CAPITÃ MARVEL NOS CINEMAS

CHEGANDO AOS CINEMAS EM MARÇO DE 2019

O MISTERIOSO VINGADORES 4 VEM AÍ

FIQUE POR DENTRO DO FILME QUE CULMINARÁ OS 10 ANOS DA MARVEL STUDIOS NOS CINEMAS

DEMOLIDOR

O Homem sem Medo voltou!

HOMEM-FORMIGA E A VESPA NOS CINEMAS

PODCAST SOBRE O ÚLTIMO FILME DO ANO DA MARVEL STUDIOS

INFINITY WARS

A ÚLTIMA SAGA DA MARVEL QUE ESTÁ SAINDO NOS EUA

LUKE CAGE

PODCAST SOBRE A SEGUNDA TEMPORADA NO NETFLIX

JESSICA JONES

A SEGUNDA TEMPORADA DE JESSICA JONES NO INOMINATA 616!

NÓS SOMOS VENOM

TUDO SOBRE O SPINOFF DA SONY

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Brie Larson e Samuel L Jackson falam sobre Capitã Marvel após os anúncios da SDCC' 2017



Eles já trabalharam juntos em Kong: A Ilha da Caveira. E mais uma vez, Brie Larson e Samuel L. Jackson vão dividir os sets de filmagens para as gravações de Capitã Marvel, que surpreendeu muita gente uma semana atrás quando anunciaram que se passaria na década de 90 e teria Skrulls como vilões.

Em coletivas de imprensa diferentes, os atores deram suas primeiras declarações sobre Capitã Marvel depois do anuncio da San Diego Comic Con. Enquanto promovia o seu novo filme The Glass Castle, Larson disse ao Entertainment Tonight  que "eu posso estar ficando preparada. Eu posso não estar ficando preparada. Tudo que eu falar parece que vai ser hiper analizado" disse a atriz um pouco tensa com a super-exposição que teve com a personagem. Quer dizer, eu sinto um pressão por esse personagem ser tão amado e inspirar tantas pessoas. E eu vejo isso e quero fazer do jeito certo. E eu quero que as pessoas sintam que a personagem foi honrada".

Já na promoção de The Hitman's Bodyguard, Samuel L. Jackson respondeu o que mais está ansioso pra ver no filme. "Atuar com a Brie. Brie é tipo, demais. Brie é minha menina" disse ele. Já Ryan Reynolds, que está dividindo o filme com Jackson se meteu na pergunta e brincou dizendo que o que Jackson está mais animado é poder ver em perspectiva de profundidade (fazendo piada com o fato de que Nick Fury terá os dois olhos pela primeira vez num filme da Marvel).

Capitã Marvel estreará nos cinemas em 8 de Março de 2019.

Coveiro

40 anos da Mulher-Aranha!

A maioria não deve saber, mas neste ano Jessica Drew, a Mulher-Aranha original, faz 40 anos de história. Para não deixar passar em branco trago aqui um breve artigo cobrindo os marcos mais importantes da personagem.



A Mulher-Aranha apareceu pela primeira vez em Marvel Spotlight (1971) #32, de fevereiro de 1977, com roteiro de Archie Goodwin e arte de Sal Buscema e Jim Mooney. Essa edição trouxe parte da sua origem, mostrando que era uma agente da HIDRA cuja missão era matar Nick Fury. Porém, quando Fury mostra a verdade sobre a HIDRA, a Mulher-Aranha se volta contra a organização terrorista e vai atrás Otto Vermis, o líder da HIDRA que a havia recrutado e enganado. Ele a chantageia para escapar da SHIELD em troca de revelar os segredos de seu passado. Ele diz que ela havia saído de um acelerador genético, no qual havia sido selada há anos pelo Alto Evolucionário. Wundagore era o lugar onde ela estava e do qual escapou. Ela foi viver em uma vila e algum tempo depois foi recrutada pela HIDRA. Vermis então vai embora no jato, mas Jessica (seu nome ainda não é revelado nessa edição) consegue alcançar o jato, fazendo com que seja abatido.
Sabendo agora sua origem ela segue caminho sem rumo.

Esse seu primeiro plot na verdade seria estendido no arco que ocorreu em Marvel Two in One #30-33, o título do Coisa no qual cada edição era com um outro personagem da casa das ideias. Mas não vou entrar em detalhes neste artigo. O leitor pode saber mais sobre a origem da Mulher-Aranha aqui.



Já no ano seguinte, em 1978, a Mulher-Aranha teve seu primeiro título solo, inicialmente com roteiros de Marv Wolfman e arte de Carmine Infantino. A série durou 50 edições e por ela passaram nomes como Mark GruenwaldMichael Fleisher, Chris ClaremontAnn Nocenti. Os plots mais importantes a serem destacados são os seguintes:

- Fase Marv Wolfman e Mark Gruenwald

Jessica tem de se readaptar à vida pois foi selada desde a infância e não possui experiência de vida pessoal ou professional. Também tem de descobrir como equilibrar sua vida de civil com a de Mulher-Aranha. Os coadjuvantes mais importantes são o seu namorado Jerry Hunt, um agente da SHIELD; Magnus, um mago que acabou sendo uma espécie de mentor para Jessica (e que veio a ser importante no final do título); e Lindsay McCabe, uma atriz que acabou se tornando a sua melhor amiga. Vale mencionar aqui que a maior vilã dessa fase foi a Morgan Le Fey.

Também se destaca nessa fase a descoberta da verdade sobre a origem da Mulher-Aranha e sobre seu pai, a qual ela obteve com a ajuda de Magnus e Hunt. Jonathan Drew era um cientista que estava fazendo pesquisas  com urânio ao lado de Herbert Wyndham. A exposição ao urânio deixou Jessica (na época ainda criança) com risco de morte. Seu pai injetou-lhe um soro feito com sangue de várias espécies de aranha que tinham capacidades regenerativas. Ela foi selada em um acelerador genético criado por Wyndham para acelerar o processo, mas não teve efeito. Depois que Wyndham se tornou o Alto Evolucionário deixou Jessica (que havia ficado em estase desde então) num lugar chamado Wundagore. Também é revelado que Mirian Drew, mãe de Jessica, morreu pouco tempo depois de ela ter sido selada. Na edição 7 é revelado que Jonathan foi obrigado a trabalhar para a empresa Pyrotechnics, por um deputado chamado Wyatt, que a comandava. E Jonathan acabou sendo morto por ele. Wyatt foi morto durante uma perseguição pela SHIELD nessa edição.

Além disso, vale mencionar que Lindsay foi um elemento importante para ajudar Jessica a se readaptar. Mas inicialmente ela não sabia que sua amiga era a Mulher-Aranha. Em determinado momento dessa fase, as duas acabam morando juntas em Los Angeles. Essa amizade veio a ser desenvolvida durante todo o título.



- Fase Michael Fleisher

O que mais se destaca aqui, além do desenvolvimento da amizade com Lindsay, é a nova fase de Jessica Drew e um amadurecimento da personagem. Ela estava trabalhando em parceira com Scotty McDowel, um ex-policial investigativo que perdeu o movimento das pernas em uma missão. Ele identificava as oportunidades de casos, investigava usando os seus recursos e sua experiência, e a Mulher-Aranha ficava com a parte da ação. Além disso, Scott também sabe a identidade secreta da Mulher-Aranha. A relação entre os dois é carismática e bem trabalhada durante a fase.



- Fase Chris Claremont

Claremont já começa mostrando um desentendimento entre Jessica e Scott, fazendo com que os dois deixem de trabalhar juntos. Lindsay vai morar em São Francisco e Jessica acompanha sua amiga. É nessa fase que uma das características mais importantes da personagem foi introduzida: Jessica Drew torna-se uma investigadora particular. Característica essa que veio até a influenciar na criação da Jessica Jones, por Brian Michael Bendis. Além disso, temos arcos com os X-Men e com os Vingadores (em Avengers Annual #10, no qual Jessica veio a conhecer Carol Danvers, a Capitã Marvel, que viria a se tornar uma grande amiga), os quais Claremont escrevia na época. Há também um arco com a HIDRA, mais especificamente a Madame HIDRA. Nele Lindsay foi gravemente ferida e quando estava se recuperando revela que sabia que Jessica era a Mulher-Aranha desde que foram morar juntas em Los Angeles. Por sorte ela consegue se recuperar bem e Jessica pôde continuar com sua grande amizade.



- Fase Ann Nocenti

As últimas edições mostraram a volta de Magnus e de diversos outros coadjuvantes que fizeram presença no título. O arco trouxe também de volta a Morgan Le Fey e só veio a ser finalizado em The Mighty Avengers #240-241, de Roger Stern, com consultoria de Nocenti. Foi aí que Jessica Drew perdeu seus poderes e passou a atuar apenas como investigadora particular.

Após o cancelamento do seu título a Mulher-Aranha voltaria a aparecer regularmente no título solo do Wolverine de Chris Claremont do final dos anos 1980, como coadjuvante (apenas como Jessica Drew), também com a presença de Lindsay McCabe. Ela também participou do Spider-Woman (1999), um título com a Mattie Franklim, e de um arco de Alias, com a Jessica Jones, no início dos anos 2000.



Porém, como a maior parte dos leitores deve saber, a Mulher-Aranha voltou a ter destaque na editora a partir de 2005, em Novos Vingadores de Brian Michael Bendis.

Não vou entrar em detalhes aqui. Caso o leitor queira saber mais sobre essa época é só ler este artigo. O que é importante mencionar é que foi através desse título que a Mulher-Aranha passou a ser plenamente desenvolvida depois de duas décadas quase sem aparecer. O leitor deve saber que aquela Jessica Drew no início do título era na verdade a Rainha Skrull e a verdade só viria à tona em Invasão Secreta. O título trabalhou novamente a ligação passada dela com a HIDRA, deixou Jessica novamente numa situação complicada de ter de se adaptar e adquirir confiança em si mesma depois de tanto tempo afastada (devido aos Skrulls). E foi o Wolverine quem a convidou para integrar os Novos Vingadores depois da Invasão Secreta. Ela também veio a fazer parte da equipe principal dos Vingadores após a queda de Norman Osborn em O Cerco e dos Vingadores Secretos da fase de Alex Kot. E na época da Marvel Now foi membro da enorme equipe dos Vingadores da fase de Jonathan Hickman.





Já em 2006, Bendis escreveu uma minissérie trazendo uma nova origem para a Mulher-Aranha. Diferente da origem antiga, Jessica estava com risco de morte quando ainda estava em gestação. Mas, semelhante à outra origem, seu pai usa um soro de aranha com capacidades regenerativas e a salva. Outro fator alterado foi o fato de que seu pai, Jonathan Drew  trabalhava para a HIDRA e era um pai violento. Para descobrir mais sobre o DNA de Jessica e suas capacidades, ele tinha de retirar amostras de sangue da criança constantemente. Mas em determinando momento ela já não queria mais tirar o sangue e sua mãe, Mirian, tenta impedir que ele insista. É aí que Jonathan agride Mirian gravemente e isso faz com que Jessica manifeste seus poderes bioelétricos pela primeira vez, parando o seu pai. Ela desmaia e só vem a acordar anos depois, em meados de sua adolescência, numa base da HIDRA.
O resto é semelhante, com pequenas diferenças em relação à origem anterior. Ela é treinada e enganada pela HIDRA e só vem descobrir a verdade na sua grande missão de matar Nick Fury. No final da mini, Jessica reencontra seu pai e descobre que ele estava trabalhando mesmo para a HIDRA de livre e espontânea vontade. A série se encerra em São Francisco, com Nick Fury convidando Jessica para ser uma agente da SHIELD. Naquele momento ela não aceita pois queria ser investigadora particular e a única super-heroína de São Francisco, a Mulher-Aranha. Para saber mais detalhes dessa origem veja o artigo do link acima.



Pouco tempo depois da Invasão Secreta, em 2009, Bendis escreveu um título solo da Mulher-Aranha. A série mostrou como Jessica fez para se readaptar depois do tempo em que esteve afastada. Ela é contratada por Abigail Brand para ser uma agente da SWORD e caçar um determinado Skrull que ainda estava na Terra. Com isso, o título trabalha também sua faceta de investigadora. Não posso me alongar muito por aqui, mas deixo claro que acho que esse foi o melhor título da Mulher-Aranha até hoje (embora muito curto), sendo a narrativa mais adequada à personagem e a melhor maneira de desenvolvê-la. Para saber por que e ver os detalhes, é só conferir aqui.



Os leitores de Aranhaverso devem estar acompanhando o seu mais recente título solo, com roteiros de Dennis Hopeless. Essa série começa com um tie-in de Spider-Verse, mas logo traz um novo status quo e até mesmo uma narrativa completamente diferente (bastante descontraída e descompromissada), nunca antes usada com a personagem. Além disso, a Mulher-Aranha também ganha um novo uniforme. O título acaba sendo muito divertido, mas também tendo seus momentos mais profundos. Esse volume - Spider-Woman (2015) durou 10 edições. 


Apesar de reconhecer que é um bom título e de gostar dos roteiros do Dennis Hopeless em geral, ainda prefiro o estilo de narrativa utilizado por Bendis no título de 2009. Mas caso o leitor queira saber os detalhes do título de Hopeless é só clicar aqui e aqui.

O título foi renumerado após as Guerras Secretas de Jonathan Hickman e durou 17 edições, também com roteiros de Hopeless. Você pode conferir uma resenha sobre uma edição desse volume aqui no site, a respeito de seu novo status-quo como mãe. Minha opinião sobre o volume é semelhante a do anterior e acho que essa decisão tomada nele foi precipitada, mas também não deixou de ser interessante e promissor. Porém, só vou falar sobre ele em detalhes em outra ocasião.


Em relação aos poderes dela, as únicas diferenças em relação aos do Homem-Aranha é que ela é capaz de gerar uma energia bioelétrica; possui um metabolismo que a permite ficar imune a qualquer gás, veneno ou radiação a qual seja exposta; e depois que recuperou seus poderes ganhou a capacidade de voar (antes só podia planar, com a ajuda de seu uniforme). Vale mencionar que ela não tem sentido de aranha. Para ver mais detalhes sobre seus poderes clique aqui.


E pra quem não sabe a Mulher-Aranha também teve uma série animada, em 1979. É muito diferente dos quadrinhos e descompromissada. Não recomendo para quem desconhece a personagem e quer conhecê-la por esse meio. Mas é boa para quem quer apenas se divertir um pouco. Caso o leitor queira saber detalhes é só ver aqui.


Para finalizar, podemos mencionar a curiosidade das semelhanças entre a Mulher-Aranha e a Jessica Jones. Mesmos nomes? Vai um pouco além disso. Os leitores que pesquisaram um pouco a repeito da Jessica Jones devido ao seu seriado na Netflix talvez tenham visto que ela surgiu a partir de uma ideia que seria usada para uma revista da Mulher-Aranha. Para saber essa e outras curiosidades é só ver este artigo, que já referenciei acima.


A Mulher-Aranha está há 40 anos na editora e, como já mencionei, voltou a ter mais destaque a partir dos Novos Vigadores de Bendis em 2005. O leitor pode não gostar do Bendis (eu mesmo tenho críticas negativas a ele também), mas sem ele a Jessica Drew não teria voltado a ter esse destaque. E os plots envolvendo ela em Novos Vingadores foram muito bem planejados. Com o anúncio de que os Skrulls estão no MCU e que eles estarão na trama do filme da Capitã Marvel em 2019 (lembrando que ela e a Mulher-Aranha são grandes amigas nos quadrinhos), com a HIDRA já fazendo parte do MCU desde o início, e com mais gente querendo ver filmes de super-heroínas, espero que a Marvel Studios já esteja planejando um filme da Mulher-Aranha para a fase 4. E espero que ela continue tendo o destaque que tem tido nos quadrinhos nesses últimos 12 anos.

Caso o leitor queira ver todos os artigos da série que fiz marcando essa data é só clicar aqui e seguir a ordem de publicação. Também fiz em inglês aqui, na mesma ordem.

Parabéns a todos os que trabalharam a personagem e, claro, à Mulher-Aranha. Que venham mais e mais anos de Jessica Drew por aí. 

André Marques - The Amazing Spider-BlogAracnofã

Colaborador do site Marvel 616

Mais detalhes sobre as vilãs da série dos Defensores



Durante uma das muitas entrevistas após o painel apresentado na San Diego Comic Con, Sigourney Weaver deu uma outra imagem que tem sobre Alexandra, que não seria exatamente uma vilã. Fora isso, Elodie Yung deu mais uma ideia de como será o retorno da Elektra em Defensores.

"Eu estava fazendo uma entrevista mais cedo e eu continuava me referindo a ela como uma heroína, que para mim é uma outra palavra pra se referir a uma mulher de caráter. Eu disse que achava que ela se considerava uma heroína, porque ela não enxerga as coisas simplesmente como branco e preto. Ela vê todas as diferentes cores e possibilidades porque ela é uma mulher de negócios" disse Weaver.

"E eu não acho que pessoas de negócios, especialmente na escala dela, ligam para essas coisas pequenas. Se for uma companhia de combustível fóssil, eles apenas querem seguir adiante, não importa quantas pessoas estejam reclamando disso na Terra. Eu me baseei em uma pessoa de verdade que eu conheço que eu acho que gostará dela" colocou a atriz.

O produtor executivo dos Defensores Marco Ramirez também resolveu dar mais pistas sobre quem é a personagem Alexandra, vivida por Sigourney Weaver. "Em Demolidor e Punho de Ferro, os dois seriados mostraram com muitas referências quem é o tentáculo e deu pra saber que havia por detrás jogadores que não víamos, alguém maior. Há pessoas que trabalham além disso que estão mexendo as cordinhas. A verdade é que ela é alguém que estava nas sombras que resolveu finalmente andar. E escolhemos o nome de Alexandra porque soava bem nobre".

Já Elodie Yung foi concisa para falar de sua personagem. Na sua vez da entrevista, disse apenas que teremos "uma Elektra muito sangrenta e muito sombria nesta temporada". E não é só isso que veremos de diferente sobre a personagem. Ela ganhará um novo uniforme, desta vez bem inspirado nos quadrinhos. "Achei uma excelente ideia. Eu acho que eles se inspiraram realmente nos quadrinhos. Elektra morre e volta em um novo traje e ela muda também. Foi bem legal e interessante de se fazer a Elektra de novo. Ela é praticamente um novo personagem quase, porque ela não lembra de nada. E explorar um novo personagem é animador pra mim. E então Alexandra toma posse dessa nova Elektra e forja ela da maneira que ela precisa, se isso faz sentido pra você. E é daí que começamos" disse Yung ao Cinema Blend.

Alexandra e Elektra serão oponentes dos Defensores, grupo formado pelo Demolidor (Charlie Cox), Jessica Jones (Krysten Ritter), Luke Cage (Mike Colter) e Punho de Ferro (Finn Jones). Outros atores presentes na série em oito partes são Jessica Henwick (Colleen Wing), Rosario Dawson (Claire Temple), Sigourney Weaver (Alexandra), Elodie Yung (Elektra Natchios), Babs Olusanmokun (Sowande), Elden Henson (Foggy Nelson), Simone Missick (Misty Knight), Rachel Taylor (Trish Walker), Scott Glenn (Stick), Eka Darville (Malcolm Ducasse), Debbi Morgan (Delores), Carrie-Anne Moss (Jeri Hogarth), e Deborah Ann Woll (Karen Page).

A Netflix liberará a série completa no dia 18 de Agosto

Coveiro

Anson Mount, Serinda Swan e Iwan Rheon em novos depoimentos sobre o seriado dos Inumanos



Podemos dizer que Anson Mount, Serinda Swan e Iwan Rheon serão o cerne desta primeira temporada de Inumanos. Nos papeis de Raio Negro, Medusa e Maximus, eles foram alvos de muitos jornalistas ao fim do painel da Marvel TV. Já o produtor principal da série, Scott Buck, teve que explicar o que diferencia os inumanos da sua série daqueles encontrados na terra desde o vazamento de terrínese no mar.

Em conversa com o ComicBook, Anson Mount falou sobre a adaptação do poder destrutivo de Raio Negro. "Eu acho que a escala é algo do tamanho que se ele gritar, o planeta parte no meio. É algo realmente legal esse conceito para um superpoder porque ele tem que ter muito cuidado. Ele tem que controlá-lo. Ele tem que ser responsável pelo que faz, e um líder responsável é imediatamente cuidadoso, acho" disse o ator.

Já Serida Swan tocou no polêmico ponto de sua peruca. "Eu tenho uma bela e espetacular peruca que você poderá ver em um dos trailers e também um monte de CGI, obviamente. Então, é uma mistura e é só se acostumar a ela, como se fosse um membro, basicamente. Então, é só ir me acostumando de usar ela e só desviar do vento e todas essas coisas divertidas. Eu estava maravilhada de aprender como funcionaria com um cabelo de 1,2 m" comentou a atriz.

Já o personagem de Iwan Rheon, o Maximus, não tem poderes aparentemente, mas é um vilão inteligente que sabe usar a lábia. O ator disse que "Os Inumanos vivem num rígido sistemas de castas onde uma vez que eles passam pela Terrigenses, qualquer que seja o poder que eles desenvolvam basicamente irá definir como Inumanos onde eles pertecerão no sistema de castas. Maximus nçai tem poder, então, em teoria, ele deveria pra parte mais baixa da pirâmide, mas porque ele é irmão do Rei, lhe é permitido continuar na família real inumana".

"Ele realmente sente que é o homem do povo. Ele acredita que esse sistema de castas é errado e quer mudar isso e quando a ameaça iminente da humanidade descobri-los, ele acha que tem ideias e ideologias melhores para lidar com o sistema para libertar as pessoas. É daí que veremos o conflito entre Raio Negro e o resto da Família real" disse o ator. Vale lembrar que nos quadrinhos, se acreditava que Maximus não tinha mesmo poderes, mas a verdade é que ele já desenvolvia muito bem seus dons de dominar mentes quando foi desmascarado.

Por fim, o produtor Scott Buck falou mais da ligação dos inumanos da nova série e aqueles que apareceram em Agentes da SHIELD. "Nós já vimos os neo-inumanos em Agentes da SHIELD, mas aqui é completamente diferente. Há Inumanos que sabem o que são e a importância de seus poderes. Eles sabem a importância da cerimônia que é a coisa mais sagrada, a maior parte das cerimônias ritualístico, o ritual da cerimônia na sua civilização. Eu acho que os Neo-Inumanos que estão na Terra sequer sabem o que anda acontecendo. Eles são parentes distantes dos nossos personagens".

A série que estreia primeiro nos cinemas traz Anson Mount como Raio Negro, Serinda Swan como Medusa, Iwan Rheon como Maximus, Ken Leung como Karnak, Eme Ikwuakor como Gorgon, Isabelle Cornish como Crystalis, Mike Moh como Triton, Sonya Balmores comos Auran, e muito mais.

Coveiro

Nova contratação pra a segunda temporada de Jessica Jones



O site Entertaiment Weekly acaba de divulgar mais um nome para compor o elenco da segunda temporada de Jessica Jones. O ator J.R. Ramirez (da série Arrow) fará Oscar, um novo síndico do prédio de Jessica Jones que pode ser um problema para a heróina.

Oscar é um pai solteiro devotado que se muda para o prédio de Jessica Jones e vira o novo sindico de lá. Ele tem um filho que acaba se enamorando pela figura de Jessica e seus poderes. Contudo, Oscar quer distância e acha que pessoas como ela só trazem problemas para quem esta perto.

A produtora executiva de Jessica Jones, Melissa Rosenberg, comentou sobre a adição de Ramirez. "J.R.é uma incrível inclusão no nosso elenco, trazendo complexidade e emoção subliminar e humor. Ele respira calor, determinação e inteligência e se encaixa perfeitamente no tom" comentou.

Não há data ainda para o lançamento da nova temporada de Jessica Jones. Contudo, a série certamente sai no primeiro semestre de 2018 pela Netflix.

Coveiro

Jon Berthal e Deborah Ann Woll dão mais detalhes da série solo do Justiceiro



Jon Bernthal voltará a pele de Frank Castle em breve em sua série própria e contará ainda com a presença de Deborah Ann Woll, que retorna ao papel de Karen Page para acompanhar o Justiceiro em sua nova aventura. Numa nova série de entrevistas, o ator comentou porque o personagem é uma grande responsabilidade. Já Deborah acredita que Castle pode ser a pessoa certa pra misteriosa Karen se abrir e conhecermos seu segredo. Confira:

"Eu acho que com o Frank e com o mundo que ele está bem envolvido, ele é um soldado, então eu acredito que vá haver muito componente militar na série. Vai ser de algum jeito centrada nisso... Eu acho que o Frank Castle que estava em Demolidor não era o Justiceiro" disse o ator Jon Bernthal a Entertaiment Weekly.

"Só porque eu tenho alguma familiaridade com o público dos quadrinhos do The Walking Dead, eu sei o quanto o Frank Castle significa para muitas pessoas e é uma responsabilidade enorme pra mim. É algo grande pra mim. Eu sei o quanto o personagem ressoa com membros das forças da lei, dos militares e isso é algo que eu realmente, realmente quero" respondeu Bernthal a outro site, o Den of Geek.

"E eu também sei que há um estigma no papel e as pessoas vão questionar e comparar com as interações antigas. Eu tive muita sorte de pegar esse papel e eu tive muita sorte de poder contar a história do Frank em um arco de 13 episódios. E agora nós gravamos a temporada 1 de Justiceiro. Eu estou bem nervoso, estou nervoso pensando se as pessoas vão gostar. Eu tive trabalhando bem duro e realmente quero que as pessoas continuem a buscar essa versão do Frank e eu me preocupo muito com a audiência:

Quem conversou também com a Entertainment Weekly na SDCC foi Deborah Ann Woll. "Frank tem um lugar no coração da Karen e certamente com a história obscura que Karen tem, há poucas pessoas que ela possa dividir quem ela é na verdade. Frank é alguém que ela poderia se abrir completamente" disse a atriz.

Na série, além de Jon Bernthal (Frank Castle) e Deborah Ann Woll (Karen Page), teremos Jason R. Moore (Curtis Hoyle), Ebon Moss-Bachrach (David Lieberman), Michael Nathanson (Sam Stein), Jaime Ray Newman (Sarah Lieberman), Amber Rose Revah (Dinah Madani), Paul Schulze (Rawlins), Daniel Webber (Lewis Walcott), Kobi Frumer (Zach Lieberman), Ripley Sobo (Leo Lieberman), Kelli Barrett (Maria Castle), Ben Barnes (Billy Russo), e Aidan Pierce Brennan (Frank Castle Jr.).

Coveiro

Cate Blanchett pede por mais vilãs na Marvel e quer retornar ao papel no futuro


A atriz Australiana Cate Blanchett realmente se divertiu com a Marvel Studios. Não é a toa que ela até chegou a pedir pra voltar em dada entrevista. E mais uma vez ela fala de ser o destaque como a primeira grande vilã dos cinemas e pede por mais mulheres no papel.

"Eu não me dei conta... eu estava vivendo a primeira grande vilão da Marvel nas telas... e eu pensei , isso claro que não... bem, não na verdade... isso é verdade. Há muitas, muitas vilãs nos quadrinhos, mas elas tem tido pouco espaço pra vir para as telas. Então, espero que comecem a ter mais vilanisces delas por aí" disse Cate Blanchett ao site E!. Antes, que alguém lembre de outros nomes, vale lembrar que ela provavelmente se refere exclusivamente aos filmes. E isso, de fato tem sido bem menos visto nas telonas do que na telinha

Blanchet falou o que foi que a fez aceitar de imediato o papel assim que leu o roteiro. "Isso me deu um 'aceno' na verdade. Eu pensei que seria realmente animador que eles arrumaram de eu destruir a fonte de poder do Thor nos primeiros minutos. É uma bela entrada". E assim, descobrimos que pelo visto a cena de entrada da batalha de Hela contra Asgard é de cara uma cena de abertura pelo visto.

Por fim, Blanchett falou que não se incomodou nem um pouco com os atributos requeridos pro seu papel. "Esses caras filmam oito filmes um atrás do outro. Já eu entro em forma e depois volto a comer meus hamburguers. Eles tem que me colocar em outro filme senão vou acabar muito preguiçosa" disse a atriz. Garanto que os fãs vão adorar rever sua Hela. Guerra Infinita ou Vingadores 4, talvez?

Em Thor: Ragnarok teremos Chris Hemsworth junto com Tom Hiddleston (Loki), Cate Blanchett (Hela), Idris Elba (Heimdall), Jeff Goldblum (Grão-Mestre), Tessa Thompson (Valquíria), Karl Urban (Skurge), Anthony Hopkins (Odin), Sam Neill, Ray Stevenson (Volstagg), Tadanobu Asano (Hogun), Mark Ruffalo (Bruce Banner/Hulk), e Benedict Cumberbatch (Dr. Stephen Strange). O filme chega ao Brasil na última semana de Outubro

Primeira imagem da Dominó pro filme de Deadpool 2 é divulgada



Fazendo uma clara homenagem a primeira imagem divulgada do Deadpool anos atrás, Zazie Breetz posou pela primeira vez com o Visual da Dominó. A imagem foi postada agora a tarde por Ryan Reynolds. Veja como ficou:



E mais uma foto com detalhes do rosto da personagem saiu! Atualizamos o artigo trazendo pra vocês:




Deadpool 2 chega aos cinemas em primeiro de Junho de 2018. Nele, veremos mais uma vez Ryan Reyndols, Morena Baccarin, T.J. Miller, Brianna Hildebrand, Stefan Kapici, Leslie Uggams e Karan Soni. As grandes adesões da sequência ficam por conta de Josh Brolin, Zazie Beetz e Jack Kesy.

Coveiro

Tessa Thompson entrega que refilmagens de Thor: Ragnarok envolviam as gravações das cenas pós-créditos



Recentemente, Thor: Ragnarok voltou aquela parte já necessária de toda grande produção, que são as refilmagens de algumas cenas. Contudo, a atriz Tessa Thompson deixou escapar que boa parte desse retorno aos sets é adição de novas tomadas de fotografias e parte do que será as cenas pós-creditos. E elas vão contar com participações especiais.

"Estavamos sim regravando. E cara, matamos a pau. Eu quero dizer, espero, nós fizemos tantas colocações e o que foi mais excitante é que no final do dia pudemos ver o corte. Por exemplo, tinha... opa, quase falei algo que não deveria dizer. Mas digamos que dois personagens no filme que potencialmente tem uma cena de luta e algumas refilmagens estavam adicionado algo nelas. Então, não eram bem refilmagens, foi mais fotografia adicional ou filmar algumas marcas que podem ou não ter participações especiais de pessoas divertidas que são de outro lugar" disse Tessa Thompson ao Collider na Comic-Con

A atriz também falou sobre a equipe criativa fazendo mundos fantásticos do nada. "Isso é coisa muito fina. Eu me lembro de uma em que podíamos ver a Valquíria montada num pégaso, por exemplo. E aí no final, eles me mostraram aquilo, aquela composição. Então, no começo do dia eu estava num cavalo, e o cavalo estava fazendo nada, estava lá só parado. Daí, no final do dai, o cavalo tinha asas, ele podia voar e eu tinha uam espada. São pessoas muito competentes fazendo isso" relatou a atriz.

Em Thor: Ragnarok teremos Chris Hemsworth junto com Tom Hiddleston (Loki), Cate Blanchett (Hela), Idris Elba (Heimdall), Jeff Goldblum (Grão-Mestre), Tessa Thompson (Valquíria), Karl Urban (Skurge), Anthony Hopkins (Odin), Sam Neill, Ray Stevenson (Volstagg), Tadanobu Asano (Hogun), Mark Ruffalo (Bruce Banner/Hulk), e Benedict Cumberbatch (Dr. Stephen Strange). O filme chega ao Brasil na última semana de Outubro

Coveiro

Rob Liefeld e David Leitch falam sobre Cable e o estilo da parceira que será formada em Deadpool 2



Sai Tim Miller e entra o novo diretor David Leitch. Responsável pelos recentes sucessos de Atomic Blonde e John Wick, ele agora é o responsável por Deadpool 2 e falou com vários veículos de imprensa sobre o que esperar da sequência em 2018:

Pra começar, ele elogiou o esforço de Josh Brolin. "Quando ele graciosamente aceitou o papel, Ryan e eu estavamos pendurados no teto. Amamos ele. Ele é um grande ator, ele traz humanidade ao Cable, mas ele também tem uma profundidade na sua atuação que permitirá a comédia que precisamos. Ele está literalmente trazendo o personagem a vida nos 12 dias que já gravamos e não poderia estar mais feliz. disse Leitch

O criador de Cable, Rob Liefeld, também conversou com o ComicBook e falou sobre Brolin como Cable. Pra ele chama atenção o encorpamento que Brolin deu pra viver o Soldado do Futuro. "A maneira que vemos a transformação... quero dizer, ele imediatamente começou seu treino. Eventualmente, quando tiver a chance eu vou perguntar, gostaria de ter esse seu regime de treinamento, por favor".

Liefeld também acha que Brolin é o "cara" pra ser Cable. "Se você apenas assistir o No Country for Old Men e Sicario, você verá duaas atuações diferentes da performance de Josh Brolin. Você tem o Llewelyn que é mal-humorado, determinado, não fala muito, mas que você atravessaria o país com ele. E em Sicario ele é selvagem, um estourado Agenet da C.I.A., é um tremendo ator.

Na conversa, Liefeld ainda comparou Deadpool 2 com outro filme de parceria famoso. "Quando você ver os dois juntos vai ficar dizendo que essa é a versão equivalente dos quadrinhos a Hora do Rush e eu não sei se os leitores estão preparados pra isso. Mas eu acho que será demais.

Por fim, outro site quis saber se o diretor iria tratar da pansexualidade de Deadpool nos cinemas. "Tudo é possível no mundo de Deadpool. É um universo tão maluco pra brincar, mas não posso comentar sobre pra que lado iremos. E isso é que é engraçado sobre Deadpool, você realmente não sabe e por isso você está vindo me perguntar isso sorbe ele. Eu acho que , por si só, isso já diz tudo. Quantos personagens você tem por aí que poderia ter uma discussão dessas?

Nesse filme insano que chega em 2018, teremos de volta Ryan Reyndols, Morena Baccarin, T.J. Miller, Brianna Hildebrand, Stefan Kapici, Leslie Uggams e Karan Soni. As grandes adesões da sequência ficam por conta de Josh Brolin, Zazie Beetz e Jack Kesy.

Coveiro

Fugitivos será o O.C da Marvel




Para inovar o gênero de Super-heróis, a Marvel já deixou claro que a fórmula é sub-categorizar as histórias com estilos diferentes como espionagem, filme de assalto, space opera, e afins. As séries aparentemente estão seguindo a mesma linha, pelo visto. É o que mostra Jeph Loeb na última apresentação da Hulu no evento Television Critics Association.

"É o The O.C. do Universo da Marvel" disse Loeb falando de Fugitivos e fazendo referência ao seriado famoso de dez anos atrás que saiu no Brasil com o nome "Estranhos no Paraíso". E não poderia fazer mais sentido, já que o co-produtor de Fugitivos, Josh Schwartz, é quem criou a série The. O.C. pra Fox tempos atrás.

"Não olhamos pra ela como um seriado de Super-heróis. Nós enxergamos ela como um drama de chegada a idade adulta, um show de família dentro da Marvel" disse Loeb. E isso também é o certo. O quadrinhos criado por Brian K. Vaughan e Adrian Alphona nunca foi um gibi de aventuras heróicas.

Por fim, Loeb afirmou categoricamente que Fugitivos "acontece no mesmo mundo dos seriados da Netflix da Marvel". Não que tudo não seja o mesmo mundo, mas se Loeb falou isso, alguma ligação mais clara entre as séries deve ter. E isso é por si só curioso já que a Netflix e Hulu competem pelo mesmo mercado.

No elenco principal temos Rhenzy Feliz (Teen Wolf) como Alex Wilder, Lyrica Okano (The Affair) como Nico Minoru, Virginia Gardner (Goat) como Karolina Dean, Ariela Barer (New Girl) como Gert Yorkes, Gregg Sulkin (Faking It, Anti Social) como Chase Stein e Allegra Acosta (Just Add Magic) como Molly Hernandez

E o episódio piloto já tem data pra sair - 21 de Novembro deste ano!

Coveiro

Mulher-Aranha: A decisão de ser Mãe


O filho de Jessica Drew finalmente nasceu. E como é de praxe na vida de uma heróina, sempre com muita emoção e de um jeito peculiar - num centro médico intergaláctico. Agora, a Mulher-Aranha vai vive a maior aventura de sua vida até então, que é ser mamãe.

A história publicada na edição 12 de Homem-Aranha: Aranhaverso merecia uma postagem a parte. É independente do arco anterior e traz um trabalho altamante aclamado por críticos lá fora. Dennis Hopeless desmascarou qualquer romantismo superficial do ato de ser mãe, principalmente solteira e de primeira viagem como é o caso da Jessica, e foi sensível como nunca ao mostrar como são os medos, o cansaço, a mudança para sempre da vida anterior ao ser finalmente mãe.

Os desenhos de Javier Rodriguez são igualmente espectaculares e bem próprios para a história. Temos Drew desabafando com as amigas todos os receios que tem ao cuidar do filho e que são bem diferentes de qualquer perigo cósmico que já tenha passado antes. Ela mal consegue dormir sem se preocupar com ele estando no outro quarto no berço, quiça se afastar de casa e deixar outra pessoa cuidar dele. Ainda assim, seus amigos sabem que tem que ajudar Jessica a se livrar dessa paranoia e marcam uma noitada fora. A sequência que segue com Jessica preocupada com o filho e pensando mil e um absurdos é fenomenal.

Jessica acaba encontrando confiança em outras pessoas para lhe ajudar nessa. O ex-vilão e agora associado Roger Goring, o Porco-Espinho, se revela uma excelente babá e a criança o adora. Já um passeio com Clint, um de seus ex-namorados, acaba numa confusão com o vilão Javali e mostra que a Mulher-Aranha agora é só fúria se alguém ousar por seu bebê em perigo. Mas apesar dos avanços, ela ainda não sabe se está pronta pra volta a ação. Seu trabalho é perigoso demais e só de ouvir as aventuras que a Capitã Marvel teve em uma semana deixa Drew tensa. Ela acaba pedindo uma extensão da licença-maternidade para Ben Urich, que concorda, mas ainda assim encontra um jeito de convencer a Mulher-Aranha a ser uma consultora nas suas investigações.

Mas o climax dessa história vem com a revelação de que Jessica decidiu ser mãe por conta própria. Nada de Skrulls ou Super-heróis envolvidos. Ela sequer sabe quem é o pai. Depois de mais um namoro frustado, ela decidiu que sua vontade de ser mãe apareceu, independente de ter marido. Assim, ela foi numa clinica e tudo aconteceu.

Agora, chegou o momento de ela voltar. Confiando em Roger para ser uma boa babá (ele já tinha experiência como pai), ela e Carol Danvers terminam a edição  vestindo os uniformes e caindo na ação. A Mulher-Aranha voltou.

Eu sou fã do trabalho de Denis Hopeless desde seu começo. É um autor que pega poucos títulos, tem uma ótima visão inovadora de construir narrativas e sempre surpreende positivamente suas histórias. Essa em particular eu achei genial. Muitas heróinas no passado já engravidaram e tem filhos, mas pela primeira vez foram trabalhadas numa HQ (que eu tenha conta) como elas lidarão com isso e uma vida tão turbulenta.

Coveiro

domingo, 30 de julho de 2017

Ilustrador da Marvel detalha algo mais sobre Skrulls que veremos em Capitã Marvel



Um dos artistas da Marvel Studios acabou liberando oficialmente a imagem usada durante a Comic Con de San Diego na parte que cabia a Capitã Marvel. Nela, temos a face de um skrull. Contudo, pelo visto, não é um skrull qualquer, mas sim um Superskrull segundo o tageamento colocado por Jerad S. Marantz. Espia só:



Brie Larson será a Capitã Marvel nos cinemas e ela e Samuel L Jackson são os únicos anunciados oficialmente pro filme. Foi só neste final de semana que descobrimos também que os vilões serão os Skrulls e que a Marvel Studios pretende trazer para as telonas a sua versão da Guerra Kree-Skrull.

Coveiro

Veja outras ideias para o Abutre não utilizadas em Homem-Aranha: De volta ao Lar



Antes de ter aquele visual que vimos no filme, o Abutre teve muitas versões feitas até chegar ao ideal. E o ilustrador Rodney Fuentebella liberou algumas de seus concepts que acabaram não sendo escolhidos. Confira:



No Instagram do artista também é possível ver algumas story boards:




E Homem-Aranha: De volta ao lar já passou dos 600 MILHÕES (mais precisamente 633 milhões). Foram apenas 4 semanas e ainda há pelo menos dois meses a seguir adiante. Fora isso, vale ressaltar que o mercado oriental ainda não lançou o filme e isso pode catapultar ainda mais esses números.

Coveiro

O que faz o filme do Pantera Negra ser diferente segundo o diretor e mais relatos de atores sobre seus personagens


Ainda temos mais matérias e artigos que são repercussão direta da San Diego Comic Con pra colocar aqui. Desta vez, os sites ComicBook, Vulture e Screenrant conversaram com o diretor Ryan Coogler e alguns dos atores sobre mais coisas do filme - da origem da arma do Garra Sônica até as inovações do filme do Pantera Negra em relação aos demais já feitos.

"Eu diria que os aspectos culturais são uma coisa importante. Obviamente, T'Challa é um Rei Africano e não tivemos realmente muitos filmes feitos desse em qualquer gênero. Quando olhamos para os filmes do Universo da Marvel automaticamente, logo de cara, isso vai fazer uma grande diferença" disse Ryan Coogler pro ComicBook. "Mas eu acho que esse filme também é uma combinação de coisas esquisitas. Estamos lidando com um cara que é da realeza, como o Thor, mas é da Terra, o que muda algumas coisas. Isso dá contexto e realidade de certa maneira. Mesmo lidando com coisas que tem bastante elementos fantásticos, tecnologias fantasticas, e ainda assim é bem pé no chão da sua maneira única. Então, você tem essas coisas trabalhando de lados opostos" continuou, destacando que Pantera Negra pode ser o filme mais culturalmente relevante de toda a história da Marvel Studios.

"Ele também  olha por um monte de coisas que são importantes pro clima agora. Você consegue puxar e aplicar a um filme de ficção científica ou um filme que é um pouco mais fantástico. Por isso, você coloca essas questões na superfície e é realmente interessante. Faz ser algo diferente" ressaltou o diretor.

Já Andy Serkis, que fará o vilão Ulysses "Garra" Klaue em Pantera Negra comentou algo mais sobre seu personagem. "Ele é a única pessoa que esteve em Wakanda e viu a riqueza que tem lá e ele quer expor isso. Ele acredita que eles são um país hipócrita. Eles estão se passando por algo de terceiro mundo e ele sabe que debaixo disso é outra coisa. Então, ele quer tentar expor isso" revelou o ator. "Ele é um cara que quer derrubar governos. Ele colabora com isso. Ele é um negociador de armas. ELe sabe como mexer com as pessoas e ele tem uma vingança pessoal contra T'Challa também" explicou.

"Em Vingadores: A Era de Ultron, temos o braço de Ulysses Klaue cortado e ele está um pouco chateado com isso. Mas não é isso que fará ele parar. Ele vai retornar e ele vai reaver uma antiga ferramenta de mineração e faz disso seu disruptor sônico. E sim, ele vai brincar com isso. E será divertido" revelou o ator rindo.

Já Chadwick Boseman contou a ligação do filme com o do Capitão América, que ele debutou no UCM. "Porque eu perdi meu pai na Guerra Civil, você vai ver o restante de Wakanda desejando tomar o Trono. Algumas pessoas de Wakanda não estão necessariamente legais com isso"

Boseman também falou que chegou a ter lutas físicas com o diretor nos sets. "Ele vinha até meu trailer e me pegava. Ele é muito habilidoso. Ele gosta de ser um pouco físico e ser parte de tudo. Em muitas cenas de lutas, ele sentia que precisava de mais energia para estar perfeito, então ele vinha até a gente pra mostrar pra você antes de começar. Começavamos a trocar socos e chutes um com o outro" revelou o ator ao site Vulture. E quando perguntaram quem vencia, ele desviou o assunto. "Não vamos falar sobre o que aconteceu. É entre a gente".

Por fim, Letitia Wright explicou um pouco da criatividade tecnologica da Shuri. "Minha tecnologia favorita de longe são uma espécie de manoplas que uso, porque, obviamente, elas são meus bebês. São minha proteção e feitas por mim, então são de longe minhas favoritas. E tem mais no meu estoque. Mas não quero estragar a surpresa além disto" falou a atriz ao ScreenRant. "Quando vocês assistirem ao filme em Fevereiro, no dia 16 de Fevereiro de 2018, vocês vão ser gratamente surpreendidos com o que a Shuri traz ao mundo tecnologico e também ao exército de proteção de seu irmão e de seu povo. Estou ansiosa pra ver isso tudo" disse ela.

Dirigido por Ryan Coogler, Pantera Negra contará com Chadwick Boseman (Pantera Negra), Lupita Nyong’o (Nakia), Michael B. Jordan (Erik Killmonger), Danai Gurira (Okoye), Forest Whitaker (Zuri), Daniel Kaluuya (W’Kabi), Winston Duke (M’Baku), Letitia Wright (Shuri), Andy Serkis (Ulysses Klaue) e Martin Freeman (Everett Ross).

Coveiro

Homem-Aranha: De volta ao lar passa dos 600 milhões mundiais e bate a franquia do Espetacular Homem-Aranha nos EUA



Como é de praxe em qualquer filme com uma base de fãs fervorosa, o novo filme do Homem-Aranha dividiu opiniões. Mas o fato é que mesmo não estando no topo da bilheteria por muito tempo, sua posição entre os top cinco filmes mais assistidos a cada semana desde a estreia rendeu bem a Sony. O filme não só passa a marca de 600 milhões mundiais arrecadados como também já bate os dois filmes da franquia do Espetacular Homem-Aranha de Mark Webb no mercado estadunidense.

Só nesse final de semana, Homem-Aranha: De volta ao lar conseguiu mais 13,4 milhões de dólares nos EUA em sua quarta seman de estreia. É praticamente a metade do primeiro da lista, Dunkirk, que levou 28 milhões estando em sua segunda semana. Com isso, o filme estrelado por Tom Holland totaliza 278 milhões nos EUA. Já é a quarta maior bilheteria de 2017 americana, atrás apenas de A Bela e a Fera, Mulher-Maravilha e Guardiões da Galáxia vol.2. No mercado americano, lee também já está a frente dos dois "Espetacular Homem-Aranha":


Homem-Aranha  - 403,7 EUA
Homem-Aranha 2 - 373,5 EUA
Homem-Aranha 3 - 336,5 EUA
Homem-Aranha: De volta ao lar - 278 EUA
Espetacular Homem-Aranha    - 262 EUA
Espetacular Homem-Aranha 2 - 202 EUA


Já na bilheteria mundial, Homem-Aranha: De volta ao lar chegou a 633, 7 milhões de dólares já. Considerando que somente agora em Agosto é que estreia no Japão e que o segundo mercado mundial, a China, ainda vai reservar a data de lançamento do filme, é de se esperar que passe fácil dos 700 milhões, talvez alcance algo perto dos 800 milhões. É algo que a Sony certamente verá com bons olhos já que são números que se aproximam mais do que arrecadou o filme de Sam Raimi em sua época:

Homem-Aranha 3 - 890,8 Mundial
Homem-Aranha  - 821 Mundial
Homem-Aranha 2 - 783,7 Mundial
Espetacular Homem-Aranha  - 757 Mundial
Espetacular Homem-Aranha 2 - 708 Mundial
Homem-Aranha: De volta ao lar -  633 Mundial

Ainda na bilheteria mundial, com menos de um mês em cartaz e alguns mercados fora da contagem final, Homem-Aranha: De volta ao lar já é o sétimo filme mais rentável de 2017. E esta é uma corrida que mal começou para ele.

Coveiro

sábado, 29 de julho de 2017

Iron Studios faz exposição com seus futuros lançamentos no Shooping Eldorado em São Paulo

Não é só na San Diego Comic Con que você pode conferir em primeira mão peças exclusivas de action figures lançados. Para o pessoal de São Paulo, há a possibilidade de conferir uma exposição de novas peças da Iron Studios em primeira mão. Inclusive, está lá no monstruário a peça da marvel que será de venda exclusiva pela CCXP. E olha, está de mais! Fora isso, neste Sábado, rolou até um sorteio de peças praqueles Cosplays que foram caracterizados. Espia só como foi:




















E eis a peça de venda exclusiva da CCXP:




Quem quiser ver mais fotos, é só clicar neste link pra conferir o álbum! Para os interessados em ir pessoalmente, o Shooping Eldorado fica naAvenida Rebouças, 3970, Pinheiros. A exposição fica no segundo andar, em frente a loja da Iron Studios. A exposição vai até a primeira semana de Setembro.

Coveiro