Ele desenha pessoas lindas fazendo ações sujas, e é exatamente o passeio de montanha-russa que eu esperava. Ele está adicionando tanto coração e fogo. Eu apenas o amo."

É, estamos ansiosos pra ver você de volta a Marvel também, Gail!

Coveiro

Tom Holland, Jacob Batalon e Laura Harrier falam sobre referências e a experiência que tiveram com Homem-Aranha: De Volta ao Lar na Ace Comic Con



Parece que última convenção de quadrinhos do Arizona foi realmente agitada. Depois do trio dos filmes do Capitão América composto por Chris Evans, Sebastian Stan e Anthony Mackie, quem também teve seu próprio Painel foi o pessoal de Homem-Aranha: De volta ao lar. Participou dele os atores Tom Holland (Peter Parker), Jacob Batalon (Ned) e Laura Harrier (Liz Allen). Confira o video completo e alguns trechos transcritos em seguida:



Tom Holland foi um dos primeiros a falar, contando o quanto ama o personagem ao mesmo tempo que tem pavor de aracnídeos. Falou sobre os rigores do papel, e a vantagem de ele ser um ginásta e ter feito uso disso pra seus testes. O ator falou também do impacto que o personagem tem no público geral, que pode se relacionar com ele já que é alguém comum no dia a dia diferente de alguém como o Homem de Ferro, que é certamente um dos caras mais ricos do mundo.

Já na vez de Laura Harrier, eles lembraram da fabulosa cena em que Peter vai conhecer o pai da garota pela qual ele é apaixonado e tem aquele grande plot twist do filme. Jacob Batalon disse que uma das coisas mais marcantes de fazer o filme é ação comunitária que eles fazem nos interlúdios da gravações em hospitais. Parte da entrevista também foi para falar como eles são os "modelos" de uma geração e como isso tem paralelo com uma das grandes falas do personagem - Com Grandes Poderes vem Grandes Responsabilidades".

Uma das perguntas do painel foi qual o filme adolescente que marcou eles, já que a inspiração principal do filme notoriamente seria os filmes de John Hughes dos anos 80, um marco adolescente em sua época:

"É engraçado, porque eu realmente gostei de 'Não é Mais um Besteirol Americano'. E Chris Evans estava ridiculamente engraçado por alguma razão ali" disse Batalon. Harrier e Holland concordaram "Amo ele, ele é muito engraçado". Batalon complementou: "Dava uma sensação de filme dos anos 2000, era algo tão naquele tempo que não me fez querer ser um ator per si, mas definitivamente me fez querer ser tão legal quanto ele".

Harrier citou outro: "Eu amo 'Garotas Malvadas" e fez a plateia concordar. "Eu também amo o fato de que nosso filme não foi um Garotas Malvadas, e que Liz não foi uma Regina George. Mas sim, esse foi um grande filme da minha juventude". Holland concordou que também adorava Garotas Malvadas, mas foi mais abrangente na sua escolha. "Tem tantos, tanto. Mas o Homem-Aranha é unico da maneira que ele se move, não há nada igual a ele" falou o ator.

"Mas sim, temos os filmes de Ação. Os antigos James Bond, os filmes da franquia Missão Impossível, todas essas coisas que eu amo. Eu amo filmes de ação, e pra mim, filmes como "Curtindo a vida adoidado", "De volta para o futuro", esses são meus tipos de filmes, é o que queríamos fazer. E foi o que o diretor Jon Watts fez tão bem, estou muito satisfeito que nós conseguimos isso".

"Ele nos passou um monte de filmes antigos como inspiração. para assistir antes de começarmos a gravar - A Garota de Rosa Shocking , De volta ao futuro, o Clube dos Cinco, Curtindo a vida a doidado. Meu objetivo era tentar ser o Marty McFly de nossa geração. Esse foi meu objetivo durante todo o tempo, e eu realmente tive sorte de um dos jornalista dizer isso, 'Oh, você é tipo o Marty McFly nesse filme'.

No bate-papo, quando estavam conversando sobre trilha sonora do Pantera Negra e se ele gostaria que o Homem-Aranha tivesse uma própria, alguém na plateia se manifestou e soltou um "Umbrella", da Rihanna, a música que Tom interpretou na disputa de Lip Sync Battle que teve com Zendaya e o ator parece que hoje se arrependeu um pouco. "Eu amei fazer aquele Lip Sync Battle, mas eu hoje me envergonho muito" disse rindo embaraçado. "E Zendaya no Lip Sync Battle, qual é?". Batalon complementou "ela foi demais".

Outra curiosidade foi o ator falando que não sabe nada sobre Guerra Infinita e descreveu uma de suas cenas de luta. "Eu lembro de nos Vingadores, os irmãos Russo dizendo para eu ficar parado aqui, e descrevendo que eu estava lutando esse cara e o que quer que fosse e eu tipo 'Okay, com que eu estou lutando?'. E eles falavam 'Bem, não podemos dizer porque é um segredo'. E eu insitia 'Okay, mas como ele parece?' e eles retrucavam 'Bem, não podemos te falar porque senão vai entregar demais'. E eu tentei mais uma vez, e perguntei 'quão grande ele é?' e eles repetiram 'Não podemos te falar porque senão entregará demais'. Então, eu só fiquei lá socando o ar por 15 minutos. Quando peguei o papel eu não imaginava que fosse isso que eu iria ficar fazendo. Agora estou já acostumado".

E isso é que é confiança no garoto né? Mas temos pior. Temos o Mark Ruffalo. E os dois estarão juntos este ano em 26 de Abril quando finalmente Vingadores: Guerra Infinita chegar ao Brasil.

Coveiro

Andy Park fala sobre X-Men e Quarteto Fantástico no MCU


Como muito de vocês sabem, Andy Park é o artista que coordena a equipe de criação de concepts de grande parte dos filmes do MCU. Ele é um dos nomes mais importantes da produção desses filmes e já tem gente que perguntou pra ele, em entrevistas, se já está pensando no visual para as novas franquias que retornaram para Casa das Ideias: X-Men e Quarteto Fantástico. A resposta obtida não foi o que esperavam.

"Não há nada o que posso dizer ainda, além de 'wow'! Essa compra da Fox pela Disney no geral é - nenhum de nós esperava por isso e nós estamos maravilhados e empolgados, porque nós sempre sonhamos de termos os X-Men e o Quarteto Fantástico no MCU, mas no momento nada está decidido ou anunciado. Então, eu não tenho nada para expor, porque nem mesmo sei o que o futuro é. A única coisa que eu li... essas coisas vão levar em torno de 12 a 18 meses para alguma coisa acontecer."

"Se as pessoas esperam vê-los em um dos quatro próximos filmes, elas vão se desapontar," explica o artista. "Eu não sei! Eu amaria vê-los também, mas eu não tenho ideia de quando ele realmente podem aparecer, mas eu estou empolgado pelo futuro. Eu mal espero pra descobrir!"

Nós também, meu caro Andy! Só acredito que muito mais você, porque sua cabeça, nesse momento, deve estar fervilhando por possibilidades visuais e já querer botar a mão na massa para nos agraciar com mais uma grande leva de possibilidades visuais que você tem!

Se alguém tem algum dos livros de arte de algum dos filmes da MCU ou até mesmo o livro de arte do jogo God of War, sabe o que estou falando. O cara é um monstro na concepção de personagens e até mesmo de cenário. E se conhecem um pouco desse artista, sabe que ele também já foi artista de quadrinhos, fazendo umas edições pra Tomb Raider, pra Top Cow. 

Com relação a esse tempo de 12 a 18 meses pra acontecer algo, quem nos acompanha sabe que ele menciona sobre o tempo que ainda tem pra correr para o fechamento completo do processo de compra dos departamentos da FOX pela Disney. Então, vamos aguardar até o próximo ano para vermos o que ele e a Marvel Studios tem a nos mostrar sobre esse futuro grandioso.

Marcus Pedro

Marvel libera mais uma foto oficial de Homem-Formiga e a Vespa

Já vimos muitas fotos por aí tiradas por paparazzis em gravações externas, mas essa vai ser a primeira foto oficial do Homem-Formiga e da Vespa juntos, e com uniformes completos com capacetes vestidos e tudo. Foi publicada hoje a tarde, sendo a segunda liberada pela Marvel Studios. A primeira divulgada foi da Vespa, sem capacete, divulgada por Evangeline Lilly no final do ano passado.


Homem-Formiga e a Vespa traz de volta Paul Rudd (Scott Lang), Evageline Lilly (Hope Pym), Michael Peña (Luis), David Dastmalchian (Kurt), T.I (Dave), Judy Greer (Magy), Abby Ryder Fortson (Cassie) e Michael Douglas (Hank Pym). Já o novos nomes incluem Michelle Pfeiffer (Jane Van Dyne), Hannah John-Kamen (Fantasma), Walton Goggins (Sonny Burch), Randall Park (Jimmy Woo) e Laurence Fishburne (Dr. Bill Foster) formam o elenco de Homem-Formiga e Vespa, que chega aos cinemas em 5 de Julho de 2018.

Coveiro

Desenhista da Marvel Studios diz o que se deve esperar quando se fala em Skrulls nos cinemas

Quando se fala em concept art da Marvel Studios, não há outro nome a se lembrar antes de Andy Park. Desde 2010 como supervisor de desenvolvimento visual dos filmes dos heróis das Casa das Ideias, Park é peça chave nos conceitos visuais dos filmes. E o site Comic Book conseguiu ter alguns minutos com ele pra tentar arrancar mais sobre o filme da Capitã Marvel que vem aí em 2019 e principalmente o que esperar dos vilões, os Skrulls:



"Não posso falar sobre o que realmente fizemos, porque não tenho permissão para dizer, mas como fã dos Skrulls, quando se pensa em Skrulls, o que você imagina?" disse Park. "Você pensa em pele verde, orelhas pontudas, queixo estriado estridente e roupas roxas. Acho que é isso que eu gostaria de ver, sabe? Mas isso é como você pensa quando se imagina Skrulls".

O ComicBook insistiu com o artista se o material exibido ano passado no Hall H durante o painel da Marvel Studios na San Diego Comic-Con era a concepção final deles ou não. Park não confirmou:

"Eu gostaria de poder dizer mais coisas, mas tudo o que eu poderia dizer é que os Skrulls e a Capitã Marvel, eles estão em boas mãos e a Marvel, com seu histórico, Anna Boden e Ryan Fleck como diretores, Brie Larson como Capitã Marvel, vai ser bom ", disse Park. "Eu tenho trabalhado nisso durante o último meio ano, e é ... Estou totalmente animado. É incrível, e os artistas com quem estou trabalhando, são os melhores do ramo".

Capitã Marvel sai em Março de 2019 nos cinemas. Confirmados oficialmente, só temos até agora Brie Larson e Samuel Lee Jackson no elenco. Acredita-se que Jude Law, Ben Mendelsohn e DeWanda Wise também estarão no filme.

Coveiro

Chris Hemsworth fala sobre o sucesso de Thor Ragnarok e da grandiosidade do vindouro Vingadores: Guerra Infinita


Fechando sua temporada nos cinemas com praticamente 850 milhões de bilheteria mundial, Thor: Ragnarok não só tornou mais um sucesso da Marvel Studios nos cinemas como também colocou o filme dentro de um patamar de qualidade já há muito tempo almejado pelos fãs. E em entrevista o site PostMedia Network e republicada na integra pelo Toronto Sun, o ator Chris Hemsworth conta a surpresa que foi a resposta do público ao filme, como ele fez lobby pro filme aumentar a sua veia de comédia e ainda deu um gostinho de como serão as coisas em Vingadores: Guerra Infinita

"Eu queria trabalhar tão duro e sabia que tínhamos deixado tudo em ordem, então eu tive um sentimento positivo sobre essa pegada de como fazer o filme. Tinha tanta boa vontade envolvida ali e todo mundo querendo tentar algo diferente e assumir os riscos. Então, há sim um grande senso de orgulho que Taika e eu sentimos nisso. O elenco e equipe de produção todos sentiram que nós fomos muito bem e atravessamos os limites. Então, não importasse o que fosse dar, eu me senti feliz em fazer o que fizemos" disse Hemsworth ao PostMedia Network. Contudo, é claro que ele se surpreendeu com o resultado positivo: "Mas claro que nós ficamos surpresos e felizes e até animados com a resposta. Nós todos queríamos que isso acontecesse e sentimos que isso era algo que poderia acontecer mais do que nunca antes e quando fizemos, foi incrível".

O ator disse que boa parte da nova direção que Thor tomou, sendo mais descontraído e divertido tem um dedo dele. Ele já tinha comentado antes que estava um pouco de saco cheio do papel daquele jeito, então ele meio que fez campanha pra Marvel injetar mais humor nesse canto da franquia do UCM. "É mais algo imprevisível e tenho um grande orgulho do que nós fizemos, porque queríamos algo diferente e fizemos, e as pessoas responderam a isso. Eu já fiz o Saturday Night Live, eu fiz o filme Férias Frustadas, eu fiz Caça-Fantasmas, e foi divertido fazer esse tipo de humor improvisado. E então pensei, "Céus, poderíamos fazer mais disso em Thor" e graças a deus, os caras da Marvel disseram que "sim, podemos" e foi o que fizemos.

Já sobre Vingadores: Guerra Infinita, o ator de 34 anos definiu como "Vai ser algo grandioso. Eu terminei de gravar literalmente dois dias atrás e eu olhei pros diretores Joe e Anthony e disse 'Eu não sei como vocês dois conseguiram ir tão longe e não sei como vocês vão conseguir juntar tudo isso e completar essa coisa, mas tenho que tirar o chapéu pra vocês". Isso vai ser uma das maiores coisas na história dos cinemas e ser parte disso é apenas incrível. Eu acho que o que esses personagens estão pra encarar com Thanos".

O ator também falou sobre a dinâmica com tantos personagens juntos: "Não há nada parecido com isso. Há 76 personagens escalados ou algo assim. Eu acho que as pessoas ficarão tão excitadas com isso assim como eu fiquei ao ver o Thor encontrando os Guardiões e o Homem de Ferro encontrando o Doutor Estranho. As interações com todos esses personagens e os diferentes tipos de quimica e relações que são formadas é algo ue as pessoas ficarão bem animadas de ver".

E pra fechar, agora conversando com o USA Today, Chris Hemsworth confirmou que com Vingadores 4 se encerra seu contrato com a Marvel. "Contratualmente, agora, sim. Está acabado. Eu não preciso mais fazer o personagem de novo" disse ele, mas já sabemos que o ator anda conversando com Taika sobre um quarto filme. Ainda assim, passar quase 10 com o personagem é algo grande em sua vida. "É um pensamento assustador. Isso parecia algo que nunca fosse acabar. Mas agora está potencialmente encerrado" disse e concluiu "EU sinto que o reinventamos. Há agora uma grande plataforma para continuar com ele se quisermos".

Pra quem quiser ver de novo o terceiro filme do Deus do Trovão, é questão de aguardar até 6 de Março quando ele deve ser lançado em Blu-Ray repleto de extras. Já Chris Hemsworth dará as caras de novo nos cinemas em Vingadores: Guerra Infinita.

Coveiro

Designer de Figurino fala sobre suas inspirações no filme do Pantera Negra

Uma das coisas que certamente vai mais nos impressionar no filme do Pantera Negra é a parte visual. E para tal, o filme contou com a designer de figurino Ruth Carter (Do the Right Thing, Malcolm X e Selma), que recentemente foi o foco de uma matéria do The Hollywood Reporter revelando suas inspirações para fazer mais de 700 roupas misturando futurismo, adereços nativos e alta moda.


Para esse trabalho, Ruth Carter disse ter trabalhado com cinco ilustradores, 14 designers e modeladores, além de pintores de tecido e joalheiros para imaginar como se vestem os cidadãos de Wakanda. Para tal, ela andou conversando com um mestre em designer Issey Miyake, com Yves Saint Laurent que é especializada em peças vintage de estilo africano e Donna karan, que usa moldes de cerâmica com imagens de vestimentas africanas de povoados do Maasai, Tuareg, Turkana, Xhosa, Zulu, Suri e Dinka, além do usar de exemplos abstratos de cortinas, bordados, piercings e artes corporais.

"Não é questão apenas de acertar um só personagem. é questão de acertar um monte em apenas um personagem" disse Carter. No caso da personagem de Lupita Nyong'o, as roupas tem tons de verde, e ela veste isso apenas uma vez". A atriz comentou que "Ruth, Coogler e eu queríamos que Nakia parecesse mais elevada e realista em seu trabalho como espiã e cada uma de suas roupas reflete isso. Nem a estética e nem a funcionalidade foram comprometidas nisso".

Já as personagens Okoye e Ayo (Danai Gurira e Florence Kasumba) são parte da Dora Milaje, usando uma espécie de armadura mais colorida lembrando joias. Foi explorado lugares em Gana e África do Sul em busca de artefatos reais, tecidos e joias para usarem como protótipos dos acessórios dessas mulheres, com Carter tendo que fazer alguns colares Nbebele de borracha pra segurança das atrizes.




Zuri (Forrester Whitaker) é o líder espiritual de Wakanda e guardião das ervas místicas que dão ao pantera seus poderes. Ele usa uns mantos roxos e microplessado. Já Ramonda (Angela Basset), Mãe de T'Challa e Shuri, usa uma roupa com uma inspiração mais distante dos demais. "Eu uso algo que foi inspierado na tribo Dogon da Africa, que será usado para definir tudo dos Jabari" disse a atriz.

Carter complementou: "Os Jabari vestem essas fenomenais skrirts de grama que o Ryan Google se apaixonou e quis usar. Eu tenho um video dela chegando a uma festa de aniversário na África do Sul vestindo essa tradicional oupa de uma cerimonialista Zulu e esse chapéu que é tão bonito". Ryan Coogler disse ainda que a vestimenta de Ramonda apesar de ser inspirada em uma tribo específica é um visual criado inteiramente único".

É, o filme tem tudo pra ser fabuloso mesmo. Será que não ganha um oscar de figurino em 2019?

Coveiro

Fabulosos Vingadores: Pym Ilimitado

Durante as Guerras Secretas, uma excelente Graphic Novel feita por Rick Remender e Jerome Opeña deu um destino final a eterna luta entre Hank Pym e sua criação Ultron. Os dois se uniram em uma só criatura, e para afastar o perigo imediato, o titã Eros usou seu poder para dar aquele novo ser a capacidade de se amar. Confuso e em agonia, Ultron-Pym se refugiou no espaço distante e nunca mais o vimos. Sequer sabíamos direito se poderíamos e onde deveríamos colocar essa Graphic Novel na cronologia oficial. Gerry Duggan e Pepe Larraz ajudaram nisso no próximo arco dos Fabulosos Vingadores.

A história começa imediatamente após os eventos de Vertentes. Vampira foi atrás do Gambit, o verdadeiro, para tirar sua dúvida. Com isso, estragou seu roubo, mas saiu de lá com a verdade - o Caveira Vermelha a enganou dias atrás em Bangália se passando pelo seu ex-namorado. Sobrou apenas ao Cajun arriscar uma cantada pra ex-amante e jogar um verde para quem sabe também ser escalado nos Vingadores - recebeu duas negativas.

Antes de voltar para a base, Vampira foi convocada para ajudar num problema com uma capsula espacial caindo na Terra. Ela partiu a toda velocidade, mas foi atravessada por outro que surgiu repentinamente para salvar o dia. Para surpresa dela e de muitos, era Hank Pym o salvador. Um Hank Pym com umas piadas um tanto esnobes, vale ressaltar. Usava o Ultron como uma espécie de armadura, mas garantiu a mutante que tinha pleno controle sobre ele agora. Vampira disse que estava feliz, e sugeriu que ambos encontrassem Steve Rogers antes de qualquer outra coisa.



Steve Rogers, agora mais uma vez o rejuvenescido Capitão América, porém não o mesmo (como vocês já devem saber) estava junto com Deadpool lutando contra extremistas na reserva ambiental de Los Angeles. Logo recebeu o sinal de alerta de Vampira, e viu a moça chegar para sua surpresa com Hank Pym ao seu lado. Minutos depois, também chegavam o restante do time - Sinapse, Mercúrio, Cable, Tocha Humana e Irmão Vodu.  De cara, Cable sugeriu uma análise profunda do traje que Hank Pym usava, mas esse se negou, e aproveitou a situação para negar a "estirpe" desses Vingadores que Steve Rogers juntava. Quando o Capitão insistiu para ele tirar o traje, Pym revelou que ele e Ultron eram agora inseparáveis já que metade de seu corpo humano não mais existia.


Daí, sem esperar os demais se acostumarem com a revelação, Pym partiu e disse que os encontrariam na mansão. Vampira foi atrás dele e os demais seguiram para o velho teatro onde era a nova sede da equipe. Em dúvida se deveriam confiar se aquele era mesmo Pym ou não, restou a Steve dar a notícia complicada para a pessoal mais envolvida nessa história - Janet Van Dyne, a Vespa.

Enquanto isso, Pym e Vampira chegaram a antiga Mansão e Pym pareceu bem indignado de ela ter virado um hotel-atração para turistas. Em seguida, Hank pediu para ver o memorial erguido em seu nome e quando encontrou-o no Jardim, lançou um raio e o explodiu Ele reclamou que não estava mais morto e que nenhum dos Vingadores se importou em querer verificar se ele ainda estaria vivo no espaço. Após explodiu a estátua se desculpou pelo momento de euforia e partiu com a mutante ao céus comemorando estar vivo outra vez.


Na história que segue, vemos Hank Pym ajudando os Vingadores como se fosse um membro oficial contra criaturas demoníacas que invadiram o metrô. As duas últimas criaturas foram abatidas pela Vespa, que chegou lá de surpresa e recebeu um abraço acalorado de Pym. Dali, a heroína convocou o marido para uma conversa e voaram pra longe. Pym se lamentava da falta de confiança do resto do grupo com ele, sempre o olhando de lado e até com drones de vigilância o perseguindo. Após um papo esticado, Janet partiu e foi encontrar-se com Steve Rogers alguns arranha-céus longe dali. A moça tinha certeza agora que aquilo não era seu ex-marido, Hank não reconhecia referências e caiu em falsas afirmações feita pela heroína. Janet exigia que eles atacassem agora, mas Rogers ainda relutava.

De volta ao teatro, Hank interrompeu a conversa entre Johnny Storm, Deadpool e Cable. Pym reclamava que alguns ali sempre mantinham a esperança de que Reed estava vivo quando os seus pares se esqueceram de checar se ele estava mesmo morto na última aventura. Considerava uma ingratidão da parte da equipe que ele ajudou a fundar. Cable, ao receber uma mensagem de Rogers dizendo que Janet desconfiava de Pym, começou a instigar o temperamento do sujeito. Provocou-o falando que ele era inteligente, mas tornou-se obsoleto com outros gênios presentes se destacando. A provocação era o que precisava para o ex-Vingador perder o controle e revelar que quem estava sob controle era realmente Ultron.

Com isso, parte do teatro foi realmente pelos ares. O Capitão e a Vespa chegaram minutos depois, e Janet usou um mecanismo que soltava um PEM para neutralizar temporariamente Pym. Deadpool a pedido de Janet atirou em Ultron-Pym, mas optou por só raspar sua orelha e dar um tiro de alerta. Pym respondeu atravessando-o com uma garra de metal. Em seguida, foi surpreendido por um soco do Visão, que saiu de debaixo da Terra para pegar Ultron de jeito. Ultron insistia em dizer que eles eram ao mesmo tempo Ultron e Hank Pym, e daí agarrou o Visão e arrastou para longe dali as tapas.



Steve Rogers deu sinal de alerta pra todos os heróis, dando início a um tal projeto Ícaro. Janet foi atrás do Visão para ajudá-lo com um novo disparo de PEM. Todavia, Cable precisava daquele mesmo disparo na base, pois Deadpool estava infectado com uma espécie de virus eletrônico que se espalhava pelo seu corpo. Vampira e Mercúrio se juntaram ao Visão na briga com Ultron. Pietro foi quem conseguiu arrastar o vilão até perto da base como Cable pediu, mas isso lhe custou logo em seguida uma perna quebrada. 

Ultron-Pym bradava que os heróis revelaram a verdade, que odiavam tanto Pym quanto Ultron. Então, Janet acionou mais um PEM, o que abalou o vilão mais uma vez, mas foi fundamental para interromper a evolução do vírus sob o corpo do Deadpool. Em seguida, Cable fez uma cirurgia telecinética para expulsar o invasor tecnológico do corpo do Mercenário Tagarela. Com Ultron Pym no chão, os Vingadores estavam ainda em dúvida se estavam ali na frente do amigo ou do vilão apenas. Capitão decidiu separar os dois fisicamente com seu escudo, mas logo o meio-robô e meio-humano despertou e jogou o Capitão longe.

Os heróis se preparavam para nova investida do vilão, quando parte do projeto ícaro aconteceu. A armadura caça-hulk caiu dos céus e partiu com tudo pra cima do Ultron. Pra surpresa do vilão, Stark não a pilotava, estava oca por dentro e agora prendeu Ultron dentro dela, alçando vôo nos ares. A armadura-prisão ganhou o espaço e encontrou uma nave com os demais Vingadores o aguardando. O Irmão Vodu tentou um último contato com a parte humana de Hank, mas foi assombrado por uma verdade. Enquanto estava no espaço, Ultron-Pym aniquilou várias raças alienígenas e usou o nome dos Vingadores da Terra pra serem lembrados pelos sobreviventes. Assim, o vilão não só manchou o nome d'Os Mais Poderosos Heróis da Terra como também criou algumas raças como inimigos para no futuro se vingarem do grupo.



Então, Ultron conseguiu sair de dentro da Caça-Hulk, destruiu o mecanismo de PEM de Janet e forçou a equipe de Vingadores a ter que abandonar a nave nos módulos de fuga. a nave estava muito avariada pra garantir a fuga de todos e eles se juntaram ao menos para deter o vilão no deque principal. Ali no final, ficaram apenas Ultron e Visão. Na briga final, Ultron admitiu que havia matado Pym, mas antes de ser abandonado suplicou como se fosse ele ainda. No fim, acabou de fato jogado ao sol como era o protocolo do projeto ícaro.

Os heróis se salvaram, é claro.  A Capitã Marvel surgiu logo atrás com uma nave e garantiu a equipe uma fuga nos últimos instantes. Vodu os teleportou para longe enquanto observavam a outra nave ser consumida pelo sol. Nem todos ali, no entanto, tinham certeza se fizeram o certo.



A última cena mostra Pym e Ultron dialogando antes de serem consumidos pelo sol. Foi Hank quem acabou tendo a ideia de como sobreviver. Usou seus poderes para se reduzir a um átomo e assim sobreviver dentro de um neutrino. Em algum momento, aquele atomo se desprenderia do sol e aí eles voltariam.



Já li muitas histórias do Ultron com os Vingadores. Elas costumam girar nos extremos de muito boas a ruins. E o que tinham feito na Graphic Novel dois anos atrás era algo num patamar bem alto. Qualquer um que pegasse dali, teria que fazer um bom trabalho. É curioso ver que um novato como Gerry Duggan assumiu esse risco e fez só acertos aqui. O complexo de édipo em que o Ultron foi criado assumiu um novo patamar e deu outras possibilidades de trabalhar o personagem e suas similaridades com seu criador, Hank Pym. Essa eterna dúvida se eles são um só ou se sempre foram muito iguais acabou dando uma boa trama e a possibilidade de explorá-la muito mais em futuras histórias.

Coveiro

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Parece que as animações da Marvel estão chegando ao fim


Parece que as animações da Marvel estão chegando a um fim e será para serem completamente reformuladas.

Segundo o site Spoiler tv, a Disney não anda muito satisfeita com o direcionamento das atuais produções de animação para TV da divisão de animações da Marvel. E como resposta a isso, ela já tratou de dispensar praticamente toda a equipe que estavam por trás das produções do novo desenho do Aranha, Vingadores e Guardiões da Galáxia. Lembrando que todos esses três projetos são voltados para o público infantil, porém, não deixam de lado o fan service dos quadrinhos, que passam no canal Disney XD.




Todos esses projetos, que vão sofrer um hiato, terão os projetos finalizados em alguns meses, antes das equipes serem completamente dispensadas. Tudo indica que a Disney está pensando em novas ideias pra substituir esses projetos, mas até o momento não se tem ideia do que poderá vir. Até o momento presente da montagem da matéria, um representante da divisão não se pronunciou pra dar mais explicações sobre isso. O que nos resta aguardar para termos mais informações a respeito. 

Vou deixar o debate para vocês opinarem sobre essa situação das animações da Marvel.

Marcus Pedro

Posteres do Pantera Negra criados por fã fazem sucesso na internet

Eles não são oficiais, mas estão circulando por aí fazendo mais sucesso que muitos posteres liberados pela Marvel. O designer que usa o nome Dettrick Maddox se deu a liberdade de reformular algumas artes já liberadas por aí pro filme do Pantera Negra e resolveu criar versões dele com um destaque especial pro continente africano. Confira:









Com direção de Ryan Coogler, o filme do Pantera Negra conta Chadwick Boseman (T'Challa), Lupita Nyong’o (Nakia), Michael B. Jordan (Erik Killmonger), Danai Gurira (Okoye), Forest Whitaker (Zuri), Daniel Kaluuya (W’Kabi), Winston Duke (M’Baku), Letitia Wright (Shuri), Andy Serkis (Ulysses Klaue) e Martin Freeman (Everett Ross). O lançamento é 15 de Fevereiro de 2018.

Coveiro

Novos pôsteres dos Fugitivos trazem o ORGULHO em destaque

Sucesso de público e crítica e com a segunda temporada já garantida, os Fugitivos ganham novos posters. Só que dessa vez, quem se destacam são os pais. Confira:








E temos algumas fotos de bastidores que achamos por aí:






Produzida pela Marvel Television e ABC Signature, Fugitivos conta no elenco com Rhenzy Feliz como Alex Wilder, Lyrica Okano como Nico Minoru, Virginia Gardner como Karolina Dean, Ariela Barer como Gert Yorkes, Gregg Sulkin como Chase Stein e Allegra Acosta como Molly Hernandez. Ao lado deles, temos os pais dessa garotada que serão vividos por Ryan Sands, Angel Parker, James Yaegashi, Kevin Weisman, Brigid Brannagh, Annie Wersching, Kip Pardue, James Marsters e Ever Carradine.

No Brasil, a série vai chegar via o canal Sony em fevereiro. Avisaremos quando mais detalhes forem repassados.

Coveiro