segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Guerreiros da Teia: Electroverso

Com o final do Aranhaverso e das Guerras Secretas, muitos dos Universos recriados continuaram sem seus respectivos Homens-Aranha devido ao infinito sadismo do déspota multiversal Reed Richards. Para impedir que o caos nesses mundos, foi criado os Guerreiros da Teia, uma equipe multiversal de Aranhas com o intuito de proteger esses mundos e impedir novas catástrofes aos Aranhas.


Formado inicialmente pelo Aranha Britânico, Garota-Aranha da Terra Primordial, Gwen-Aranha, Porco-Aranha, Homem-Aranha Indiano, Mulher-Aranha (Mayday Parker) e Homem-Aranha Noir, a equipe costuma treinar em um Universo "inofensivo", o da animação de 67.



Enquanto almoçam em um dos mundos sem Aranha, Gwen e Mayday são atacados por um grupo de Electros multiversais que conhecem a identidade de Peter Parker. Gwen é raptada e levada para o covil deles, na Terra-1082, onde ela descobre ser uma conspiração com centenas de Electros. Lá, ela é feita prisioneira por Mike Dillon, o Electro da Lua (do Universo do Aranha que foi morto por Morlun nas primeiras páginas do Aranhaverso). Mike conta a ela como ele aprendeu sobre os muitos mundos vendo Morlun se deslocar entre eles. Com a ajuda do Dr Octopus daquele mundo, ele conseguiu andar pelo Multiverso até conhecer uma versão genial dele mesmo. Esse Dillon criou um verdadeiro exército, recrutando Electros e escravizando Drs. Octopus, enquanto o primeiro foi sendo cada vez mais rebaixado na equipe por sua mediocridade.



Gwen consegue enganar Mike Dillon e fugir, apenas para descobrir que o Electro "chefe" se tornou um ser de pura eletricidade. Ele conta para Gwen que se tornou assim usando a tecnologia kree que criou a Inteligência Suprema e é um coletivo de Electros fundado por um décimo dos recrutados. Gwen consegue fugir para o Universo MC2 e pedir ajuda ao Tio Ben. Enquanto isso, o Tear é atacado por Electros e os Guerreiros da Teia precisam fugir para a Terra 803, o mundo steampunk da Mulher-Aranha.



Aproveitando o fato de não existir eletricidade e componentes eletrônicos nesse mundo, Brian faz um ultimato aos Electros, conseguindo que todos se dirijam para a Terra-803, enquanto Ben e Gwen libertam os Drs Octopus e conseguem a ajuda de uma Doutora Octopus Vingadora. O plano do Aranha Britânico consiste em gerar uma grande teia que funcione como uma Gaiola de Faraday, prendendo todos os Electros.


Eles conseguem o objetivo, mas Brian e Mayday ficam para trás, sem que os Guerreiros da Teia saibam se eles conseguiram escapar ou foram mortos pelos vilões dentro da gaiola.





Esse primeiro arco da equipe aracnídea foi escrito por Mike Costa, desenhado por David Baldeon e com arte-final de Scott Hanna, Walden Wong e Roberto Poggi. Embora o roteiro seja mediano e tenha boas doses de humor, peca por detalhes como a sub-utilização dos Doutores Octopus ou a aparente tentativa de fazer um novo Aranhaverso com o Electro no lugar. A arte também é mediana, condiz bastante com a história, funcionando melhor com o Porco-Aranha que com os demais personagens.


Esta história foi originalmente publicada em Web-Warriors 1 a 5 e, no Brasil, em Homem-Aranha: Aranhaverso 8 a 12.

comments powered by Disqus