terça-feira, 24 de novembro de 2020

Quarteto Fantástico: A "desmutantização" de Franklin Richards

 Um dos maiores mutantes da Marvel de todos os tempos acaba de ser "desmutantizado". Desta vez, não podemos culpar "boicotes" como foi o caso dos gêmeos Maximoff anos atrás. Está tudo em casa desta vez, e aparentemente aquele que conhecíamos como Franklins Richards, filho do Senhor Fantástico com a Mulher Invisível não só deixou de ter seus poderes mutantes. Ele nunca foi um mutante, na verdade.


Classificado sempre como um mutante de nível ômega desde que seus poderes foram despertados, o jovem Franklin sempre foi considerado uma ameça em pontencial. Seus pais sabiam disso e muitas vezes chegaram até mesmo a propositalmente restringir seus poderes. Não é pra menos. Em versões futuras que apareceu, ele era praticamente comparado a um deus. Chegou até mesmo a usar o próprio Galactus como seu "arauto'. Ainda muito criança, foi capaz de criar seu próprio universo "de bolso" após derrotar o Massacre. Com o fim das Guerras Secretas (de 2015), foi aquele quem passou a criar novas realidades paralelas e lançá-las ao multiverso que se reformava. Muitos diziam que os limites dos poderes de Franklin ainda não tinham se estabelecidos.

Só que desde que o Quarteto Fantástico retornou aos quadrinhos após um longo tempo no limbo, Franklin tem demonstrado uma nítida instabilidade de seus poderes. Aparentemente, quanto mais os usava, parecia estar mais o "gastando". Para se entender melhor, passou até mesmo a tentar experimentar mais do seu lado mutante, como demonstrado na minissérie X-men/Quarteto Fantástico (de 2020). Nela, vimos alguns extras da edição que apontavam para uma explicação diferente da "natureza" dos poderes do garoto, mas na época essa abordagem não foi detalhada.

Bem, após os eventos de Empyre, com o Quarteto Fantástico de volta a Terra, eis que o inevitável acontece e os poderes de Franklin finalmente são plenamente consumidos na edição #25 da nova mensal. Ao lutar contra um poderoso alienígena chamado Cormorant enviado a terra por um ser poderososíssimo chamado de "Timoneiro", Franklin gasta a última parcela dos seus poderes. Enquanto o restante de sua família tomou a dianteira pra parar a criatura, o garoto correu desesperado para o portal em Nova York em Genosha somente para perceber que sem seus poderes, ele não podia mais ser 'reconhecido' como mutante e passar para o outro lado.


Apesar de sair vencedores com um ajudinha do Doutor Destino, a luta contra o Cormorant custou a destruição do edifício Baxter e o surgimento no lugar do Portal Eterno, liberado a partir de um tipo de fonte de energia primordial que Reed Richards mantinha guardado chamada Força Zero. Esse novo portal é ainda mais poderoso do que o de Genosha, já que permitiria qualquer um que o atravessasse ir para qualquer ponto do tempo e do espaço. A Família Fantástica passou a guardá-lo 24 horas por dia a partir de então e não demorou muito tempo para a Val desenvolver um aparato capaz de "controlar" o Portal Eterno.

Assim que Franklin soube da invenção da irmã, pensou em usá-la para ir para Krakoa. É então que o menino teve a segundo pior notícia de sua vida deste ano. Professor X entrou em contato mentalmente com ele para informar sobre suas descobertas. Segundo ele, Franklin nunca foi mutante. Não de verdade. O que aconteceu é que Franklin usando seus poderes cósmicos dormentes SONHOU em ser diferente como seus pais e assim alterou cada célula do seu corpo para possuir o gene X. Agora que estranhamente seus poderes desapareceram, Krakoa não o reconhece mais como mutante e ele não é mais bem vindo na ilha.

A edição continua ainda explorando as possibilidades do Portal Eterno. Com ele, puderam trazer de volta toda a criançada da Fundação Futuro que continuou explorando o Cosmo a fora, a ex-esposa skrull do Johnny, Lyja, e Rikki Barnes, da "contra-terra" criada por Franklin em "Heróis Renascem". Só que esses não foram os únicos a sair dali. Outros tantos seres, das mais diferentes realidades também começaram a passar pelo portal. Eles pareciam familiares, circundaram Franklin e chegavam a chamá-lo de deus. Logo, o garoto entendeu que eles eram sobreviventes das diferentes realidades que ele criou enquanto esteve fora da Terra. E estavam todos fugindo de ninguém menos que da Griever, a primeira vilã dessa nova fase do Quarteto Fantástico. Será que agora sem seus poderes, o garoto poderá dar conta dela?


Bom, enquanto a história principal envolvendo o Portal Eterno fica para ser concluída mais pra frente, já deu pra sacar aqui que a Marvel decidiu colocar as coisas dentro de cada "familia" separadas em suas caixinhas. Apesar de que inicialmente tudo levava a crer que poderíamos ter o Franklin mais envolvido com seu lado mutante, Dan Slott, provavelmente apoiados pelos editores, decidiu dar nova direção a natureza de seus poderes. Ele tem muito mais relação cósmica do que genética pelo que indica. É curioso também notar que Xavier usou o verbo "sonhar" quando se referia ao jeito que Franklin ativou seus poderes para serem "mutantes". No passado, vale lembrar que o garoto junto com outros colegas, fez parte do Daydreamers, uma inusitada equipe que viajava entre realidades. E é bem verdade que basicamente seus poderes sempre estiveram associados aos seus anseios, ou sonhos, de uma criança. Vamos esperar pra ver como tudo se explica no futuro...

Coveiro

comments powered by Disqus