sábado, 29 de outubro de 2011

O diretor James Mangold fala sobre o novo filme do Wolverine

Wolverine capa

Parece que dessa vez o novo filme do mutante canadense finalmente irá sair do papel. Em entrevista ao Comic Book Movies, o diretor James Mangold respondeu algumas perguntas e deu pistas sobre o que podemos esperar... Confira:



Sobre a razão desse novo filme não ser propriamente um reboot, contando novamente toda a origem de Wolverine:
"Você pode apenas contar uma história sobre esse personagem fantástico do jeito que eles fazem nos quadrinhos. Você não tem que gastar a primeira hora contando como ele nasceu, e sim inseri-lo na ação em determinado momento de sua vida..."

Sobre a tensão gerada pela saída de Darren Aronofsky da direção do filme:
"Falei com Darren um pouco sobre isso antes de aceitar o convite. Mas vou lhe dizer que, quando Darren saiu, eu estava no meio de várias outras coisas... Vários meses se passaram e quando eles voltaram a falar comigo, pude ver o caminho que pretendiam seguir. O que vi foi um material muito promissor, e para mim trata-se de um personagem interessante interpretado por um grande amigo meu que é um ótimo ator, Hugh Jackman."

Sobre o que o levou a aceitar o convite e a diferença entre os outros filmes:
"É uma aventura de um personagem único em um ambiente único também. Quer dizer, o fato de que metade dos personagens neste filme falam japonês, isto é como um filme de super-heróis de língua estrangeira que é tanto um drama quanto uma história de detetive de um filme noir com muita ação, saindo um pouco do convencional"

"Eu acho que parte da razão pela qual eu estou fazendo esse filme é porque não se trata de um filme de super-heróis convencional. Não é uma história de origem, por isso estou livre dessa carga, e também não é sobre salvar o mundo... É um filme focado no personagem."

Sobre a influência da obra de Frank Miller e Chris Claremont:
"Eu acho que esse filme é muito mais sobre o psicológico de Logan, que se vê perdido nesse novo mundo em meio à cultura japonesa, gangsters e ninjas. A luta vai ser única, porque tudo será influenciado por artes marciais japonesas."

Sobre o núcleo central da trama:
"O que mais me atraiu é a questão de como é ser um imortal. O que é viver para sempre, quando você perde todos que você já amou? Qual é o preço que se paga por ser uma espécie de Frankenstein eterno? E há várias outras perguntas dramáticas e interessantes que iremos abordar também..."

"Eu gosto de pensar que estamos fazendo um filme do Wolverine que as pessoas estão ansiosas para ver, que leva a alguns dos aspectos mais sombrios e intensos do personagem em sua própria jornada, que não tenham necessariamente sido possíveis na história da origem que foi feita ou, obviamente, quando ele estava compartilhando seu espaço com tantos outros personagens em X-Men ".

Wolverine

Eu estou animado com o que tenho lido a respeito desse novo filme do Wolverine. Se tudo o que foi dito até agora for cumprido, teremos um filme mais próximo das HQs clássicas do mutante canadense e sem as firulas que tivemos no primeiro filme. É claro que não podemos esquecer de que se trata de um filme da Fox e sempre há o risco dos produtores estragarem tudo com suas ideias "geniais"...

Eduardo Spicacci

comments powered by Disqus