CAPITÃ MARVEL NOS CINEMAS

CHEGANDO AOS CINEMAS EM MARÇO DE 2019

O MISTERIOSO VINGADORES 4 VEM AÍ

FIQUE POR DENTRO DO FILME QUE CULMINARÁ OS 10 ANOS DA MARVEL STUDIOS NOS CINEMAS

DEMOLIDOR

O Homem sem Medo voltou!

HOMEM-FORMIGA E A VESPA NOS CINEMAS

PODCAST SOBRE O ÚLTIMO FILME DO ANO DA MARVEL STUDIOS

INFINITY WARS

A ÚLTIMA SAGA DA MARVEL QUE ESTÁ SAINDO NOS EUA

LUKE CAGE

PODCAST SOBRE A SEGUNDA TEMPORADA NO NETFLIX

JESSICA JONES

A SEGUNDA TEMPORADA DE JESSICA JONES NO INOMINATA 616!

NÓS SOMOS VENOM

TUDO SOBRE O SPINOFF DA SONY

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

G. W. Wilson deixa as histórias da Ms Marvel e nova fase começa em Março de 2019

G. Willow Wilson está deixando as histórias da Miss Marvel. É isso mesmo! Depois de anos desde que criou a personagem, ela passará o bastão para outro - Saladin Ahmed, um roteirista que só vem crescendo e assumindo mais responsabilidades na editora depois dos trabalhos de sucesso em Exiles e Raio Negro. E com essa mudança, a revista recomeça com novo título em Março, The Magnificent Ms Marvel, desenhada por Minkyu Jung.



A notícia foi dada hoje em primeira mão pela Entertainment Weekly, que conversou com Saladin sobre sua proposta para a personagem. "Eu acho que ele á realmente o rosto de tudo que é novo e empolgante e a cara do século 21 da Marvel e dos super-heróis de uma maneira geral. Tomar a liderança disto é pra mim uma grande coisa. Eu sempre fico arrepiado de tomar essas responsabilidade de cuidar de uma personagem tão amada" revelou Saladin.

O novo roteirista também pareceu emocionando ao falar da antiga escritora e disse que "É particularmente muito significativo para mim tomar o lugar da Willow. Ela é uma escritora incrível e é uma amiga. Eu só estive nos quadrinhos por alguns anos, eu venho da ficção e poesia e coisas assim, e Willow tem sido uma das pessoas que me ajudaram a descobrir este ofício e negócios. Ela é minha irmã e é muito legal estar tomando o bastão dela. Há algo significativo lá".

"Comecei a ter essa conversa com Sana sobre a possibilidade de trazer alguém para a empresa há cerca de um ano. Nós planejamos até o final deste ano, o que me levaria a cinco anos na revista. Isso esta partindo de um projeto que inicialmente previmos que teria apenas cerca de 10 edições, e deixarei o título tendo escrito 60" disse G. W. Willow.

A antiga roteirista por outro lado justificou sua saida ao falar que “Parece tão incrível que essa personagem, que seria um projeto divertido para nós duas, influenciados pelas próprias experiências de Sana, se tornou um fenômeno cultural que sobreviveria a ambas. Tendo isso como verdade, eu realmente queria estar condizente com o fato de que os super-heróis prosperam com uma multiplicidade de vozes contando suas histórias. E eu queria sair enquanto estou com a nota alta".

Saladin Ahmed antecipou também que "Sem entregar muita coisa, haverá uma grande variedade de pinturas de perspectivas da Marvel acontecendo neste quadrinho, mantendo o tom íntimo que as pessoas adoraram. Eu acho que Kamala ganhou seu superlativo. Ela está aqui há alguns anos e é magnífica. Nós meio que queríamos anunciar que esse será o upgrade de nível dela - como ela provavelmente diria".

“Acho que as pessoas ficarão agradavelmente surpresas com a mudança do tom na arte. Todos os artistas que trabalharam na Ms. Marvel têm sido estelares, então não é nada que precise mudar, mas há um tom diferente quando entramos nesse novo número um, e a arte reflete isso. Não é "Ms. Marvel" mais obscura, mas será mais sombria e mais atmosférica" disse Ahmed.

A nova fase da personagem com a nova equipe criativa começa em Março.

Coveiro

Sony quer patentear a tecnologia inovadora usada em Homem-Aranha: No Aranhaverso

A Sony não está de brincadeira nas apostas que está fazendo com Homem-Aranha: No Aranhaverso. O filme animado que estreou ontem nos EUA só é elogios e a inventividade gráfica que rendeu o produto final que vimos nos cinemas pode acabar sendo patenteada pela Sony Pictures Animation. O Deadline descobriu isso e publicou detalhes em seu artigo.



Por motivos óbvios, a Sony se recusou a dar detalhes sobre a aplicação da Patente, mas o Deadline correu atrás e descobriu o que está querendo patentear da técnica:

- Tecnologias exclusivas de renderização e composição que podem modificar artisticamente o sombreamento suave de uma superfície por meio de “quantização estilizada”. Essas tecnologias podem adicionar controles padronizados específicos sobre a quebra de luz e também integrar pontos de meio tom e linhas tracejadas (chamadas “Screentones”).

- Software de linha de tinta que permite a um artista desenhar na superfície do personagem de uma forma que é liberada da geometria subjacente e mais semelhante a técnicas de ilustração. As linhas desenhadas à mão das faces dos personagens são convertidas em geometria e depois ajustadas para controle de animação.

- também inclui o componente de aprendizado de máquina do processo da animação Spider-Verse, que agiliza o processo como uma função automatizada que prevê a posição das linhas no próximo quadro. As linhas extrapoladas simplificam o processo e dão aos animadores uma vantagem para o ajuste fino das linhas.

- A técnica de “abstrações estilizadas da realidade” construídas com ferramentas de sombreamento que criam a ilusão de profundidade em uma superfície plana, a emulação de volumes interiores de edifícios e reflexões gráficas ilustradas.

- ferramentas de iluminação amigáveis ao artista que iluminam interativamente grandes seções de edifícios, mantendo sombras nítidas e duras.

Deixando esse "tecnês" a parte, o que é fato é que a olhos vistos há coisas a mais aí nessa animação que é incomum de se ver em desenhos do tipo feito por outras empresas. É diferente, e é bonito. Essa inovação, no entanto, contou com três diretores - Bob Persichetti, Peter Ramsey e Rodney Rothman - debruçados sobre o desenho por 3 longos anos até tudo ficar pronto. Como relataram antes ao Deadline, o desafio era realmente trazer algo novo e de ponta a tudo que se sabia de animação até então.

Não sabemos se o escritório de U.S Patents and Trademark vai aceitar ou não o pedido da Sony, mas é fato que o desenho já vem recebendo todos os devidos méritos e sendo nomeado - e com potencial para vencedor - por muitas premiações americanas.

Coveiro

Novo video da Industrial Light and Magic revela os bastidores da batalha de Wakanda em Vingadores: Guerra Infinita



Não! A gente não se cansa de ver e rever essa coisa linda que é ver os efeitos especiais da Marvel Studios. E hoje a Industrial Light and Magic, que tem andado desde o começo com a Marvel no primeiro Homem de Ferro de 2008 lançou um video com um trechinho do 'Making off' da batalha de Wakanda em Vingadores: Guerra Infinita. Espia só:



É mesmo impressionante!

Vingadores: Guerra Infinita totalizou nas bilheterias 2,047 bilhões de dólares e conseguiu reunir o maior elenco de um filme de super-heroís até hoje - Robert Downey Jr., Chris Evans, Chris Hemsworth, Mark Ruffalo, Scarlett Johansson, Benedict Cumberbatch, Chris Pratt, Chadwick Boseman, Tom Holland, Zoe Saldana, Jon Favreau, Gwyneth Paltrow, Danai Gurira, Karen Gillan, Don Cheadle, Dave Bautista,  Anthony Mackie,  Elizabeth Olsen, Paul Bettany, Letitia Wright, Wiston Duke, Sebastian Stan, Pom Klementieff, Benedict Wong e Peter Dinklage. O filme também conta com as vozes de Vin Diesel, Bradley Cooper, Kerry Condon, Tom Vaughan-Lawlor, Michael James Shaw e Carrie Coon. Na captura de movimentos temos Sean Gunn como Rocket e Terry Notary como Cull Obdisian.  Obviamente, se espera que esse número de atores seja superado ainda mais em Vingadores: Ultimato.


Coveiro

Campeões apresentará um novo jovem herói indiano a partir da edição #3



Jim Zub é quem tomará conta a partir de agora da nova gerações de Campeões, depois de Mark Waid deixar o título após alguns anos. A ideia é que eles se tornem maiores e muito mais. Para isso, o número de membros aumentou. Dos originais, temos Homem-Aranha, Cho, Miss Marvel, Nova e Viv. Juntaram-se a eles a Coração de Ferro, a nova Vespa e uma nova heróina inédita no Brasil chamada Snowguard. Mas não parou por aí. Jim Zub adicionará na edição #1 de Janeiro a Gafanhoto, Patriota, o novo Falcão, Poderoso e a Granada. E eis que agora mais um membro chegará ao grupo que fica cada vez mais internacional...




O novo membro chega na terceira edição e é mutante, um Indiano do lado leste chamado Qureshi Gupta, o Pinpoint. O adolescente tem a habilidade de criar discos de teletransporte e levar as pessoas a qualquer parte do globo. "Qureshi Gupta é um rapaz indiano de Delhi cujo codinome é Pinpoint. Ele adora música hip hop e comer vada. Ele cria portais de teletransporte que podem levar pessoas ao redor do mundo em um piscar de olhos. Ele se juntou aos Fóruns (o grupo de bate-papo on-line onde os jovens heróis mantêm contato uns com os outros que se apareceram pela primeira vez em Guerreiros Secretos) e ficou lá durante semanas, nervoso para se envolver até ver a Miss Marvel convocar todos para a ação.

"Pinpoint é um garoto de leste-indiano, 15 anos de idade. Ele é relativamente baixo e magro. Seu cabelo está crepitando com a mesma energia verde que vemos ao redor do portal que ele invoca. Seus olhos não têm íris quando ele usa seus poderes. Deve incluir calças ajustáveis e uma camisa kurta com corte e gola modernos. Eu queria que a roupa de Pinpoint misturasse roupas indianas com um símbolo icônico de teletransporte e foco. É o tipo de traje que um garoto de 15 anos poderia conseguir sozinho, mas também confortável e que não o inibiria em combate.



Quem acompanha Jim Zub nessa é o artista Steve Cummings, com quem já tyrabalhou na revista Wayward. Zub contou na entrevista ao Newsarama que insistiu com Tom Brevoort para manter a parceria com ele nesse título da Marvel. Zub disse que no primeiro arco de história veremos algo grande acontecer na edição 1 de Campeões, na edição 2 teremos as ramificações, na edição 3 veremos o dano realmente sendo sentido e só na edição 4 é que teremos uma revanche...

Então, vamos aguardar Janeiro...

Coveiro

Atriz de Demolidor diz que cancelamento foi decisão da Netflix e conta como os fãs podem salvar a série



Amy Rutberg, atriz que faz a Nancy em Demolidor, conversou com o site Inverse sobre o cancelamento da série e revelou o que ela sabe do seu lado da história e como acha que os fãs tem o poder de mudar o destino do seriado. Confira a seguir um trecho da conversa:

"Meus contatos na Marvel ficaram muito surpresos. Qualquer um dos rumores de que foi uma decisão da Marvel estão errados. Eu acredito que tenha sido inteiramente uma decisão da Netflix. Isso vem de conversas pessoais com pessoas do alto escalão da Marvel. Eles realmente ficaram surpresos" falou Rutberg ao Inverse, meio que se juntando ao coro de outros atores que estão ainda indignados como Charlie Cox e Vicent D'Onofrio.

Outra coisa que Amy Rutberg confirmou com o Inverse foi a claúsula do contrato, mas dando uma data diferente de 'quarentena' pros personagens estarem proibidos de aparecer em outro seriado que não na Netflix. "Existe esse contrato de verdade. Eu tinha ouvido falar que eram 18 meses, mas talvez sejam dois anos. Eu acho que é possível para a Marvel comprá-los, mas eu ouvi não mais que um sussuro sobre isso.

Para aqueles que estão ainda indignados com o cancelamento, a atriz deu ainda uma dica de como talvez termos a volta dos seriados. "Fãs devem saber que eles tem mesmo o poder nas redes sociais. É como as companhias como a Netflix traçam o sucesso de seus seriados. Quantas pessoas estão falando sobre eles nas redes sociais. Seus Tweets e Hashtags tem poder. Essas pessoas estão ouvindo".

Então, é isso! Eu sinceramente não acredito que é o fim do Homem sem Medo e muito menos que Charlie Cox ou todo o elenco da Netflix seja uma carta fora do baralho da Marvel. Sinceramente, tudo que Amy Rutberg falou é verdade. Os fãs podem realmente mudar o destino desses seriados. Não acredito de fato que tenham espaço na Disney+, mas eles parecem pra mim totalmente adaptáveis para o canal FX ou mesmo a Hulu.


Apesar do sucesso da terceira temporada, Demolidor foi cancelado pela Netflix no último dia 29 de Novembro. Desde então, parece certo que as séries da Marvel/Netflix serão descontinuadas, já que Luke Cage e Punho de Ferro já pareciam ser cartas fora do baralho.

Coveiro

Diretores de Guerra Infinita falam sobre Stan Lee, Doutor Destino e quem mais eles queriam ver no UCM



Ainda na entrevista ao Bunisses Insider divulgada essa semana, os diretores Joe e Anthony Russos foram abordados sobre diversos outros temas e deram sua opinião. Da importância de Stan Lee para a carreira deles, heróis que eles querem ver ainda no UCM e até defenderam que a Marvel invista no tal filme do Doutor Destino que a FOX pretendia fazer com Noah Hawley:

Sobre a infância como leitores de quadrinhos e a importância de Stan Lee:

Joe foi o que se manifestou como leitor desde pequeno, e contou que "Meu tio me entregou uma caixa de quadrinhos quando eu tinha 10 anos, provavelmente 100-200 quadrinhos lá dentro. Eu acho que li todos eles em uma semana. Eu gostei de personagens da Marvel porque eu os achei falhos e interessantes e humanos. Eu tendia a gravitar em direção a eles mais do que personagens DC". E completou dizendo que "Eu acho que Stan Lee foi uma grande parte disso, sem dúvidas. Há muitas boas vozes na Marvel e a da Stan foi fundamental para o sucesso da empresa.


Sobre a falabilidade dos heróis:

"Quanto mais poderoso for um personagem, mais difícil será lidar com esse personagem em um nível narrativo. Como contadores de histórias e a forma como exploramos os personagens, sempre procuramos vulnerabilidades nos personagens, porque é aí que os personagens se tornam interessantes. Eles são superficialmente interessantes em sua força, mas eles ficam muito mais profundos quando você descobre onde eles não têm esse tipo de força. Em geral, quanto mais poderoso for um personagem, mais complicado será" relatou Anthony.

Logo o nome de Superman veio como exemplo, ao que Joe disse que "Ele é um personagem muito difícil. Você tem que encontrar falhas emocionais e fraquezas no personagem na ideia de fazer deles vulneráveis". Anthony citou que "foi por isso que o Visão se apaixonou".

Sobre quem eles gostariam de ver ainda nos cinemas:

"Ninguém fez ainda os Vingadores Centrais. ELes estão aí só esperando" disse Anthony e caiu na gargalhada.


Sobre o Doutor Destino no UCM:

Durante parte da entrevista, quando os Russo comentavam sobre o projeto "The Mastermind" que faziam em conjunto com Noah Hawley (de Legião) para o Canal FX, não deixaram de dar apoio ao projeto do roteirista de criar um filme do Doutor Estranho para o UCM. "Quem sabe o que vai acontecer com tudo quando tivermos a aquisição da Disney" disse Joe e concluiu com um "Eu amaria ver a interpretação de Noah pro personagem. Tudo o que Noah faz".

Em Vingadores: Ultimato, temos confirmados Robert Downey Jr. (Homem de Ferro), Chris Evans (Capitão América), Scarlett Johansson (Viúva Negra), Chris Hemsworth (Thor), Mark Ruffalo (Hulk), Jeremy Renner (Gavião Arqueiro), Elizabeth Olsen (Wanda Maximoff), Paul Bethany (Visão), Chadwick Boseman (Pantera Negra), Don Cheadle (Máquina de Combate), Paul Rudd (Homem-Formiga), Chris Pratt (Peter Quill), Zoe Saldana (Gamora), Bradley Cooper e Sean Gunn (Rocket Raccoon), Dave Bautista (Drax), Karen Gillan (Nebula), Pom Klementieff (Mantis), Vin Diesel (Groot), Tom Hiddleston (Loki), Benedict Cumberbatch (Dr. Estranho), Tom Holland (Homem-Aranha),Josh Brolin (Thanos), Sebastian Stan (Soldado Invernal), Danai Gurira(Okoye), Benedict Wong(Wong), Gwyneth Paltrow (Pepper Potts), Jon Favreau (Happy Hogan), dentre outros. O filme vai aos cinemas em Abril e tem direção de Anthony e Joe Russo.

Coveiro

Anthony e Joe Russo falam sobre o sucesso de Pantera Negra e as chances de um filme de heróis levar um Oscar no futuro

Continuando a entrevista que concederam ao Bunisses Insider essa semana, a primeira dos diretores Anthony e Joe Russo após saiu o trailer de Vingadores: Guerra Infinita, um dos temas mais interessantes que veio a tona foi o sucesso de Pantera Negra e o pontencial que ele tem de ser realmente considerado a sério para Melhor Filme na premiação do Oscar ano que vem.


"Eu acho que Ryan Coogler realmente trouxe uma quantidade incrível de paixão e emoção e cuidado com o personagem e com a narrativa e as pessoas sempre respondem a isso. Ele é em grande parte responsável, não é o único responsável. Tivemos a sorte de apresentá-lo, mas ele era um dos 20 personagens que estávamos levando no filme [Capitão América: Guerra Civil]. A Marvel também faz um bom trabalho em manter a qualidade em torno do conteúdo. Mas você nunca pode prever. Esse foi um filme que foi algo comercial que também tinha seu momento cultural" disse Joe Russo ao perguntarem sobre a decisão de eles introduzirem o personagem antes na Guerra Civil.

Sobre as chances do Oscar eleger um filme de heróis como Pantera Negra, Anthony opinou que "parece que o Oscar precisa de uma mudança de perspectiva. Parece que há um pouco de desconexão entre os filmes que o público está respondendo globalmente e qual é a apresentação típica da Academia desses filmes. Eu acho que isso é em grande parte baseado nos membros da Academia e no fato de que  esse tipo de grupo é de pessoas mais velhas. Então, sim, não necessariamente precisa ser o popular, mas algo como um Oscar mais popular pode certamente agitar as coisas e ajudar a evoluir o pensamento e a abordagem da Academia ao celebrar filmes".



Joe comentou que "Temos que ter cuidado para não perdermos contato com o público. Essa é a razão pela qual fazemos filmes. E, se parecer elitista de uma maneira e desconectada, acho que isso pode criar uma divisão entre a percepção do público sobre o conteúdo e a percepção de conteúdo do setor".

Anthony complementou falando que "Parte do que é especial sobre Hollywood é que ela leva filmes para o mundo. A indústria cinematográfica norte-americana é a principal cineasta do mundo há décadas e décadas. Para continuar a prosperar nessa capacidade, você precisa estar sintonizado com o público em todo o mundo. A maior parte do crescimento do público está no exterior, e isso continuará pelas próximas duas décadas. É algo que nós, como cineastas, queremos ficar ligados. Idéias como a de premiação do Oscar para filmes mais populares podem ajudar a Academia a estar ciente disso também".

Joe disse que "Eu acho que isso do Oscar para categoria de filme popular representa que eles estão tentando encontrar uma resposta, que é o que é valioso. Seja como for que eles alcancem isso vai ser importante. Eu acho que a desconexão precisa ser resolvida".

Com direção dos Irmãos Russo (Capitão América: Guerra Civil), Vingadores: Ultimato terá no elenco Robert Downey Jr. (Homem de Ferro), Chris Evans (Capitão América), Scarlett Johansson (Viúva Negra), Chris Hemsworth (Thor), Mark Ruffalo (Hulk), Jeremy Renner (Gavião Arqueiro), Don Cheadle (Máquina de Combate), Paul Rudd (Homem-Formiga), Bradley Cooper e Sean Gunn (Rocket Raccoon), Karen Gillan (Nebula), Gwyneth Paltrow (Pepper Potts), Jon Favreau (Happy Hogan), Danai Gurira(Okoye),Benedict Wong(Wong) e Josh Brolin (Thanos). Sabemos que há muito mais outros garantidos de estar no filme, já que ele pretende trazer o máximo de pessoas que passaram por esses 10 anos de UCM , dentre outros. O filme vai aos cinemas em 25 de Abril de 2019. 

Coveiro

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Joe e Anthony Russo falam sobre ir além das narrativas fechadas em 2 horas de filme e o futuro das séries em streamings

Finalmente, o segredo foi revelado. Vingadores 4 é Vingadores: Ultimato (ou Avengers: Endgame) e o primeiro trailer lançado emocionou muita gente. Agora, pela primeira vez depois que liberaram o teaser, os irmãos Russo deram uma entrevista a revista Bunisses Insider e revelaram que acham que no futuro deverá haver uma mudança no estilo de se contar história além dos filmes de duas horas e apontaram como os serviços de streaming como o caminho:



Entrevistados por Travis Clark, a dupla foi questionada se eles não ficaram apreensivos com a resposta do público ao começar e terminar Vingadores: Guerra Infinita começar e terminar num tom pesado. Anthony começou falando que "Nós sabíamos que era arriscado, mas tentamos fazer escolhas arriscadas com todos os nossos filmes da Marvel. Parte da virtude com o fato de que a marca é tão popular e está indo tão bem é que você pode forçar com o público porque você já tem o público. Isso nos permite, como contadores de histórias, empurrá-los um pouco mais do que você poderia com um filme normal que não tenha esse tipo de enquadramento. Nós basicamente queremos trazer ao público o que queremos ver em uma sala de cinema. Queremos uma história que nos proporcione toda a gama de experiências humanas: nos fará rir, nos fazer chorar, nos fazer pensar e nos excitar, nos emocionar, nos assustar e nos surpreender. E também nos dá algo com o que podemos viver depois de ver o filme e remoer por um tempo".

Joe completou falando que "A coisa legal sobre o universo Marvel é que é uma narrativa longa. Não é previsível. Você pode desafiar o público. É impossível contar as histórias que temos contado nos últimos filmes sem os filmes que predizem os nossos. O público tem esse investimento emocional para que possamos fazer escolhas radicais em um mercado agora impulsionado por conversas nas mídias sociais. Um filme em grande parte tem que conduzir essa conversa ou não vai ser um filme de sucesso. Fazer escolhas disruptivas com a narrativa é uma maneira de conduzir essa conversa".

A conversa então passou para a mudança do público alvo querer ir além dos filmes fechados de duas horas. "Eu acho que há uma confluência de eventos que levaram a isso. Eu não sei quanto tempo há nesta terra para a narrativa de duas horas existir. Tornou-se uma narrativa preditiva. É preditiva na estrutura. É fácil para uma criança de 10 anos de idade, cinco minutos em um filme para saber como esse filme vai acabar agora que nós consumimos muito esse conteúdo. A coisa mais disruptiva que a Netflix está fazendo é lançar 10 horas de conteúdo em um dia. Essa é uma estrutura totalmente diferente para a narrativa. Em 10 horas você pode fazer muitas coisas diferentes para a narrativa que você não pode fazer em duas horas. Isso é provavelmente uma direção tão significativo quanto qualquer coisa. A nova geração que está crescendo em tecnologia vai criar narrativas mais complexas e, por fim, imersivas" relatou Joe.  

Anthony completou a opinião do irmão dizendo que "As coisas continuarão a evoluir. Se você voltar muito no tempo, nunca viu atores se cruzarem entre o cinema e a televisão. Portanto, as barreiras entre os dois estão em constante colapso nos últimos 20 anos e continuarão nessa direção."


Anthony falou ainda na conversa que não se sente intimidado por um filme com a expectativa criada como é o caso de Vingadores: Ultimato. "Quando Joe e eu fomos contratados para dirigir "Soldado Invernal", o filme era muito mais grandioso do que qualquer coisa que já fizemos antes como cineastas. Mas a maneira como trabalhamos como cineastas é que temos que nos satisfazer em primeiro lugar. Se estamos fazendo um filme que nos entusiasma, é o melhor que podemos fazer. Não podemos prever se as pessoas vão gostar, só sabemos se gostamos. Foi assim que fizemos todos os nossos filmes da Marvel e é assim que estamos fazendo este. Por toda a expectativa e ansiedade sobre isso, nada serve a Joe e eu melhor do que ficar focado na história que estamos tentando contar e contar da melhor maneira possível" disse o diretor.

Em outros lugares, os dois irmãos confessaram já ter interesse em continuar com a Marvel, mas eles disseram que não tem planos imediatos para o Disney+ quando Travis Clark perguntou. "Nós amamos a Marvel, tivemos uma experiência incrível com eles. É por isso que fizemos quatro filmes em seis anos com eles. Eles são como família para nós. Acho que eles fazem um ótimo trabalho ao separar "igreja e estado", onde estamos focados nos projetos nos quais estamos focados, e outra pessoa se concentrará nesses outros projetos. Trabalharíamos com eles de qualquer maneira, no futuro, e valorizamos tanto em nossa vida profissional a qualidade das pessoas que estão por perto e a qualidade de vida que temos quando trabalhamos com essas pessoas, e isso é nota máxima quando você está trabalhando com a Marvel" disse Joe.


Em Vingadores: Ultimato, temos confirmados Robert Downey Jr. (Homem de Ferro), Chris Evans (Capitão América), Scarlett Johansson (Viúva Negra), Chris Hemsworth (Thor), Mark Ruffalo (Hulk), Jeremy Renner (Gavião Arqueiro), Elizabeth Olsen (Wanda Maximoff), Paul Bethany (Visão), Chadwick Boseman (Pantera Negra), Don Cheadle (Máquina de Combate), Paul Rudd (Homem-Formiga), Chris Pratt (Peter Quill), Zoe Saldana (Gamora), Bradley Cooper e Sean Gunn (Rocket Raccoon), Dave Bautista (Drax), Karen Gillan (Nebula), Pom Klementieff (Mantis), Vin Diesel (Groot), Tom Hiddleston (Loki), Benedict Cumberbatch (Dr. Estranho), Tom Holland (Homem-Aranha),Josh Brolin (Thanos), Sebastian Stan (Soldado Invernal), Danai Gurira(Okoye), Benedict Wong(Wong), Gwyneth Paltrow (Pepper Potts), Jon Favreau (Happy Hogan), dentre outros. O filme vai aos cinemas em Abril e tem direção de Anthony e Joe Russo.

Coveiro

Simon Kinberg define Fênix Negra como um novo capítulo pros X-Men e justifica o adiamento da data de estreia



Já como consequências diretas de termos tantos atores famosos de filmes da Marvel aportando no Brasil, uma série de entrevistas começaram a sair por aí. E o Cinepop já saiu na frente colocando no ar uma conversa que teve com Sophie Turner, Jessica Chastain e Simon Kinberg.


Bom, como o video está legendado, já dispensa uma tradução literal dele aqui. Mas obviamente chama atenção ver Simon Kinberg enxergar esse filme como um novo capítulo e não um final da franquia. No final, o diretor também se explica e acalma os fãs sobre os constantes adiamentos do lançamento. Ele garante que o filme será ótimo e que a mudança da nova data foi questão de escolher o melhor encaixe para gerar a bilheteria.

O bom desse video é que calhou de vermos algumas cenas novas, ou tive a impressão disso, e a confirmação de que no Brasil - diferente de lá fora - o filme irá se chamar mesmo X-Men: Fênix Negra.

Coveiro

Nova minissérie do Homem-Aranha conta como seria se o herói envelhecesse ao longo das últimas décadas

Mesmo saindo de Peter Parker: Spetacular Spider-man, o roteirista Chip Zdarsky não abandonou inteiramente o personagem mais icônico da Marvel. Ele volta a escrever o teioso na minissérie Spider-Man: Life Story juntamente com o desenhista célebre do Aranha nos anos 90, Mark Bagley. Veja a capa:



A ideia aqui é criar uma história alternativa de como seria se o Homem-Aranha realmente envelhecesse com o tempo desde o momento que foi criado em 1962. Daí, veremos momentos marcantes da nossa história em que o personagem pode ter uma influência grande em dado momento. Por exemplo, o que vemos na edição #1 que se passa em 1966 é o Peter Parker decidindo como seus poderes podem ajudar uma nação dividida ao meio com a Guerra do Vietnã.

"Eu acho que eu não terminei com o Aranha! Essa é uma idéia que eu tive desde que comecei a trabalhar para a Marvel, algo que explora os personagens e o universo Marvel em um nível mais profundo, onde o tempo muda tanto os personagens quanto o mundo ”, disse Zdarsky. “Ser capaz de passar décadas com um dos artistas mais emblemáticos do Homem-Aranha de todos os tempos, Mark Bagley, é surreal. Ele está criando novos personagens clássicos e momentos de formas realmente dinâmicas. ”

A minissérie terá um total de seis edições que começam a sair a partir de março.

Coveiro

Confira um making off das dublagens e outros videos novos do desenho Homem-Aranha: No Aranhaverso



A animação da Marvel que vem conquistando todo mundo e que muitos julgam que é até melhor que todos os filmes do Homem-Aranha estreou hoje nos EUA. A gente vai ainda demorar um pouco pra ver essa história por aqui, mas nem por isso vamos deixar de trazer as novidades sobre isso que estão saindo agora. E que tal acompanhar novos videos da animação, incluindo um making off de como foram feitas as dublagens com os atores principais:


Veja também as cenas de recapitulação do Peter Parker e Gwen Stacy dos universos paralelos:




E mais clipes e comerciais, incluindo a versão gringa daquele de avisos do Cinemark:







Homem-Aranha: No Aranhaverso, sairá em 10 de Janeiro deste ano e conta com Shameik Moore (Miles Morales/Ultimate Homem-Aranha), Jake Johnson (Peter Parker/Homem-Aranha 616), Hailee Steinfeld (Gwen Stacy/Gwen-Aranha), Mahershala Ali (Aaron Davis), Brian Tyree Henry (Jefferson Davis), Luna Lauren Velez (Rio Morales), Lily Tomlin (Tia May) e Liev Schreiber (Wilson Fisk/Rei do Crime), dentre outros nomes (alguns surpresas).

Coveiro

Contrato com a Netflix proibe a aparição dos heróis Marvel em outras mídias por 2 anos após cancelamento

Com uma divulgação murcha, soubemos ontem que Justiceiro estará com sua segunda temporada disponibilizada daqui a um mês na Netflix. Já antecipando que essa seja a última e lamentando a lacuna deixada pelos heróis urbanos da Marvel daqui pra frente, os fãs se perguntam... quando o veremos de novo? Bem, a Variety tem algumas fontes que sabem a resposta.


Apesar da Netflix e a Marvel se negarem a responder, fontes que estavam por dentro do acordo das duas se comunicaram com a Variety e ressaltaram que uma das clausulas estipulava quem em caso de cancelamento de qualquer um dos lados, as séries desses personagens não poderiam aparecer em qualquer serie que não fosse da Netflix até dois anos após o cancelamento.

Pelas contas, podemos esperar que Luke Cage, Punho de Ferro e Demolidor não deem as caras portanto até o final de 2020. Se Jessica Jones seguir a mesma trajetória, podemos esperar eles dando as caras somente em 2021 em diante caso seja confirmados seus respectivos cancelamentos. Justiceiro é o único que está numa situação diferente, já que as fontes desconhecem como foi feito seu contrato e se os detalhes de suas clausulas são as mesmas. Pode até ser que sejamos surpreendidos e a Netflix tenha interesse em ficar com o personagem. Vai saber.

Em todo caso, o fato é que vamos ficar um tempo sem essa linha urbana da Marvel e a Variety acredita que talvez nem haja interesse imediato da Disney de dar seguimento a essas séries. Como a Disney+ não atenderia esse perfil e parece que as novas séries produzidas especificamente para lá não são sob responsabilidade da Marvel Studios, fica a pergunta se Demolidor e os demais terão um lugar de volta às telinhas?

Resultado de imagem para defenders netflix

A Variety ainda levanta que o prazo de 2 anos é longo para atores de TV e que eles correm o sério risco de acabarem vinculados a outros trabalhos durante esse 'lag', o que dificultaria um novo contrato para volta dos mesmo. Mas nada é impossível, claro. A Marvel TV sabe que ao menos Demolidor é sucesso garantido e merece uma nova chance. Não seria a primeira e nem última vez que um seriado ganha continuidade em outra rede. Taí o Lúcifer na própria Netflix pra provar que é possível.

Coveiro

Resenha 616: Homem-Aranha - No Aranhaverso


Homem-Aranha: No Aranhaverso estreia hoje nos EUA, mas já faz algumas semanas que vimos a animação na cabine de imprensa promovida pela Sony. Foi lá que acabei descobrindo que a estreia da Animação foi postergada no Brasil para 10 de Janeiro. Apesar dessa pequena decepção para os fãs, que é de caso pensado para justamente pegar a molecada de férias, podemos garantir que todo o resto que se pode falar sobre esse desenho merece só elogios e palmas. Não é a toa que Homem-Aranha: No Aranhaverso é de longe o mais bem avaliado filme que foi aos cinemas do Teioso. A animação é completamente inovadora, tem um roteiro de comédia bem atual e mais do que nunca captura a essência do que é o herói. Você sai do filme realmente acreditando que também pode ser um Homem-Aranha.

Levar aos cinemas a primeira animação de grande porte do Cabeça de Teia e já começar com uma história envolvendo não um, não dois, mas várias versões do personagem de realidade diferentes poderia a um primeiro julgamento nos fazer acreditar que o filme é um erro. Mas se considerarmos que o cerne aqui é levantar a bola para uma das bandeiras essenciais que o personagem vem tendo, foi a melhor sacada do filme. Lá pelo meio da história, o mais experiente dos Homens-Aranha presentes fala que "Qualquer um pode estar por trás da máscara". E sim, por mais que você julgue o jargão "Com Grandes Poderes, vem grandes responsabilidades" ser o mais importante, a essência do Homem-Aranha no princípio sempre foi que ATÉ VOCÊ pode ser um super-herói.



Stan Lee por mais de uma vez falou em entrevistas que afastou o Homem-Aranha do esteriótipo de herói com músculos e bonito para um nerd franzino para relacionar o herói com seu leitor. Essa foi sua grande preocupação, mostrar que atrás daquela máscara, não importava nossa aparência, nossos problemas pessoais e financeiros, tudo ficaria para trás quando o manto do super-herói recaísse sobre nós e o dia precisasse ser salvo. Brian Michael Bendis resgatou isso quando no universo ultimate matou o Peter Parker daquela realidade e deu ao jovem negro descendente de latinos Miles Morales o manto e herança do Homem-Aranha. E do Miles, podemos extrapolar para tantos outros personagens de tantas outras realidades diferentes que os quadrinhos e esse filme propõem. Seja qual for sua descendência, cor da pele, gênero, linha temporal ou até mesmo espécie (Valeu, Porco-Aranha). E nem todos ali precisam ser essencialmente iguais em termos de poderes. Citando mais uma vez o Peter Parker mais experiente do filme, "É o que te faz ser diferente que te faz ser um Homem-Aranha".

Certamente, sendo o personagem mais icônico da Marvel durante esses anos, com seis filmes solos de três atores diferentes, inúmeras animações e com a cara estampada em diversos bonecos e jogos eletrônicos, chega a ser desnecessário grandes apresentações do personagem pra o público. Tanto o Homem-Aranha como sua história base de origem é bem conhecida (mudando-se uma coisa ou outra dependendo da mídia). Assim, o primeiro Homem-Aranha a se apresentar ali, o Peter Parker dublado por Chris Pine, pode resumir quem ele é alguns minutos e cenas bem divertidas referenciando momentos impactantes dos quadrinhos e da trilogia de Sam Raimi. Nessa realidade, mais do que em qualquer outra abordagem levada aos cinemas, é de fato um herói amado e um sinal de esperança para o povo que o via salvá-los todos os dias de grandes ameaças. E era pra ser de fato assim, uma inspiração para todos, acima de tudo aquele que iria herdar seu legado.


Miles Morales (dublado por Shameik Moore) tem sua história de origem praticamente levada ao pé da letra assim como Bendis o criou, que por sinal é um dos produtores executivos da animação. Filho do policial Jefferson Davis (Brian Tyree Henry) e da latina Rio Morales (Luna Lauren Velez), o garoto está passando por uma grande mudança ao ir para uma escola de primeira linha no Brooklyn, mas em  troca disso vai ser obrigado a deixar sua vida de lado, antigos amigos e se submeter a uma grande pressão para se equiparar a ser um aluno exemplar ali naquele novo ambiente. Confuso, vivendo esse momento do início da puberdade e querendo se encontrar, acaba tendo no seu tio Aaron Davis (Mahershala Ali) um escape de toda a pressão. Seu tio, que em segredo é o vilão mascarado Gatuno, permite que Miles saia em segredo para grafitar paredes com sua arte sem seu pai descobrir e puxar sua orelha.

Tudo o que Miles Morales não precisava ali era ter um problema ainda maior ao ser arbitrariamente picado por uma Aranha modificada pela Alchemax e amanhecer no dia seguinte com superpoderes. E se os problemas na escola com essa nova descoberta já não eram pequenos, imagine ao presenciar o fim do Homem-Aranha daquela realidade e ouvir dele antes que morresse quase que uma convocação a "responsabilidade" que Miles deveria assumir agora que tem os poderes. Morales leva um tempo considerando isso, e nesse instantes do filme somos abordados em vários pontos diferentes com a morte daquele Homem-Aranha o que é de fato a essência do herói. Confesso que como fã, teve momentos que me emocionei bastante, coisa que até hoje os Live-Actions não conseguiram o feito.



Contudo, a chamada a responsabilidade ali não está só nas mãos do Miles. Toda a realidade está comprometida e em risco graças a experimentos realizados por um determinado Rei do Crime que faria de tudo pra ressuscitar sua antiga família. Seus experimentos estão custando a integridade do multiverso e como efeitos adversos iniciais trouxe até aquela terra cinco diferentes (e bota diferentes nisso) Homens de realidade diferentes ali. O primeiro apresentado é o Peter Parker que "não deu certo" (dublado por Jake Johnson). É o herói que praticamente estava prestes a desistir da carreira quando esse "chamado" o coloca de novo a ativa e sob um novo papel - o de ensinar o jovem Miles como é ser um Homem-Aranha. Longe de ser o professor ideal (ou mesmo o herói que queríamos), o personagem de Jake Johnson praticamente dá a lição ao reverso e até o final da história acaba é vendo em Miles a mesma esperança que ele como herói (e o Peter morto dessa realidade) deveria ter.

Talvez hoje em dia a versão de Mulher-Aranha mais conhecida do público, a Gwen Stacy (Hailee Steinfeld) também tem um papel importante no filme. Ela, por sinal, foi a primeira deslocada de sua dimensão a aparecer ali. Tem uma história de origem bem revelada pelos quadrinhos e pode muito bem fazer o papel do lugar dos olhos das meninas que assistem ao filme. Se não fosse Miles o protagonista, certamente ela roubaria a cena. Depois dela, mais três versões dão as caras. O Homem-Aranha Noir (Nicholas Cage) vem de um mundo sombrio, tão sombrio que ele é incapaz de entender as cores dessa realidade. Peni Parker (Kimiko Glenn) mostra que ser uma heróina aranha também não precisa seguir o mesmo conceito e ser mordida pelo bichinho para ter poderes. Não quando você pode construir seu próprio Mecha que tem como "cérebro" uma Aranha-robô de estimação. Por fim, o Porco-Aranha (John Mulaney), que não economiza em qualquer referência aos Looney Toones que eles possa fazer.


Ao juntar todos esses Homens-Aranha no mesmo espaço temos aí um outro grande mérito do filme. A beleza gráfica já brilhava aos olhos no começo quando o estilo da animação puxando mais o atual novo estilo 3D não impediu os diretores de pegar várias essências do estilo dos quadrinhos. Seja pela colorização que ora ou outra era levada mais pixelada de propósito a tela ou seja quando os balões e onomatopeias também davam as caras por aí, tudo cheira a novo no desenho e te deixa mais curioso, mais vivo querendo captar cada detalhe enquanto assiste. Contudo, quando os outros Homens-Aranhas aparecem, é como se você tivesse uma explosão de estilos na tela. A Peni Parker realmente tem todos os seus traços e movimentos voltados ao Anime. Porco Aranha reflete os exageros cartunescos de sua natureza. O Aranha Noir tem contornos grossos, traços retos e duros, como que tirado de um gibi da época. Gwen Stacy em dado momento puxa mais pro lado indie que já é comum pra quem lê suas histórias e até Miles Morales tem detalhes de arte de rua (como num grafite) em dados momentos. Se você é alguém realmente ligado aos desenhos quando toma os gibis nas mãos, vai ter um deleite.

Bom, no mais, como não poderia deixar de ser num filme animado assinado por Phil Lord e Chris Miller, Homem-Aranha: No Aranhaverso tem um humor muito bem apurado e que cria piadas em todos os níveis e para diferentes vínculos que as pessoas vão ter com o personagem (a cena pós-crédito que o diga). O legal é que mesmo alguém tão distante dos quadrinhos não vai ter problema nenhum em se acostumar e até mesmo amar essas novas versões do cinemas. Todos eles foram bem entrelaçados a história e como falei, se valem bem do fato do personagem ser icônico e que basta uma apresentação de 1 minuto pra você captar a idea por trás deles. O filme também tem sua lista de personagens coadjuvantes marcantes como a Tia May durona e até mesmo um insólito garotinho coreano colega de quarto do Miles que nunca apresenta seu nome. Os vilões dessa realidade também tem sua parcela de liberdade criativa, o que deixa o filme com um frescor de novidade ao se deparar com cada um deles.



Fora isso tudo, e para listar todas eu teria que reassistí-lo mais uma vez, há uma grande quantidade de easter eggs. Boa parte deles vem em forma de nomes de diferentes roteiristas e desenhistas que já passaram pelo personagem e estão lá numa agenda de telefone ou numa pixação no muro. Não podia deixar de citar a aparição especial" de Stan Lee, que emprestou a sua voz a ele mesmo no filme. Ele é um vendedor de uma loja e entrega uma fantasia comum de Aranha ao Miles, não sem antes deixar o pensamento que "sempre damos um jeito do uniforme caber na gente". No fim, é possível ver ainda um IN MEMORIAM dedicado a Lee e Ditko, criadores do personagem.

Coveiro

Homem-Aranha: No Aranhaverso quase contou com Tobey Maguire e o Doutor Estranho


A animação do Homem-Aranha: No Aranhaverso só vai chegar em Janeiro no Brasil, mas como a estreia nos EUA é essa semana, preparem-se para muitas notícias sobre esse desenho que vem conquistando todo o mundo. Quem assistiu diz até que supera a trilogia do Sam Raimi e a curiosidade maior é que quase tivemos Tobey Maguire fazendo a voz do velho Peter Parker:

Quem entregou a informação foi um dos diretores da animação, Rodney Rothman, que disse ao Screen Crush que as conversas sobre incluir Maguire rondaram a produção, mas no fim desistiram. "Nós consideramos. Houve muita discussão sobre onde poderiamos colocar o Tobey Maguire e outros. Mas eu acho que depois deste filme, essas ideias tiveram um pouco mais de tralão. Mas antes desse filme, ao introduzir a ideia de Aranhaverso para o público, eu acho que todo mundo ficou temeroso de que isso fosse apenas confundir as pessoas. Mas uau, isso teria sido divertido".

Outra curiosidade do filme veio direto a boca dos produtores Chris Miller e Phil Lord que confessaram em entrevista que quase o Doutor Estranho teve participação no desenho. "O primeiro rascunho terminava com ele" relembrou Lord a Miller no meio da entrevista ao Den of Geek. "Oh, é verdade! Terminava com ele dizendo algo como 'Okay, tem algumas coisas que preciso te contar'. Era o primeiro rascunho, tipo de 3 anos atrás. Terminava com o Doutor Estranho. Literalmente, a última cena terminaria com o Doutor Estranho dizendo 'Olá'.



Dirigido pelo trio Rodney Rothman, Peter Ramsey e Bob Persichetti e produzida por Chris Miller e Phil Lord, Homem-Aranha: No Aranhaverso estreia hoje nos EUA e no Brasil somente em 10 de Janeiro. A animação conta com as vozes de Shameik Moore, Jake Johnson, Hailee Steinfeld, Majershala Ali, Liev Schreiber, Nicolas Cage, Kimiko Gleen, John Mulaney, dentre outros.

Coveiro

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Hotshots coloca Dominó a frente da nova equipe feminina da Marvel

Ontem, a Marvel liberou um teaser bastante interessante sobre um novo time só de mulheres que contará com Gail Simone como roteirista. Com a chamada "Provocadoras, Duronas, Mercenárias e espiãs", a Marvel apresenta as HotShots.


A capa da primeira edição foi liberada pela Marvel e tem arte do brasileiro R.B. Silva, que ainda coloca o artista David Baldeon cuidando da arte interna da história. Nela, podemos ver como parte do grupo as personagem Dominó, Viúva Negra, Raposa Branca, Pistoleira, Cascavel e ainda uma personagem que desconheço, a Urso Atlas.

"Então, é assim", começou a contar a escritora da série Gail Simone. “A Marvel veio e disse que ama o aspecto da equipe do DOMINÓ e quer expandi-la ainda mais. Eles disseram, você começa a escrever suas Marvels favoritas, com seu artista favorito da Marvel, mas além disso, você pode adicionar MAIS incríveis personagens que você ama. Demorou cerca de dois segundos para eu dizer: "Estou DENTRO, estou MUITO DENTRO".

“Domino sente que precisa crescer um pouco, e alguns dos novos agentes praticamente não têm senso de humor. E eles encontram um objeto que é algo muito próximo do coração de todo o Universo Marvel ”, disse Simone. “O único problema é que TODOS o querem. Estamos nos divertindo muito. É Domino, mas com um monte dos personagens mais legais dos quadrinhos, chutando bundas em missões secretas internacionais e xingando alguns nomes. O melhor de tudo, é desenhado pelo incrível David Baldeon. Essa é a coisa que eu mais amo em escrever, e David é o cara que desenha tudo e deixa isso brilhante. Eu não poderia estar mais feliz. Para onde vamos a partir daqui? AS HOTSHOTS NÃO VÃO TE CONTAR.

A revista sairá em Março do ano que vem, mas nada foi dito sobre o futuro da mensal da Dominó.

Coveiro

Veja o primeiro vídeo e imagem divulgados da segunda temporada de Justiceiro pela Netflix



A Netflix pode estar escorregando na divulgação do Justiceiro, mas mesmo assim a gente correu atrás e achou um video russo das novidades de Janeiro liberado pro Brasil. Separamos aqui o pequeno corte com o video do Justiceiro pra apreciação de vocês:


Mal anunciou a série pra Janeiro, Jon Bernthal colocou essa imagem em seu Instagram. Apesar da baixa definição, parece ser material novo da segunda temporada mesmo:



Jon Bernthal volta ao papel de Frank Castle, juntamente com Ben Barnes como Billy Russo, Amber Rose Revah como Dinah Madani e Jason R. Moore como Curtis Hoyle. Estreando no elenco temos Josh Stewart como John Pilgrim, Floriana Lima como Krista Dumont, e Giorgia Whigham como Amy Bendix. A promessa é que chegue em Janeiro, mas não temos data ainda definida pela Netflix...

Coveiro

Revelado QUEM destruirá a história da Marvel próximo ano

Depois de quatro teasers super instigantes, eis que a Marvel revela finalmente QUEM está por trás de tudo. Fomos ontem inudando por perguntas sobre quem mexeu no passado do Quarteto Fantástico, Homem-Aranha, Vingadores e X-Men? E vou te dizer, é algo bem decepcionante...


É, será o Motoqueiro Fantasma Cósmico. Não se trata de nenhuma megassaga ou evento, mas sim um título lateral daquele tipo "Deadpool versus alguma coisa" ou "Justiceiro mata todo mundo". Desta vez, se chamará  Cosmic Ghost Rider Destroys Marvel History e sai em Março. Será escrito por Paul Scheer e Nick Giovannetti, com arte de Gerardo Sandoval. A capa aí da imagem é de Gerardo Zaffino.

Vou te dizer, elevou meu hype ontem o dia todo pra isso? Que brochante...!

Coveiro

O sucesso do Demolidor antes do cancelamento e o desinteresse da Netflix com o Justiceiro

A Netflix acabou de divulgar hoje a segunda temporada de Justiceiro para Janeiro, mas foi algo que venho quase como uma nota de rodapé numa lista de várias outras novidades. Chega a ser surreal esse descomprometimento, dá até entender que as séries da Marvel são um fiasco em audiência, não valendo a pena o tempo gasto na divulgação. Mas isso não é bem verdade. Não depois de que DOIS estudos relatam que a terceira temporada do Demolidor ia muito bem perante o interesse do público.


O mais recente artigo dentro do tema foi publicado pelo The Wrap esses dias. E nele, o Demolidor da Netflix aparece como um dos 10 seriados mais vistos pela rede de streaming em Novembro.

A notícia se baseia em um estudo feito pela firma de análise 7Park Data. Nela, Demolidor teria 192 milhões de stream no último mês, o que o coloca entre o sétimo seriado mais visto de todas as propriedades do momento na Netflix. Se considerar o conteúdo original, ele estaria em quarto lugar, abaixo apenas de As Aventuras de Sabrina, House of Cards e The Great British Baking Show.

Essa nova informação corrobora o que o Deadline reportou dias atrás de que o Demolidor estava entre as séries mais populares do serviço de streaming no momento do seu cancelamento. O estudo feito por eles foi baseado no Parrots Analytics e segue com resultado similar ao de cima. Demolidor estava em quarto lugar no interesse de visualização do publico na semana em que foi cancelado (do dia 25 de Novembro a 1 de Dezembro). Perdeu apenas para Narcos, As aventuras de Sabrina e Stranger Things).


Demolidor teve seu cancelamento anunciado em 29 de Novembro deste ano. A Netflix mal e mal preparou um comunicado decente e digerível aos fãs. Admitiu o sucesso da terceira temporada e justificou apenas que queria acabar por cima. Os dois estudos só fortalecem que o real motivo da série ter sido encerrada foi a crescente indisposição entre a Disney e a Netflix, que se tornarão concorrentes a partir do ano que vem quando o Disney + estrear.

A esperança pros fãs que fica é que a Marvel cumpra a promessa que deixou em sua nota a imprensa ao dizer que "veremos mais aventuras do Homem sem Medo no Futuro". Só esperamos que mantenha o Charlie Cox e todo o elenco de primeira que incluem Deborah Ann Woll, Elden Henson e Vincent D'Onofrio.

Já do Justiceiro, não esperem muito auê pelo visto. As redes sociais do vigilante da Marvel já poderiam estar a todo vapor falando da série, divulgando uma nova logo ou foto, mas parece que nada está para acontecer. É uma pena, pois críticas a parte, não tem como não lembrar de momentos memoráveis dessas séries assim que estrearam. Fizeram mais certo do que errado, certamente.

Coveiro

Sem Nenhum alarde, Netflix divulga segunda temporada de Justiceiro pra Janeiro de 2019

A Netflix não quer perder um segundo com seus prazos com as séries da Marvel. Esse ano lançou temporadas dos seus seis heróis originalmente listados no contrato. E agora quando divulgou o que vem aí na sua plataforma em Janeiro, eis que a segunda temporada de Justiceiro estava lá.



É isso. Exatamente um ano e um mês depois, Justiceiro volta a Netflix. E está a um mês de conferirmos. O triste é ver que a Netflix tá mesmo pouco se importando com as séries e não fez sequer UMA divulgaçaozinha faltando tão pouco pra sair.

Que feio!

Ainda sem dia específico, a nova temporada que chega em Janeiro já tem certos os nomes de Jon Bernthal como Frank Castle e Ben Barnes como Billy Russo, além de Floriana Lima, Corben Bernsen, Annette O'Toole e Georgia Whigham.

Coveiro

Brie Larson fala sobre o que levou da Capitã Marvel pra sua vida e revela que pode sim levantar o Mjolnir



A CCXP está rendendo muitas entrevistas com o atores e atrizes dos filmes da Marvel que estiveram aqui para o evento. E uma delas, é claro, é a Brie Larson, a nossa Capitã Marvel, que conversou sobre a produção do filme, o que ela aprendeu ao fazer a heroína e até garantiu que ela é digna e levantaria sim o Mjolnir do Thor. Assista a entrevista abaixo que já vem legendada:




Capitã Marvel traz Brie Larson, Samuel L. Jackson, Ben Mendelsohn, Djimon Hounsou, Lee Pace, Lashana Lynch, Gemma Chan, Rune Temte, Algenis Perez Soto, Mckenna Grace, com Annette Bening, Clark Gregg e Jude Law no elenco.O filme é produzido por Kevin Feige e dirigido por Anna Boden e Ryan Fleck. Louis D’Esposito, Victoria Alonso, Jonathan Schwartz, Patricia Whitcher e Stan Lee são os produtores executivos. A estreia no Brasil é em 7 de Março.

Coveiro

Veja os três pôsteres de Homem-Aranha: No Aranhaverso distribuidos na CCXP 2018



A CCXP acabou mas pelo vistos foram tantas as novidades que sequer soubemos delas todas enquanto estavamos no evento. Três posterês exclusivos de Homem-Aranha: No Aranhaverso foram distribuídos por lá, todos emulando gibis dos três heróis principais e que foram postados nas contas do Instagram de Jake Johnson (que faz Peter Parker) e Shameik Moore (que faz o Miles Morales). Espia só:



Uma publicação compartilhada por jake johnson (@mrjakejohnson) em



Uma publicação compartilhada por Shameik Alti Moore (@shameikmoore) em



Uma publicação compartilhada por Shameik Alti Moore (@shameikmoore) em


Alguém viu esses posteres por lá? Tem duplicata? Porque eu quero!

Dirigido pelo trio Rodney Rothman, Peter Ramsey e Bob Persichetti e produzida por Chris Miller e Phil Lord, Homem-Aranha: No Aranhaverso estreia no Brasil somente em 10 de Janeiro. A animação conta com as vozes de Shameik Moore, Jake Johnson, Hailee Steinfeld, Majershala Ali, Liev Schreiber, Nicolas Cage, Kimiko Gleen, John Mulaney, dentre outros.