sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Guerra Civil II - Pré-Julgamento

Depois de momentos tensos vividos pelos heróis no primeiro embate que realizaram na cobertura do quartel-general Triskelion, os dois lados dessa segunda Guerra Civil foram surpreendidos por mais uma e ainda mais forte visão do Inumano Ulysses. Desta vez, todos "viram" o jovem Homem-Aranha Miles Morales matar o Capitão América Steve Rogers. Era uma visão chocante demais para todos e só não foi mais surpreendente do que a Capitã Marvel dar voz de prisão ao garoto por um crime que ele ainda não cometeu.



Daí, um novo embate tomou proporções maiores. Tony Stark se impôs novamente, assegurando que Miles nunca faria tal coisa, é um bom garoto acima de qualquer suspeita. Carol Danvers se defendia que estava apenas levando-o sob custódia por precaução. Foi então que Steve Rogers resolveu se envolver, falar calmamente com o garoto e pediu para a Thor levá-lo dali. A Capitã tentou impedir, mas Kamala Khan, a menina que herdou seu título antigo de Miss Marvel a segurou, mostrando que ficaria ao lado do amigo.

Quando a situação foi ficando tensa de novo entre os heróis e um novo embate teria início, o Pantera Negra levantou a voz e diria que mudaria de lado nessa história. Ele não suportava mais aquelas decisões tomadas baseadas em previsões (algumas não sendo mais tão precisas) e disse que aprendeu nessa vida que sempre deveria ficar no lado do Capitão América (obviamente, ele e ninguém estava cientes das 'mudanças' deste Steve). Quando Maria Hill já preparava uma ordem de prisão, o Doutor Estranho fez um feitiço e tirou todos dali. Nem medusa ficou do lado dela desta vez.



Miles foi deixado num arranha-céu pela Thor e pediu para ficar sozinho. Lá, no alto, se deu ao luxo de chorar ao relembrar tal visão assustadora. Já os Inumanos, de volta a Attilan, foram interrogar Ulysses para saber o que realmente estava acontecendo com esses poderes expandidos de previsão. Os Guardiões da Galáxia, que perderam a nave no combate, falaram pra Carol que ficariam na Terra até a Capitã arrumar uma nova (e veremos as consequências disso na revista mensal deles, incluindo aqui a volta de Kitty Pryde aos X-Men).

Já os heróis se reunirão num velho esconderijo secreto do Nick Fury embaixo de uma barbearia. A versão mais jovem dos Vingadores - Miss Marvel e Nova decidiram que iriam atrás do amigo Miles escondido dos outros. Junto com eles foram também o jovem Ciclopinho e a novata Riri Williams (ainda sem codinome). Stark desconfiava que o grupo iria abandonar os Vingadores e estava dividido entre dar uma bronca neles ou ficar orgulhoso.



E Carol Danvers parecia cada vez mais angustiada com suas decisões. Do todo do Triskelion, observava Manhattan a distancia e lembrava dos que já morreram desde que começou a usar Ulysses. Logo, foi acalorada por velhos amigos, inclusive sua outrora colega X-Woman a Tempestade. Então, nas páginas finais, Maria Hill recebe um informe de que o Homem-Aranha Miles Morales estava na frente do Capitólio em Washington. Exatamente como na visão de Ulysses.

A edição basicamente é um longo debate sobre o tema mais uma vez, com 22 páginas de reflexão e discussão. Os pontos fortes aqui são as direções dadas a alguns personagens como o da molecada se separar dos adultos para criar os Campeões (cuja revista a Panini lançará em Fevereiro) e os Guardiões da Galáxia terem arcos de história na Terra. No mais, é admirar o traço sempre empolgante do David Marquez.

Essa mesma edição 4 da revista traz a continuação da aventura do Nick Fury escrita e desenhada pelo Declan Shalvey que mostra ele invadindo uma nova base da SHIELD para roubar informações e ainda encara a Viúva Negra no meio do caminho. No fim, a própria Viúva se dá conta de que há agentes podres ali. E também temos o especial, Guerra Civil II: O Acusado que dá mais detalhes do julgamento do Gavião Arqueiro. Aqui, Marc Guggenheim, Ramon Bachs e Garry Brown mostram a história sob a perspectiva de Matt Murdock que mesmo na posição de acusação percebe que o julgamento está tendecioso demais para culpar Clint Barton. É quando ele decide agir como o Demolidor e investigar a verdade descobre uma conspiração interna que pode levar o julgamento a ser um estopim pra uma nova lei de registro de super-heróis.

Coveiro

comments powered by Disqus