PANTERA NEGRA

A PRIMEIRA GRANDE AVENTURA DA MARVEL DE 2018 É EM WAKANDA

MARVEL LEGACY

Marvel une futuro em passado nesta sua nova fase

Nova Serie Mutante na FOX

Saiba as novidades de THE GIFTED

FOX NA MARVEL

FALAMOS DA VENDA DA FOX NESTE PODCAST

Classicos do Wolverine

Relembre mais das melhores histórias do Logan

FUGITIVOS

Série de produção Marvel e Hulu se encerra nos EUA

JESSICA JONES

A SEGUNDA TEMPORADA DE JESSICA JONES VEM AÍ!

JUSTICEIRO

OUÇA O PODCAST SOBRE O JUSTICEIRO DA NETFLIX

sábado, 24 de fevereiro de 2018

MARATONA 616: Alguns easter eggs e referências sobre Erik Killmonger


Os elogios a atuação do ator Michael B. Jordan e de seu personagem Erik "Killmonger" Stevens não são um exagero. De um antagonista dos quadrinhos que já era cheio de background para um adaptação nos cinemas ainda mais complexa e vinculado intimamente agora ao herói, o personagem de fato acabou tendo muitas camadas a se explorar. E cabe aqui um pequeno texto essa transposição e ressaltando aqui as diferenças e similaridades das duas mídias, destacando uma ou outra referência. 

Um paralelo da origem dos cinemas e quadrinhos:

 N'Jadaka, seu nome Wakadano, foi concebido em 1973 por Don McGregor e Rich Buckler para ser a antítese diamentralmente oposta do Rei de Wakanda. Maior, mais forte que o Pantera Negra mesmo não tendo acesso a Erva em formato de Coração, o herói formou um complô contra T'Challa dentro do seu reino que só foi percebido muito mais tarde. Apesar de criado praticamente nos EUA, o N'Jadaka dos quadrinhos nasceu em Wakanda. Seu pais foram forçados a trabalhar com escravos para Ulysses Klaw na primeira invasão que ocorreu em Wakanda e acabaram mortos. Ainda criança, ele foi levado como escravo para ser vendido mais tarde, acabou em algum momento fugindo e foi parar nos EUA. Uma vez crescido fora, N'Jadaka, agora chamado Erik, não mais seria aceito na sociedade fechada de Wakanda. A versão mais antiga de sua origem colocava-o como um 'exilado' porque seus pais antes de morrerem teriam 'ajudado' Klaw a invadir Wakanda.

 Nos cinemas, como quem conferiu pode ver, a origem de Killmonger ficou ainda mais complicada ao darem a ele uma descendência real. Seu pai não era um qualquer em Wakanda, era o príncipe N'Jobu, enviado pra América como um espião, um cão de guerra. Contudo, aconteceu que sensibilizado por ver descendente de africanos nunca sendo tratados como iguais num país como a América, decidiu retaliar ao mesmo tempo que trairia a confiança de seu rei e irmão T'Chaka. Para conseguir tirar de Wakanda Vibranium e armas com base de vibranium sem que percebessem qualquer ligação direta, aliou-se com um traficante de armas e preciosidades, o mau caráter Ulysses Klaw. N'Jobu acabou morto pelo Rei após reagir e, seu filho, N'Jadaka, deixado para trás. A existência do garoto nunca foi revelada em Wakanda pois T'Challa preferiu omitir do conselho a traição do seu irmão e consequente morte dele.

Outras similaridades que vimos entre os personagens dos quadrinhos e dos cinemas é a formação. No filme é apontado que ele se formou no Massachusetts Institute of Tecnology (MIT) assim como nos quadrinhos, que inclusive especifica que ele se formou em engenharia. Nos gibis, afirmou que cresceu alimentando um ódio tanto para com T'Challa como para o Garra Sônica, apesar de tempos depois se aliar a Ulysses para atingir seus interesses. Isso não é muito diferente do que vemos nos cinemas, quando o personagem vivido por Jordan se alia com Klaue para logo depois mata-lo depois de usá-lo. Nos quadrinhos, quando ouviu falar de um Pantera Negra nos Vingadores foi até ele pedir para ser repatriado em Wakanda e desde aí tinha somente como planos retomar sua vingança por ter sido abandonado pelo seu próprio país. Nesse ponto, a história muda nos cinemas, aproveitando-se da alteração do roteiro ao colocar Erik como primo de T'Challa e, portanto, com direito de tentar tomar o trono dele. 

 Outro momento notório marcante dos quadrinhos que é reproduzido praticamente do mesmo jeito nos cinemas foi a luta na Cachoeira do Guerreiro. Apesar de nos cinemas o lugar ganhar um outro visual muito mais belo e impactante, nos quadrinhos tivemos a mesma cena em que T'Challa uma vez derrotado, é arremessado quase sem vida cachoeira abaixo. E assim como foi nos cinemas, nos quadrinhos Erik julgou precipitadamente que ele estava morto. Nas telonas, foi um pescador da tribo Jabari que o resgatou. Nos quadrinhos, foi sua amada Monica Lynne. Essa talvez seja a maior referência entre quadrinhos e cinemas do personagem.

O Uniforme:

Erik Killmonger aparece com pelo menos duas roupas diferentes que podemos considerar como "uniformes". Após a cena do Museu, o personagem aparece mais uma vez para resgatar seu comparsa do crime Ulysses Klaue do estação de polícia em que ele está sendo detido na Coréia do Sul. Basicamente, a jaqueta que ele usa nessa cena, logo foi percebida pelos fãs que é muito similar com a do personagem de Dragon Ball Vegetta, que funciona como um antagonista do protagonista do desenho Goku. Isso poderia ser encarado como uma mera coincidência se não fosse pelo fato de qeu o ator Michael B. Jordan ser um declarado fã de Animes. Apesar do pessoal da produção não oficializar nada, é obvio que essa é mais uma referência pro vilão.  Ainda dentro dessa cena, é possível ver que Killmonger aqui usa um máscara africana que foi roubada durante o ataque do museu e muitos consideram que ela seja uma alusão a uma máscara tribal que o personagem dos quadrinhos já usou.. Apesar de aqui estar muito mais detalhada do que a versão do gibi, a forma angulosa e a pelagem entregam a inspiração. É mais uma referência pra você marcar aí.

Muita gente estranhou a princípio o fato de Erik Killmonger em dado momento do filme acabar usando um uniforme praticamente igual ao do Pantera Negra, sendo assim portanto o que seria mais uma versão descarada de "inimigo que tem os sets de poderes iguais ao seu herói", mas nesse caso em particular é importante considerar uma coisa. Erik Killmonger foi até Wakanda não como um inimigo para derrotar o Pantera Negra, mas sim para tomar de T'Challa o trono e consequentemente seu título como Chefe do clã dos Pantera Negras. Portanto, ele não se tornou um novo personagem quando venceu o desafio e tomou o colar da roupa do Pantera. Ele era o novo Pantera Negra ali, assim como nos quadrinhos por um tempo Killmonger foi também o Pantera (e até lutou ao lado dos Vingadores por uma curta história assim). Marca também algumas peculiaridades dessa roupa que são easter eggs diretos dos quadrinhos. O mais evidente é o colar dourado, que T'Challa se recusa a usar por ser mais chamativo, mas um traje com detalhes similares já foi usado nos quadrinhos na fase escrita por Christopher Priest. Nessa época, T'Challa ganhou tons mais sombrios, ao mesmo tempo que uma segurança fora do comum.

Outro detalhe que não pode escapar é que além dos detalhes dourados, quem prestar atenção muito de perto do uniforme vai perceber que diferente do uniforme do T'Challa que é mais limpo, simples, onde só é possivel ver detalhes escritos quando energizado, o traje usado por Erik Killmonger aqui tem manchas em tom ainda mais escuro que o preto do uniforme, lembrando a pele de um Leopardo. Isso se deve provavelmente a pelo menos uma dessas coisas: (a) Erik Killmonger se destacava por sempre andar acompanhado por um Leopardo Mascote chamado Prevy (que sempre morria e voltava sem explicação, mas ok) e (b) Em dado momento curto de sua existência, para evitar problemas com associação política com o partido de nome sinônimo, o Pantera Negra passou a ser conhecido como "Leopardo Negro". E como já devem saber a essa altura do campeonato, Pantera Negra nada mais é do que qualquer felino com uma variação melânica, portanto, é também um leopardo negro.



Outras referências:

Já que falamos do Partido dos Pantera Negras acima, vale aqui uma curiosidade sobre o único lugar dos EUA que aparece no filme - Oakland. Originalmente, Erik Killmonger cresceu no Harlem, mas aqui no filme a mudança para Oakland foi uma amarra que fizeram para cruzar com a criação do Partido dos Pantera Negras em Oakland. Curiosamente, o diretor Ryan Coogler também nasceu em Oakland e com isso não há lugar melhor para ele entender como é passar a juventude.

 Ainda em Oakland, é possível ver vários easter eggs deixado pelo diretor no apartamento onde o pequeno Erik cresceu. Temos pôsters pendurados na parede da banda Public Enemy (lembrando que eles estavam em 1992). Na época era bem evidente ver que a banda de Hip Hop tinha discursos defendendo ou exaltando o partido extremista e algumas vezes foram registrados em fotos usando uniformes parecidos com as roupas do grupo. Outra coisa que vale notar é que quando revisitam em flashback a morte do seu pai, o príncipe N'Jobu, há uma similaridade muito grande com a cena que vimos em Capitão América: Guerra Civil em que T'Challa chora com seu pai T'Chaka nos braços, ambos caídos no chão.



Quando vai a Wakanda, vence T'Challa e consegue ascender ao poder, N'Jadaka literalmente quer inventer diametralmente a politica internacional de Wakanda antes isolacionista para algo inteiramente intervencionista. Quer seguir a premissa literal dos antigos colonizadores, que uma vez sendo superiores tecnologicamente, devem dominar os menos desenvolvidos e ditar o que considera certo. Se as verdadeiras intenções não tiveram esse paralelo claro para o espectador, Erik Killmonger solta em dado momento a frase "O Sol nunca vai se pôr no céu de Wakanda", uma fala que é atribuída ao Império Espanhol e depois o Britânico nos séculos passados. Aqui, Erik literalmente ilustra o ditado que diz que 'o que separa todo revolucionário de um tirano é apenas o dia após a tomada do poder".

Nossa Maratona 616 está quase chegando ao fim e para quem não viu os outros artigos segue o link com a lista de curiosidades que elencamos pra vocês nesses dias. No Domingo saiu um novo podcast, mas você já pode ter um gostinho a mais do Pantera Negra no Inominata 616 ouvindo nossa gravação do programa falando da fase do Christopher Priest. E esse Domingo tem podcast sobre o filme.

Coveiro

Kendrick Lamar que se cuide, pois Shuri e M'Baku arrasaram nos bastidores de Pantera Negra





Kendrick Lamar pode estar fazendo sucesso com o Album do Pantera Negra e batendo recordes agora. Mas durante as gravações do Pantera Negra, quem mandava ver no rap era Letitia Wright, a Shuri, acompanhada do beat box do Winston Duke, o M'Baku. Confira só como era o clima divertido nessas duas filmagens da Lupita Nyong'o:



Além de Letitia e Duke, é possível ver no video acima a Danai Gurira (Okoye) e Angela Basset (Ramonda). O filme do Pantera Negra conta com Chadwick Boseman(T'Challa), Lupita Nyong’o (Nakia), Michael B. Jordan (Erik Killmonger), Forest Whitaker (Zuri), Daniel Kaluuya (W’Kabi), Winston Duke (M’Baku), Andy Serkis (Ulysses Klaue) e Martin Freeman (Everett Ross). Sucesso de bilheteria, o filme já passou dos $500 milhões de dólares e esta seguindo rumo aos mais de 600 milhões neste final de semana.

Coveiro

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Novo arco de X-Men Blue já prevê mortes... e não são poucas!


*Atenção! Informações de histórias inéditas no Brasil e nos EUA!


Com o grupo original perdido no espaço com Venom, que você poderá conferir no crossover X-Men/ Venom, Poison-X, um novo de time de X-Men azul precisou ser criado para enfrentar uma ameaça sob a forma de Destrutor, Senhora Sinistro, Bastion e Emma Frost, sob a forma de Project: Mothervine.

O novo time, que aparecerá em X-Men Blue 25, que já foi apresentada nesse nosso artigo, passará por uma situação apertada que poderá causar algumas mortes, segundo as descrições das edições 27 e 28 do título.



X-MEN BLUE #27

CULLEN BUNN (roteiros) • Marcus To (arte)
CAPA POR R.B. SILVA

Com os Cinco X-Men Originais perdidos no espaço, um novo time de murtante emerge para encarar a Rainha Branca, Destrutor, Senhora Sinistra e Bastion! Mas, enquanto os novos X-Men estão a caminho, os Carrascos participarão, atacando viciosamente Magneto. Magneto é forçado a fazer uma terrível decisão, is forced to make a terrible decision, levando-o mais perto da sua escuridão que ele sempre procurou deixar pra trás.


X-MEN BLUE #28

CULLEN BUNN (roteiros) • Marcus To (arte)
CAPA POR R.B. SILVA

A conclusão da história de Mothervine! O destino final da Rainha Branca e Destrutor revelado!  Magneto revela seu plano secreto - e aliados secretos - contra o caos causado pelo Mothervine! Mas algum X-Men não irá escapar desta aventura com vida!

Então, quem aí acha que Frost e o irmão de Ciclope irão sobrar dessa? E quanto ao X-Man que irá falecer do grupo, quem vocês apostam?

As edições estão com previsão de chegar as comicshops norte-americanas em Maio deste ano.

Marcus Pedro

Hot Toys anuncia Erik Killmonger

As fotos promocionais do action figure do Pantera Negra (que você conferiu aqui) já davam indícios de que o seu antagonista receberia o devido tratamento pela Hot Toys. E sem tardar, a empresa já divulgou fotos com Erik Killmonger em destaque! (Clique nas imagens para ampliá-las)


Killmonger roubou a cena em diversos momentos do filme, solidificando-se como um dos mais marcantes vilões da Marvel Studios. Sua determinação, suas motivações, seus ideais...tudo isso compõe esse antagonista que fez o herói (e a audiência) questionar seus próprios valores. Logo, nada mais justo que ele receba um tratamento da maior empresa de action figures de luxo.





Como de costume, a empresa exibe a atenção em mínimos detalhes: o traje de Jaguar Dourado, com as linhas percorrendo todo o uniforme, dizeres wakandianos em lugares específicos e peças de ouro está fielmente representado. Legal ressaltar que essa roupa da versão cinematográfica não deixa de ser uma referência à sua versão das HQs, já que nelas o personagem luta ao lado de um leopardo de verdade.



Em comparação com o boneco do T'Challa, essa figura não é tão inovadora: enquanto o do primeiro possui linhas feitas de material refletor (para emitirem luz púrpura caso iluminadas com ultra-violeta), as linhas que percorrem o uniforme do vilão nessa peça já estão pintadas permanentemente em dourado.



Obviamente, o personagem vem acompanhado de suas armas: as garras retráteis de vibranium, a ponta de lança e a espada wakandiana de formato exótico.


A Hot Toys ainda está em processo de trabalho em cima dessa peça, por isso, a headsculpt baseada nas feições de Michael B. Jordan ainda está sendo refinada, sendo visto apenas um pequeno borrão dela na imagem acima.


Até a próxima novidade Marvel colecionável,

Daniel Urano.




Em uma semana, Pantera Negra já arrecadou 505 milhões de dólares



E como previsto, Pantera Negra chegou nesta quinta-feira a 500 milhões, ou pra ser mais exato, 505,8 milhões. É um número impactante considerando que só nos EUA temos 277,7 milhões e o resto do mundo soma a isso mais 228 milhões. Até aqui, os cinemas americanos contribuem com mais de 55% do lucro total , mas estão de fora ainda aqui o Japão, China e Rússia. Os números totais em dólares do Brasil também foram finalmente atualizados e o Box Office afirmou que na estreia Pantera Negra arrecadou $9,5 milhões e atualmente já tem mais de 10,6 milhões.

E agora, estamos entrando a partir de hoje num novo final de semana e os analistas especializados já preveem que o filme possa fazer certamente mais de $100 milhões nos EUA. Se for esse mesmo o caso, o filme não só passará dos $300 milhões como pode muito bem já ultrapassar os 400 milhões até a segunda-feira. O resultado disso tudo é mais um marco da Disney que com o Pantera Negra passou a bater a meta de lucro acima dos 14 bilhões agora.

Vamos agora só falar de bilheteria no Domingo. Aguarde também o nosso podcast sobre o filme, e até lá, mais matérias da nossa Maratona 616 do Pantera Negra.

Coveiro

MARATONA 616: Pantera Negra nos Games


Com o sucesso de Pantera Negra nos cinemas, é claro que a gente não podia deixar de falar das outras mídias fora dos quadrinhos em que ele apareceu. Comentamos já dos desenhos animados dias atrás, agora é a vez de revisitar os games:

Marvel: Ultimate Alliance 
Ele aparece como um personagem jogável, e pode ser destravado depois de conseguir 5 de suas figuras de ação. Ele interação especial com os personagens de Nick Fury, Namor, Motoqueiro Fantasma, Doutor Destino e Rapina. No seu disco de simulação, ele combate o Capitão América Sombrio do Mundo da Morte do Arcade. É dublado por Phil LaMarr.



Marvel: Ultimate Alliance 2 
Personágem jogável. Nessa continuação, ele é um personagem que você pode baixar por download, cuja voz é de Tim Russ. Ele é um dos personagens que não foi dominado pelo Fold.




Super Hero Squad Online
Antes da versão Marvel Heroes, o primeiro MMO da Marvel foi o Super Hero Squad Online, onde várias versões de personagens da Marvel se juntavam num mundinho virtual. E Pantera Negra era um desses personagens jogáveis:



Marvel Avengers Alliance
Personagem jogável. Neste game que foi uma das maiores febres dos usuários do facebook e durou com uma grande leva de fãs até seu fim, o Pantera Negra era um dos primeiros personagens que surgiu com a possibilidade de ser recrutado pelo jogador.



Marvel Heroes
Neste primeiro MMO da Marvel, o Pantera Negra é dublado por Jamces C. Mathis III, o mesmo que fez a voz do personagem no desenho dos Vingadores: Os Mais Poderosos Heróis da Terra.



Lego Marvel Super Heroes/ Lego Marvel's Avengers/Lego Marvel Super Heroes 2
Na primeira versão do jogo, Pantera Negra aparecia como um personagem jogável. Já na versão do jogo dos Vingadores, era possível jogar com ele somente comprando do DLC do Capitão América: Guerra Civil. Depois, um outro DLC com a temática do Pantera Negra foi disponibilizando, trazendo Shuri e o Garra Sônica na história.



Marvel Contest of Champions
O Pantera Negra foi um dos primeiros personagens jogáveis da lista de campeões. E agora, com o filme, temos que a versão do "Leopardo Negro" do Erik Killmonger se juntará ao hall de personagens.



Disney Infinity
O Pantera Negro foi uma das últimas adições deste jogo tão divertido da Disney, vindo com a expansão do Disney Infinity 3.0. Tinha mais uma vez a voz de James C. Mathis III. Foi um dos primeiros a vir com a versão do uniforme dos cinemas.



Marvel Fight
Esse jogo de luta em visão 3D para celulares rapidamente tomou o lugar de Torneio de Campeões como o preferido da galera. Recheado de golpes especiais, com o Pantera Negra é possivel usar lanças de energia, garras, adagas de energia e outras habilidades. O jogo também tem atualizações com uniformes e um anúncio recente foi feito em que veremos personagens do filme do Pantera Negra ingressando também no jogo.



Marvel Avengers Academy
Neste jogo onde todos os personagens ganham sua versão jovial e estudantil, T'Challa aparece sem o uniforme mas no inconfundível estilão do Pantera Negra.


Marvel vs. Capcom: Infinite
Um dos últimos anunciados e mais esperados jogos com os personagens da Marvel. Desta vez, o Pantera Negra não ficará esperando no final da luta a Tempestade. Ele é um personagem jogável que vem se você comprar o DLC com ele. Mais uma vez tem a voz de James C. Mathis III. Aqui, ele é rei do mundo misto de Valkanda (uma junção de Wakanda e Val Harbor do game Monster Hunteries).

E um geral de todos os jogos citados , você encontra no video a seguir:



Bônus: Marvel vs Capcom 3: Fate of Two Worlds
Personagem não jogável. Ele aparece apenas na cena final da Tempestade, que é uma das personagens oficiais do jogo.



Pra quem caiu de paraquedas por aqui e não tem conhecimento de nossa Maratona 616, segue o link com a lista de curiosidades que elencamos pra vocês nesses dias. No Domingo saiu um novo podcast, mas você já pode ter um gostinho a mais do Pantera Negra no Inominata 616 ouvindo nossa gravação do programa falando da fase do Christopher Priest.


Coveiro

Letitia Wright fala como Shuri deve se portar quando encontrar outras mentes brilhantes do UCM



Não dá pra enganar. A Shuri se tornou uma personagem altamente querida dos fãs, que já imaginam o crescimento da personagem de modo astronômico no Universo Cinematográfico da Marvel. E com Vingadores: Guerra Infinita vindo aí, tem gente já se perguntando como seria a relação dela com outros gênios como Tony Stark e Bruce Banner:

"Eu acho que ela vai estar OK. Eu acredito que ela seria humilde ao ponto de querer aprender com eles, e desafiar eles também, seja com novos designs ou com novas ideias de Wakanda. E ela vai aprender coisas do oeste porque seu irmão está mais aberto a isso agora. Eu acho que ela vai abraçar isso também. Ela vai segurar a onda" disse Letitia Wright ao L.A. Times. Na conversa, Letitia disse que "Pessoas na idade dela não são comumente colocadas a cargo dessas coisas. Elas tem que ter a supervisão de um adulto a todo tempo. As pessoas ficam falando que a Shuri é a Q do T'Challa como é no James Bond. Ela cuida dele e protege ele. Ela também fala a verdade pra ele.

"Tem muito amor e lealdade entre eles e eles tem um ao outro. Ela cuida dele e ele cuida dela. Eles são a realeza, mas há algo neles em que as pessoas podem se identificar. Eles são um bom time" falou a atriz sobre a relação com o irmão. A atriz comentou na entrevista que andou pesquisando e conversando com muitas garotas africanas que trabalham no campo STEM (Science, Technology, Engineering and Mathematics), ou como chamamos por aqui no campo das "ciências exatas". Na vida real, no entanto, a atriz confessou que não é lá tão inventora, que sabe mexer bem no seu iPhone e é isso. Sobre as tecnologias do filme, comentou que "As manoplas são bem legais. Mas cara, se eu te revelar outra coisa, mas é spoiler" disse ela fazendo mistério, provavelmente pra algo que ainda veremos em Guerra Infinita, talvez.

Para o site Tracking Board, Letitia contou ontem como estava empolgada com a ideia de ser considerada uma das pessoas mais inteligentes nesse novo universo da Marvel nos cinemas. Na mesma entrevista, também contou como foi o dia do seu teste pro papel. "Como tudo que faço, eu apenas fui lá fazer o teste. Eu tive dois testes de tela e depois disso, eu já era parte disto. Foi um bom processo de teste, eu tinha Chad e Ryan, eu realmente me conectei com eles imediatamente. Eu sabia que queria trabalhar com eles e eu sentia que era o certo a fazer. Graças a deus, deu tudo certo" lembrou ela.

Além de Letitia, o filme do Pantera Negra conta com Chadwick Boseman(T'Challa), Lupita Nyong’o (Nakia), Michael B. Jordan (Erik Killmonger), Danai Gurira (Okoye), Forest Whitaker (Zuri), Daniel Kaluuya (W’Kabi), Winston Duke (M’Baku), Andy Serkis (Ulysses Klaue) e Martin Freeman (Everett Ross). Sucesso de bilheteria, o filme estava previsto para passar dos $500 milhões de dólares na noite passada.

Coveiro

Funko divulga imagem da sua primeira peça de Thanos de Vingadores: Guerra Infinita


Aquela frase de Thanos no primeiro trailer de Vingadores: Guerra Civil mais ou menos resume bem o que essa peça aqui simboliza. Afinal, sequer dá pra imaginar que atrocidade Thanos deve ter aprontado pra ter esse sorriso medonho no rosto. É a primeira peça da Funko, de tamanho maior, dando as caras. E essa é exclusiva pra venda nas lojas Target:





Se considerarmos que nos primeiros depoimentos dos filmes dos Vingadores 3 e 4 se falavam em 67 personagens, dá pra imaginar o quanto de Funko novo deve vir por aí né? Bom, algumas peças já foram previamente vistas e divulgadas aqui pela gente.

Coveiro

Agentes da SHIELD: O Homem chamado Letal

Demorou um pouco pra sair, mas parece que a Panini não titubeou em continuar o lançamento em especiais encadernados dos Agentes da SHIELD. Afinal, com o sucesso e elogio cada vez mais crescente na série da TV,não dava pra deixar os fãs orfãos. E esse encadernado que saiu no começo deste ano continua ainda o primeiro volume e é uma reunião de várias histórias com diferentes artistas. Todos eles capitaneados pelo roteiro de Mark Waid. Confira:



No "Estranho Caso de Daisy Johnson e Mister Hyde" (desenhado por Greg Smallwood), a Tremor tem que confrontar depois de muito tempo a figura horrenda de seu pai, Calvin Zabo. Remontando um pouco a história da heróina que até então não tinha ficado tão claro, Mark Waid introduz aqui o apelido Skye como uma forma curiosa do Coulson se relacionar a ela e explica finalmente de forma clara a origem dos poderes dela - Inumana, de fato. Daisy precisa do pai mais uma vez pra ajudá-la a salvar de seus próprios poderes, cujo corpo está reagindo fortemente ultimamente. Zabo se habilita, encontra a cura, mas não perde a oportunidade de recriar uma nova versão da fórmula para si e virar Hyde de novo. Desta vez, ele queria tornar Daisy como ele, mas Coulson reverteu o jogo e tomou o soro virando um mostro como ele. E quem vencerá dentre eles é aquele cujos sentimentos primordiais prevalecerem.



Em "Não era Anjo" (por Paco Medina e Juan Vlasco) , os Agentes da SHIELD terão a participação especial da Harpia, personagem que já esteve como parte do elenco fixo da série por um tempo, para lidar com um caso de um estranho e macabro grupo na internet que está vendendo aprimoramentos corporais feitos com cirurgia pra jovens adolescentes. Daí, ou eles são usados como mercenários ou vendidos como escravos "pets" de bilionários. Após uma missão bem sucedida, as crianças foram recuperadas de volta e poderem ter sua forma física revetida. Contudo, em alguns casos, Coulson ainda vai usar os jovens para ir atrás e dar uma lição em quem apoia tal tráfico.


Em "O Homem chamado Letal" (por Lee Fergunson) , Coulson começa falando com o seu velho amigo Marcus Johnson, mais conhecido como Nick Fury Jr, para desvendar o caso de um misterioso sujeito que parece estar embrenhado em toda a história da própria SHIELD. Todos ex-diretores parece reconhecê-lo mas sem nenhuma memória detalhada do mesmo. Esse tal Homem chamado LETAL agora convoca Coulson, que poderia ser o próximo a sentar na cadeira de diretor, e isso o leva um dos mais simbólicos lugares das revistas antigas do Fury, a base secreta embaixo da barbearia. A história aqui, que é praticamente uma comemoração dos 50 anos da Agencia de espionagem, traz a participação de vários nomes que já participaram ativamente das histórias ao longo deste tempo como Dum Dum Dugan, Condessa Valentina e Jasper Sitweell. Ao chegar fundo no lugar, Coulson finalmente se deparou com o sujeito que pode ter controlado a SHIELD com sugestoes pós-hipnoticas por todo esse tempo. Ele relata aquilo que supostamente é a história secreta da SHIELD (mais ou menos seguindo o que conhecemos das minisséries do Hickman) e dá entender que seja o próprio Leonardo da Vinci. Letal então conta seu elaborado plano, que culminaria em mais uma vez mover as coisas na SHIELD, matar Maria Hill e colocar Coulson como novo diretor. Desta vez, diferente dos outros que entraram em contato com ele, Phil estava preparado e usou a hipnose contra o próprio Letal. No fim, apesar de ele conseguir escapar, deu tempo de salvar a vida de Maria Hill aquele dia.



A história de "Um Pato chamado H.O.W.A.R.D."  (por Evan Doc Shaner)  consegue ser mais insana do que naturalmente são as histórias desse irreverente personagem da Marvel. O Agente Fitz e o Agente Warrick (aquele que manja de conhecimentos arcanos e tem cara de Coruja) tem que convencer o nosso querido Pato Howard a entrar numa missão insana para salvar a realidade de um efeito colateral da saga Aranhaverso. Era preciso de alguém de outra dimensão (só com pessoas patos e literalmente fechar o tecido aberto da realidade com um puxador de ziper gigante). Acidentalmente, Howard e Fitz são jogados na realidade onde todos são patos. Encontram versões patos dos Mais Poderosos Heróis da Terra, tem que lidar com um vilão, que personificou o pior pesadelo de Howard, um dono de restaurante francês que serve foie gras, e por fim acabar com a ameaça de uma versão do Galactus chamada Figadeiro. Este ser cósmico tinha uma fenda na realidade no lugar de sua barriga inchada e era preciso fechar sua camisa (com o puxador de ziper) para por fim ao problema. E assim foi feito, mas não antes de Howard e Fitz ficarem perturbados com coisas que viram em outras realidades quando quase entravam na barriga do Figadeiro.



Em "A Favor de Fortune" (de Howard Chaykin) é praticamente um revival saudosista com o antigo personagem Dominic Fortune, um misto de aventureiro e mercenário dos anos 50 em que contava muitas vezes com a sorte (Fortuna) pra sair de seus apuros. Hoje, muito mais velho, Dominic vai precisar de uma ajudinha de Coulson e sua turma para expulsar a HIDRA do seu barco, o 'Rainha do Mississipi ' (que na verdade era um grande barco-cassino de um dos seus maiores amores, Sabbath Raven). A história tem uma linha muito mais "007" das antigas e é divertido ver o Coulson falando que é bom não conhecer seus ídolos para não se decepcionar.
É curioso lembrar aqui também que o personagem já foi cogitado aparecer numa série spin-off de Agentes da S.H.I.E.L.D. chamado Most Wasted, que acabou sendo cancelado pela ABC após avaliarem o piloto.

Regicida (desenhada por Joe Bennet)
A Terra foi destruída e os culpados foram os Asgardianos. Tudo causado pela morte de Odin, que foi esfaqueado pelas costas em seu trono e a culpa recaiu sob Midgard. Com isso, uma grande batalha ocorreu e muitos pereceram, até mesmo os dois Thor tombaram tentando defender a Terra. E quando os Mais Poderosos Heróis do Planeta não podem mais ajudar, eis que temos os Agentes da SHIELD. Numa missão com todo o principal time do seriado - Coulson, May, Fitz, Jemma e Daisy - , os Agentes da SHIELD são cobram um dívida de Heimdall (ver edição anterior) e são levados para Asgard e pro passado num momento em que Odin estava vivo. Disfarçados de asgardianos e escondendo nas mãos as armas que outrora os heróis caídos portavam, eles se infiltram no palácio do Rei e chegam no momento exato em que o assassino de Odin iria agir.



Juntos, eles de fato detém o assassino, que parece ter poderes para controlar o tempo e congela todos ao redor menos ele e os midgardianos. Aos poucos, as armas do passado vão desaparecendo uma a uma e Coulson percebe que com isso impediu o fim de midgard no futuro. Odin, que nessa hora despertou, usou sua magia e transformou seu potencial assassino numa ampola. Depois, o Pai de Todos custou a acreditar na conversa dos Agentes da SHIELD, mas aceitou e transportou-os para a Terra. No fim, o mundo estava a salvo e Fitz conseguiu pontuação suficiente no seu treinamento pra ganhar um macaco de estimação.


Assim como no outro encadernado, são histórias soltas e quase nunca pretensiosas. Talvez, a mais interessante, a do Homem Chamado Letal, merecesse mais atenção por ditar um escopo grandioso que pouco gente que lê Marvel conhece sobre o passado da SHIELD. No mais, diversão bem passável, mas que deve estar rendendo já que a Panini não demorou quase nada pra soltar um terceiro encadernado com a nova e última fase dos personagens - Agentes da SHIELD: Protocolos Coulson.

Coveiro

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Agentes da SHIELD: Novas fotos e video especial pro episódio 100!

Nesse momento, a quinta temporada de Agentes da SHIELD está dando uma pausa. E os fãs mal podem esperar para a volta do sério. Afinal, o décimo segundo episódio deste ano que vem aí é equivalente ao centésimo episódio de todo o seriado e a produção está reservando uma coisinha especial. Confira as fotos dos próximos capítulos juntamente com um video especial de comemoração do episódio 100:



















E o pessoal da Marvel Entertaiment resolveu brincar com alguns fãs hardcore do seriado e ao convidá-los para eles parabenizarem o episódio 100, foram eles próprios que foram presenteados com a presença do elenco:



Nessa quinta temporada, temos a volta Clark Gregg como Agente Phil Coulson, Ming-Na Wen como Agente Melinda May, Chloe Bennet como Daisy Johnson, Iain De Caestecker como Agente Leo Fitz, Elizabeth Henstridge como Agente Jemma Simmons, Henry Simmons como Agente Alphonso “Mack” MacKenzie e Natalia Cordova-Buckley como Elena “Yo-Yo” Rodriguez. Os novos nomes incluem Jeff Ward como Deke, Catherine Dent como General Hale, Dove Cameron como Ruby, Brian Patrick Wade como Carl Creel, Briana Venskus como Agente Piper, Shontae Saldana como Candice Lee, Antonio Aaron como Officer Kennedy, Stewart Skelton como Chefe Wellins, Patrick Warburton como General Stoner, e Joel David Moore como Noah.

Coveiro