CAPITÃ MARVEL NOS CINEMAS

CHEGANDO AOS CINEMAS EM MARÇO DE 2019

VINGADORES ULTIMATO CHEGA EM ABRIL

FIQUE POR DENTRO DO FILME QUE CULMINARÁ OS 10 ANOS DA MARVEL STUDIOS NOS CINEMAS

JUSTICEIRO

SEGUNDA TEMPORADA DO JUSTICEIRO CHEGANDO NA NETFLIX!

BEN GRIMM E ALICIA SE CASARAM

A FESTA FOI AQUELA COISA

A GUERRA DOS REINOS ESTÁ CHEGANDO

A BATALHA AGORA É EM MIDGARD

MARVEL RISING

A NOVA GERAÇÃO DA MARVEL EM OUTRA MÍDIA

TERCEIRA TEMPORADA DO DEMOLIDOR

DEMOLIDOR E OS CANCELAMENTOS DA NETFLIX!

NO ARANHAVERSO

TUDO SOBRE A MAIS ELOGIADA ANIMAÇÃO DA SONY

domingo, 24 de março de 2019

Marvel lança cronograma de novidades até final de 2019 e faz mistério sobre lançamento de dezembro

A Marvel praticamente tratou a Chicago Comic Con, uma convenção que só tem crescido nos EUA, como se fosse uma das grandes. As novidades anunciadas lá foram de primeira. Já revelamos aqui sobre a volta do Hickman, novidades da Guerra dos Reinos, Carnificina Absoluta, novidade sobre os 25 anos de Marvels e o retornos dos heróis de Infinity Warps. Agora, veja outros anúncios além de um mistério envolvendo um outro evento a sair ainda em Dezembro deste ano.




O que será que vem aí?

Uma outra novidade anunciada também na Chicago Comic Con mas que ainda não ganhou nenhum grande detalhe é que teremos uma minissérie em seis partes roteirizada por Mark Waid e com arte de Javier Rodriguez e Alvaro Lopez em que será contada "A História do Universo Marvel". Será uma minissérie muito especial pra comemorar os 80 anos da Casa das Ideais e que contará com capas de Steve McNiven.

Sobre esse anúncio da minissérie do Waid, quando tivermos mais novidades publicamos aqui.

Coveiro

Arquivo Carol Danvers #5: Surge a Binária



Terminamos o último arquivo com o pior dos piores momentos da Carol Danvers. As palavras usadas por ela na edição anual #10 dos Vingadores escrita por Chris Claremont pareciam ser uma espécie de Mantra para o roteirista que queria ao máximo proteger sua personagem das mãos maldosas dos seus superiores. A história do estupro da heroína pegou mal já na época e se você leu relatos tempos depois dos envolvidos, vai ver que a maioria joga a batata quente pro alto. Se pegarmos hoje alguém para dar o depoimento, não há aquele que confirme o que de fato aconteceu nos bastidores.

Jim Shooter disse num artigo que escreveu em seu site em 2011 que não lembra de como seu nome foi parar na história como roteirista. Ele afirma que não escreveu uma linha dela e culpa a uma briga entre Claremont e David Micheline por tudo. Já David nunca se pronunciou devidamente a respeito, mas outros contatos internos confirmam que inicialmente era pra Carol estar grávida da Inteligência Suprema tendo assim um filho mestiço entre Krees e humanos. Havia uma história do Claremont na mensal da Ms. Marvel que dava margem para isso, porém o editor Shooter modificou o final da história de Micheline (que segundo ele lembrava muito o plot de What if #20) e fez sua drástica intervenção editorial e mudou aquela sandice... para pior. Não dá pra saber aqui se Micheline iria trabalhar devidamente essa história no fim de seu arco, mas particularmente nada poderia ser pior do que Shooter fez colocando Danvers mudando de opinião e seguindo com seu estuprador para viver "feliz pela eternidade".

Essa mancha na vida de uma personagem que veio com uma ideia de se tornar um marco da mulher moderna tinha que ser contornado. Só que não era fácil. Até mesmo para Chris Claremont, que passou mais de um ano na mensal ajeitando a sua heroína para algo que ele achava correto trabalhar era algo difícil de se trabalhar de novo. Era injusto para ele simplesmente deixar ela de escanteio, ser simplesmente esquecida. Então, talvez o caminho fosse mais uma vez "zerar" a cabeça de Danvers ou até mesmo sua identidade para começar... de novo. Puxando David Cockrum para o título dos mutantes de novo,  lá foi ele mais uma vez construir uma nova estrada para a Carol.

UM APOIO DOS X-MEN E UM PASSADO COM WOLVERINE

Quando se juntou aos X-Men, mesmo sem poderes, Carol Danvers começou a fazer parte de um vasto elenco de personagens coadjuvantes de Chris Claremont que sempre tiveram muito significado nas revistas como Moira MacTaggert, Stevie Hunter e Lee Forrester. Na edição 150 dos X-Men, a primeira em que ela aparece no título, ela se encontra com Peter Corbeau, um aliado de Xavier que  era físico, ex-astronauta e engenheiro espacial criador dos laboratórios Starcore, ou seja, alguém fácil de vincular ao passado de Carol. Juntos, eles ajudaram a levar Charles em uma lancha para ir de encontro a Magneto num dos combates mais marcantes da equipe e que levaria a um julgamento do vilão mais tarde.


Ainda mais do passado da personagem viria a ser explorado a partir da edição #154 dos X-Men quando Logan aborda Carol Danvers divagando sozinha em suas memórias confusas e ressalta que eles já trabalharam juntos como agentes da CIA. Eram dois personagens com o passado ainda bem em branco e seria muito fácil encaixar algo juntos. Nessa e em histórias por vir, Logan passa então a referi-la como "Major" ou o codinome de campo "Ace", sempre ressaltando que Carol salvou sua vida e a de Michael Rossi em missão. Carol só lamentava ainda mais não lembrar direito de nada do que Wolverine contava.

Em X-Men #158, Chris Claremont demonstra pela primeira vez que tem planos de trazer a personagem de volta ao heroísmo quando logo no começo da edição faz com que em um treino a Carol Danvers consiga quase dar conta sozinha dos Piratas Siderais Raza, Chod e Hepzibah. Peter Corbeau, que estava monitorando o treino, chama atenção que mesmo sem poderes, a estrutura corporal que Carol Danvers conseguiu quando era Ms. Marvel permanece e isso faz dela uma humana com condições físicas melhores que qualquer um normal.


A parte da Carol nessa edição vai um pouco mais além. Sendo a única além de Wolverine com conhecimentos de como funciona um corpo militar por dentro, ela acaba se juntando ao trio que invade o Pentágono para apagar dali toda e qualquer informação que eles tenham sobre os X-Men e que os ligue a Escola de Superdotados de Weschester. Ela, junto com os disfarçados Ororo e Logan, conseguem acesso ao Pentágono e lá acabam se deparando com Mística e sua filha adotiva Vampira (já que Mística como Raven Darkhölme era uma infiltrada do Governo na época). Após uma luta que acaba chamando ainda mais a atenção deles, Carol Danvers acaba conseguindo completar a missão e apagar os dados sobre os X-Men. Porém, aproveitando-se daquilo, ela decide que irá apagar também todos os registros sobre Carol Danvers e Ms. Marvel. Já que não se reconhecia mais como as duas, que elas sumissem da existência.



A VOLTA DE RAPINA E A ESTREIA DA NINHADA

Se você está acompanhando esses escritos desde o começo, deve lembrar que o arquivo #3 cita muito brevemente a personagem Rapina como uma nova vilã criada para a Ms. Marvel. Sim, a Shiar começou apenas sendo simplesmente uma mera antagonista da heroína, sem qualquer menção a sua origem real e como foi parar aí. Notadamente, Claremont já tinha a colocado com características dos Shiars desde a edição da Ms. Marvel#9 e foi na edição Ms. Marvel #22 que foi definido que ela estava presa na Terra e procurava recursos para sair dali e seguir seus planos.



Então, agora que Carol Danvers estava com os X-Men, nada mais justo do que levar a vilã para a revista mensal deles. Foi no número #155 que ela apareceu e revelou-se como a irmã mais velha de Lilandra e auto-proclamada herdeira do trono após a morte de seu irmão. Pelo que se sugere na história, D'Ken havia a exilado desde que se tornou soberano, talvez ciente dos desejos ansiosos da irmã do meio pelo trono. Nessa história, descobrimos que Rapina raptou a irmã com a ajuda de uma raça alienígena nefasta que iria marcar a história dos X-Men por anos - A Ninhada.

A Ninhada notoriamente era inspirado na raça alienígena criada por Ridley Scott em 1979. Tinham o mesmo ar insetoíde e a premissa de ocupar hospedeiro com seus ovos para nascerem os "filhos" emulando até mesmo algumas das habilidades de seus hospedeiros. Na ideia de Claremont, no entanto, antes mesmo de virem filmes e quadrinhos posteriores confirmando isso, as criaturas funcionavam como verdadeira colônias e tudo que queriam era sempre ter hospedeiros fortes para gerar crias ainda mais adaptadas. Nos quadrinhos, elas eram mais conscientes, ao menos poderiam falar e negociar acordos com outros. Foi assim que eles decidiram trabalhar junto com a Rapina. Ela reconquistaria seu trono e a Ninhada receberia em troca seres poderosos como esses X-Men como veículos.



O plot desse arco com a Ninhada que começa com a edição #155 vai se estendendo por duas edições e se torna bem convoluto. Teve direito a chegada dos Piratas Siderais para salvar e ajudar os X-Men, o Império Shiar dando um ultimato ao planeta terra para devolver a sua Majestrix raptada e a descoberta de que Rapina mancomunava um golpe com um tal Capitão Krik da frota Shiar para derrubar Lilandra. Até então, nessas edições, Carol Danvers não teria participação direta nas histórias. Mas mal se passou uma edição, a Ninhada voltou a atacar os X-Men e seria responsável por uma das maiores mudanças na vida da Carol Danvers.

BINÁRIA

O arco anterior já dava indicativos que os X-Men não tinham se livrado da ninhada totalmente e abria-se a suspeita de que o Professor X havia sido um dos primeiros infectados por ela. Já na edição #164, a Ninhada volta a atacar num momento descontraído em que os X-Men estavam confraternizando na nave imperial da Lilandra. Todos os X-Men foram pegos de surpresa e foram derrubados por um disparo. E entre eles, desta vez, estava Carol Danvers. Apesar de não ser uma mutante, o líder do clã Kamnehar percebeu que havia algo peculiar na assinatura biologia da terráquea e a levou para alguns experimentos.




Todos os X-Men foram infectados sem exceção. As mudanças começariam aos poucos, eles mal poderiam notar. Apenas dois personagens ali tiveram condições de mudar o jogo. O primeiro deles, é claro, foi o Wolverine que graças a seu fator de cura acelerado, reagiu a infecção da Ninhada e após muita luta eliminou o ovo de seu corpo (deixando completamente deformado no processo por um tempo). A outra era Carol Danvers, que foi definida como um anomalia devido a alterações genéticas que sofreu após o acidente que a tornou a  Ms. Marvel. Os cientistas da Ninhada procuravam destravar de novo seus poderes ao mesmo tempo que buscavam um jeito de invadir sua mente complicada quando chegou Wolverine e a libertou. Carol não precisou de dois minutos para se erguer, pegar uma pistola da Ninhada e estar pronta pra vingança. Ela mal sabia que tinha acabado de sofrer uma nova grande mudança em sua vida.

Foi na edição #164, após ajudar Logan a livrar alguns X-Men do controle mental, que ela começou a sentir os efeitos da modificação dos aliens em seu corpo. De dentro da cabine de piloto da nave imperial da Lilandra, ela se acendeu completamente e disparou fachos de energia para todos os lados eliminando naves da ninhada. Então, logo em seguida ela surge completamente transformada e de uniforme novo pra salvar Kitty Pryde, que tentava consertar externamente um problema na espaçonave Shiar. Seus poderes ali não estavam completamente definidos, mas como foi colocado na narrativa,  eram funcionalmente equivalentes a de uma estrela. Na mesma edição, ela também parece automaticamente já definir sua nova alcunha - Binária.



A história da Ninhada ainda segue por mais alguns números. Os X-men acabam descobrindo que estão todos infectados com exceção de Logan e da Binária. Enquanto Carol em um acesso de fúria rompe o casco da nave em busca de vingança dos aliens, Wolverine acredita que os X-Men estão fadados a um fim e que talvez ele tenha que ser o executor deles antes que se transformem. Acaba que os rumos da história levam toda a equipe ao planeta natal da Ninhada. A Binária, que chegou na frente de todos, começa a atacar em fúria as construções e os aliens por onde passa. Já os X-Men encontram um meio de se salvar graças a ajuda das Acantis, que são as naves-baleias-vivas usadas como meio de transporte pela Ninhada.  Em troca da cura, os X-Men ajudam as Acantis a se livrarem da escravidão que estão submetidas. Para isso, usam o novo poder da Binária para liberar uma "canção de libertação" do líder morto das Acantis pelo espaço e deixá-las seguir independentes.



Essa história é também a primeira em que o Lockeed, o dragãozinho da Kitty Pryde, aparece pela primeira vez e toca o terror da Ninhada. Sabemos depois que ele é um tipo de "predador" natural dos aliens. E esse arco de  histórias só se conclui definitivamente na edição seguinte quando os X-Men voltam pra Terra, eliminam a Ninhada que infectava o Professor, mas ao custo de que ele precisou mudar para um corpo clonado para sobreviver. É a partir dessa história que acompanharemos um Professor X que volta a andar e seguiria seu caminho próprio em aventuras estelares.


DEIXANDO OS X-MEN E VIRANDO UMA PIRATA SIDERAL

Carol Danvers teve pouco tempo na Terra com seus novos poderes para decidir o que faria de sua vida aqui. Na edição #171 dos X-Men, Charles Xavier atende ao pedido de ajuda da jovem Vampira que se diz conturbada desde que tomou os poderes da Ms. Marvel e tem conflitos de memória, decidindo recorrer ao único que pode ajudá-la. Considerando que anos depois Chris Claremont amenizaria pro lado da Vampira em duas edições da Marvel Super-Heroes descrevendo que a jovem vivia conturbada pelas visões da Sina, o que motivou-a a atacar a Ms Marvel, fica fácil aceitar a personagem no grupo. Mas na época não foi o que achou Carol Danvers.



Ao ser pega de surpresa com a Vampira na mansão, Danvers dá um soco nela que quase a leva a lua. Logo, Charles encerra o conflito e decide ajudar a menina, deixando Carol indignada. Ela se sente traída mais uma vez, porém como não é mutante e não tem nenhum elo com os X-Men, ela decide abandonar de vez o grupo. Curiosamente, Logan não estava naquela reunião no dia, onde provavelmente veríamos o Carcaju defendendo o lado da amiga. Em contrapartida, alguns anos depois, Chris Claremont tem a oportunidade de colocar uma história nesse mesmo período com os dois em Marvel Fanfare #24.

A edição da Marvel Fanfare de número#24 tem também a função de fazer justiça a Carol Danvers que foi mais vez colocada de lado e esquecida numa história importante do Mar-Vell, a sua morte. Depois de acompanhar Wolverine pela primeira vez na reunião secreta (porém famosa) de jogadores de Poker dos heróis da Marvel, eis que Danvers conhece pela primeira vez a Monica Rambeau, a Capitã Marvel. Daí, ela pergunta sobre Mar-Vell e descobre que ele morreu já há algum tempo. Irritada, ela sai dali em fúria e voa até a lua de Titã onde está o túmulo do herói e faz sua elegia. Carol se questiona se seu sangue modificado não poderia ter salvado ele, mas agora é tarde. Sentindo-se sozinha, quando retorna a Terra, Carol Danvers avisa a Logan que aceitou o pedido do Corsário de se juntar aos Piratas Siderais.



Contudo, em ordem de publicação, o destino da Binária já estava sendo preparado por Chris Claremont desde a edição #174 dos X-Men, quando ela se apresenta como nova membro dos Piratas Siderais e realizando segundo ela seu desejo desde sempre de Astronauta de singrar as estrelas e desvendar o desconhecido. A personagem dentro do título dos X-Men apareceu a partir daí em poucos quadros de interlúdio a partir daí. Em X-Men 200, ela e os Piratas Siderais voltaram a Terra para resgatar o Professor X que estava praticamente morrendo em seu novo corpo clonado e foi obrigado a deixar a Terra e os X-Men aos cuidados de Magneto para sobreviver. Ela ainda fez uma aparição numa história dos Novos Mutantes também no espaço.

O destaque mesmo de Binária como Pirada Sideral, no entanto, nunca foi devidamente publicado no Brasil. Em duas edições especiais chamadas X-Men spotlight on Starjammers temos o arco de histórias da Jornada do Phalkon. Essa foi uma das últimas histórias feitas por Dave Cockrum e tem roteiros de Terry Kavanagh. Ela conta justamente toda a aventura de Lilandra, Xavier e os Piratas Siderais pra recuperar o trono Shiar.



Notadamente, Carol Danvers e seus poderes são um grande diferencial para o lado dos Piratas Siderais, considerando que mais de uma vez eles tiveram que lidar com membros poderosos da Guarda Imperial que na época estava sob o comando de Rapina, incluindo aí o próprio Gladiador. Perto do fim, descobrimos os planos de Rapina de tomar o poder da Fênix da Rachel Summers e a história acaba levando a um encontro com o Excalibur, recém formado na época, e Kitty e Noturno revem Carol Danvers pela primeira vez depois de anos. Nessa história, também temos um drama lateral entre ela e Raza, quando o Ciborgue descobre que Binária matou seu irmão que era um dos guardas shiars de um ataque (e esse era pra ser um privilégio seu).



A história apesar de acompanhar uma derrota da Rapina, não termina com uma plena vitória da Lilandra. Xavier chega a recuperar a sua saúde e luta ao lado dos Piratas, mas o destino final só acompanhamos, assim como no Brasil, por volta de X-Men #275.

A PERSONALIDADE 'DANVERS' DA VAMPIRA

Enquanto a Binária se distanciava de sua velha vida e vivia sua próprias aventuras no espaço, de alguma forma a "psique" de Carol Danvers sobrevivia na Terra lá dentro bem fundo do subconsciente da Vampira. Chris Claremont começou a trabalhar a jovem adolescente com pequenos rompantes de personalidade de uma forma bem curiosa.

Na edição #182, Vampira tem uma história própria solo em que invade o aeroporataviões da S.H.I.E.L.D para salvar o seu primeiro grande amor, o coronel Michael Rossi. Nessa época, Rossi tinha acabado de "voltar" dos mortos numa história dos Novos Mutantes e estava de novo como um tipo de apoio super-secreto do professor X. Vampira não teve dificuldade nenhuma de atravessar as barreiras da base,  derrubar alguns agentes e encontrar Rossi. Parecia que ela já tinha toda experiência do mundo como agente secreta, mas tudo ali era apenas memórias da Carol Danvers vindo a tona. Rossi, que ainda via Vampira como uma vilã, não entendeu nada dos devaneios dela e agiu abruptamente quando a jovem deu entender que "Carol Danvers" era agora ela.



Em outra edição publicada em X-Men 203, revemos a briga entre Ms Marvel e Vampira que condenou as duas por muitos anos numa perspectiva que nunca apareceu naquela Vingadores Anual. Vampira relembra toda a cena e lamenta não saber mais onde as memórias de Danvers acabam e onde a sua vida começa. Nessa época, ela já estava há algum tempo sem ter mais a ajuda do Professor Xavier, que partiu desde a edição #200 dos X-Men.

O auge dessa confusão mental da Vampira acontece na primeira aventuras dos Mutantes ao invadir Genosha (edições #236 a #238). Ela e Wolverine são capturados e presos no país e ela acaba perdendo seus poderes graças aos colares inibidores e a história sugere que ela foi abusada por guardas. Vivendo seu pior, Vampira começa a falar com a parte da sua 'psique' que pertence a Carol Danvers e deixa essa sua "personalidade" mais experiente comandar seu corpo. A partir daí, Vampira muda até de voz e tem toda a expertise de agente especial que a Carol tinha.



Atendendo sob o codinome de 'Ace', mesmo sem poderes, ela salva Wolverine. É curioso ver que Vampira remonta mais do passado dos dois juntos na CIA, recontando sobre como Logan salvou os dois da KGB e  No final, a personalidade de Danvers chega até mesmo ameaçar matar o Genengenheiro de Genosha, mas é impedida por Psylocke. Em outras edições, durante alguns treinamentos da equipe, a personalidade 'Danvers' volta a aparecer e até mesmo desagrada alguns colegas de equipe.





DUAS PERSONALIDADES, DOIS CORPOS

Nesse tópico a parte, vai uma das pequenas confusões cronologicas que são difíceis de encaixar. Em 1990, quase dois anos antes da Guerra Shiar-Kree (que falaremos no próximo tópico), Chris Claremont traz de volta a Carol Danvers com roupa de Ms. Marvel e completamente transtornada e fora do que costumava ser.

Logo após a Vampira sair do Portal do Destino restabelecida, Carol Danvers invade o apartamento dela destinada a matá-la. O maior motivo é que a essência de Danvers não poderia mais existir nas duas. A briga desenhada por Jim Lee é um clássico que vive na memória de muitos leitores, mas não faz sentido algum e é difícil de se encaixar mesmo que se fossemos ignorar o que vem com Operação Tempestade Galáctica.

O que começa na Austrália se estende para a Terra Selvagem. Desta vez, no entanto, Carol Danvers está completamente insana e transformada após ser manipulada pelo Rei das Sombras. Quase um monstro, Carol está prestes a matar a Vampira quando esta é salva por Magneto. Entre as duas, Magnus afirma que escolheu a Vampira pra sobreviver.



Essa loucura é até difícil de ser entendida, mas tem lá sua explicação dentro da própria revista. O Rei das Sombrasque invadia mentes na Ilha Muir e fazia de lá seu reino particular quando encontrou com Carol Danvers deu entender que houve uma divisão do corpo fisico da Vampira em dois quando saiu do Portal do Destino. Ou seja, aquela nunca foi a Carol Danver original, mas sim a personalidade da Carol Danvers que a Vampira roubou. Confuso? Pois é! A original continua portanto no espaço como Binária.


OPERAÇÃO TEMPESTADE GALÁCTICA E RETORNO A TERRA

Dentro do que foi toda a história complexa da Operação: Tempestade Galáctica, a Binária teve uma pequena, porém importante participação na história. Ainda parte dos Piratas Siderais, a Binária ficou obviamente do lado dos Shiars na guerra e teve suas aparições vinculadas a revista do Quasar. Numa primeira aparição, ela topa contra Wendell, que facilmente consegue prendê-la criando um escudo com seus nega-braceletes. Depois, eles voltam a se encontrar numa situação complicada. De um lado tempos uma nega-bomba ameaçando os Shiars e em outra o sol da Terra está em perigo. Quasar decide se afastar dos demais Vingadores e salvar a Terra. Binária, ao saber do perigo em que seu planeta natal se encontrava, decide ajudar Quasar e usa até a exaustão seus poderes que são definidos como os equivalentes a um "buraco branco" (o oposto imaginário nos quadrinhos de um buraco negro).




Somente graças a Binária o nosso sol é de fato salvo, mas seus poderes vão a exaustão ali. Antes de partir de volta para o combate principal na Guerra Shiar-Kree, Quasar deixa Binária na mansão dos Vingadores e descobre nesse momento que ela era na verdade Carol Danvers, a ex-vingadora Ms. Marvel. A história completa dessa saga interplanetária é muito grande e complexa pra resumir aqui nesses nossos arquivos, mas estejam cientes de que envolve muita coisa relacionada ao Império Kree e traz uma versão diferente da Starforce que conhecemos dos cinemas.



Acompanhamos um pouco ainda da fase da Carol Danvers já de volta a Terra na edição dos Vingadores #348 e desperta na mansão sob os cuidados da nova equipe de Vingadores que basicamente era bem diferente de sua época. Nos números #350 e #351, temos um embate entre os Mais Poderosos Heróis da Terra e os Piratas Siderais por conta de uma cabeça a prêmio que foi posta no Cavaleiro Negro em troca da liberdade do filho de Raza (que nem o Corsário sabia da existência). Tudo no final se mostrou uma manipulação dos Krees, mas no final fez Binária refletir que era mais que na hora de ela rever seus pais e retomar sua vida na Terra.



E esse recomeço da Carol Danvers não foi exatamente bem aproveitado por Bob Harras que escrevia os Vingadores nesta época. A heroína acaba aí num vácuo editorial por 4 anos, aparece brevemente na luta contra Massacre, mas seu retorno é mesmo com os Vingadores de Kurt Busiek e George Perez.

E essa nova fase é nosso tema para o Arquivo Especial #6 da Carol Danvers.

Alex Ross e Kurt Busiek juntos de novo para mais uma edição especial de MARVELS



Esse ano de 2019 é um marco para um dos grandes clássicos da Marvel de tempos. É quando a minissérie de sucesso em 4 partes, Marvels, faz 25 anos. Já sabemos que a Marvel republicará o material este ano com novas capas adicionais de Alex Ross. Mas não para por aí. Teremos novidades.



Em um painel da Chicago Comic Con deste fim de semana, foi anunciado que teremos mais uma edição especial a se juntar as quatro clássicas da minissérie. Uma one-shoot que reunirá a equipe criativa mais uma vez. É isso mesmo, teremos Kurt  Busiek nos roteiros e Alex Ross nas artes (sim, inclusive artes internas). A ideia é que a nova edição vire uma "quinta" parte da história original, recontando mais dos eventos da Marvel a partir do ponto onde a edição 4 parou. E no futuro, faça parte de futuros encadernados e coletâneas da série.

Não há data ainda do lançamento, mas quem se importa? Se esperamos 25 anos por isso, pode vir até de presente de natal!

Coveiro

Capitã Marvel chega a $910 milhões de dólares internacionalmente e pula pra sétima posição dentre as maiores bilheterias da Marvel Studios


Capitã Marvel cai pra segunda posição após atravessar seu terceiro final de semana de estreia nos EUA, mas nem por isso fez feio. O filme ainda levou $35 milhões nesses três dias e agora já tem na sua bilheteria doméstica um total de $321 milhões de dólares. Só considerando o mercado americano, Capitã Marvel agora é o décimo filme da Marvel Studios de maior bilheteria.

Internacionalmente, o filme junta mais $588 milhões e encerra seu fim de semana com $910 milhões. O 1 bilhão parece ser algo bem certo agora, mas por enquanto a produção do filme da Capitã Marvel já pode comemorar. Ela já é a sétima maior bilheteria da Marvel Studios e está praticamente entre as 50 maiores bilheterias de filmes de todos os tempos.

Em Capitã Marvel, temos Brie Larson (Carol Danvers), Lashana Lynch (Maria "Fóton" Rambeau), Ben Medelsohn (Talos), Lee Pace (Ronan), Djimon Hounsou (Korath), Jude Law (Yong-Rogg), , Rune Temte (Bron-Char), Algenis Perez Soto (At-Lass) Gemma Chan(Minn-Erva), , Clark Greeg (Phillip Coulson), Samuel L. Jackson (Nick Fury), Akira Akbar (Monica Rambeau), McKenna Grace (como a jovem Carol Danvers), Kenneth Mitchell (Joseph Danvers), Colin Ford (Steve Danvers) e Anette Benning. Dirigido por Anna Boden e Ryan Fleck, o filme chegou nesta quinta-feira nos cinemas.

Coveiro

Personagens de Infinty Warps voltam a aparecer em títulos anunciados na C2E2


Em um painel da Marvel Comics voltado para varejistas na Chicago Comic Con - C2E2 - foi anunciado o novo projeto em seis partes, onde cada uma delas sairá no formato de uma anual. Louco, né? Mais louco ainda é o nome desse projeto, que vai trazer de volta personagens que foram apresentados no último evento da Marvel em 2018, que se chama Secret Warps (Fusões Secretas, uma alusão a saga Guerras Secretas).

Dos Seis títulos anunciados de Fusões Secretas, três deles já tem times criativos anunciados e temos quatro artes dos títulos apresentados, todas elas com artes feitas por Carlos Gómez.

- Arach-Knight Annual 1 - Supreme Universal
  Roteiro de Al Ewing e arte de Carlos Villa - Capa de Carlos Gómez;

- Iron-Hammer Annual 1 - Secret Warps 
  Roteiro de Al Ewing e arte de Carlos Gómez;

- Soldier Supreme Annual 1 - Acts of War
  Roteiro de Al Ewing e arte de Carlos Gómez;





Todos esses títulos tem data prevista para serem vendidos a partir de Julho desse ano. Multiverso voltando com tudo na Marvel Comics!

O projeto será roteirizado por Al Ewing, que em breve você acompanhará sua mensal do Imortal Hulk aqui no Brasil, pela Panini, e terão desenhos dos artistas Carlos Villa e Carlos Gómez, que você acompanhou a arte desse último no retorno do Ciclope em Uncanny X-Men Annual.

Marcus Pedro

Kevin Feige fala sobre Maria e Mônica Rambeau, passado do Nick Fury e cronologia do UCM após Capitã Marvel


Continuando com mais um trecho da longa entrevista que concedeu a ScreenRant, Kevin Feige comenta sobre potenciais legados do filme da Capitã Marvel, assim como talvez explorar ainda mais do passado de Nick Fury. E aproveitou para explicar a decisão de usar como vínculo da Carol na Terra uma amizade entre amigas ao invés de um batido interesse amoroso da heroína deixado para trás:

"Bem, isso era algo que decidimos quando estávamos desenvolvendo o roteiro e pesquisando nos quadrinhos como sempre, nunca ocorreu isso de um interesse amoroso. Não é sobre isso que o filme é. Era sobre Carol encontrar-se e crescer e cometer erros e ser apoiada por suas mentoras e amigas. E esse relacionamento com Maria foi muito importante. Foi algo que foi, e francamente eu dou todo o crédito para Lashana, que foi incrível e, eu não sei se é um spoiler ou não, mas a estrutura única da história de origem que este filme tem. Inicialmente ficamos tipo, esse vínculo será forte o suficiente? Será que não experimentaremos isso em tempo real quando chegam à Louisiana? Vai pegar? E vimos a franqueza dos testes e depois no dia a dia das filmagens. Oh, está pegando. Elas são incríveis".



Na conversa, o ScreenRant também deu corda pra Kevin Feige falar do potencial da jovem Monica Rambeau como heroína, mas o presidente da Marvel Studios foi irresoluto e disse apenas que "Como eu meio que disse antes, qualquer coisa não anunciada ou qualquer coisa após o Ultimato". Feige também descartou que haviam easter eggs da atual Ms Marvel no filme como alguns sites cogitaram. "Monica você mencionou e não está oculto. Obviamente. Está logo ali. A resposta é não. Porque eu acho que a Ms Marvel é uma história contemporânea e eu não acho que ela nasceu ainda".

Feige também falou sobre desenvolver mais do passado de Nick Fury em outros filmes. "Eu acho que a parte divertida de ver essa parte do UCM é essa lacuna. Nós ouvimos sobre algumas coisas dele em Soldado Invernal. O personagem de Robert Redford fala sobre alguns cronogramas e mencionamos algumas dessas aventuras" disse.

"O potencial está lá e eu adoro a ideia de um dia as pessoas assistirem aos filmes da Marvel Studios pela primeira vez e talvez, você sabe, eu goste de como as pessoas debatem online, qual a melhor ordem para ver os filmes. A ordem da linha temporal? É cronologicamente, bem, se eles assistirem esse filme antes de assistirem ao Homem de Ferro, quando Nick Fury aparecer na pós-credito e disser que você não é o único super-herói do mundo, as pessoas agora vão saber que está falando sobre ela" colocou Feige.

Capitã Marvel é estrelado por Brie Larson (Carol Danvers), Lashana Lynch (Maria "Fóton" Rambeau), Ben Medelsohn (Talos), Lee Pace (Ronan), Djimon Hounsou (Korath), Jude Law (Yong-Rogg), , Rune Temte (Bron-Char), Algenis Perez Soto (At-Lass) Gemma Chan(Minn-Erva), , Clark Greeg (Phillip Coulson), Samuel L. Jackson (Nick Fury), Annette Benning (Inteligência Suprema), Akira Akbar (Monica Rambeau), McKenna Grace (como a jovem Carol Danvers), Kenneth Mitchell (Joseph Danvers) e Colin Ford (Steve Danvers). A direção é de Anna Boden e Ryan Fleck e o roteiro é de Geneva Robertson-Dworet, Meg LeFauve e Nicole Perlman. 

Coveiro

sábado, 23 de março de 2019

Marvel divulga novo trailer de Guerra dos Reinos e anuncia nova revista da Valquíria com roteiros de Aaron e Ewing

Um dos paineis mais aguardados da C2E2, a convenção de Chicago, foi o de War of The Realms, que contou com toda equipe criativa da minissérie e C.B.Cebulksi. Além de um video novo da série, tivemos mais detalhes da trama anunciados.



"Tudo começou porque quando eu comecei o trabalho com Thor sete anos atrás. Eu não conhecia todos os reinos, então quando eu entrei nos livros havia respostas diferentes para essa pergunta. Então eu decidi descobrir o que eles eram, e defini-los. " disse Aaron. "Thor tem esse cenário único, com todos esses reinos que ele tem que patrulhar. Então eu queria fazer uma viagem de todos os reinos ao longo do livro ... então por que não uma guerra para unir as coisas?"

"Todos nós temos trabalhado juntos há muito tempo. Temos que pegar o que temos feito nos últimos cinco anos com Thor e injetar vários personagens da Marvel nele. Especialmente com a estética que Matt e eu criamos " disse Russell Dauterman.

Aaron explicou que "Tudo explode na edição # 1 em Nova York, com trolls, elfos negros, anjos, etc. O que traz os Vingadores, os personagens de Thor e os personagens principais da Marvel juntos. Não vai nada bem para nossos heróis, e se expande de Nova York para todo o globo. Eles não estão invadindo, mas estão conquistando Midgard. "

Aaron ressaltou que a edição Thor#12 se focará em Loki, que terá já um grande momento na edição #1 da minissérie principal. Em Vingadores #18, com arte de McGuiness, teremos a participação do Novo Esquadrão Supremo.



Além do trailer, eles falaram sobre alguns tie ins importantes como o de War of the Realms: Journey Into Mystery com os McElroys e Andre Lima Araujo. "É uma história muito divertida sobre a irmãzinha de Thor, a Rainha das Cinzas. Balder é encarregado de mantê-la segura e se transforma em uma viagem através do Universo Marvel conquistado. Há Skrulls, heróis ocidentais e muito mais" disse o editor Will Moss. War of the Realms: X-Men será outro tie in importante com a presença de Danielle Moonstar de novo no seu papel de Valquíria.

Sobre War Scrolls, Aaron disse que queria fazer uma grande história sobre o Demolidor e que teremos o Rei do Crime ali também. Ele também citou ali sobre a história dos Três Guerreiros com o Doutor Estranho e um team-up de Wolverine e Justiceiro contra os Elfos Negros e Trolls. O Justiceiro também aparecerá em  War of the Realms: Punisher de Gerry Duggan e Marcelo Ferreira. E até o Venom terá sua importância em War of Realms, mais Aaron não quis dar detalhes.

Uma das consequências diretas de Guerra dos Reinos, pelo visto, é uma evidência maior que será dada a Valquíria nos quadrinhos. Foi anunciado durante o painel da 'The Next Big Thing' do Cebulski que teremos uma série mensal da personagem co-escrita por Jason Aaron e Al Ewing. Sem detalhes de quem cuidará da arte ainda.

Fora isso, a Marvel anunciou que fez parceria com a loja de design da Mondo para um poster exclusivo de  War of the Realms pelo artista Matt Taylor. É, é um investimento de marketing a la Marvel Studios nessa saga.

Coveiro

EXTRA! Hickman volta pra Marvel escrevendo dois novos títulos ligados aos X-Men

Agora é oficial! Está confirmado depois de um painel capitaneado por C.B. Cebulski durante a Comic Con de Chicago que de fato Jonanthan Hickman estará escrevendo finalmente sobre os mutantes. É um desejo antigo seu postergado por anos e que finalmente sairá do papel.



Hickman volta pra Marvel, mas não assumirá nenhuma mensal. No lugar, escreverá duas minisséries limitadas - House of X (Dinastia do X) e Powers of X (Poderes do X). Os artistas anunciados dos dois projetos foram Pepe Larraz e R.B. Silva respectivamente. Um detalhe sobre o projeto da Disnatia do X e Powers of X foram colocados em algorismos romanos, significando também um 10.

"Estamos entusiasmados por ter Jon de volta com a família Marvel, e não poderíamos ter pedido por uma equipe criativa melhor para ajudar a levar os X-Men a uma nova era", disse Cebulski no painel. "Embora ainda não possamos revelar muito sobre a história, essas novas histórias redefinirão os X-Men e seu lugar no Universo Marvel. Este é um momento histórico que os novos e apaixonados fãs não vão querer perder. ”

Hickman, que desenhou as logos dos dois projetos inclusive, deu um breve depoimento dizendo que "Novamente, estamos mantendo um monte disso em segredo. Deixe-me apenas dizer que temos planos radicais, radicais para todos vocês. Eu cresci principalmente como um cara da DC Comics; o único quadrinho que li da Marvel foram os X-Men. Todos os livros que fiz na Marvel até este ponto, esses eram trabalhos fantásticos - mas eram trabalhos. Este é o primeiro livro que amei antes de começar a fazer".

"Eu provavelmente nunca estive mais orgulhoso de qualquer coisa que eu tenha trabalhado do que isso. Eu acho que todos vocês ficarão maravilhados. Estamos fazendo coisas diferentes e radicais. Dois livros que você terá que ler ambos para ficar sintonizado, mas há uma boa razão para isso " falou o roteirista.



Não sabemos ainda em quantas partes serão esses títulos e como eles afetarão as mensais dos X-Men. O que foi confirmado é que começam a sair em Julho após a conclusão da atual fase chamada 'Age of X' e que cada um dos títulos sairão duas vezes por mês, alternados uma semana sendo House of X e outra sendo Powers of X. Será uma dose de Hickman por semana na Marvel.  Pepe Larraz disse que algumas páginas já estão prontas mas não podem ser mostradas. Ele inclusive brincou (ou não) que Hickman montou pra ele 37 gráficos especificamente pro trabalho do Pepe.



Apesar de não termos pistas nenhuma ainda da história, ao analisar a imagem promocional do Mark Brooks, o que vemos são personagens dos X-Men de vários momentos da sua vasta história na Marvel. Mas dois personagens chamam mais atenção aqui e que estão a frente na extrema direita e esquerda.

O primeiro pode ser confundido com um Noturno, mas a pele é rosada e o Noturno já está na imagem ali. O personagem se veste de um jeito mais medieval ainda que o 'elfo' azul. Já do outro lado temos uma mulher com a pele de aço organico que nem do Colossus só que com uma roupa lembrando a Kitty (e um pouco no estilo medieval também). E detalhes: Ela está com a espada espiritual da Illyana. Serão esses dois novos personagens criados por Hickman? Filhos desses integrantes dos X-Men, talvez?

Coveiro

Kevin Feige afirma que veremos mais do conflito Kree-Skrull com também mais detalhes de Mar-Vell nos filmes.


Capitã Marvel está em meio a seu terceiro final de semana de exibição nos cinemas e com um fôlego daqueles para ir longe na bilheteria. O filme tem intrigado os fãs, não só porque introduziu a personagem para sua longa vida no futuro do UCM como entregou mais um pedacinho do "passado" da mitologia do Universo Marvel nos cinemas. E a sequência da heroína pode acontecer ainda nessa lacuna, como apontou Kevin Feige.

Falando com o Screen Rant, Kevin Feige disse que o filme da "Capitã Marvel era tudo sobre estabelecer as bases da guerra Kree/Skrull. Queríamos dar a ela seu próprio canto do universo, sua própria mitologia. Apesar de não sermos específicos sobre isso no filme, há potencial para entender onde ela esteve esse tempo todo. Por que ainda não a vimos?" disse Feige e pontuou que "A resposta é revelada e sugerida neste filme, ao afirmar que ela estava lidando com um colossal conflito universal em outra parte do UCM."

"Talos disse que há muitos deles espalhados pela galáxia", disse Feige ainda sobre a raça espacial de transmorfos colocando que nem todos são iguais a Talos e sua família de refugiados. "E nós dissemos, parte da reviravolta que você está se referindo, é sobre ir além com esses alienígenas orelhudos pontudos e verdes. Torná-los reais, tornando-os totalmente completos e parte de, para melhor ou pior, parte de ser algo totalmente completo e sendo uma espécie tridimensional, provavelmente existem os bons, como vimos neste filme. E provavelmente há os ruins. "

Na conversa, Kevin Feige também deixou evidente que Capitã Marvel abre portas para ambos os lados, o passado e o futuro. "Será que vamos ver ainda mais disto? Sim. Quero dizer, acho que uma das coisas que nos divertem sobre a linha do tempo deste filme e o potencial de histórias futuras com esses personagens é que há um grande passado, não apenas da Mar-Vell, mas de todo o conflito Skrull / Kree e também essa lacuna da história entre quando Carol Danvers voou com Talos no final, daí "spoiler" e quando ela chegou com os Vingadores" disse Feige ao ScreenRant.

Por fim, quando perguntado sobre se ainda veremos algo como a Invasão Secreta nos cinemas, Kevin Feige falou que "qualquer coisa que ainda não fizemos, qualquer coisa das revistas que ainda não fizemos está sempre com chance de ir parar na mesa dos roteiristas".

Em Capitã Marvel, temos Brie Larson (Carol Danvers), Lashana Lynch (Maria "Fóton" Rambeau), Ben Medelsohn (Talos), Lee Pace (Ronan), Djimon Hounsou (Korath), Jude Law (Yong-Rogg), , Rune Temte (Bron-Char), Algenis Perez Soto (At-Lass) Gemma Chan(Minn-Erva), , Clark Greeg (Phillip Coulson), Samuel L. Jackson (Nick Fury), Akira Akbar (Monica Rambeau), McKenna Grace (como a jovem Carol Danvers), Kenneth Mitchell (Joseph Danvers), Colin Ford (Steve Danvers) e Anette Benning. Dirigido por Anna Boden e Ryan Fleck, o filme chegou nesta quinta-feira nos cinemas.


Coveiro

Trilha sonora concluída e incríveis posteres feitos por um fã de Vingadores: Ultimato



Com as vendas de ingressos antecipados já rolando em alguns lugares e em breve no país, eis que parece que já temos praticamente o tempo certo que vai ter o filme Vingadores: Ultimato. Segundo um distribuidor de filme na Eslováquia, o filme terá precisamente 3 horas e 3 minutos de duração. Os Russos também confirmaram que terminaram essa semana a parte da trilha sonora do filme em suas redes sociais, mais um indicativo de que sim, o filme deve ter chegado já a sua forma final que irá aos cinemas:


E já que não temos nenhum novo poster pro filme pra revelar, que tal dar uma olhada no instagram do famoso designer digital Yadvender Singh Rana (O Ultraraw26) e ver o que ele fez com cada personagem de Vingadores: Ultimato.





Uma publicação compartilhada por Yadvender Singh Rana (@ultraraw26) em

Vingadores: Ultimato conta com Robert Downey Jr. (Homem de Ferro), Chris Evans (Capitão America), Josh Brolin (Thanos), Scarlett Johansson (Viúva Negra), Chris Hemsworth (Thor), Jeremy Renner (Gavião Arqueiro), Brie Larson (Capitã Marvel), Danai Gurira (Okoye), Paul Rudd (Homem-Formiga), Karen Gillan (Nebula), Mark Ruffalo (Hulk), Don Cheadle (Máquina de Combate) e Sean Gunn e Bradley Cooper (Rocket Raccoon). Obviamente outros nomes foram confirmados como Gwyneth Paltrow (Pepper Potts), Benedict Wong (Wong) e Tessa Thompson (Valquiria). O filme chega aos cinemas em 26 de Abril com direção dos Irmãos Russo e roteiro de Christopher Markus e Stephen McFelly.

Coveiro

Livro de artes do filme da Capitã Marvel revela diferentes visuais para o Ronan

Não é sua estreia no UCM. Todos aqui devem lembrar que Lee Pace já fez o Ronan muito antes no primeiro Guardiões da Galáxia. Agora, em Capitã Marvel, ele é um acusador mais jovem e por isso a equipe de concept arts testou diferentes visuais nele pra esse filme. Confira:














Além de Lee Pace, o filme da Capitã Marvel tem no elenco com Brie Larson (Carol Danvers), Lashana Lynch (Maria "Fóton" Rambeau), Ben Medelsohn (Talos), Djimon Hounsou (Korath), Jude Law (Yong-Rogg), , Rune Temte (Bron-Char), Algenis Perez Soto (At-Lass) Gemma Chan(Minn-Erva), , Clark Greeg (Phillip Coulson), Samuel L. Jackson (Nick Fury), Akira Akbar (Monica Rambeau), McKenna Grace (como a jovem Carol Danvers), Kenneth Mitchell (Joseph Danvers), Colin Ford (Steve Danvers) e Anette Benning. Dirigido por Anna Boden e Ryan Fleck, o filme chegou nesta quinta-feira nos cinemas.

Coveiro

Capitã Marvel com novo uniforme, Nick Fury e Skrulls invadem o Torneio de Campeões


Desde 6 de Março, a Kabam atualizou o jogo Torneio de Campeões e incluiu nele a Capitã Marvel com seu uniforme do filme e alguns golpes novos e o Nick Fury, além de encaixar os Skrulls (que tomaram a forma de alguns personagens no jogo). Confira o trailer:





Capitã Marvel é estrelado por Brie Larson (Carol Danvers), Lashana Lynch (Maria "Fóton" Rambeau), Ben Medelsohn (Talos), Lee Pace (Ronan), Djimon Hounsou (Korath), Jude Law (Yong-Rogg), , Rune Temte (Bron-Char), Algenis Perez Soto (At-Lass) Gemma Chan(Minn-Erva), , Clark Greeg (Phillip Coulson), Samuel L. Jackson (Nick Fury), Annette Benning (Inteligência Suprema), Akira Akbar (Monica Rambeau), McKenna Grace (como a jovem Carol Danvers), Kenneth Mitchell (Joseph Danvers) e Colin Ford (Steve Danvers). A direção é de Anna Boden e Ryan Fleck e o roteiro é de Geneva Robertson-Dworet, Meg LeFauve e Nicole Perlman.

Coveiro