A SAGA INFINITO FINALMENTE NO BRASIL

Depois dos eventos catastroficos da Era de Ultron e de toda a desconfiança que as demais raças cósmicas tinham quanto aos terráqueos, já era de se esperar por alguma represália. E ela veio sob a forma do nome que até mesmo a morte se nega a aliar, Thanos. Mas quais são suas prerrogativas desta vez? E porque sua ofensiva esta atemorizando todos os demais impérios galacticos?

OS X-MEN SE ENFRENTAM NA BATALHA DO ATOMO

As confusões cronologicas dos X-Men começam também a repercutir nas suas vidas. Agora, passado, presente e futuro se chocam no mais novo crossover dos mutantes em A BATALHA DO ATOMO!

Casos de família!

Os X-Men são uma grande famílias, mas isso não significa que os pequenos núcleos familiares não são explorados pelas duplas criativas que passam pela franquia. Confira um podcast especial sobre as famílias mutantes mais importantes!!

CONHEÇA ULTRON

A equipe do Marvel 616 foi além e resolveu que falar sobre a Era de Ultron não era suficiente! Era preciso ir mais além e resolvemos dedicar um programa inteiro sobre o robô e suas principais histórias com os Vingadores.

A ERA DE PRATA DA MARVEL

Foi aqui que tudo realmente começou. Saiba os bastidores de criação da Marvel como a conhecemos hoje, com Stan Lee, Jack Kirby, Steve Dikto, Roy Thomas e tantos outros pioneiros da Casa das Ideias.

X-Men e Vingadores se batem de novo!

A saga mais esperada do ano, pelo menos para os fãs dos mutantes, acaba de começar nos Estados Unidos, e o Mutação em Debate preparou o terreno conversando sobre o que Rick Remender veio preparando para desembocar em AXIS. Ouça o podcast!!

ORIGINAL SIN no Mutação em Debate

Mais uma megassaga Marvel chegou ao fim, e o Mutação em Debate dedicou um programa inteiro para discutir o que aconteceu na minissérie e nos principais tie-ins. Confira tudo o que o pessoal tem a dizer sobre Original Sin!

E QUE VENHA A FASE 3 DOS CINEMAS...

Certamente, um dos anuncios mais fantasticos desse ano. O evento realizado pela Marvel Studios este mês anunciou de uma vez só TODOS os filmes que farão parte da fase 3 da Marvel nos cinemas. Com tanta novidade, o Marvel616 se juntou com o pessoal do TerraZero pra falar sobre essa avalanche de boas novas! Não deixe de escutar!!

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Edição de Guardiões das Galáxias Especial com Gustavo Duarte é lançada no Brasil

Esse é certamente aqueles lançamentos que era "batata" chegar aqui numa forma especial. Afinal, não é todo dia que temos a reunião de um dos mais fabulosos quadrinhistas independentes do nosso mercado nacional trabalhando com uma já clássica equipe de baderneiros especiais da Marvel. Já tínhamos anunciado aqui esse lançamento no meio do ano e a Panini já se adiantou para garantir que essa revista chegasse de um jeitinho muito especial pra este Natal. Espia a capa:



No ano de 2061, os Guardiões continuam sua árdua batalha contra aqueles que ameaçam o universo, e seu adversário na ocasião não poderia ser mais aterrador: o Galactus Prateado! Originalmente esta história foi publicada na edição especial 100th Anniversary Special: Guardians of The Galaxy 1, escrita por Andy Lanning e Ron Marz, e colorizada por Edgar Delgado. Mas o destaque que vamos dar aqui - é claro - será para Gustavo Duarte. Guardiões da Galáxia:Marvel 75 Anos tem formato 17 x 26 cm, 28 páginas, papel LWC, capa couché e custará um preço bacana, R$ 5,50. É pra novos, velhos, futuros fãs!

Coveiro

O que vem por aí nas mensais de Magneto e de Ciclope

Informações Inéditas no Brasil e nos EUA!!


Dois títulos-solo da franquia, Magneto e Ciclope, tiveram suas novidades reveladas pelos roteiristas no X-Position do CBR. Confira quais são!!


Começando com Cullen Bunn e as notícias de Magneto, Polaris está confirmada para aparecer no título, agora que All-New X-Factor foi cancelada. Genosha também será importante na série, principalmente porque o local está muito interligado ao passado de Magnus. A ruína de Genosha afetou Magneto imensamente, e isto será mostrado na edição #13.


Um dos elementos que serão mantidos é a presença de Briar Raleigh nas histórias. A coadjuvante também terá relevância na edição #13, que indicará novos rumos para ela.

No futuro, Magneto voltará a pensar grande. Até o momento ele tem lidado com ameaças à espécie mutante, mas sem nenhuma grandiloquência. A mudança começa a ocorrer em AXIS e se aprofunda entre as edições #14 e #16 da mensal. Bunn confirmou que já tem ao menos mais dez edições planejadas daqui para frente.


Para as próximas edições, devemos esperar mais violência: a contagem de corpos não parará.


Terminando com John Layman e o que vem por aí na mensal do Ciclope, foi revelado que a mensal de Ciclope não estará envolvida no cross Black Vortex. Entretanto, um encontro entre Scott e Jean está programado para a edição #12.

No título mensal, podemos esperar mais raças alienígenas, os Shi'ar causando problemas para Scott e um flerte entre o protagonista e a filha do Capitão. Os Piratas Siderais continuarão a ser importantes, mas sem ofuscar o foco em Ciclope e Corsário. Sobre o relacionamento de pai e filho, ao mesmo tempo em que Ciclope está tentando não se transformar em quem ele veio a ser, o Ciclope adulto, Corsário está tentando ser o pai que outrora não foi, participando mais ativamente da formação do filho.


Até o próximo X-Position!

Descubra os mais de 40 mundos da Nova Guerras Secretas

* Atenção! Informações inéditas no Brasil e EUA!


Depois da grande revelação relacionada aos teasers que sairam esse ano e que serão ligados a saga Guerras Secretas de 2015, a Marvel resolveu adiantar um mapa-guia dos 41 territórios divididos onde se darão a batalha. Enquanto em alguns casos temos lugares com nomes ainda em segredo, outros mostram que podem conter mais de uma realidade num só canto - Como o 20, que abrange a Manhattan 616 com a Ultimate, Attilan ainda não destruida nos céus e a Monstropólis logo abaixo.


Basta clicar pra ampliar e se divertir

Observando direitinho, os diversos territórios não são apenas realidades diferentes, mas também temporalmente divergentes e também pedaços de outros planetas. É só observar o mundo de 2099, uma nova Hala e Xandar, e até o mundo de Howard. Durma com essa!

Coveiro

Avante, Vingadores: Missão de Resgate



A também roteirista de Capitã Marvel, Kelly Sue DeConnick é também a atual escritora do título Avengers Assemble desde a saída de Brian Michael Bendis do título.  E em suas histórias ligadas a saga Infinito, ela resolveu focar nas suas duas principais protagonistas femininas. E se Carol Danvers já estrela seu próprio título, cabe a Jessica Drew ser o destaque daqui dessa vez. E tudo começa quando tudo vai mal na Batalha do Corredor como vimos na saga principal...

As duas equipes foram divididas entre o Capitão America e a Capitã Marvel, mas Jessica teve a impressão de estar do lado errado. Sua melhor amiga que estava com um baita problema recente (como vimos em Capitã Marvel 3) partiu na mesma nave com seu ex-namorado como co-piloto. Ou talvez, parte dela quisesse que eles nunca mais voltassem. Mas coube a ela ficar com os demais e apenas seguir as ordens de Rogers, até que a coisa começou a desandar na batalha principal. Naves de Construtores surgiram do nada e a coisa ficou feia pro lado do Conselho Intergalático.

Formando uma dupla inusitada, a Mulher-Aranha saiu para o exterior da nave com o Hulk para um corpo a corpo com os Alephs. E por mais que ela estivesse desesperada por um bom quebra-pau, ela acabou se distraindo e separando-se dos demais. Com risco de se perder para sempre, algo que Jessica nunca imaginou passar na vida aconteceu. Ela foi salva por um Skrull. É aquele velho ditado de que a vida da voltas. Em contrapartida, a equipe da Capitã Marvel ao tentar resgatá-la dali acabou se dando muito mal e foi capturada pelo inimigo (como também vimos na minissérie principal e na edição 3 de Capitã Marvel).



Jéssica nunca foi de aceitar bem a derrota, e ser responsável assim pela perda de pessoas queridas não era algo que aceitaria fácil. Pra piorar, o local onde eles estavam de resguardo e protegendo algumas vítimas recentes dos Construtores, foi descoberto e também atacado. Com ajuda dos seus feromônios, Jessica conseguiu coordenar melhor a evacuação da área como ninguém.

Mais tarde, após sobreviverem ao ataque, chegou a hora do troco. Uma equipe de resgate foi organizada pelo Capitão América pra invadir um cruzador dos Construtores onde informações levavam a acreditar que a equipe da Capitã Marvel estivesse por lá. Com ajuda do teletransporte de Eden, eles invadiram o local e realizaram a operação de resgate com sucesso (como vimos anteriormente também na minissérie principal).  Assim, Jessica conseguiu salvar a sua melhor amiga e seu ex... só para finalmente ter uma conversa final e acabar tudo de vez.


Publicadas aqui no Brasil nas edições 12 e 13 de Avante, Vingadores!, essas histórias acabam se tornando até desnecessárias depois de revermos esse trecho da batalha por tão diferentes óticas. Há um trecho bacana envolvendo o drama de Jessica com o tal Skrull, mas nada mais a se adicionar que já não tivéssemos percebido na versão do mesmo evento pela ótica da Capitã Marvel (que, por sinal, não iria mal se as duas fossem contadas apenas numa revista só). Daqui, não dá nem pra elogiar muito a arte interna de Barry Kitson. Em compensação, as capas feitas por Jorge Molina são de arrepiar.

Coveiro

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Escolhido o ator que interpretará o Apocalipse no cinema


"X-Men: Apocalipse" está programado para Maio de 2016 e parece que a Fox já escolheu o ator que irá interpretar o vilão que dá nome ao futuro filme. Confira...

Capitã Marvel: O Infinito e o Fim



Ainda na edição 3 do volume não-periódico da Capitã Marvel, também encontramos uma leva de mais três histórias finais além da conclusão da saga “Inimigo Anterior”.  Parte da história se conecta com a maxissérie Infinito, explicando com muito mais detalhes tudo que aconteceu quando a equipe de Danvers foi capturada pelos Construtores. Todavia, o mais importante a se tomar nota aqui é... o que aconteceu com nossa heroína após sofrer com sua lesão no final do arco anterior?

Para quem esta  acompanhando Infinito, essa história conectada com a Capitã Marvel dá uma boa trabalhada nos eventos que envolveram a mesma durante a primeira grande batalha entre o Conselho Intergalático e os Construtores. Ela também é altamente conectada com a história da Mulher-Aranha, também roteirizada por Kelly Sue DeConnick, em Avante Vingadores.

Carol ouve o grande discurso do Capitão América antes da luta e separa sua equipe. Ela ainda tem bastante controle e liderança, mas finge qualquer contato mais intimo com sua equipe. Sua memórias se foram depois da batalha contra Yon-Rogg e agora tudo que ela sabe é pelos arquivos digitais dos Vingadores. Ela sabia que a Mulher-Aranha era sua melhor amiga, mas não houve sentimento quando a mesma corria perigo  ao tentar salvar uma nave skrull. Quando sua nave estava em perigo, ela decidiu ser a ultima a se sacrificar pela sua equipe, mas aquela atitude não passava de um protocolo a se seguir. E quando foi pega pela explosão que a deixou exposta ao espaço, seu corpo reativou seus poderes como Binária, mas tudo aquilo era apenas uma memória corporal.

Uma vez de posse de tamanho poder cósmico, Carol até aproveitou a situação para tomar vantagem e levar consigo uma grande leva de Alephs que atacavam o local. Foi assim que garantiu a fuga de muitos, mas não de sua tripulação. Capturados pelos Construtores, Carol foi a única a ser interrogada por uma das Jardineiras. Lá, tomou conhecimento da traição de J’son e do temor que os Construtores tinham da sua versão de Capitã Marvel. Mais tarde, ela seria salva pela equipe da Mulher-Aranha e Shang-Chi (como vimos na minissérie principal), mas a própria Carol iria dar um jeito caso o resgate demorasse um pouco mais. Por fim, ela quem motivou Kevin Connor, o Estigma, a usar seu incomensurável poder e detonar toda uma frota dos Construtores.



Mas para a heróina, talvez, a principal história seja a que se segue após os eventos do Infinito. Ela marca o fim deste volume e traz de novo Filipe Andrade para a arte. Carol está tentando retomar sua vida particular, mas sem suas memórias mais antigas tudo parece ser mais difícil. Todavia, ainda há ali pessoas próximas que ela sabe que são queridas para ajudar. Sua pequena vizinha, Kit, é sua grande admiradora (e se considera a sidekick da personagem) frisando sempre suas motivações para as atitudes heroicas. Sua assistente Wendy e a amiga Tracy ajudam-na a reconstruir sua mudança para fora do seu atual apartamento. E até seu recente affair, Frank, prefere dar um tempo e não se aproveitar da situação mais frágil da moça preferindo assim só amizade. Do prefeito Jamenson, ela até ganha algo mais do que a cidadania Nova Iorquina, mas também uma nova moradia bem na cabeça da Dama da Liberdade. A coisa só não vai 100% bem porque Carol tem que evitar um ataque terrorista misterioso feito por drones (de uma nova suposta inimiga, a empresaria Gracie Valentine).

Mas talvez, o momento mais simbólico de toda essa história seja quando a menininha Kit vai até a nova “casa” da Capitã Marvel ajudar na mudança e lhe mostra uma revistinha que criou sobre a heróina. De forma comovente, ela se coloca na missão de “contar a história” de sua intrépida heróina predileta para a própria Carol. E num epílogo pro futuro, outra fã da Capitã Marvel parece ganhar poderes na cidade de Nova Jersey.



E assim chegamos ao fim do primeiro volume da nova Capitã Marvel, que já adiantamos que retorna com a mesma roteirista numa nova leva de edições. É provável que a Panini continue até mesmo a numeração de onde parou (não veria necessidade de mudar). É um time que começou meio modesto até nas histórias, mas tomou uma direção própria pra personagem (coisa que a tempos estavam devendo). E com a vinda do filme por aí, é provável que a coisa só fortaleça até lá. Por fim, como bem mostra nas últimas páginas, é hora do Brasil começar a se preparar pra receber uma nova pessoinha para assumir o agora vago título da Ms. Marvel.

Confira as resenhas anteriores aqui e aqui e aqui!

Coveiro

Capitã Marvel: Inimigo Interior

Continuação direta do primeiro e segundo encadernado da Capitã Marvel no Brasil, seguindo a nova fase da heroína Miss Marvel na Nova Marvel, o volume 3 conta com nada menos que 180 páginas que reúnem um baita crossover  homônimo ao nome deste artigo e uma baita Tie In com a maxissérie Infinito. E tudo começa com o problema que ainda aflige Carol Danvers desde a última edição, uma lesão em seu cérebro que pode condenar completamente sua identidade.



Em parceria direta com sua amiga de longa data, Jessica Drew, Carol tem que se adaptar a sua vida agora limitada como heroína – Sem voar, sem poder despender todo seu potencial. Todavia, o destino não vem pegando nada fácil com a Capitã Danvers. Como se fossem fantasmas do passado, velhos vilões surgem no seu caminho. As vilãs classe D chamadas de “Arpoadoras” batem de frente com ela e Jessica. Já no Central Park, Carol se alia ao Thor para dar conta de Dinossauros que parecem ter saído de seus pesadelos no tempo que esteve na Terra Selvagem. Mais pra frente, junto aos Vingadores, ela combate a Ninhada.

Em todas as situações, a heroína se vê na obrigação de desobedecer ordens e voar. E assim, aumentar sua dor de cabeça. E em todas as situações, assim como foi na história anterior com a Rapina, parece que alguém esta mexendo com sua vida e colocando em risco a vida de pessoas próximas. Obviamente, se você nos acompanhou na história anterior, sabe que quem está por trás disso é o comandante Yon-Rogg, que passou anos no limbo, apenas dado como morto. Rogg era o superior do Capitão Marvel, o original, e de alguma maneira ele culpa também Danvers pela sua grande derrota na Terra.

Dado momento da história, Yon-Rogg tenta contato com os Krees a fim de pedir sua extração para Hala em troca de entregar a Terra para seu povo. Todavia, as diretrizes dos Krees mudaram bastante desde seu sumiço e seu pedido foi completamente ignorado. Então, ele passa agora para uma outra iniciativa, roubar do apartamento de Danvers o pedaço de psicomagnetron (que deu origem aos poderes de Carol e que ela recuperou na edição 1 deste volume) e se tornar assim um super-vilão, o Magnetron.

Ao se dar conta de seu apartamento ter sido arrombado e pedir ao seu vizinho (nem um pouco querido) a fita de segurança do corredor, Carol consegue finalmente descobrir a verdade por trás de seu grande e outrora desconhecido inimigo, Yon-Rogg. Todavia, o Kree exilado já tinha dado inicio a seu audacioso plano e começou a despertar Sentinelas Kree ao longo de todo o planeta. Diversas dessas máquinas conscientes começaram a causar confusão no globo e entrar numa espécie de formação. E em resposta, muitos membros dos Vingadores foram escalados para detê-las.

 Aos poucos, o plano de Rogg foi se mostrando. Por mais que os Vingadores lutassem, os Sentinelas Kree formaram uma espécie de redoma protetora em formato da estrela de Hala. E tudo que estaria embaixo dela seria transformado na nova Kree-lar, a sua versão da nova capital de seu império. Atraída para o centro do lugar, finalmente Carol descobriu a verdadeira natureza de sua lesão na cabeça, criada pelo próprio psicomagnetron no passado e que foi crescendo aos poucos até hoje. E dentro dela também estava parte de Yon-rogg, que ao sumir na explosão que deu os poderes da Miss Marvel no passado, supostamente foi absorvido para dentro dela.

Yon-Rogg agora tinha sua independência, mas ainda precisava de parte do psicomagnetron que estava dentro de Carol, alguém que ele conhecia muito bem ao longo de todos esses anos. Então, o último embate aconteceu em Nova York, bem no centro da tal Estrela-Hala. Carol estava enfraquecida e seus poderes sendo usados para alimentar o plano de Rogg. Para impedir que o Kree tivesse êxito, Danvers voou alto, além da orbita, o que exigiu tudo de sua lesão criada pelo psicomagnetron e junto acabou com sua identidade.  Foi  o fim do plano do Kree, que acabou preso pelo Capitão América. Já o real destino da nossa heroína, ficou para as histórias seguintes.



Tenho que confessar que no começo, até pelos trabalhos dela na minissérie do Osborn, não dei muita fé na Kelly Sue DeConnick como roteirista. Mas ela conseguiu dar uma boa resgata na origem da personagem, inclusive trazendo elementos clássicos da era do Capitão Marvel quando ainda mal vestia seu tão conhecido uniforme azul e vermelho. Ela não cai em nenhum tipo de clichê pra tratar da vida pessoal da personagem. Conseguiu também dar uma trabalhada bem interessante ao tema do câncer (mesmo sem nomear a doença assim), resgatando também um pouco da fase clássica do Mar-vell aí. Na arte, Scott Hepburn e o português Filipe Andrade também foram felizes.

E ainda neste mesmo número, temos INFINITO. Mas deixaremos pra falar disso daqui a pouquinho...

Coveiro

domingo, 23 de novembro de 2014

Box especial pras Guerras Secretas originais em 2015

Pro próximo ano, já é certo que nenhum leitor vai falar de outra coisa senão a nova saga - de velho nome - Guerras Secretas, que permeará o universo Marvel ao longo de todo o ano. Pensando já nisso, a editora resolveu lançar um Box com não só toda a saga original, como também a Guerra Secretas II e um monte de material extra. Espia só que legal:




Seguindo a mesma linha da caixa especial de 75 anos lançada este ano, esse novo set sai com 11 edicões de capa dura que incluem a seguinte listagem:




MARVEL SUPER HEROES SECRET WARS: TO BATTLEWORLD AND BACK PREMIERE HC com 334 páginas e colecionando as edições Amazing Spider-Man (1963) #251–252, Incredible Hulk (1968) #294-295, Iron Man (1968) #181-182, Thing (1983) #10, Uncanny X-Men (1981) #180-181, Captain America (1968) #292, Avengers (1963) #242-243, Thor (1966) #341 e materiais encontrados na Fantastic Four (1961) #265

MARVEL SUPER HEROES SECRET WARS PREMIERE HC com 328 páginas e contendo a saga original Marvel Super Heroes Secret Wars #1-12

THING: BATTLEWORLD PREMIERE HC com 328 páginas e contendo as edições Thing (1983) #11-22, e Fantastic Four (1963) #274 e #277

SECRET WARS II VOL. 1 PREMIERE HC com 280 páginas coletando as edições Secret Wars II #1-3, New Mutants (1983) #30, Captain America (1968) #308, Uncanny X-Men (1981) #196, Iron Man (1968) #197, Web of Spider-Man (1985) #6, Amazing Spider-Man (1963) #268, Fantastic Four (1961) #282 and Avengers (1963) #260.

SECRET WARS II VOL. 2 PREMIERE HC com 296  páginas coletando as edições Secret Wars II #4-6, Daredevil (1964) #223, Incredible Hulk (1968) #312, Alpha Flight (1983) #28, Dazzler #40, Avengers (1963) #261, Thing (1983) #30, Doctor Strange (1974) #74, Fantastic Four (1961) #285 and Cloak & Dagger (1985) #4

SECRET WARS II VOL. 3 PREMIERE HC com 296  páginas coletando as edições Secret Wars II #7-8, Power Pack (1984) #18, Thor (1966) #363, Power Man & Iron Fist #121, New Mutants (1983) #36-37, New Defenders #152, Amazing Spider-Man (1963) #273, Spectacular Spider-Man (1976) #111 and Uncanny X-Men (1981) #202

SECRET WARS II VOL. 4 PREMIERE HC com 288 página das quais tem-se Amazing Spider-Man (1963) #274, Avengers (1963) #265-266, Uncanny X-Men (1981) #203, and Fantastic Four (1961) #288 and#316-319 ( No Brasil, parte dessas histórias do Quarteto saiu como uma suposta Guerras Secretas III).

SECRET WAR PREMIERE HC com 344 páginas e as edições New Avengers: Illuminati (2007) #3, a nova saga de nome quase homônimo Secret War #1-5, Pulse #6-9 and Secret War: From the Files of Nick Fury

BEYOND THE SECRET WARS PREMIERE HC com 352 páginas e juntando  a minissérie Beyond! #1-6, Spider-Man & The Secret Wars #1-4, What IF? (1989) #4 and #114, What If? Secret Wars, and Venom/Deadpool: What If?

MARVEL SUPER HEROES SECRET WARS: BEHIND THE SCENES PREMIERE HC com 360 páginas e um monte de extras contendo os Segredos por trás das Guerras Secretas! São materiais da MARVEL SUPER HEROES SECRET WARS, SECRET WARS II, SECRET WAR, BEYOND! e muito mais! Com posters e sketches da MARVEL AGE e OFFICIAL HANDBOOK — Tem arte original de  Mike Zeck da MARVEL SUPER HEROES SECRET WARS #1, e de Sal Buscema pra SECRET WARS II #1!

E, por fim  uma MARVEL SUPER HEROES SECRET WARS ALEX ROSS POSTER

No final, são mais de 3.500 páginas para deleite de qualquer colecionador! Alguém duvida que a Panini DEVERIA trazer algo assim pra cá daqui a dois anos?

Coveiro

Acredite! Marvel anuncia outra Graphic Novel de Thanos feita por Jim Starlin!

A Marvel anunciou através de um comunicado à imprensa o lançamento de mais uma Graphic Novel inédita de Thanos produzida pelo seu criador, Jim Starlin, que chegará em junho de 2015: "Thanos: The Infinity Relativity". Ela fará parte do selo OGN (Original Graphic Novel) e dará sequência ao lançamento deste ano, "Thanos: The Infinity Revelation ", que Starlin também escreveu e ilustrou.

Na trama, veremos o Aniquilador recuperar o seu trono na Zona Negativa e mais uma vez declarar guerra ao nosso universo. Uma equipe de "protetores improváveis" - incluindo os Guardiões da Galaxia, Gladiador e Adam Warlock - terá que se unir para combatê-lo. Warlock, que ainda se recupera de seu mais recente renascimento, será forçado a procurar a ajuda de um aliado improvável - Thanos.

Starlin começou sua carreira na Marvel no início dos anos 70, quando ele apresentou Thanos como um vilão do Homem de Ferro. A partir daí, ele começou a tecer uma narrativa abrangente ao longo de vários títulos diferentes, trazendo um alto nível de coesão para a linha cósmica incipiente da Marvel. Seu trabalho em "Warlock", "Capitão Marvel" e "Strange Tales" introduziu personagens como Gamora e Drax no Universo Marvel.

A linha Marvel OGN tem crescido lentamente desde seu lançamento em 2013 com "Avengers: Endless Wartime", por Warren Ellis e Mike McKone  (a única lançada no Brasil até o momento pela Panini). Três novas OGNs foram publicados em 2014: "Amazing Spider-Man: Family Business", de James Robinson, Mark Waid, Werther Dell'edera e Gabriele Dell'Otto; "X-Men: No More Humans" por Mike Carey e Salvador Larroca e a já mencionada "Thanos: The Infinity Revelation" por Jim Starlin. Esta última, aliás, será a primeira OGN que terá continuidade em outra posterior.

De acordo com o autor em uma entrevista concedida ao Newsrama, os eventos dessa nova OGN se sucedem aos que ele começou a narrar, pela ordem, em "The Thanos Annual", "Thanos vs. The Hulk", "Thanos: The Infinity Revelation" e "Thanos: The Infinity Relativity". Starlin pretende continuar com a trama em uma possível nova minissérie, ainda sem título e o clímax está previsto para uma terceira graphic novel escrita e desenhada por ele para o Titã Louco. Espero que a Panini publique tudo por aqui.

Confira abaixo a tradução que fizemos do comunicado da editora à imprensa:

"A missão do Titã Louco em busca do poder absoluto continua em THANOS: THE INFINITY RELATIVITY OGN, do lendário criador Jim Starlin. A obra dará sequência ao "best-seller" "Thanos: The Infinity Revelation", e marca outro oferecimento estelar da Marvel para a linha OGN, apresentado os maiores super-heróis do mundo trazidos à vida pelos criadores mais populares da indústria num formato de publicação diferenciado.

O Aniquilador, senhor da Zona Negativa, re-ascendeu ao poder, mais perigoso e mais mortal do que nunca. Quando ele e seus exércitos renovam seu assalto ao nosso universo em busca de uma fonte de energia infinita, uma frágil aliança dos protetores mais improváveis do universo irá se formar para detê-lo.

Agora os Guardiões da Galáxia, o Gladiador, Majestor do Império Shi'ar, Adam Warlock e outros heróis deverão se unir como nunca feito antes! Além disso, o ciclo de morte e renascimento de Adam Warlock o deixou mais confuso do que nunca. Qual é o seu propósito no universo? Por que ele está aqui? Com sua "Infinity Watch" reunida ao lado dos Guardiões da Galáxia. a ameaça do Aniquilador pode terminar de uma vez por todas - mas para isso eles precisam da ajuda de mais alguém.

Será que o destino de tudo está nas mãos ... de Thanos?

Descubra o que vai acontecer quando Jim Starlin, a lenda dos quadrinhos, retorna para seu novo épico cósmico em THANOS: THE INFINITY RELATIVITY OGN!

Escrito por Jim Starlin

Arte e capa por Jim Starlin

Lançamento em junho de 2015!"

Fonte: CBR


sábado, 22 de novembro de 2014

Howard, o Pato, ganha mensal


É isso mesmo pessoal. Após fazer uma aparição mais do que especial no filme dos Guardiões da Galáxia, o pato mais famoso da Marvel Comics voltará a ganhar seu espaço ao sol.

Antes que você comece a surtar e reclamar que são os sinais da Disney começando a dominar a Marvel, saiba que o Howard não é o Pato Donald. Ele é um personagens que já existe desde a década de 70 e que sempre teve histórias mais ácidas e voltadas para o humor.



O escritor dessa nova HQ será Chip Zdarsky, que é desenhista de Sex Criminals (revista muito elogiada da editora Image e que é escrita por Matt Fraction) já o desenhista será Joe Quinones, grande conhecido dos leitores por já ter feito trabalhos com a Fundação Futuro, Jovens Vingadores e ser um dos principais capistas da Capitã Marvel.



Algumas alterações foram feitas no visual do personagem. Uma das mais notáveis foram os seus olhos. Para tentar deixar ele mais realista, menos cartoon, ele ganhou olhos menores. A intenção foi a de transformar ele em um personagem animal que se assemelhe visualmente ao Rocket Raccoon, no sentido de ser "fantástico" e crível ao mesmo tempo.



A revista estará a venda em março de 2015, onde veremos as aventuras do pato como um investigador particular.

Pela internet, muitas pessoas estão ansiosas pelo lançamento, prevendo inclusive que o futuro da revista será recheado de prêmios. O que vocês acham?


Kinhu Heck

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Vingadores: Primeiro nos rendemos, depois vencemos...


A situação tem ficado cada vez mais crítica para os Vingadores que lutam no espaço assim como para todo o Conselho Intergaláctico que decidiu ainda lutar. Muitos planetas foram dominados, mas a maior perda até ali foi a dos Krees, que se entregaram a dominação dos Construtores. Uma última investida do Capitão America e da Guarda Imperial Shiar chegou a infrigir alguma derrota ao inimigo e ainda garantiu o resgate dos companheiros perdidos na batalha. Mas isso é suficiente?

Durante a invasão a nave dos Construtores para resgatar a equipe da Capitã Marvel, a presença de uma jardineira, uma outra Ex Nihili pareceu significar algo mais para Abismo Negro e o nosso Ex Nihilu. Em sua mente, ficou uma mensagem, um ponto de encontro. A dupla seguiu mesmo sem conhecimento dos Vingadores para lá e assim conheceu os demais Jardineiros a serviço dos Construtores. Todos eles sem suas Abismos.


Os Jardineiros pareciam estranhar a presença viva de Abismo, como se fosse uma anomalia. Então, foi explicado que os Construtores mataram as Abismos deles para que assim parassem de criar vida. Sem a presença negra da contraparte da dupla, não haveria seleção, e nem vida. Foi o suficiente para o Ex Nihilu e a Abismo ouvirem e se revoltarem. Ele ficou enegrecido e gritou a todos que aquilo acabaria ali.

Em Hala, mesmo após a recente derrota, o Construtor mostrou como sua raça tinha uma vantagem superiora pra vencer aquela Guerra. Mesmo a mente complexa de Supremor poderia atestar aquilo. Todavia, ao receber a tal mensagem do Imperador Shiar, Karllak, pedindo para parlar, ele respondeu ao chamado dizendo que atenderia apenas um representante. Para ele, seria a partir dali o momento da vitória.

Na Belonave Lilandra, Capitão America mensurava todos os pontos possíveis com os demais do conselho e a Capitã Marvel. Para ele não haveria outra opção a não ser pedir a rendinção para o inimigo. Então, como vimos em Infinito #4, chegou Thor a Hala, ajoelhou-se, mas não para ser derrotado. Ele matou o Construtor daquele mundo e foi assim que eles venceram.

 O Supremor não pareceu nada feliz com aquela mudança dos planos, mas Ronan estava decidido a uma insubordinação e voltar a lutar ao lado dos heróis. Liderando um grupo de acusadores e boa parte do império Kree ele seguiu contra outros mundos dominados, começando por Kymellia III. Galadorianos ajudaram a livrar Centauri IV. Skrulls salvaram Krom Primordial. Vingadores e Shiars estiveram no ataque a Rigel, Formuhaut e Chize. Até mesmo uma nuvem de aniquilação promovida pelo Aniquilador foi liberada de forma estupenda contra o inimigo. Mas ainda havia muito a se lutar.


Enquanto isso, os Jardineiros e a Abismo tentavam despertar a Grande Mãe, a Capitã Universo, que repousava inconsciente desde o príncipio desse evento. Unindo o poder de todos os Ex Nihilis, houve energia para despertá-la e reativar nela o Unipoder. A "Grande Mãe" então viu a verdade promovida por aqueles Construtores e resolveu interfirir diretamente contra eles.

Os Construtores explicaram que todas as suas intenções se focavam em destruir o eixo para salvar este universo e para tal a morte era a grande resposta. Falando de forma sempre enigmática, a "Grande Mãe" disse entender o ponto dos Construtores mas não iria permitir que executassem tais metodos. "Há algo ainda que ela deve encontrar" disse ela. E assim, discordando dos métodos da Capitã Marvel, um Construtor tentou atacar e foi desativado por ela.Os demais tentaram o mesmo e quando não havia chance de subjugá-la, ativaram um protocolo geral de destruição entre todos os Alephs. Tudo morre!

Essas histórias estão presentes nas edições 12 e 13 de Vingadores aqui, e intercalam-se entre as edições 3 e 4 da mini principal. Com arte estupenda de Leinil Yu, Jonanthan Hickman mostrou que também sabe fazer boas sagas cósmicas e tem honrado bastante o que foi deixado por Dan Abnett e Andy Lanning no passado. Juntando essa edição com a de Novos Vingadores deste mês, já dá pra ter uma ideia do plano maior dos Construtores e começar a olhar com novos e bons olhos todos os primeiros arcos que forma montados por Hickman nos Vingadores.

Coveiro

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Homem-Aranha: Entre Trovões é o próximo lançamento da Novo Século



Dando continuidade aos livros em prosa com o selo Marvel, a Novo Século desta vez aposta numa história inédita do Amigão da Vizinhança. Homem-Aranha: Entre Trovões (Spider-Man: Drowned in Thunder) é o novo lançamento da editora que deve chegas as livrarias ainda este ano. Confira a arte da capa feita pelo Will Conrad, uma exclusividade da versão brasileira.


O romance escrito por Christopher L. Bennett - que também é o autor de inúmeras novelizações de Star Trek - se passa depois que Mary Jane começou sua carreira teatral, mas antes do Homem‑Aranha entrar para os Vingadores. É anterior também aos ocorridos no arco A Queda.

Confira a sinopse oficial divulgada pela editora:

Homem-Aranha: Entre Trovões, de Christopher L. Bennett, 264 páginas.
Nunca foi segredo para ninguém que J. Jonah Jameson usasse o Clarim Diário para seus ataques ao Homem-Aranha; e, por mais que o Amigão da Vizinhança se esforce, sempre será uma ameaça segundo a opinião pública. Mas as coisas tomam novas proporções a partir do momento em que a vida de Peter Parker vira de cabeça para baixo e pessoas muito próximas sofrem as consequências. Enquanto Manhattan é devastada por frequentes ataques, o Cabeça de Teia tem de enfrentar a engenhosidade de robôs movidos por um só intuito: acabar com sua vida. Como se não bastasse, o sentido-aranha alerta que o aracnídeo não pode confiar nem mesmo em Mary Jane e na adorável tia May, e tudo aponta somente em uma direção: JJJ. A busca por respostas pode custar a vida do herói, e vilões como Electro estão dispostos a garantir isso!
E um teaser/book trailer:



Lembrando que o primeiro livro dessa coleção foi a adaptação literária de Guerra Civil, lançada no mês passado. Os próximos títulos serão “Homem de Ferro: Vírus”; “Wolverine: Arma X”; “X-Men: Espelho Negro”; e muitos outros ainda não divulgados.


E aí, você está ou vai acompanhar as histórias Marvel sem figuras?



N.I.C.K.

Surgem os primeiros candidatos aos papeis de Jessica Jones e Luke Cage


No próximo ano teremos a estreia da série do Demolidor produzida pela Netflix em parceira com a Marvel Studios e como todos já devem saber por aqui, ainda teremos futuramente mais três seriados focados em Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro, além de uma minissérie dos Defensores, que irá reunir os quatro personagens em questão. Antes mesmo da estreia do Demolidor, já começaram as primeiras especulações sobre os atores mais cotados para interpretarem Luke Cage e Jessica Jones. Confira...

Novos Vingadores: Os Construtores do outro Mundo


Boa parte dos Vingadores está bem longe da Terra e os poucos que sobraram tiveram que lidar com uma baita invasão do planeta promovida por Thanos e seus asseclas. Todavia, no momento mais crítico, quando o Titã confrontava Raio Negro, os Illuminatti se viram no princípio de uma nova crise de choque de realidades. Todavia, eles mal esperavam que dessa vez, aprenderiam bem mais sobre as incursões.

No ponto de intersecção da outra Terra, caiu um Aleph. Não o que Stark conhecia, mas a situação denotava igual cautela. O ser cibernético, no entanto, veio pacífico e convidoou-os até sua nave no outro mundo. Lá, encontrou dois Construtores e dois Jardineiros, estes últimos bem diferentes, vermelhos e com símbolos centricos ao invés de o sinal de omega. E eles estavam ali também para matar o planeta.



Já na nossa Terra, temos paralelamente rolando os desfechos finais da luta de Raio Negro e Thanos. O irmão Maximus, ao longe, questiona o plano do irmão. E em Wakanda, Próxima Meia-Noite promove sua invasão a Wakanda depois da derrota de Estrela Negra. Shuri, sem a presença do irmão, não consegue defender Wakada desta vez. E a cidade cai mais uma vez em menos de um ano.

Mais tarde, Thanos é convocado para lá. Não há sinal de nenhuma joia do Infinito e nem do seu filho. Todavia, na necrópole do Pantera Negra, ele encontra algo curioso - Um Terrax de outra realidade e a Cisne Negro. Apesar de curioso, ele resolve que é mais ponderado deixá-los onde esta.

Já de volta ao outro mundo prestes a ser destruído, os Illuminati são surpreendidos quando um dos Ex-Nihilus, os jardineiros vermelhos, descobre a "sonda" infiltrada dentro do corpo do Doutor Estranho. Ao se livrar dela, não há mais influência do Batedor sobre o Mago Supremo. O construtor revela que a sua espécie navegava entre os multiversos mas isso não é mais possível desde que o superfluxo foi danificado. É necessário agora evitra que os pontos entre os multiversos colidam e ele questiona quando os Illuminatis irão destruir a sua PRÓPRIA Terra. Pois só assim evitarão que tudo acabe.

E ele então os deixa para trás, na nossa realidade, e tudo explode na Terra deles.

É instigante ver a dupla Hickman e Deodato em ação. De forma bastante própria, o roteirista retoma a trama principal das incursões ao mesmo tempo que trabalha o drama dos Construtores, sendo agora mais capazes de entender suas motivações. Será isso que a raça da nossa realidade quer? Destruir nossa Terra para salvar todo o resto? Ou seus planos são mesmo menos altruistas? Essa história você encontra na edição 13 de Vingadores esse mês.

Coveiro

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Agentes da S.H.I.E.L.D: Confirmada a raça do cara azul

*ATENÇÃO! ESSE POST CONTÉM SPOILERS


Na primeira temporada dos Agentes da S.H.I.E.L.D. foi mostrado o corpo de um misterioso ser de pele azul, que imediatamente foi apontado pelos fãs como sendo um alienígena da raça Kree. Apesar de óbvia, a teoria não havia sido confirmada até agora. Veja o que tem a dizer sobre o assunto um dos produtores da série, além de uma teoria envolvendo os Inumanos e um comercial do próximo episódio...

Infinito #04: A Arte da Negociação


Com o universo praticamente dominado pela avanço dessa leva de corrompidos Construtores, uma simples vitória da resistência formada pelo Conselho Intergaláctico e os Vingadores foi um grande marco. Mas ainda há muito pelo que se lutar para sobrepujar essa imensurável ameaça cósmica. Todavia, sem conhecimento do Capitão America, uma batalha ainda maior aconteceu entre o Titã Louco e o Rei Inumano. E os desdobramentos dela são ainda maiores do que imaginávamos.

Bem próximo a Hala, hoje dominada pelos Construtores, o Capitão America e Kallark, o atual Imperador Shiar, arquitetam o próximo passo - Negociação da Rendição. Trata-se de uma atitude estranha a ser tomada após terem lutado tanto em outros mundos recentemente, mas como bem acredita o Construtor que chefia hoje Hala, a derrota dos mundos é iminente.

Voltando nossas atenções para a Terra, temos parte de Nova York destruida pela explosão e queda de Hala. E a batalha entre Raio Negro e Thanos ainda continua de forma brutal. Mas mesmo os gritos do Inumanos não são páreos para o carater resoluto do Titã. Raio Negro tomba, mas mudo quanto a informação que Thanos queria - o local onde estava seu filho perdido.

Em contrapartida, das ruinas da cidade, veio a extensão completa do plano de Blackagar Boltagon. As terrigenes se espalharam pelos arredores do mundo e todo aquele que havia alguma coisa de DNA inumano em seu corpo (mesmo que mestiço) passaria por mudanças. Primeiro, envolvido em casulos. Depois, despertados em novas formas. Muitos que se achavam apenas humanos eram mais que isso nas rus de Nova York. E bem mais longe que isso.


 Os efeitos das terrígenes chegaram nas demais colônias inumanas do mundo. Na groelandia, na cidade esquecida de Orollan, vários entraram prematuramente na forma de casulo. E um deles foi Thane, o filho de Thanos. Todavia, o seu despertar foi horrendo, seus poderes acordaram ensandecidos e trouxeram morte para todos a sua volta. Ele de fato era filho do Titã.

De volta a Hala, é chegada a hora das negociações. Thor foi escolhido como o diplomata da conversa. Sua arma, o Mjolnir, era proibida na reunião e por isso ele a arremessou para longe. Ao se encontrar com o Construtor, o Deus do Trovão tratou de colocar algumas exigências suas para a tregua. Já o Construtor respondeu aquilo com uma agressão, um tapa no rosto do nórdico e a exigência de que ele se ajoelhasse. E ele assim o fez. E convocou sua arma mais uma vez. E em fúria, Mjolnir voltou do espaço atravessando o Construtor no meio. Era a morte do primeiro deles.


Thor tratou de matar de vez o inimigo e clamar os Krees para luta. Ronan e os demais acusadores ergueram os martelos com um grito de guerra. Agora, é a nova fase do plano do Capitão America - Vencer.

É muito bom voltar a ler uma minissérie que a cada edição você tem realmente algo a levar em conta, uma cena que te faça o queixo cair e outra que pule da cadeira. Com uma trama sólida e que está fazendo os seus tie ins valerem a pena, Infinito chega já na sua metade rumando pra a grande batalha final agora. Paralelamente, temos a novela envolvendo o filho de Thanos ficando mais curiosa, sem termos ideia do que sairá daí ainda. Mas a grande surpresa vem com a revelação do que era o plano final de Raio Negro (as consequências dele já começam a aparecer por aí em algumas revistas mensais).

Coveiro

PS: Confira as partes um, dois e três de Infinito também!