quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Homem de Ferro 2020 continua com a primeira batalha em campo entre os robôs e Arno Stark


A série do Homem de Ferro continua na edição #2 sem muita enrolação. Já aqui, os dois lados dessa história - Arno Stark e a I.A. de Tony Stark que prefere se chamar agora de Mark Um - resolvem partir pro tudo ou nada no conflito entre homem e máquina. Mas é difícil saber que lado sairá vitorioso quando - sem a união de ambos - temos um potencial ameaça cósmico destruidora de planeta vindo aí.


A Rebelião das máquinas só expande. Vemos no começo desta história os robôs-marujos do Capitão Barracuda sendo salvos pelo Machinesmith enquanto que um daqueles robôs-quadrupedes que vivem espancando pra testar o equibrío é resgatado pelo Androide Andy. Quasimodo e HERBIE estão no meio de uma captura de robôs-testes de uma empresa automobilística quando surge Arno Stark, o Homem de Ferro 2020. O conflito penderia pra o lado do Stark, mas Herbie logo lembro que o objetivo ali era só salvar os companheiros robôs e todos fugiram.

Arno Stark não foi atrás deles, sabia que eram meros peões. Seu alvo principal era o Homem-Máquina ou quem quer que estivesse dando as ordens na rebelião. Ele precisava detê-lo para controlar todas as I.A.s e assim salvar a Terra. Mas até mesmo seus país recém-ressuscitados tinham receio desse ímpeto de Arno de querer 'dominar' as I.A.s ao invés de unir-se a elas.

No décimo terceiro andar, o quartel-general das Máquinas, a I.A. do Tony Stark acabou recebendo uma mensagem criptografada de um desconhecido que se identificava como o 'Fantasma da Máquina'. O anônimo passou informações e um video revelando como Arno Stark e a Baintronics estavam resetando e escravizando todos as antigas I.A.s relacionadas a Stark Entreprise. Jocasta parecia uma mera escrava sem vida sendo humilhada por Sunset Bain. E o plano de Arno tinha expandido para contaminar com esse controle qualquer I.A. que tivesse acesso a internet.


Os robôs e I.A.s estavam atônitos, pois como iriam se comunicar sem a internet e manter a revolução. Mark Um então decidiu que era o momento de invadir diretamente a Torre Bain e impedir que os planos do "irmão" Arno seguissem adiante. O ataque consistia de três frontes - uma direta para atrair a atenção de Arno e dos seguranças; outra iria cuidar de hackear os sistemas da Bain com um novo software que impedisse esse ataque que deixaria as I.A.s sem controle próprio. Por fim, o Homem-Máquina ficaria de fora e explodiria todo o lugar se as coisas dessem muito errado.

Mas o plano tão bem pensado não poderia ter saído mais catastrófico. Arno Stark antecipou tudo. Tinha já imaginado o ataque e estava pronto o esperando na Torre Bain. Também renumerou os andares confundindo assim a equipe que iria hackear o sistema. E por fim, fez com que a servil Jocasta tirasse a atenção do Homem-Máquina e o fizesse sair de sua posição.


A edição acaba com uma boa parte do exército de robôs e I.A.s caídos e Arno e Mark Um se preparando pra um combate mano a mano. A partir daqui começaram a sair os Tie-Ins e poderemos explorar mais desta saga. Por enquanto, Dan Slott, Christos Gage e Pete Woods tem entregado uma edição que não enrola pra ter seus momentos de ação e que constrói muitos momentos divertidos com esse monte de robôs do Universo da Marvel que pouca gente conhece.

Coveiro

comments powered by Disqus